30 dez 2013 | Entrevistas
Entrevista Exclusiva – Jorge & Mateus

Atendendo a 98.374.628.946.283 de pedidos, enfim o Blognejo tem o orgulho de trazer até vocês leitores uma das entrevistas mais aguardadas do nosso bloco: Jorge & Mateus.

Encontramos a dupla nos bastidores do show que eles realizaram na semana retrasada para o lançamento do novo DVD, “Live in London”, no Citibank Hall, em São Paulo. É óbvio que uma entrevista com uma dupla como essa tinha tudo pra durar pra lá de 3 horas, mas creio que conseguimos, em pouco mais de meia hora, falar de temas bastante relevantes, sempre com a dupla respondendo as perguntas de forma inteligente, com algumas respostas até em tom de desabafo.

Falamos sobre a importância da dupla no mercado atual, as participações deles em projetos de outros artistas em detrimento da inexistência de qualquer participação em um projeto deles, a evolução da qualidade da dupla, os constantes boatos de separação e um pouco sobre as rixas entre artistas e escritórios e como eles se portam perante essas coisas. Uma entrevista sensacional, diga-se de passagem. Sem dúvida, fechamos o ano com chave de ouro.

Confiram abaixo. É nosso presente de fim do ano pra vocês. E semana que vem tem Gusttavo Lima. Fiquem atentos.

39 comentários
  • Renan - SP: (responder)
    30 de dezembro de 2013 às 15:55

    Foi uma entrevista de ídolos pra fãs (conversa pra boi dormir), mesmo assim deu pra pegar dois pontos interessantes:
    A palavra “produto” repetida duas vezes (mais uma entrevista mostrando como a música é tratada).
    E a frase sobre o “meio” sertanejo:
    “É 10 % música e 90% negócio”.
    Pra mim não existe meias verdades e meias atitudes, ou é ou não é, e a minha personalidade é contra isso, independente de utopia.

    • Alan: (responder)
      30 de dezembro de 2013 às 17:29

      Ah, acreditar que música não é produto é o mesmo que acreditar que o socialismo vá dar certo. Vivemos no capitalismo, e temos que aprender a lidar com o “mercado”. Ou se mude pra um lugar onde a música não é produto.

      • Monica: (responder)
        30 de dezembro de 2013 às 17:40

        Música é produto em qualquer lugar do mundo. Inocência é achar que não. Todo artista trata assim. E triste é pegar isso pra denegrir pessoas tão bacanas quanto Jorge e Mateus. Só quem os conhece sabe o quanto eles são bacanas e são realmente isso o que tá na entrevista. Isso não é conversa pra boi dormir.

        • Renan - SP: (responder)
          30 de dezembro de 2013 às 18:05

          Fã cega detectada.

      • Renan - SP: (responder)
        30 de dezembro de 2013 às 18:04

        Alan, não sou covarde pra mudar do meu país, eu luto por ele.
        E o socialismo não deu certo saber por que?
        Porque ele nunca foi aplicado.
        Não adianta um capitalista querer aplicar o socialismo, o que foi aplicado foi o “meio socialismo” e não o inteiro.
        Ainda assim em Cuba ele não fracassou.
        E sobre a música ser produto (eu sei, mas não aceito), cuidado pra não falar isso perto do pessoal do Punk, e também mais respeito a nomes que sabem o que é arte:
        COMPOSITORES POPULARES:
        Noel Rosa
        Chico Buarque de Hollanda
        Geraldo Vandré
        Paulinho da Viola
        Orestes Barbosa
        Luiz Gonzaga
        Paulo Vanzolini
        Herivelto Martins
        Chiquinha Gonzaga
        Jackson do Pandeiro
        Adoniran Barbosa
        Raul Seixas
        Tom Jobim
        Johnny Alf
        Marcos Valle
        Zé Ramalho
        Fagner
        etc…
        COMPOSITORES INSTRUMENTAL E ERUDITA:
        Heitor Villa-Lobos.
        Padre José Maurício Nunes Garcia.
        Alfredo da Rocha Vianna (Pixinguinha).
        Jacob do Bandolim.
        Ernesto Nazareth.
        Alberto Nepomuceno.
        Osvaldo Lacerda.
        José Carlos Amaral Vieira.
        Aníbal Augusto Sardinha (Garoto).
        Dilermando Reis.
        Waldir Azevedo
        Hermeto Pascoal
        Alessandro Penezzi
        Dilermando Reis
        Turibio Santos
        Sebastião Tapajós
        Yamandú Costa
        Robertinho do Recife
        Luis Caldas
        Nelson Freire
        Sivuca
        etc…
        Será que todo mundo trata a música como produto?

        • Juca: (responder)
          30 de dezembro de 2013 às 19:22

          Concordo com vc Renan em número, gênero e grau.

          • Alan: (responder)
            30 de dezembro de 2013 às 19:39

            Pra mim nunca ia dar certo, devido ganância humana, ela e a burocracia (Na URSS) fizeram membros do partido comunista arrecadar grandes riquezas e todo aquele rolo no final dos anos 70. Eu larguei mão de utopia há tempos porque sei que não dá pra lutar contra o sistema, e toda essa galera que você citou vivia de música, então…

            • Alan: (responder)
              30 de dezembro de 2013 às 19:46

              E em Cuba o Socialismo faliu desde o fim dos anos 80

              • Renan - SP: (responder)
                30 de dezembro de 2013 às 20:52

                “Os capitalistas chamam ‘liberdade’ a dos ricos de enriquecer e a dos operários para morrer de fome. Os capitalistas chamam liberdade de imprensa a compra dela pelos ricos, servindo-se da riqueza para fabricar e falsificar a opinião pública.”
                (VLADIMIR LENIN).
                “Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário. E agora não contente querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence.”
                (BERTOLD BRECHT).
                Ouça essa beleza de música e reflita:
                http://www.youtube.com/watch?v=PyE0AjZB4lQ

        • Jovem Aprendiz: (responder)
          3 de janeiro de 2014 às 00:48

          Uéh..
          Se os fulanos que você citou não tratam a música como produto, por que cobram a liberação da música para que um cantor/intérprete grave? Por que cobram cachê por show? Por que vendem CD? Se desde os primórdios, MÚSICA NÃO FOSSE PRODUTO e apenas meio de sustento, não existiram cachês “exorbitantes”, e não é de hoje, é de sempre!

          Me poupe de tanta futilidade e ingenuidade Renan. Se você queria ser polêmico, conseguiu e já pode voltar a dormir!

  • vanessa brito: (responder)
    30 de dezembro de 2013 às 15:58

    Fã é sempre suspeita pra falar dos ídolos, mas a cada detalhe, cada coisa q descubro desses caras + apaixonada fico.
    E sem dúvidas a forma de pensar, a sinceridade, o fazer oq gostam e não oq o mercado a mídia quer, isso q os torna sem sombra d dúvidas a 1 dupla do Brasil.
    E nítida a evolução, o crescimento, a escolha de parcerias, presença d palco, carinho pelos fãs, enfim… essa entrevista só serviu pra aumentar minha admiração por 2 caras d personalidades tão distintas q sabem achar o caminho comum e mostrar o seu melhor parabéns amores, Marcão realmente não poderia encerrar o ano sem essa.

  • maykao: (responder)
    30 de dezembro de 2013 às 16:08

    bela entrevista … nao e atoa que eles sao a dupla numero um do brasil, eespero que e eles nao se separem que seja so boato, o que deus uniu, sempre da certo… parabens marcao…

  • LUCIANO SILVA: (responder)
    30 de dezembro de 2013 às 18:36

    Gostei demais da entrevista e da sinceridade da dupla: “… nós não sabíamos nada e fomos aprendendo ao longo da carreira…” Está explicado o sucesso da dupla.

  • Hélio Alves: (responder)
    30 de dezembro de 2013 às 19:16

    zZZZZZZzzzzzzzZZZzzzzzz
    E mais um vez tentei ler o que o Renan o “cul-to” postava, mas continuo achando que ele é um desocupado que o blog faliu ou q nunca se deu bem no sertanejo cmo cantor…Sertanejo morreu, universitario eh musica pop, jorge e mateus sao ruins, os AMIGOS eram melhores amigos, e blablabla … eh meio sim, vai procurar os significado da palavra no Aurélio seu besta (calma Marcão vou fugir de palavrões n blog mais completo de música sertaneja, caipira, universitária do Brasil)…e eh produto sim, e eh capitalismo sim, peça pra um professor de sociologia explicar pra você pq o socialismo n deu certo, e tenho certeza q ele lhe falará o q todo mundo sabe n existiria socialismo sem capitalismo e vice e versa…ngm trabalha de graça, vc trabalha? Te convido a aparecer pra galera, na parte de baixo desse blog tm uma parte dedicada ao facebook, va lah e s apresente, s assuma pra seus milhares de fas,, vc tem cara de quem passa horas pesquisando n google o q falar sobre tudo q é tema pra pagar de inteligente, q gosta de sertanejo mas todo mundo sabe q vc gosta mais de MPB do de sertanejo, eu poderia passar meia hora te dando lição de moral mas quem sou eu pra jugar alguém que se acha perfeito cmo vc, eu vou é fazer o q toda pessoa normal faz dormir, sair cm os amigos, comer, tlvz trabalhar, mas ser alguém de verdade e não um fake
    E uma deixa pra quem ainda responde esse sabichão como eu kkk ignora, sabichão nenhum suporta a rejeição

    • Renan - SP: (responder)
      30 de dezembro de 2013 às 21:24

      Primeiramente, não tem foto minha no Facebook, nem postagem, comentários, tenho por ter, não uso.
      Nunca tive blog e nem tentei ser cantor sertanejo.
      Já trabalhei de graça quando tinha 12 anos, só com o intuito de aprender.
      E se fosse por alguma coisa que eu acredito e que eu tenha prazer, eu trabalharia de graça, desde que tivesse uma vida justa, estável.
      “Eu quero uma casa no campo
      Do tamanho ideal, pau-a-pique e sapé
      Onde eu possa plantar meus amigos
      Meus discos e livros e nada mais”
      Não sou totalmente contra o capitalismo, mas sim contra o capitalismo selvagem.
      Não passo por cima dos valores que eu acredito.
      Não fico horas pesquisando no Google.
      Não fiz as contas de quantas músicas gosto, só posso lhe dizer que gosto de Sertanejo, MPB, Rock e seus sub-gêneros, Heavy Metal, Blues, Jazz, Bossa, Country, Samba, música Clássica, enfim, gosto de música, sem me prender a rótulos.
      E não me acho perfeito.
      Me aceito como sou.
      Ninguém nunca foi e nem será perfeito, e eu nem busco isso, procuro apenas a evolução dentro de uma naturalidade como ser humano.
      Não me considero inteligente, troque essa palavra por “esforçado”, sou cheio de limitações, que não me tornam um limitado, meu corpo e cérebro tem limites, mas minha alma não.

  • Nicolas Peracchi: (responder)
    30 de dezembro de 2013 às 19:34

    Concordo cm o helio shuahushsusas o melhor
    Renan quem eh?

  • Reinaldo: (responder)
    30 de dezembro de 2013 às 19:45

    O que que é isso? Um presente de ano novo pra gente? Valeu hein!

  • Phaell Cesar: (responder)
    30 de dezembro de 2013 às 20:02

    Sucesso mais do que merecido para essa dupla, eu acompanhei o começo da dupla,e sem bem da evolução ,é uma dupla que sempre se preocuparam com as linguagens, as musicas tem ótimos conteudos, dentro do contexto, uma dupla que nunca precisou embarcar na onda do modismo, nunca precisou apelar com letras ridiculas pra chegar onde estão, o mercado precisa entender que musica é cultura é não pode se deixar abalar pela galera que fica por trás ganhando um bolo de dinheiro, musicas tem que ter um bom senso, o artista tem que pensar no que vai gravar, priorizar as familias, e isso é uma coisa que a dupla faz desde o começo, muito bom, e que continuem fazendo sucesso e que sigam essa estrada que eles estão seguindo, porque é nela que se conduz uma carreira brilhante, infelizmente essa uma das unicas duplas que eu posso agradeçer pelo que fazem no Sertanejo Universitario porque dentro desse genero só 2% desse meio tem um repertório decente, o resto…

  • Bruno Melo: (responder)
    30 de dezembro de 2013 às 22:48

    Top de mais marcão.
    Ótima entrevista

  • @ariomester: (responder)
    31 de dezembro de 2013 às 00:52

    Bem legal!
    Sempre quis ver um advogado entrevistando o outro! rsrs brincadeiras à parte, excelente entrevista! Marcão, acho que ficaria legal se você conseguir mixar nas próximas entrevistas alguns trechos do show (gravado do palco ou da platéia mesmo), clipe ou DVDs dos artistas. É o clichê dos clichês, mas pode dar uma dinâmica massa pra quando você muda os temas na entrevista. É só uma sugestão, o conteúdo da entrevista está ótimo! Mandou bem!

  • @ariomester: (responder)
    31 de dezembro de 2013 às 01:05

    Sobre Jorge e Mateus.
    Acho que dos artistas brasileiros são quem mais teria condições de encarar o mercado internacional, cantando em português, ritmos pop mesclados com coisas brasileiras tipo vaneira, chamamé etc. Tanto visualmente, quanto na proposta, no formato das músicas, na formação e atitude musical da dupla, acho que eles têm grandes chances, se trabalhados da forma certa. Torço para que sigam nesse caminho.
    O que eu acho mais legal está nos videos abaixo.
    Youtube é massa DEMAIS. Eu sou músico profissional e toda hora ao longo dos anos a gente acaba tocando e trabalhando com jovenzinhos cantores cheios de sonhos e idéias musicais. E acaba que vários dos maiores artistas pop do mundo também já foram jovenzinhos cantores desconhecidos cantando coisas muito nada-a-ver e vendo o povo dizer “vai dar em nada”. Massa:
    Jorge (1999) – http://www.youtube.com/watch?v=TGINFTCHtDg
    Mateus (1999) – http://www.youtube.com/watch?v=NVJ7rW4tAes
    E uma outra interessante – Michel Teló com Yvan Myiazato e uma rapaziada do Grupo Tradição (1997) – http://www.youtube.com/watch?v=aHNhI81ixAo

    • LUCIANO SILVA: (responder)
      31 de dezembro de 2013 às 12:13

      @ariomester, pelo tipo de música que o Michel Teló canta e aproveitando que ele já é conhecido internacionalmente pelo HIT “Ai se eu te pego”, seria um forte candidato a vencer as barreiras de idioma se mostrasse ao mundo aquela pegada do Grupo Tradição.
      Veja essa abertura de show do grupo e imagine se tem como não gostar independente da nacionalidade:
      http://www.youtube.com/watch?v=-ftHSAsIqKY

      Seguindo a onda das dancinhas que parece ser o segredo da “coisa” basta ver Menudos, Kaoma, Los del Rio com Macarena e outros, temos o Barquinho:
      http://www.youtube.com/watch?v=Mski7i78-vU

      Acredito que se trabalhada em português com versões em inglês mais pop e em espanhol com os elementos latinoamericanos atenderia a todos gostos e poderia ser um novo hit mundial.

      • @ariomester: (responder)
        31 de dezembro de 2013 às 18:52

        Eu vi um show do Tradição aqui em BH em 2009 – com o Michel, Douglas, Anderson, Arapiraka e cia. Te falo um negócio – que pegada FODA. Coitado do Jorge Mateus, Luan Santana ou qualquer outra dupla ou cantor pra mandar uma pegada e umas levadas daquelas. Era uma coisa impressionante, tanto na execução quanto na concepção daqueles ritmos misturados com vaneira. Acho que esse tipo de coisa e um pop latino na linha do repertório do Jorge e Mateus e do João Bosco e Vinícius têm muito a dizer mundo afora. Michel Teló estava com a faca e o queijo na mão um ano atrás, mas ao invés de lançar alguma coisa diferente, talvez na linha do Ai Se Te Pego, ou alguma coisa mais abrangente foi pro lance de Bará Berê e essas coisas que só fazem sentido pra quem é brasileiro – não tinha como dar certo fora daqui. Nem aqui eu sei se deu certo e nem sei se é intenção dele fazer sucesso fora do Brasil.
        Eu ainda torço pra que o pessoal sertanejo invista em arranjos melhores e se jogue ai nos mercados estrangeiros, à exceção dos EUA e acho que têm muita chance de dar certo, se fizerem do jeito certo, buscando letras e composições que sejam mais “universais” e não coisas que só fazem sentido pra quem é brasileiro.
        Para os EUA, talvez o Gusttavo Lima se dê bem com o público latino, especialmente com os arranjos do Daniel Silveira, que puxam bem pra esse lado. Por lá quem tem melhor chance, na minha opinião, é a Paula Fernandes, não só pelas parcerias mas porque o folk-pop que ela canta é o “sertanejo” dos EUA e acho que ela tem tudo pra achar um bom espaço por lá também seguindo essa linha. Minha opinião.

  • Lucio: (responder)
    31 de dezembro de 2013 às 07:57

    Renan!
    Não adianta discutir com eles. A grande maioria são pessoas alienadas, como eles mesmos dizem pelo capitalismo. Eles não pensam filosoficamente, não interpretam o que estão escutando.
    Sou da época em na escola se estudava, filosofia, educação social, aula de canto e instrumental, educação cívica, interpretar livos de autores como William Shakespeare, Charles Dickens, Fyodor Dostoevsky, autores brasileiros como Castro Alves, Cecília Meireles etc. São matérias que fazia o aluno a PENSAR e não ser um ROBÔ preparado para o mercado.
    O ignorante não sabe que é ignorante, porque a ignorância é a falta de conhecimento.
    Isso é bom para o governo que as torna passíveis e abre espaço para este tipo de mercado. Isso mesmo mercado e não música, arte!
    E é claro que o blogueiro vai defender esse tipo de mercado, pois é o que o sustenta é o que dá retorno. Não o culpo, pois o ser humano se adapta pelo o que o mundo está atualmente, é questão de sobrevivência.
    Não é fácil tentar expor nosso ponto de vista para as pessoas alienadas. Elas não estão preparadas para pensar (filosoficamente, artisticamente etc.)
    Lógico, vai vim um festival de críticas, mas quem já bebeu da água e ainda bebe da verdadeira música não liga para a ignorância (falta de conhecimento), pois existem cantores, artistas de verdade anônimos que não arrasta multidões mas faz meus milhões de neurônios pularem de felicidade minha alma estremecer. Eles estão espalhados pelo Brasil e pelo mundo, é só pesquisar que acha.

    • Alan: (responder)
      31 de dezembro de 2013 às 09:53

      Educaçao cívica?isso écoisa da ditadura militar…

      • Lucio: (responder)
        31 de dezembro de 2013 às 10:08

        Nem tudo que foi na ÉPOCA da ditadura é ruim meu amigo!
        Vou explicar o que é talvez você não saiba.
        A Formação Cívica constitui um espaço privilegiado para a construção da identidade e desenvolvimento da consciência cívica dos alunos, através do diálogo, discussão e reflexão de temas da atualidade e das experiências e preocupações vividas e sentidas pelos alunos. Para além disso, poderá também fazer a gestão de assuntos ou problemas relativos à turma. Em outras palavras, evoluir um senso crítico e não senso manipulado.

      • Renan - SP: (responder)
        31 de dezembro de 2013 às 10:15

        Alan, você está distorcendo o conceito real da educação cívica.
        “A Formação Cívica é um espaço privilegiado para o desenvolvimento da educação para a cidadania, visando o desenvolvimento da consciência cívica dos alunos como elemento fundamental no processo de formação de cidadãos responsáveis, críticos, ativos e intervenientes, com recurso nomeadamente ao intercâmbio de experiências vividas pelos alunos e à sua participação individual e coletiva na vida da turma, da escola e da comunidade”. (Dec. Lei n.°6/2001, capítulo II, artigo 5°, ponto 3 c).”
        APRENDER:
        “Importância da apropriação de princípios para a melhoria da qualidade de vida.
        Respeitar a opinião dos outros e o direito à diferença.
        Fazer uso de regras de convivência social.
        Reconhecer o valor do trabalho social e natural.
        Ser solidário.
        Conhecer e valorizar a identidade nacional.”
        CONTEÚDOS RELEVANTES:
        “Higiene e saúde.
        Segurança (rodoviária; pública);
        Direitos e deveres do consumidor;
        Respeito pela diferença (rácica e étnica; xenofobia; religião; opções de vida),
        Cidadania/civismo (regras de convivência social).
        Educação sexual.
        Democracia.
        Ecologia (preservação e conservação do ambiente).
        Preservação do património cultural, histórico e social.
        Direitos humanos.
        Solidariedade e voluntariado.
        Valores e símbolos nacionais.”

        • Alan: (responder)
          31 de dezembro de 2013 às 11:01

          Ok..voces que sabem..não vou discutir pq estamos quase no ano novo he he

  • bruno santos: (responder)
    31 de dezembro de 2013 às 08:52

    só o fato deles estarem no topo (e muito na frente dos demais)sem estarem na mídia, já faz de jorge e mateus um fenômeno…

    • Renan - SP: (responder)
      31 de dezembro de 2013 às 12:28

      Bruno, quem disse que eles não estão na mídia?
      O único programa de tv que a audiência é boa, é a novela das 8, onde nos intervalos a propaganda da Som Livre “come solta”.
      E a maior mídia hoje, está 55 anos luz na frente da tv, chama-se Internet.
      E nela a dupla está direto.
      E na Globo teve também o fracassado “Sintonize” nesse fim de ano, onde a dupla participou (desafinando muito).
      E o público do Jorge e Mateus, não fica em casa assistindo Faustão, Rodrigo Faro, Luciano Hulk, geralmente estão em alguma “festinha”, buteco, “enchendo a cara”.

  • Divânia Magalhaes: (responder)
    31 de dezembro de 2013 às 10:40

    Parabéns Marcão!! Maravilhosa entrevista, fechou o ano realmente com chave de ouro, com os melhores!! Fez perguntas que não foram repetitivas, matou algumas das minha curiosidades! Cada dia que passa fico ainda mais admirada com a humildade e simplicidade deles dois, mesmo sabendo que são sim os melhores da atualidade, ainda assim preferem ser generosos com os demais e manter os pés firmes no chão! Sucesso sem precisar pisar ninguém, tudo conquistado com o dom dado por Deus e aperfeiçoado ao longo da carreira com muita sabedoria, carisma e talento!
    Sempre vai existir as pessoas que tem opiniões contrárias, mas eles estão aí pra provar que não dependem dessas pessoas pra nada!
    Já dizia o Jorge… ♪Deixa o povo falar, o que é que tem?♫

  • renato: (responder)
    1 de janeiro de 2014 às 04:27

    jorge e mateus se acham demais deixaram de vim canta na minha cidade só porque tem 5000 abitantes quero vê onde eles vão para com esa falsidade toda dando uma de humildes e olha que na minha cidade ja canta cantaram zeze di camargo e luciano ,chitaozinho e xororo e daniel cantores que sao bem maiores que jorge e mateus

    • Júlia: (responder)
      8 de janeiro de 2014 às 20:46

      eu quero é prova meu bem !! Duvido MUITO

  • Rayane: (responder)
    1 de janeiro de 2014 às 17:53

    Falar mal todo mundo quer , mais fazer melhor que é bom nada ne ? Sou suspeita a falar sobre eles pois sou fã , mais eu tenho certeza que eles sao sim a melhor dupla sertaneja. PELO AMOR DE DEUS JORGE E MATEUS

  • Cristiane Meireles: (responder)
    2 de janeiro de 2014 às 11:21

    Belo presente de fim de ano hein? achei a entrevista ótima, principalmente pra fazer alguns fãs entenderem porque o Jorge atende depois e o Mateus não. Marcão você está de parabéns viu? e concordo com um comentário acima que sugeriu colocar trechos do show entre um assunto e outro. Vai ficar bacana

  • Moda Boa: (responder)
    3 de janeiro de 2014 às 01:27

    é marcão só faltou perguntar sobre o relacionamento atual deles com Gusttavo Lima, bom para acabar com as picuinhas dos blogs.

  • Fábio Roque: (responder)
    3 de janeiro de 2014 às 09:35

    Mas fechou com chave de ouro, hein?!
    Uma pena não ter durado mais!!!

  • João: (responder)
    8 de janeiro de 2014 às 21:39

    Carregar artista nas costas??!!
    Ou vocês se esqueceram do Gusttavo Lima ou não se referiram a ele!!
    Posso até concordar quanto a Israel Novaes, Naldo, Humberto e Ronaldo (tendo em vista que eu acho eles muito melhores que muitos artistas por ai e não vão pra frente porque o Marquim não quer, pq ele segura) Guilherme e Santiago enfim todos os outros da audiomix!!
    Mas quanto ao Gusttavo lima não.

  • Jessé Fernandes: (responder)
    4 de março de 2015 às 17:35

    Cara… que tensão em Marcão??? é uma baita pressão entrevistar Jorge e Mateus, os caras não refrescam.. não passam tranquilidade ao entrevistador, não mostram muita simpatia! quando o Marcão começava alguma pergunta dava pra ver a tensão nele, e aquele ar de cansaço dos caras tira um pouco da liberdade mesmo.. mais independente dos detalhes, foi uma entrevista completa, os caras são muito profissionais. E você Marcão.. PARABÉNS, parabéns pela tensão não ter tirado seu “jeito” de fazer as perguntas mais polêmicas. você mandava as perguntas na lata, mesmo não estando tranquilo.. Parabéns.. admiro muito seu trabalho!

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.