16 ago 2011 | Na Estrada,Notícias
BLOGNEJO NA ESTRADA – Felipe Moro e o lado bom de ser blogueiro

Os posts no Blognejo estão com delay de uma semana, hehe. Os fatos ocorridos numa semana eu geralmente comento na outra e por aí vai. Hoje, comentários da minha última viagem a Curitiba, para acompanhar o lançamento do CD do jovem cantor Felipe Moro. Na verdade, o lançamento ocorreu em Mandirituba, na região metropolitana de Curitiba. Além do show, no entanto, é bom falar sobre os dois dias de sossego passados antes do evento.

Para quem não sabe como funcionam os lançamentos de discos no segmento sertanejo, é até bom esclarecer um pouco as coisas. É muito mais comum do que se pensa um artista realizar um show de lançamento ou aproveitar um grande show que tenha na agenda para armar uma confraternização entre radialistas, contratantes, veículos de imprensa e artistas parceiros. Tudo para mostrar o trabalho ao vivo para quem o artista julga que seja interessante para a divulgação do seu trabalho.

Dessa vez, eu fui um dos convidados. Às vezes eu sou, às vezes não. Isso é normal. Tudo depende de como o artista encara o Blognejo nacionalmente. Se o Blognejo é um veículo importante na visão do artista, eu sou convidado. Se não é, eu não sou. E o mundo gira. E no dia seguinte outro artista lança CD, outra empresa de instrumentos musicais faz aniversário, outra dupla grava DVD, etc, etc, etc.

Até um tempo atrás, eu ficava cabreiro quando não era convidado para certo evento para o qual eu sabia que várias pessoas seriam chamadas. Hoje em dia, no entanto, encaro com naturalidade. Até porque o interesse não é necessariamente meu mesmo. O que mais detesto, aliás, é ir a um evento pra ficar babando ovo de artista como tanta gente faz. Tem muito artista que convida para um evento desse tipo querendo em troca um comentário positivo do Blognejo. Tem empresário de artista, também, que elimina o Blognejo de qualquer lista de convidados de qualquer evento que realize depois de uma crítica nossa. Aí nessa hora entram os lambe-sacos que dizem “Ah, Marcão, você não pode falar certas coisas porque depois você vai precisar do fulano ou beltrano” como se um convite para um evento desse tipo fosse tudo que eu almejo como blogueiro de música sertaneja. Quase me dá vontade de cortar os pulsos quando um convite desses não vem. Pfff.

Para o lançamento do CD “Toque de Magia”, produzido pelo Anderson Nogueira, o cantor Felipe Moro convidou radialistas, empresários e contratantes predominantemente dos estados do Paraná, Santa Catarina e do interior de São Paulo. Mas ao invés do tradicional hotel em que fica aquela correria de van e todo mundo fica longe de todo mundo, uma idéia inusitada: um hotel fazenda sem Internet, sem celular e sem TV. O que para alguns, como eu, era uma maravilha. Ideal para desligar um pouco desse mundinho babaca da música sertaneja, com tanto puxassaquismo desenfreado e nenhum tipo de sinceridade nas relações. Dois dias antes do evento, todo mundo devidamente instalado e sendo praticamente obrigado a de fato conversar uns com os outros.

Munidos apenas de um violão, muita moda boa rolou durante a noite, além de histórias engraçadas para o resto da vida, como a do “Gilson ‘desaparecido’ e a égua”, ou do “óculos ‘baratinho’ no fundo da lagoa”, do “Whisky nos Zóio”, do “Adriano ‘O Pegador'” e por aí vai. Coisas que se eu for detalhar aqui vou precisar de pelo menos umas 3 ou 4 postagens, hehehe. A função de cantador da turma acabou ficando comigo mesmo. E olha que eu sempre me empolgo quando estou reunido com gente que conhece mesmo de música sertaneja, coisa que aqui em Uberlândia é raríssimo. Aproveito para destrinchar todo o meu repertório de modões. E olha que desta vez eu até que agradei a galera presente. Saí de lá com umas 3 promessas de empresariamento e umas duas de investimento, hehehe. O problema é que a uma certa altura do nível alcóolico da galera a gente já não sabe se essas promessas são verdadeiras ou não, hehehe.

O evento, realizado no domingo do dia 07/08, se deu na festa de Mandirituba. O jovem Felipe Moro mostrou segurança o suficiente no palco para driblar os erros, comuns ao primeiro show. Isso mesmo, era o primeiro grande show do garoto. Antes daquele, ele já tinha gravado uma participação no DVD do grupo Tradição, que ainda não foi lançado. Músicas bem legais, como já podem ser conferidas no disco que pode ser baixado em alguns sites por aí. Ainda tem muita estrada pela frente, claro, mas pelo show apresentado e pelo disco lançado já dá pra ver que tem bastante potencial para conquistar um grande espaço junto ao almejado público sertanejo jovem.

Na segunda-feira, todo mundo encaminhado a seus lares, cada um em sua cidade de origem. Uma beleza de festa. Tanto no show quanto nos dias passados no hotel fazenda junto à galera que faz a música sertaneja. Nem lembrei de Twitter, nem lembrei de Blognejo, nem lembrei de telefone. Dois dias do mais absoluto sossego, da mais absoluta paz e tranquilidade. Quer melhor que isso? Às vezes a blogosfera e o mundinho sertanejo cansam. Mas em eventos como esse a gente até sente que vale a pena. Infelizmente não é assim todo dia, hehe.

17 comentários
  • Mitzi Pulos: (responder)
    14 de julho de 2013 às 15:47

    I simply want to mention I am very new to blogs and seriously loved your blog. Probably I’m planning to bookmark your blog . You surely come with very good articles and reviews. Thanks for sharing your web-site.

  • sheds lancaster county pa: (responder)
    20 de julho de 2013 às 09:17

    Sorry for the huge review, but I’m really loving the new Zune, and hope this, as well as the excellent reviews some other people have written, will help you decide if it’s the right choice for you.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.