07 mar 2009 | Lançamentos
Diário de um cantor sertanejo – Divulgar é complicaaaaaaado!!!
CD pronto, o que fazer então? Não adianta gravar um trabalho de alto nível, masterizar em São Paulo e ficar parado esperando alguma coisa acontecer. É necessário pôr o pé na estrada e sair por aí divulgando. Mas no nosso caso, sem dinheiro, sem empresário e sem apoio, como proceder?

Bom, a primeira providência a ser tomada é arrumar a grana. Primeiro a grana pra prensar um bocado de CDs e depois a grana pra bancar as viagens. Montamos um pequeno projeto de patrocínio e apresentamos a algumas empresas, tentando arrumar alguém pra bancar os primeiros mil CDs. Conseguimos arrumar dinheiro com um dos nossos mais constantes patrocinadores para fazê-los. Faltava a grana pra bancar as viagens.

Decidimos que seria necessário levantar uns R$ 5000,00 pra bancar as viagens. Eu não poderia viajar, porque como vocês provavelmente já sabem tenho meu trampo e tudo mais, o que me impossibilita de me ausentar da cidade. Ficou decidido então que meu irmão faria essas viagens. Arrumamos a grana através de um empréstimo feito no nome da minha mãe (já que meu nome está mais sujo que pau de galinheiro e meu irmão não tem sequer uma conta bancária), que levaremos cerca de 3 anos pra quitar.

Antes de iniciar o tour de divulgação, conversamos com alguns empresários daqui mesmo da cidade. Com alguns a conversa foi mais proveitosa, com conselhos e tudo mais para essa nova empreitada nossa. No caso desses conselhos, o que mais pegou foi o de que deveríamos arrumar alguém pra viajar conosco, já que não pega bem o próprio artista chegar numa rádio ou num contratante oferecendo o próprio trabalho, sem algum intermediário.

Passamos então a procurar alguém pra realizar esse serviço. Por indicação, cconseguimos um rapaz bom de papo e com certo conhecimento na área artística, o Robson. Combinamos os detalhes da viagem e no outro dia meu irmão já estava na estrada.

Algumas semanas depois, meu irmão já havia visitado mais de 30 cidades, conversado com programadores de mais de 40 rádios, batido um papo com uma centena de organizadores de eventos. O discurso é um só: tem que dar um prêmio (TV, DVD, MP3 Player e o escambau) ou uma quantia (salgada) pra tocar em rádio, e os organizadores só te contratam se a sua música estiver sendo bem executada.

Como essas visitas foram bem recentes, estamos ainda aguardando o resultado de algumas delas. Enquanto isso, continuamos correndo atrás de parcerias para fazermos mais CDs, cartazes essas coisas. Montamos até um vídeo do projeto de parecria e estamos enviando pra diversas empresas por e-mail, já que é meio complicado visitar uma por uma sendo eu um assalariado e meu irmão um universitário em curso de tempo integral.

Aliás, se você for empresário e quiser entrar nessa, seja bem-vindo. Pra quem está aí torcendo o nariz, só digo uma coisa: quem não chora, não mama, hehehe.
1 comentário

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.