15 jun 2009 | Artigos
A MAJESTADE, A VIOLA

Ouso dizer que, se não fosse por ela, talvez a música sertaneja não seria 10% do que é hoje. Inventada na Austrália (segundo reza a lenda), mas radicada no Brasil, é sem dúvida um dos instrumentos mais brasileiros que há. Pelo menos, podemos dizer que é o único instrumento legitimamente sertanejo. Nenhum outro segmento usa a viola caipira. Quando o faz, é sempre com o intuito de se fazer referência ao estilo sertanejo. A viola de 10 cordas é tão sertaneja que acabou ganhando essa alcunha de “caipira”. E hoje as mais diversas marcas de instrumentos reconhecem sua importância, tendo modelos de viola caipira em seus catálogos mais variados. Importadas, inclusive, destinadas à venda no Brasil, principalmente.

A viola ajudou a proporcionar ao estilo sertanejo algumas das mais belas canções já gravadas. Um dos sub-segmentos mais peculiares é o da moda de viola “legítima”, aquela que é cantada junto com o solado. Fora esse estilo, a viola pode ser brilhantemente utilizada nas mais diversas canções, sempre tornando inesquecíveis os mais diversos arranjos.

Essa nova seção nasce com esse objetivo: prestar um tributo ao instrumento musical mais sertanejo de todos. E para começar, uma das histórias mais belas dentre as modas de viola. “Caboclo na cidade”, do poeta Dino Franco, narra a história de um homem que abandonou o sítio em que morava para se mudar com a família para a cidade e acabou vendo a família trocá-lo pelos prazeres da vida urbana. O primeiro vídeo é com a dupla Dino Franco & Mouraí. O segundo, com César Menotti & Fabiano.

Comente

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.