29 nov 2013 | Lançamentos
Fábio & Rafael lançam “Soldado”. Confiram clipe logo abaixo.

Fábio & Rafael, dois caboclinhos de Foz do Iguaçu que agora moram em Londrina, estão lançando oficialmente o clipe da música “Soldado”, que faz parte do novo CD. A dupla é a nova aposta do Max Wick Domingos, tio do Luan Santana. O disco, aliás, traz composições do próprio Luan.

A música é uma composição do Caco Nogueira e do Douglas Cezar e foi produzida, assim como o restante do CD, pelo Wlajones. O clipe contou com a direção do fotógrafo Maurício Antônio.

Confiram abaixo o clipe. Para fazer o download da música, basta clicar AQUI.

13 comentários
  • Renan - SP: (responder)
    29 de novembro de 2013 às 15:23

    Música ridícula.
    Até o tio arrumou uma boquinha no Pop empresarial.
    E o cara do violão com um ursinho pendurado…
    E a forçada de voz, piorou mais ainda.
    Ouvindo essa música, deu uma saudade do Renato Russo…
    O que eu tenho pra dizer pra essa dupla é simples:
    “Marcha soldado,
    cabeça de papel.
    Quem não marchar direito,
    vai preso pro quartel.
    O quartel pego fogo,
    a policia deu sinal.
    Acode,acode,acode a bandeira nacional”

    Vocês não estão marchando direito.

  • Rafael Cesar: (responder)
    29 de novembro de 2013 às 19:01

    Tenho medo do que vai vir em 2014.De 2009 pra cá a cada ano que passa só vai piorando.

  • artur: (responder)
    29 de novembro de 2013 às 19:49

    Sério, olha o cabelo RIDÍCULO desse primeira voz. Quando vi o cabelo, fechei o video.

  • joel santana: (responder)
    29 de novembro de 2013 às 20:45

    eu acho assim ó
    essa mulecada nova ta fazendo música de acordo com a atualidade deles
    lógico que é de praxe ouvir as essencias pra que não passem vergonha nas rodinhas de amigos e econtros com gente do ramo
    mas esses meninos ai tem as manhas
    da pra perceber que usaram pouco melodyne kkk
    e outra o wladiones pelo que eu conheço não iria se desesperar.esse sabe o que faz
    sobre o que o renan disse .
    ou seja .várias perolas em seus comentários
    mas respeito sua opinião.

    • Renan - SP: (responder)
      29 de novembro de 2013 às 22:53

      O Wlajones está certo, isso dá dinheiro e fama.
      A arte é só um detalhe, que não se deve levar em conta, pra que se preocupar com os outros, afinal vivemos num capitalismo selvagem, certo?

  • Allan Jhon3es: (responder)
    29 de novembro de 2013 às 21:46

    não é critica, mas palco meio vazio, e sem publico , da uma impressão ruim

  • Renan - SP: (responder)
    29 de novembro de 2013 às 23:11

    Musicalmente falando (como sempre), vi certas coisas esses dias, que me fez devanear:

    “Às vezes volto no tempo
    Numa viagem do meu pensamento
    Eu era só um menino
    Cabelos compridos, olhando o destino
    Arrisquei uma canção
    Dedilhei meu violão
    Sem querer fui me lembrar
    Deu vontade de chorar
    Deu vontade de chorar
    Que saudade dos Beatles
    São lembranças de mais
    Que saudade dos Beatles
    Um sonho lindo que não volta atrás
    Que saudade dos Beatles
    São lembranças demais
    Que saudade dos Beatles
    E dos amigos que não vejo mais

    Às vezes penso em tudo
    Parece que a vida passou num segundo
    Sonhos e flores ao vento
    Rolam nas ruas do meu sentimento
    Fui lembrar de outra canção
    Machuquei meu coração
    Pus o disco pra tocar
    Deu vontade de chorar
    Deu vontade de chorar

    Que saudade dos Beatles
    São lembranças de mais
    Que saudade dos Beatles
    Um sonho lindo que não volta atrás
    Que saudade dos Beatles
    São lembranças demais
    Que saudade dos Beatles
    E dos amigos que não vejo mais”

    http://www.youtube.com/watch?v=4lnJU4-FyKA

  • antonionetho: (responder)
    30 de novembro de 2013 às 01:48

    kkkkkk no minuto 1:05 um ursinho pendurado no violão santa viadagem…. musica de modinha, e letra muito sem graça… Mas gostei do arranjo pra essa musica, sempre gosto do som do Wlajones…

  • @ariomester: (responder)
    30 de novembro de 2013 às 09:30

    Crucificar só os cantores é muito errado. Eles estão cantando (talvez) a mando de um empresário uma música que foi composta por alguém e produzida/arranjada por outra pessoa.
    Dizer que é tudo culpa dos cantores eu acho errado. Eu não gostei da música, nem da produção, nem do arranjo. Acho que falta assessoria de moda, estilo, de música, de atitude, de um monte de coisas para se fabricar um “produto” bem feito. Achei tudo muito “pela metade” e “feito de qualquer jeito”. Mas ainda assim desejo sorte e sucesso à dupla.

  • goiano: (responder)
    30 de novembro de 2013 às 15:15

    Ridiculo#. Renato Russo tinha uma canção do Primeiro Disco da Legião Urbana chamado “soldados”, mas aqui não vem o caso. Mas, essa canção aí santo Deus horrorosa ao extremo, e a interpretação espanta todos os pássaros que estão ali por perto. Um verdadeiro infortúnio da música sertaneja. Falei#

  • Leo: (responder)
    1 de dezembro de 2013 às 09:23

    E vago pelos blogs, sites de músicas buscando novidades, músicas boas, novos artistas etc e tal. O que eu percebo, e que não é novidade para ninguém é que todos repetem a mesma fórmula do que é sucesso do momento, e muito das vezes é culpa do empresário, empresário que saiu do ramo do café e resolveu investir naqueles dois guris que tem o gogó afinado, “Ocês é baum, e conheço uns amigo da rádio, vou dar uma mesadinha pra eles e ocês cantam esse tar de sertanejo universitário é que tá dando certo no momento, conheci um tar de Zé que compõe umas músicas muito boas. Letras iguais de um tar de Gustavo Lima, fala de um carro importado. Olha o versinho da música. -Comprei um carro importado, de tão bonito parece um pônei alado, de botina e chapéu é hoje que levo as muié pro motel.”
    Pode ser exagero da minha parte mas não foge muito disso.
    Vejo vários comentários enfurecidos, e não tiro a razão deles. Dentre eles o mais revoltado e proporcionalmente engraçado é do nosso colega Renan-SP (risos). Citei o nome do Renan que ele é um grande defensor dos cantores sertanejos da velha guarda, é um direito dele defender, mas se repetisse o que eles fizeram cairá no mesmo pecado o que é o da mesmice. Mas se for como influência, absorver aquilo que é bom e agregar na bagagem artística aí sim, é evolução.
    Arte é a forma que certas pessoas usam para se expressar. Essas pessoas chamam-se artistas. Os artistas revelam em suas obras, em suas produções artísticas as suas descobertas sobre o mundo em que vivem. O artista absorve as influências da sociedade em que vive e transforma essas ‘influências” em arte! A expressão artística é única, e para expressar da melhor forma possível é através de muito estudo, quanto mais cultura melhores condições terá para expressar. E é isso que as pessoas querem ouvir, elas gostam de ouvir músicas diferentes (não diferentes demais), que as surpreendam e que de alguma for se identifique. Pois como disse Mahatma Gandhi: “Seja você mesmo a mudança que você quer para o mundo”.
    Não sou Expert no assunto, não tenho essa pretensão, só quero ler e ouvir artistas de verdade. Um apelo aos jovens, sejam artistas, e não ventrículos.

    • @ariomester: (responder)
      1 de dezembro de 2013 às 10:35

      Nada contra a dupla, acho que é mais um entre milhares, literalmente. A realidade deles é a de muita gente Brasil afora.

      Eu vejo da seguinte forma: não sou nem 1% contra artistas fabricados ou músicas que reflitam futilidades. Não mesmo.
      O que eu sou radicalmente contra é o MALFEITO, que impera na música popular brasileira há tempos. Esse “novo sertanejo” (funknejo, arrochanejo e afins) só deixou isso mais explicito do que já era.
      MALFEITO.
      O pessoal tem 1 milhão de reais pra fazer aqueles CDs promocionais, mas não investem nem 1 real numa aula de canto para os cantores, ou numa aula de musicalização pra eles conseguirem cantar e se expressar musicalmente.
      O pessoal tem dinheiro para colocar adesivo em ônibus e carreta (se forem veiculos alugados, isso gira em torno de 200 mil/ano), simplesmente pra ter um outdoor ambulante do artista. Mas gravam qualquer coisa que aparece pela frente, não exigem que os produtores, compositores, arranjadores e músicos façam o melhor, o mais bem feito, o mais relevante musicalmente possível.
      O pessoal tem dinheiro para colocar 20 moving lights e uns paineis de LED em todo show, mas não gastam 50 reais pagando a alguém que entenda de moda e estilo pra vestir o artista, criar uma identidade visual e de atitude para o artista.

      E assim vai.
      Grande parte dos artistas estrangeiros que o pessoal mais ama foram fabricados ou configurados para serem propositadamente como são: Justin Timberlake, Katy Perry, Rihanna, Lady Gaga, Amy Winehouse, Beyoncè e outros. Mas foram trabalhos feitos com muito mais critério e tentando sempre fazer da melhor forma possível.
      Se quiser fazer de um anônimo mais ou menos talentoso um artista; ou de um artista rústico um artista top, ok. Acho a ideia ótima.
      Mas fazer um monte de CD com o retrato dele cantando o que vier na cabeça não traz resultados. Simples assim.
      Precisaria investir por um ou dois anos no “produto” para que ele se veja como um artista, assim como as bandas, produtores, a critica e o público.
      Por isso eu digo e repito: entre fabricar um artista bem feito a partir do zero, ou lapidar um bom artista para ficar top, acho a segunda opção mais barata e com maior chance de sucesso. Exatamente o percurso de 80% ou mais dos artistas de maior sucesso no mundo, desde sempre.
      Não sei se é o caso dessa dupla, mas é o caso de no minimo 60% dos artistas que estão aparecendo por ai afora. No caso específico dessa dupla – mais assessoria e mais cuidado na produção e escolha do repertório senão vai ficar muito difícil e custoso manter o “produto”.

  • Jéssica: (responder)
    14 de setembro de 2014 às 02:42

    A questão nao é Renato Russo minha gente , quem vive de passado é museu , eu respeito muito o gosto dos outros , claro , mas tem que haver respeito de ambas partes , deixem os meninos fazerem o trabalho deles e vão cuidar da vida de vocês , só tenho as lhe informar que eles estão enrriquecendo enquanto vcs estão ai criticando ! Otarios .

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.