29 out 2013 | Entrevistas
Entrevista Exclusiva – Henrique & Juliano

Primeiramente, peço desculpas pela demora na semana passada e nesta. Eu gosto de colocar os vídeos com as entrevistas no ar no período da manhã, mas desde semana passada o Youtube vem apresentando um bug estranho no processamento do vídeo. Antes, costumava ser rápido. Agora o processamento demora às vezes mais que o próprio upload. E olha que são arquivos pesados, entre 1 e 1,5 giga de tamanho.

Mas enfim, o bom é que no fim das contas ele acaba indo pro ar. Esta semana, o Blognejo traz uma entrevista com os irmãos Henrique & Juliano, que emplacaram neste ano de 2013 hits como “Não tô valendo nada” e “Mistura Louca” em um dos DVDs mais bem sucedidos da temporada.

A conversa, bastante coerente, girou em torno da administração o sucesso das músicas do DVD e de como, a partir de agora, a dupla vai fazer para transferí-lo para a própria imagem, o que todos sabemos ser um trabalho tão complicado quanto. Falamos bastante também sobre a importância da dupla enquanto primeiros grandes artistas sertanejos a despontar do estado do Tocantins e a defender sua bandeira no restante do país.

Assistam abaixo a entrevista e, pra variar, deixem os respectivos comentários aqui ou no nosso canal oficial no Youtube. Vejam em Full HD pra fazer valer a pena todo esse tempo processando o vídeo, por favor, rsrs.

Até mais.

26 comentários
  • LUCIANO SILVA: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 00:23

    Como é mais uma DUPLA MAIS DO MESMO e como não quero ser redundante nos meus comentários, resolvi transcrever trechos de uma entrevista com Durval e Davi onde disseram o que pensam sobre elas do auge dos seus 40 anos de estrada. Disseram achar o movimento universitário importante, mas que estavam tristes com as letras das músicas, com a preocupação exagerada em ganhar MUITO dinheiro e que chegam a ficar irritados com a apologia à bebida alcoólica, à prostituição e outras mazelas mais. Sugeriram aos sertanejos universitários que gastassem mais dinheiro com coisas boas para obterem melhores resultados. Como exemplo citaram Milionário e José Rico e Chitãozinho e Xororó que mesmo após vários anos de carreira continuam duplas atuantes e sempre requisitadas para shows devido à qualidade do trabalho que se propuseram a fazer. Durval e Davi falaram como cidadãos e percebeu-se a indignação deles principalmente em relação ao consumo de bebidas alcoólicas influenciada por músicas que dizem que beber é bom, que amanhecer bêbado na rua é legal. Resumiram a conversa com uma verdade simples, artista tem família e deve preservá-la.
    Segue o link: http://www.youtube.com/watch?v=EJAK72U8xKI

    • Paulo Ricardo: (responder)
      30 de outubro de 2013 às 01:16

      essa entrevista de Durval e Davi vc direcionou ao Henrique e Juliano? Se sim, eu concluo que vc não assistiu à entrevista por considerá-los “mais do mesmo”. Pois se vc assistir verá q eles falam exatamente sobre isso,sobre a apelação das letras do sertanejo moderno de um modo crítico. Ressaltando que os novos sertanejos devem honrar a história da música que já foi feita até aqui, com comentários mto sensatos.

  • Paulo Ricardo: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 01:24

    Curti bastante a entrevista. Os muleque tem humildade e pé no chão. Mas justiça seja feita, eles não são os primeiros artistas daqui do Tocantins a estourarem nacionalmente. O primeiro foi o Rick (do Renner. Vide: http://pt.wikipedia.org/wiki/Rick_Sollo), apesar deste não levantar tanto a bandeira do TO qto HeJ.

    • goiano: (responder)
      30 de outubro de 2013 às 09:06

      Concordo com o Luciano! Apesar deles mesmo reconhecerem que a qualidade das musicas são péssimas, é mais uma dupla no meio de centenas que tem por aí sobre o mesmo prisma. Ah! e o primeira voz aí tenta imitar descaradamente o Jorge da Dupla “Jorge e Mateus”, e não vejo originalidade nas duplas que buscam imitar e não inovar, ou seja, nada se cria tudo se copia

      • Rafael Pratteado: (responder)
        31 de outubro de 2013 às 15:23

        rapaz vc sempre tão sensato nos seu comentários, me falar que o Henrique ta copiando o Jorge? vc so pode ta de brincadeira, tá falando o que não sabe, pegue um cd antigo do H e J escute e tire suas conclusões. Ahh se vc quiser tenho aqui um cdzinho antigo deles de 2005 antes de Jorge e Mateus estourar eu te mando pra vc escutar

        • Mariane Saraiva Lemos: (responder)
          1 de janeiro de 2015 às 14:55

          Não fale mentiras Rafael Prateado!

          A verdade é que Jorge e Mateus começou sua carreira bem antes do que Henrique e Juliano. jorge e Mateus em 2005 já tinha atingido sucesso. Já Henrique e Juliano precisou viajar até Goiânia e adquirir experiência para finalmente atingir sucesso a partir de 2012. FATO

      • Joyce: (responder)
        11 de fevereiro de 2014 às 14:48

        A por favor , os caras sao super humildes , e voce vem falar de imitar o jorge da dupla jorge e mateus , nada haver uma coisa com a outra , ele e completamente diferente.

        • Anônimo: (responder)
          10 de maio de 2015 às 14:20

          imita sim puta que o pariu,só se for meio surda pra não conseguir perceber isso. Vixi, vergonha alheia.

          • Daiana Dias: (responder)
            3 de dezembro de 2015 às 00:31

            Calada sua puta biscate vos nn sabe de nada, Quando nn sabemos das coisas é melhor nós ficarmos calados, então fique que ta porq quem é vos pra julgar Ricelly ou Edson ? pouco me emporta sua opinião quero que vos é ela vá pra puta que pariu e outra nn tenho tempo pra bater boca com vos então se vos me responder nn vou ligar porq lugar de puta é no cabarel

      • Márcia Santos: (responder)
        24 de dezembro de 2015 às 16:31

        Você só pode ser surdo, prepotente o suficiente para não conseguir enxergar o talento do Henrique & Juliano.
        Agora após 2 anos, olha só o sucesso que eles ainda continuam fazendo claramente.

  • Otávio: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 11:14

    Excelente!

  • LUCIANO SILVA: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 11:21

    É o famoso discurso faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço, para conferir vamos lá. Eles citaram a importância da família na criação deles. Aí eu pergunto: a música “Não tô valendo nada” que é uma clara apologia à prostituição e a promiscuidade é uma música que os pais podem ouvir com os filhos? O pior é que o repertório deles tem várias músicas nesse nível. Quem quiser conferir por si só dá uma olhada nas letras de: Tá namorando e me querendo, Vai brincando, Vem novinha, entre outras. Não faço críticas para menosprezar artistas, acho que quem tem dom artístico deve honrar a graça que recebeu. Para mim, um cantor que não escolhe a letra das músicas é como um pichador que joga fora seu talento de pintor estragando bens públicos. A dupla tem músicas boas como: Separa, Namora; Segundas Intenções; O Mundo Parou; Nossa Turma, Tire Essa Máscara. Torço para que tenham sucesso. A música sertaneja é um gênero forte por não ficar nas mãos de poucas duplas ou cantores solo, porque sempre que alguém dá uma decaída surge alguém para resgatar e dar continuidade.

    • Luiz: (responder)
      30 de outubro de 2013 às 17:25

      Luciano, você simplesmente esta se deixando levar pelo seu gosto pessoal.
      Porque a música “Não to valendo nada” está fazendo sucesso? Porque o povo gosta, a letra é boa no padrão dela, a melodia é boa. É o que o povo quer ouvir! Ta, o povo que ouvi é burro, sem estudo, sem cultura? Não, se fosse burro, você não veria essas festas elitizadas, não veria duplas sertanejas tocando em uma formatura da USP FGV e etc (como fui em Fernando e Sorocaba /Maria Cecília e Rodolfo e outras), onde há pessoas com grande conhecimento.
      Você mesmo cita que eles tem músicas boas, que por sinal eu pesquisei e a maioria são composições do Henrique, mais isso fica em segundo plano, no finalzinho do seu texto, isso mostra que você esta aqui pra chamar atenção, ou sei lá o que, e não para fazer uma crítica construtiva, assim como sempre vejo seus comentários em outros post querendo chamar atenção, ser intelectual. Agora a dupla é intitulada de MESMO só porque não gostou da letra? Se eles fossem do MAIS DO MESMO como disse, não estariam fazendo sucesso como o Marcão falou, se destacaram porque são bons.
      Vi um comentário seu sobre o Lucas Lucco também, até concordo em parte que ele não tem muito de sertanejo, mais porque ele gravou uma mistura com funk, ele não é mais sertanejo? Já vi tantos artistas de outros gêneros brincando com a música, misturando ritmos. Então quer dizer que isso não pode? Eu não gostei da música nova também, nem por isso disse o que você disse.
      Há algumas coisas que você diz que até concordo, que há músicas exageradas, que não tem nada de sertanejo, que só rotulam, mais há outras coisas que você diz que nossa senhora.
      Eu gosto de rock, de MPB, de vários estilos e de um bom e velho sertanejo tradicional, mais também gosto de muitas músicas do sertanejo universitário, e nem pro isso sou um alcoólatra ou estou me prostituindo.
      Sucesso não é você que decidi, nem os cantores, sucesso é o que o povo decidi! O que é ruim pra você, pode ser ótimo pra outro.

      • LUCIANO SILVA: (responder)
        31 de outubro de 2013 às 11:35

        Luiz, não faço comentários para chamar atenção e muito menos para tentar passar imagem de intelectual, qualidade que infelizmente não tenho. Participo do blog porque gosto de opinar, sou um burro com minhas próprias orelhas. Obviamente não sou dono da verdade e por isso mesmo não vejo problema algum em mudar de opinião, em pedir desculpas quando erro e em reconhecer quando os outros têm razão. Como já disse aqui mesmo, acho extremamente importante as opiniões contrárias são elas que nos fazem pensar diferente e evoluir. A música “Não tô valendo nada” e as outras que citei no comentário anterior têm letras horrorosas é só conferir. Mesmo fazendo sucesso com a galera, serão manchas na carreira da dupla Henrique e Juliano, acho que poderiam passar muito bem sem elas. Quanto à incorporação de outros elementos à música sertaneja oriundos do Axé, Funk e Pop não seria problema e poderiam até contribuir. O que vejo de mal, é a pobreza criativa e o gosto duvidoso daqueles que incorporam o que de pior existe nestes outros gêneros (linguagem vulgar, apologia à promiscuidade ao álcool e outras bizarrices mais). Por que esses produtores musicais não aproveitam a Levada de Contrabaixo do Axé? Tem como não gostar do baixo na música “Festa” da Ivete? Sobre o Mc Lucas Lucco nem vou falar mais.

        • Rafael Pratteado: (responder)
          31 de outubro de 2013 às 15:32

          o luciano artista em inicio de carreira não pode se dar ao luxo de gravar o que querem e sim o que o mercado impor, do contrario ficaria sempre no mesmo mundinho de sempre, musica acima de tudo é um produto e se grande parte da população compra, merece no minimo respeito… quando os caras tiverem consagrados ai sim vao gravar o que quiserem, mas agora não dá,

          • LUCIANO SILVA: (responder)
            31 de outubro de 2013 às 23:34

            Rafael, essa é realmente uma situação difícil de ser resolvida, pois no início de carreira o artista precisa do “patrocinador” e quando consegue fazer sucesso se torna refém dele. Em outra postagem comentei sobre isso e ainda disse que esperava por uma mente privilegiada que pudesse resolver essa questão do lucro e da qualidade. O Renan até sugeriu esse tema para uma nova matéria aqui no blognejo que sairia com o título de os Reféns do Sucesso.

  • Fábio Roque: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 14:26

    Esse Blognejo é foda!
    Ainda não tinha ouvido outras músicas dos caras, apesar de ter o album inteiro aqui no meu pc.
    Depois de ouvir, percebi o quanto a voz do Henrique lembra a do Jorge mesmo.
    Também não sabia do tamanho do nome deles no mercado. Lendo o Blognejo e aprendendo!

  • Alan: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 20:45

    Bah…é o mercado que manda na carreira, não o artista. A família é importante, mas o “mercado quer” tal coisa. Quem é o mercado? Além de nós, são pessoas que não querem pensar, são as que querem extirpar os problemas do dia numa balada ou festa. Ninguém que vai ouvir isso diariamente quer filosofar um pouco sobre amor ou quelaquer outra coisa. É só pra “distrair”. Se é pra ser nesse sentido, a música “não to valendo nada” serve.

  • Cássio Oliveira (@cassiorox): (responder)
    18 de novembro de 2013 às 12:54

    Parabéns ao Henrique & Juliano, vi eles crescendo na música aqui em Palmas, tocando em bares e boates, sempre com muita humildade e com um excelente repertório.
    Discordo que eles são uma dupla mais do mesmo, eles tem várias composições que falam de amor e que mantém a proposta inicial do sertanejo, eu tenho 6 CD’s dessa dupla, desde o início da carreira e várias das composições eram com uma letra muito boa.
    Agora o mercado mudou, quem vai em show das duplas antigas, são pessoas das antigas, em maioria claro, antes as pessoas tinham que pedir a mão da filha para namorar, o namoro era uns 3 meses só pegando na mão, então quando estavam juntos, ou naquela coisa… o que rolava era música romântica, hoje a maioria das pessoas querem é badalação, fogem de casamento, gente se separando tem aos montes, e a música em todas as vertentes e estilos, vem acompanhando isso, a galera jovem quer dançar solta e também ter a oportunidade de dançar agarradinho, nesse sentido, os artistas assim como eles vão se completando e também colocam um pouco de foco nesse tipo de música.

    • Brendo: (responder)
      4 de agosto de 2015 às 01:18

      Eu percebi ouvindo um CD antigo e o novo da dupla que a voz do Henrique mudou. Você que acompanha desde de sempre, pode me confirmar se realmente ele mudou a voz pra atender melhor o mercado talvez até imitando o Jorge ?

  • Cássio Oliveira (@cassiorox): (responder)
    18 de novembro de 2013 às 12:57

    Temos também vários exemplos de cantores e artistas que seguiam o estilo romântico… os próprios da Workshow, Marcos & Fernando, João Neto & Frederico, seguiram o mesmo caminho.
    Guilherme & Santigo que também são das antigas, tem várias músicas de balada, de pegação e etc…
    Assim como vários outros, mudaram um pouco o rumo da carreira, é o momento… não tem pra onde fugir, é meu ponto de vista.

  • Yasmim Oliveira: (responder)
    31 de agosto de 2014 às 15:01

    Amoo Amoo demaiis Henrique & Juliano <3 ♥

  • Mariane Saraiva Lemos: (responder)
    1 de janeiro de 2015 às 14:49

    é uma boa dupla

    Sou carioca não curto muito sertanejo mas o fato é que a dupla Henrique e Juliano é um CTRL C e CTRL V da dupla Jorge e Mateus. kkk Qualquer um vê isso!

    Até o tom de voz na hora nas hora das notas graves é o mesmo kkkk

    ESTÁ FALTANDO ORIGINALIDADE NA DUPLA HENRIQUE E JULIANO! FATO

  • Priscila: (responder)
    13 de abril de 2016 às 00:30

    Aiiii não to valendo nada!
    Quantos comentários sem sentido viu!
    Eu escuto no dia a dia a musica nao to valendo nada e isso nao significa que sou incapaz de filosofar, muito pelo contrário, eu escuto essa e varias outras musicas animadas no caminho para a a universidade!
    Sim, eu sou uma UNIVERSITARIA, e tenho certeza que ninguém vai ser manipulado a beber ou fazer outras coisas por causa de musicas. E conheço a dupla Henrique e Juliano a muito tempo, descordo totalmente da opinião de muitos que falam que o Henrique imita o Jorge! Pode até lenbrar um pouquinho, mas acho natural, da mesma forma que a voz do Zé Neto da dupla zé neto e Cristiano também lembra a do Henrique, mas cada voz tem algo diferente ainda sim!
    Tem que haver respeito, pude perceber que tem pessoas que falam mal apenas por não gostar de tal estilo, eu gosto muito de musicas romanticas, acho lindo, mas também gosto das musicas que me dão vontade de dançar, cantar alto.
    Então nao julguem tanto os cantores, as musicas e muito menos as pessoas que gostam dessas musicas, não gosto de bebidas e nem cigarro, mas escuto sim esse tipo de musica e nao acho que isso está mudando quem eu sou!

  • Priscila: (responder)
    13 de abril de 2016 às 00:33

    Ignorem a falta de acento na palavra não. Escrevi rápido e nem pude corrigir.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.