“Ai, se eu te pego” ou “O patinho feio”

A maioria das pessoas que tiveram infância com certeza conhecem a história do patinho feio, de Hans Christian Andersen. Segundo o conto, uma pata chocou alguns ovos dos quais eclodiram alguns lindos patinhos e uma outra criatura que, embora parecesse um pouco com ela por conta do bico e das patas, não era da mesma espécie. Na verdade ela não era bonita como seus “irmãozinhos”. Era feia. Pelo menos aos olhos da mãe e dos irmãos. Todos riam dela.

Por conta disso, a jovem criatura acabou rejeitada, imaginando que sua feiúra tivesse sido o motivo da rejeição que sofreu por parte de sua família de patos. Na medida em que foi crescendo, no entanto, a jovem criatura foi aos poucos descobrindo sua verdadeira origem. Ao invés de se tornar um grande pato, a criatura se tornou a mais bela ave da família dos anseriformes: um cisne. E desde então deixou de ser rejeitada pela beleza que os outros diziam que ela não tinha.

Não consigo deixar de pensar nessa história toda vez que penso na curta e surpreendente história em torno do sucesso da música “Ai, se eu te pego”, lançada há pouco tempo pelo Michel Teló. É que são várias as semelhanças entre o conto de Hans Christian Andersen, escrito em 1843, e a breve história que envolve a música.

Importada do Nordeste, como tantas outras na música sertaneja nos últimos anos, a canção “Ai se eu te pego” foi apresentada ao segmento sertanejo pelo Michel Teló há alguns poucos meses. A reação inicial de muuuuita gente foi de fato a rejeição. “Porra, como o Michel lança uma porcaria dessa?”, “Credo, que pouca vergonha”, “Que absurdo essa música, é o começo do fim da música sertaneja” e bla bla bla bla blaaaaaa. Até campanhas contra essa música foram abertas na Internet, ganhando a adesão de alguns ouvintes mais conservadores, que não admitiam um artista do primeiro escalão da música sertaneja lançando uma música com versosde tão “baixo nível”.

Desde que ela foi lançada em primeira mão em alguns veículos da Internet (entre os quais o Blognejo), me abstive de comentar o tal “gosto duvidoso” qua tanta gente insistia em imputar à canção. Como eu já disse em diversas ocasiões, acho uma hipocrisia sem tamanho condenar uma canção como essa depois de anos aceitando versos como “Mulher que não dá voa” e por aí vai de artistas como Gino & Geno, Rick & Renner, Cesar & Paulinho, Felipe & Falcão, Teodoro & Sampaio e outros tantos adorados pelos fãs mais conservadores de música sertaneja.

Enfim, nos bastidores dos eventos, aliás, o papo era de fato que essa música tinha sido um tiro no pé que o Michel, o talentoso Michel Teló, que lançou um das músicas mais interessantes e diferentes da última temporada (a “Fugidinha), dera em si mesmo. Nas duas primeiras semanas, pelo menos, a música não havia conseguido alcançar o que aqueles que arriscaram o próprio prestígio e pescoço esperavam que ela alcançasse. A canção “Ai, se eu te pego” nascera mais “feia” que suas irmãs do mesmo segmento e por isso foi inicialmente rejeitada pelos profissionais da área.

Após esse período inicial de duas semanas, no entanto, o jogo virou. Não sei o que houve. Talvez as asas de cisne se desenvolveram, as penas brancas tomaram o lugar das penas escuras do jovem cisne e o pescoço encompridou. O patinho feio de outrora de repente virou o mais belo cisne da lagoa. A rejeição inicial por parte de grande parte dos profissionais de música sertaneja de repente se transformou em um generalizado “morder de línguas”.

Pouco mais de um mês depois que a canção teve seu clipe (gravado durante um show do Michel Teló na Wood’s, em Curitiba) postado no Youtube, a canção foi a mais tocada durante a festa de Barretos e outras centenas ao redor do Brasil e já superou a impressionante marca de 11 milhões de views. Isso só no canal oficial do Michel Teló e em pouco mais de um mês. “Ah, Marcão, mas você mesmo disse outro dia que não dá pra confiar nesses contadores de views do Youtube“. Ora, caros amigos, basta fazer um comparativo através dos comentários no vídeo. Se é muito alto, é pouco provável que a quantidade de views seja falsa. Para efeitos de comparação, veja abaixo uma pequena lista de alguns dos vídeos sertanejos que mais bombaram no ano até agora.

1) Amar não é pecado – Luan Santana

  • postado no canal oficial do Youtube em 01/04/2011
  • quantidade de views até agora – 9882457
  • quantidade de comentários – 7582

2) Não precisa – Paula Fernandes com Victor & Leo

  • postado no canal oficial do Youtube em 01/03/2011
  • quantidade de views até agora – 16510324
  • quantidade de comentários – 7250

3) Ai, se eu te pego – Michel Teló

  • postado no canal oficial do Youtube em 25/07/2011
  • quantidade de views até agora – 10993509
  • quantidade de comentários – 9736

Como dá pra perceber após uma breve comparação, a quantidade de comentários supera inclusive a de vídeos com bem mais visualizações. Os mais variados artistas sertanejos se vêem obrigados a cantar um trechinho que seja da música nos shows ao redor do Brasil. O público vai a um show de um artista X, famoso ou não, e pede que o mesmo cante “Ai, se eu te pego”. Isso tudo, reitero, em pouco mais de um mês.

O que é mais interessante a respeito do sucesso dessa canção é que a mesma galera que sustentava a tese de que o Michel Teló corria o risco de ser um artista de uma só canção (A “Fugidinha”) ainda insiste na mesma teoria, mas desta vez com outra música, a “Ai, se eu te pego”. Ora, do meu singelo ponto de vista, foi provado o contrário, não? A dita “maldição” da Fugidinha foi quebrada e o Michel Teló lançou de fato um novo sucesso. Ou será que vão esperar o cara lançar um outro megahit e ainda assim dizer que ele precisa de outro para provar que pode sim fazer sucesso?

Contrariando expectativas, “Ai se eu te pego” é um megahit. A música inicialmente rejeitada (não pelo público, reitero) de repente explodiu. E não adianta choro e ranger de dentes. O patinho feio se transformou em cisne. Resta aos patinhos que outrora o rejeitaram apenas assistirem à consagração do irmãozinho, assim como fizeram os patinhos bonitinhos do conto dinamarquês quando viram que o irmãozinho feioso não era no fim das contas tão “feio” como eles pensavam.

Abaixo, o clipe oficial da canção e, logo depois, um curta metragem de animação da Disney com uma versão reduzida da fábula do patinho feio.

* Clipe Oficial

* O Patinho Feio

32 comentários
  • iran: (responder)
    1 de fevereiro de 2012 às 19:49

    ai se te pego, é engraçadinha, mas tambem é meio pobre

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.