15 fev 2009 | Lançamentos
Diário de um cantor sertanejo – A escolha do repertório
Nós havíamos escolhido o estúdio e tal, mas não tínhamos ainda uma previsão de entrega do CD. Já havíamos escolhido várias canções pra colocar no disco, mas o repertório ainda não tinha sido definido. Sabíamos que o momento pede criatividade. Eu sempre defendi os artistas que cantam as próprias músicas. Ora, eu tinha várias canções compostas aguardando o momento de entrarem em algum CD. Pois a hora tinha chegado.

Meu irmão queria na verdade mesclar músicas inéditas com regravações. Eu preferia fazer um CD 100% inédito, composto unicamente de composições nossas. Minhas, na verdade, já que meu irmão não compõe nem peido, quem dirá canções inteiras. O bom é que ele já gostava de várias das minhas canções. Optamos por fazer, então, um CD com inéditas e algumas regravações, na verdade poucas, e que só entrariam nos CDs que seriam distribuídos para contratantes, empresários e etc.

Pegamos tudo o que eu tinha composto até hoje e fomos eliminando as piores. Entre as canções, algumas surpreendentemente bestas, outras modestamente boas. Claro que a música que já havíamos gravado com o Tiago Carvalho em outra ocasião entraria no disco, como faixa bônus. Outra música que eu fazia questão que entrasse era uma moda de viola que eu havia composto e com a qual eu tinha ganhado R$ 2000,00 num concurso de canções inéditas. As outras seriam escolhidas depois de um debate entre eu e meu irmão.

Depois de longas divagações, optamos por colocar no CD quatro canções dançantes. O fato é que uma delas foi praticamente exterminada pelo produtor, que não quis incluí-la no CD por considerá-la ruim. Claro que ouvimos a opinião dele, já que seria o nome dele nos créditos do CD ao lado do meu. Não creio que fosse intenção dele produzir de uma forma “mais ou menos”. Ficaram três dançantes, sendo que uma delas (“Quero te namorar”) é uma adaptação de uma música minha incluída no nosso primeiro disco, aquele “porcão”. Naquele CD, a música tinha ganhado uma pegada bem no estilo “Calypso”, só pra vocês terem noção do grau de porqueira. No novo, no entanto, quisemos que ela ganhasse uma roupagem incialmente romântica pra depois entrar na parte agitada, meio ao estilo “Leilão”.

Dos outros discos nossos, além das faixas ” Sempre seu” e “Quero te namorar”, entraram mais duas músicas nossas dos outros CDs, o CD “porcão” e o CD “porcalhão”. Os nomes das faixas em questão são “Piorou de vez” e “Vício”. Essa última música tinha sido bastante difundida entre os nossos fãs, chegando a inspirar o nome do nosso primeiro fã-clube, “Viciado em Você” (associe-se AQUI). As outras inéditas eram canções minhas que meu irmão gostava. Fora algumas que eu compus durante o processo de produção do disco e que acabaram se mostrando melhores do que as que eu já tinha composto.

Inicialmente, tínhamos optado por gravar 10 canções inéditas e 3 regravações, sendo que o CD ficaria com 14, contando com a faixa “Sempre Seu”. Entre as regravações, escolhemos “Cheiro de Shampoo” e um pout pourrie das músicas “Cara ou Coroa” e “Saudade Bandida”, tudo porque eu queria homenagear Chrystian & Ralf e meu irmão queria homenagear o Zezé. A outra regravação seria “Música da Saudade”, da dupla Gilberto & Gilmar, que cantamos sempre nos nossos shows numa pegada totalmente diferenciada, a qual queríamos incluir no disco. No entanto, meu produtor implicou com essa canção, alegando que era muito antiquada e não cabia no repertório moderno que tínhamos montado. Como era ele quem ia conduzir o processo, achamos por bem deixar a canção de fora, já que seria muito pouco provável que ele alcançasse o que queríamos naquela canção. Mas ela ainda vai entrar num disco nosso futuro, se Deus quiser. No lugar dela, colocamos mais uma inédita.

Depos de idas e vindas, de inclusões e exclusões, finalizamos o repertório com 15 canções, sendo duas regravações, que como eu disse só seriam incluídas nos CDs enviados para contratantes e empresários. No fim das contas, ficamos bem satisfeitos com as músicas escolhidas. Sentimos que dali pode ser que surja algum grande sucesso. É esperar pra ver.

2 comentários
  • rosil: (responder)
    3 de maio de 2012 às 15:18

    Meus amigos, gostaria de mostrar as minhas canções pra vcs, gostaria de ter esse prazer ok? abç

  • Junior aguiar: (responder)
    3 de dezembro de 2014 às 15:50

    Ola amigos sou compositor e arranjador no rio de janeiro tenho varias musicas boas de arrocha e sertanejo..interressados tel e. zap021 964517115 …abracoo

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.