18 abr 2012 | Notícias
“A Liga” – Assista a alguns falsos porém históricos momentos para a música sertaneja

Se tem algo de que não me canso nunca é de assistir programas da grande imprensa ou da grande mídia tratando do assunto “música sertaneja” e dando o braço a torcer. Quando a imprensa carioca e paulista se metem a falar de música sertaneja com essa ótica, é sempre garantia de boas risadas e de momentos de absoluta vergonha alheia.

As risadas acontecem por conta da quantidade de bobagens que a gente acaba lendo ou ouvindo. A utilização do termo “sertanejo universitário”, por exemplo, mais ultrapassada do que nunca, ainda é uma constante nesse tipo de matéria, o que comprova como a cultura sertaneja demora a chegar de fato a São Paulo ou ao Rio de Janeiro, isso quando chega. Ora, se a gente considerar o começo da era do sertanejo universitário apenas a partir do estouro de César Menotti & Fabiano, lá se vão nada mais nada menos que 6 anos. SEIS!!! Que eu saiba a maioria dos cursos universitários duram 4 ou 5 anos. Medicina dura 6 por conta do período de residência. Aaahhh, deve ser isso. Acho que a imprensa paulista/carioca ainda usa o termo universitário por causa da nova música do Michel Teló, “Humilde Residência”. Eles devem estar presumindo que ela trata do sexto ano do sertanejo universitário. “Ba dum Tss #momentozorratotal”.

Outro problema dessas matérias da imprensa paulista/carioca é a repetição infinita da mesma abordagem. Toda vez que um programa de TV resolve tratar desse assunto, sempre vemos a balada sertaneja classe A, a balada sertaneja classe C, os cantores de rua (o Fabiano Martins, filho do Marciano que canta nas praças do centro de São Paulo, deve ter aparecido em 20 programas de TV pelo menos), os bastidores de uma tradicional festa do peão e algo sobre a quantidade de dinheiro que a música sertaneja movimenta. O programa “A Liga” exibido ontem na Band, apesar de bem interessante, foi um festival de repetições da mesmíssima abordagem.

O lado bom, entretanto, é que o programa trouxe uma visão mais informal. A balada sertaneja classe A, por exemplo, foi tratada de forma bem pitoresca. Todas as declarações preconceituosas das patricinhas metidas à besta emitidas durante a balada foram transmitidas na íntegra durante o programa, e com legenda ainda.

Mas sem dúvida o programa vai entrar para o plantel de programas clássicos sobe música sertaneja por mostrar 3 caras que provavelmente nunca aceitariam falar bem de sertanejo se não estivessem sendo pagos pra isso fazendo exatamente o contrário: o Cazé Peçanha, o rapper Thaíde e, principalmente, o Lobão, que desandou a elogiar o Michel Teló e a mostrar que fez o dever de casa e pesquisou tudo sobre ele antes de entrevistá-lo, isso com o mundo inteiro sabendo qual a real opinião do Lobão sobre a música sertaneja e seus representantes. Pena que o Rafinha Bastos saiu. Seria fantástico vê-lo nessa matéria.

Enfim, um programa que vale a pena assistir, ainda que apenas para dar umas boas risadas. Assistam abaixo os vídeos do programa:

Parte 1:

Parte 2:

Parte 3:

Parte 4:

Parte 5:

Parte 6:

24 comentários
  • jaquisson: (responder)
    18 de abril de 2012 às 13:10

    Realmente só a informalidade diferenciou a Liga, de outros programas que abordaram o novo sertanejo.
    Lobão honrou o salário…
    O Rafinha já ouvi ele dizendo que é fan do Bruno e Marrone várias vezes, caso ainda estivesse na Liga, ñ seria nada de interessante.

  • Bill Moura e Leonardo: (responder)
    18 de abril de 2012 às 13:13

    Achei bem superficial o programa ontem. Deveria o nome ser “balada sertaneja” e não SERTANEJO como foi abordado. Pois falar do sertanejo mesmo falou pouco, falou mais das baladas daqui de SP, do Villa Country (na qual foi o Thaide), no Villa Mix (onde foram as patricinhas, aliás, bem gostosas, mas metidas a besta)…E uma cidade do interior onde ainda mora a resistência da cultura caipira.

    Enfim, acho que foi legal o programa, porém um pouco superficial.

    Abraços!

    Bill Moura e Leonardo.

  • mileciano: (responder)
    18 de abril de 2012 às 13:23

    Eu achei o programa meio fraco, nas abordagens sobre a música sertaneja, tem q fazer outro programa, esse deixou a desejar.

  • werner: (responder)
    18 de abril de 2012 às 15:24

    Fala marcao!! MEdicina são seis anos + a residencia que dura em média mais três anos!!! Virar médico da trabalho meu caro!
    rsrsr

  • emerson: (responder)
    18 de abril de 2012 às 15:43

    Esse para da “sertanejo universitario” e aquele que tem vergonha de afirma que curte sertanejo, nao existe isto de universitario nao, e sertanejo e acabou….Realmente essas materias sao mesma de sempre, nao acrescentam nada de diferente.Fala bem ou fale, mais falem do sertanejo.

    Esse dias estava discutindo com amigo que nao gosta de sertanejo, mais que segundo ele curte MPB, ai brinquei MPB=Sertanejo, eu disse popular significa algo que uma multidao escuta certo? ai ele concordou, disse que Chico Buarque, Caetano Veloso, entre outros e MCB(musica cultural brasileira) ahaha e não popular, ate pq nao conheco ninguem que escuta e nenhum dos muitos luigares que vou escuto este tipo de musica ahahaha

  • Fábio Roque: (responder)
    18 de abril de 2012 às 16:05

    Ah, mas vamos ver mesmo!

  • Daniel Assis: (responder)
    18 de abril de 2012 às 17:14

    Eu fiquei com nojo da hipocrisia do Lobão!
    E na hora que ele entrevistou o Michel Teló ele falou de tolerancia musical e tal sendo ele o PRIMEIRO a ir contra essa ideologia!

  • Thiago: (responder)
    18 de abril de 2012 às 19:12

    kkkkkkkk

    A Liga Ontem não deu Liga, o Mais Engraçado Foi o “Goiaba” se Achando com esse Apelido Ridiculo…. Goiaba Toda Bichada Por dentro…

    Abraço Marcão…

    Ainda Bem Que Voce esta de Volta… Blognejo é Impar, O Resto é Balela

  • Maria Fernanda: (responder)
    18 de abril de 2012 às 19:17

    Como disse Paula Fernandes nessa matéria: “A pessoa pode ser extremamente chique, mas muito humilde também”.

    Agora essas patricinhas são repugnantes! Como se a vida fosse só isso. Como se as pessoas de poder aquisitivo menor do que o delas fossem lixo. Não pensam que se também não tivessem nascido em berço de ouro seriam como a maioria das outras pessoas. Lamentável, pois quando acordarem será tarde!

    E tem gente que reclama das matérias feitas pelo Marcus que há muitos anos entende do assunto como ninguém…

    • diogo: (responder)
      20 de abril de 2012 às 18:40

      Ñ tem q se lamentar por elas,
      Tem que tirar onda, pq elas saem de casa pra
      ver essas duplas tocarem…hahahah

  • Thiago: (responder)
    18 de abril de 2012 às 19:32

    Sinceramente, A Liga Não deu Liga…

    O Mais comico foi o Goiaba, o Cara se Acha com um Apelido desse…. É Uma Goiaba toda bichada por dentro.

    Parabéns Pela Matéria Marcao.

    O Blognejo é Impar, O Resto é Balela….

    • diogo: (responder)
      20 de abril de 2012 às 18:37

      Pelo cara, pelas pessoas não vi nenhum mal.
      O caboco tem dinheiro, tem mais que zuar mesmo…

      Mas a realidade dele, o contexto dele não tem nada a v
      com o que fala as musicas…n to falando de róça não,
      sim de muie, pega e etc…

      Foi nitido que ali ele tava só bancando as tiriça,
      e nun tava pegando nenhuma hahahah…

  • Denis: (responder)
    18 de abril de 2012 às 19:48

    Programa feito com um completo desconhecimento da nossa realidade, do País em que vivemos, de nossa cultura. Como diz Milton Nascimento na música “Notícias do Brasil”:…”Ficar de frente para o mar, de costas pro Brasil,não vai fazer desse lugar um bom país!”

  • adriano: (responder)
    19 de abril de 2012 às 07:28

    A liga dos Equivocos traduzindo melhor: 1º ponto eles citaram que pouquissimas duplas sertanejas fizeram sucesso na decada de 80/90 citando somente zeze e luciano leandro e leonardo e chitão e xororo (erro grave), é um equivoco enorme falar isso, na decada de 80/90 duplas como chrystian e ralf , joão mineiro e marciano, cezar e paulinho, rick e rener, bruno e marrone, entre outros, 2º ponto: falaram que o sertanejo universitario ganhou espaço no exterior com apresentaçoes por lá, para quem não sabe outras duplas como chrystian e ralf, bruno e marrone, tambe´m fizeram apresentações no exterior e também não foram poucas, pra vc terem uma ideia chrystian e ralf ate hj é recordista de publico em algums paises em turnes, pra quem quiser confereir é só ir ate a biografia dos caras 3º Ponto hj se tem diversos outros meios de comunicações principalmente a internet, antes o cara se apresentava no exterior, se demorava quase um ano pra todo mundo ficar sabendo, e olha la qnd chegavamos a saber, hj o cara se apresenta no exterior da pra ver ate em tempo real, qnts pessoas na decada de 80/90 tinham pelo menos uma tv preta e branca, não tem como comparar pessoal são realidades completamente diferente, se antigamente essas duplas citadas fizeram sucesso e ate hj estão ai, ao contrario do que acontece hj, não foi por causa da midia, e sim por causa da voz do talento claro com raras exceções.Hoje 70% é a imagem do cantor( empresario+divulgação) o cantor passou a ser obejeto de markiting e 30% a voz. Alguem ja viu Milhonario e jose e rico, chrystian e ralf, cezar e paulinho, joao meneiro e marciano, como garotos propagandas, mesmo qnd estavam no auge. 3º Ponto disseram que o sertanejo universitario veio pra inovar..inovar o que ? na minha humilde opinião ao contrario veio pra retroceder, com letras futeis, pobres, e descartaveis, ou seja o trem toca pra caramba,contudo é passageiro, será que daqui 20 anos alguem vai se lembrar da “extra ordinaria letras das musicas ai seu eu te pego ou sou foda, ou motel disfarçado?” ou dos proprios cantores? Se eu estiver errado pessoal podem me critcar mais que tenham pelo menos argumentos..

  • Roberto: (responder)
    19 de abril de 2012 às 11:22

    Dá nojo dessas patricinha ai
    falando que não desce do camarote
    que lá em baixo tem cheiro de povão, de trabalhador,
    queria q pessoas como essa ficasse pobre só pra ver como é a vida de verdade…

    • emerson: (responder)
      19 de abril de 2012 às 16:25

      E triste saber que existe pessoas assim, essa vc pode ter certeza nao conhece nada da vida, nao tem principios e mto menos valores, vive do dinheiro dos outros, pq nao foi ela quem ganhou1

  • Fábio Roque: (responder)
    19 de abril de 2012 às 14:06

    Muito bom ver esse povo pagando pau pro sertanejo!

  • Thiago: (responder)
    19 de abril de 2012 às 18:46

    Velho Facil lhe dar com essas patricinhas, alugue por apenas um dia um carango esportivo e cola nesses picos, mete uma de loko falando que amigo de um Cantor que tá em alta e já era, já leva pro abate e ainda faz tomar leitinho de Cabra….

    E ai tira onda com essas quengas, Com dinheiro é mole quero ver é duro…. como diria a Musica do Gino e Geno

  • Alisson: (responder)
    19 de abril de 2012 às 20:30

    Eu não consegui ver o video todo…
    eles tratam o sertanejo de uma forma muito superficial..
    dá pra ver q nao manjam nada do assunto..

  • debora: (responder)
    21 de abril de 2012 às 22:48

    Achei ridículo a loira rica e ignorante falar que o lugar estava cheirando população, e alguém reparou que a imbecil esta estudando medicina? Pois bem, depois temos que enfrentar esse tipo de profissional em hospitais públicos, santa hipocrisia, sera que o buraco que ela irá depois de morrer é diferente?

  • Andre Martins: (responder)
    28 de abril de 2012 às 14:05

    Eu sempre gostei de musica sertaneja nesses meus 26 anos de vida, mas confesso que esse “sertanejo universitário” não me conquiata não, são umas letras muito fracas, sem romantismo, 95% só falam de ir pro bar beber e essa obsessão de discos aovivo pra mim é para maquiar a escassez de talento e afinação “dos cara”. Eu acho muito chato ficar ouvindo gente gritando durante as musicas.me digam porque o luan santana gravou outro cd aovivo seguido? Cade o criatividade? a ousadia? o interesse em pesquisar novas formas de trabalho? a busca por compositores menos badalados? quantas duplas universitarias ao menos fecham os olhos durante uma musica romantica (as que ja se arriscaram gravar musica romantica)? porque todo cantor sertanejo tem que usar camisa xadrez (será que eles ganham esse uniforme no projac)?porque todo cantor universitario tem que forçar a falar caipira (porque deu certo com o luan santana?)? alguem ouve as musicas “sintura da muleka, bate o pé, cerveja, eu me amarrei, hoje em dia com o mesmo interesse quando se ouve uma “evidências, sou eu, estou apaixonado, é por você que canto”? Pois é, parece que o pessoal do novo sertanejo só está pensando no hoje. gostaria de lembrar também que há uns dez anos atrás Zezé di Camargo se gabava em dizer nos programas de televisão que fazia uma média de 160 shows por ano (sendo a dupla que mais fazia shows na época), e hoje cadê a voz do Zezé?E o Xororó que não tinha essa obsessão cega em ser o recordista de apresentações anuais, hoje está com quase a mesma potência de voz que tinha há vinte anos atrás. Será que valeu a pena ser a dupla recordista de apresentações anuais, será que se o Zezé pudesse voltar atrás ele seria mais metódico e menos agressivo na impostação de voz? Bom, espero que ese meu comentario possa contribuir humildemente para que algum sertanejo repensasar na sua carreira.

  • Armando Neuner: (responder)
    14 de julho de 2013 às 16:18

    I simply want to say I’m all new to weblog and certainly enjoyed you’re blog site. Very likely I’m want to bookmark your blog . You really have really good stories. Thank you for sharing with us your blog site.

  • Herschel Moment: (responder)
    17 de julho de 2013 às 09:31

    single and multi working perfectly for me! cheers Fury

  • more…: (responder)
    18 de julho de 2013 às 00:11

    I’ve been exploring for a bit for any high-quality articles or blog posts on this sort of area . Exploring in Yahoo I at last stumbled upon this web site. Reading this information So i’m happy to convey that I’ve an incredibly good uncanny feeling I discovered exactly what I needed. I most certainly will make certain to do not forget this site and give it a glance on a constant basis.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.