27 jan 2014 | Lançamentos
“Boas lembranças” – Patu inaugura nova fase na carreira com videoclipe

Já circula na web o novo clipe do cantor Patu. O nome diferente vem da mistura dos dois primeiros nomes do artista (Paulo Arthur Guaracho Shimizu), que acaba de lançar o novo vídeo da carreira, com a música “Boas lembranças”, composição própria produzida pelo Neto Nery do Play Mix Estúdio. A direção do clipe é do Kelvin Ambrósio.

Patu, natural de São Paulo, se mudou ainda aos 4 anos para São José do Rio Preto. Nascido em 1990, já aos 10 anos ganhou o primeiro instrumento, um violão. Na adolescência fez aulas de piano e guitarra, mas estudava outros instrumentos por conta própria. Passou a se dedicar mais à composição e à prática da bateria e da percussão. Além de participar de diversos projetos e grupos como vocalista, tecladista, violonista, baixista, guitarrista e baterista, é autor de dezenas de canções e projetos de música instrumental.

Em 2008, já com 17 anos, retornou a São Paulo para cursar a faculdade de Direito na Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), período no qual deixou a música de lado, trabalhando vez ou outra em pequenas produções. Perto do fim do curso, criou uma paródio do hit “Camaro Amarelo”. A música “Chevette 1.0” rendeu mais de 850 mil visualizações no Youtube, tornando-se a réplica mais tocada nas rádios do Brasil. 

Em 2013, desta vez com uma proposta mais série, diferente da veia humorística da música “Chevette 1.0”. Desta vez a opção foi por montar um repertório bem distribuído em músicas que vão de sertanejas até o folk e o country, todas composições próprias. Nasceu um EP, com a música “Boas Lembranças” como carro-chefe.

O EP foi todo produzido pelo Neto Nery no Play Mix Estúdio, com mixagem e masterização do Pedro Nery. São dois dos mais renomados profissionais do segmento na atualidade. O disco ainda com a participação dos músicos Zé Henrique Mioto (baixo) e Aramis Rocha (violino).

A ideia do Patu é transmitir através dessa música o seu estilo musical com fortes tendências do country, folk, bluegrass, dentre outros, de uma forma harmônica que mostre uma mistura destes estilos internacionais com o sertanejo do Brasil, algo que é pouco explorado pelos artistas daqui. O objetivo é agradar tanto os que gostam de um som mais tradicional quanto os fãs da era universitária do gênero sertanejo.

Confiram abaixo o videoclipe da canção “Boas lembranças”, dirigido pelo Kelvin Ambrósio da LAPUG Vídeo. Para baixar, basta clicar AQUI.

15 comentários
  • lucas: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 11:20

    Arrebentou cara. Está bom demais. Folk e Country tem muito mais à ver com a música sertaneja do que axé e funk. Gostei dessa linha que você está seguindo. Espero que você estoure logo e influencie essa turma toda que está perdida por fazendo coisas horripilantes. Desejo muito sucesso pra você e de agora em diante vou acompanhar seu trabalho.

  • Phaell Cesar: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 13:02

    Musica bem bacana, o cara arrebentou, arranjo muito bacana, o som do Violino é muito agradável.
    Ainda é muito cedo pra falar sobre esse cara, pois a grande maioria dos que começam são imprevisíveis, começam fazendo bonito e depois vira um simples produto comercial, mas essa musica ficou muito bacana, eu espero que ele traga mais musicas assim pro mercado, porque eu não aguento mais ouvir um bando de artistas ruins fazendo um monte de porcaria e com aquelas Sanfonas chata fazendo barulho na musica inteira, e com aquelas baterias feitas no teclado.

  • Renan - SP: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 13:26

    Nada de errado com a música, mas outra coisa que está fazendo falta na música brasileira, é aquela música marcante, que fica durante muito tempo, que vira um marco na carreira do artista e do segmento.
    E essa aí, é daquelas que não são ruins, mas também são muito pouco atrativas, impactantes, servem mais para encher um repertório.
    Enfim, razoável, igual a outras 98.737 músicas.

    • Phaell Cesar: (responder)
      27 de janeiro de 2014 às 14:11

      Renan, mas nada disso vai acontecer se as coisas continuarem do jeito que está, pra ter musicas impactantes, precisa de uma equipe muito criativa, hoje em dia é os mesmos produtores e arranjadores em tudo qualquer lugar, e é sempre a mesma coisa, não inventam algo diferente, falta musicas mais completas, arranjos mais estruturados, eu não acredito que esses produtores tenham preguiça de fazer algo melhor, não é porque tá dando certo que é bom.
      Antes o pessoal explorava mais o conteúdo, queria ver uma musica perfeita, antes se gastava com musicas em si, Cordas, Metais, Coro, nos show Bailarinos, etc…
      Hoje em dia a grande estrutura é em Shows, Mega Arenas, se preocupam mais com esse conteúdo do que o conteúdo musical que é o que interessa.

  • Ricardo Teles: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 13:56

    Podia colocar uns elementos eletronicos ai e tirar um pouco de evidencia o violino. Gosto de violino, mas ele está muito forte, e pro meu ouvido não está agradável. Seu vocal me lembra um pouco a do pessoal do “clube da esquina”, Lô Borges, Flavio Venturine, Beto Guedes… Não sei, mas desconfio que esse pessoal tem influencia sobre você, e se for realmente é algo muito positivo. Nunca entendi porque é que na música sertaneja nunca nenhum artista tentou se aproximar do que foi e é feito pela turma do ‘clube da esquina’ por Sá, Guarabira e Rodrix, ou Raul Seixas e Legião Urbana que sempre fizeram um rock/sertanejo. Acredito que você sabe pra onde quer ir, então é só apontar e ir atras.

  • Jerônimo: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 15:23

    Se continuar nesse caminho tá de parabéns!

    Incrível como a maioria dos artistas não percebem a diferença positiva que violino, gaita de boca, enfim… instrumentos usados nesta linhagem mais country trazem para uma música.

  • Maria: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 15:48

    Adorei o som!!!!!! Parabéns!!!!!!!!

  • Jaquisson: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 16:26

    Começou muito bem, parece diferente dos outros, boa sorte.

  • Joaquim Lacerda: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 17:59

    Gosto de acompanhar o início de novos artistas,e achei demais o som do Patu.
    Raro hoje em dia alguém se lançar com uma música elaborada, com arranjos tão legais. Essa pegada folk ficou muito bacana, e me lembra um pouco o estilo das boas músicas do início do Vitor e Leo, pra citarmos um exemplo de sucesso no sertanejo nacional.
    Ficarei no aguardo dos próximos lançamentos!

  • Alexandre Vieira: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 18:23

    legal

  • LUCIANO SILVA: (responder)
    27 de janeiro de 2014 às 20:03

    Como eu disse no post anterior os arranjos de violino ficaram excelentes e podem servir de inspiração para outras músicas. Entre os muitos motivos que me fazem gostar de Country, um que considero importante é o espaço dado aos músicos para que desenvolvam seus instrumentos. Um bom músico tem que estudar e treinar duro por anos, se tiver oportunidade não fará feio e é por isso que os arranjos de country americano quase sempre são bem feitos. Nessa música do PATU eu acho que tentaram fazer isso aqui:

    Shania Twain – No One Needs to Know

    http://www.youtube.com/watch?v=681Y-UQ0LWI

    Fica a sugestão.

  • Alan: (responder)
    28 de janeiro de 2014 às 10:52

    concordo com tudo, menos com os bailarinos, que pra mim sempre foram bregas.

  • Luciana: (responder)
    28 de janeiro de 2014 às 17:45

    O rapaz tem identidade vocal, a música em si é boa e o arranjo do violino, apesar de simples, deu corpo à música, dando um claro exemplo de que, às vezes, menos é mais. Gostei! Sucesso e, por favor, não parta para o lado “apelativo” da música.

  • Leandro Carvalho: (responder)
    28 de janeiro de 2014 às 23:37

    O Violino desta música foi gravado pelo Aramis Rocha, na minha opinião, o melhor do Brasil para o gênero!

  • emerson: (responder)
    29 de janeiro de 2014 às 11:40

    Muito bom, nao entendo como a vertente do country e pouco explorado hoje, achava no incio que Fernando e Sorocaba usariam mais, porem quase raro ser explorado, confesso que so escutei a musica pq a galera recomendou no post, pois achei que seria mais uma dessas porcarias solo .

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.