24 ago 2010 | Artigos,Lançamentos
Fernando & Sorocaba – O novo DVD

Não foi como das outras vezes. Nada de correr atrás de credencial, de correr atrás de espaço entre outros órgãos de imprensa, se espremendo por uns minutinhos com os artistas para algumas perguntinhas fúteis e etc. Dessa vez eu fui convidado. Dessa vez eu fui para participar da festa, assistir apenas, ficar no camarote, estabelecer contatos e tudo mais.

Fora as vans fazendo todo o traslado aeroporto-hotel-evento-hotel-aeroporto, camarote Open Bar e camarim depois do show todos liberados. Gente poderosa do circuito sertanejo do Brasil inteiro. Divulgadores, organizadores de eventos, empresários, jornalistas e muito mais. No começo, eu fiquei um pouco deslocado, afinal é sempre assim que uma pessoa que não bebe se sente quando está junto a pessoas desconhecidas e que bebem. Se eu bebesse, pegava minha taça de champagne (sim, até champagne era liberado) e me enturmava com a primeira galera que eu visse pela frente.

Mas na medida que a noite vai rolando, a cachaça vai tomando conta dos cérebros dos convidados e todo mundo se solta, hehehe. Aí, mesmo que eu me sinta deslocado sempre vem alguém falar comigo. No fim das contas, eu estava mais à vontade até que o pessoal que tinha bebido. Assim, eu fiquei me alternando entre conversar com a galera e curtir o show.

Sobre o show, aliás, algumas considerações a fazer. Inicialmente, os “contras”. O DVD foi planejado para cerca de 20 mil pessoas. Para isso, foi escolhida como local uma arena coberta gigantesca situada numa cidadezinha da região metropolitana de Curitiba, chamada Campina Grande do Sul. O problema é que só havia uma via de acesso ao local e com apenas uma pista de rolamento, o que significa congestionamento épico. A arena também tinha um probleminha estranho. Parecia ter a capacidade de intensificar o frio através do vento que entrava. Como se não bastasse ser na região de Curitiba, tradicionalmente fria. Outro probleminha foi o atraso para o início das gravações, causado por um problema nos telões laterais. O problema, aliás, não pôde ser resolvido, e os painéis acabaram ficando de fora da gravação.

Mas sabem o quanto esses problemas influenciaram no andamento das gravações? NADA. Assim que o show começou, a galera simplesmente se esqueceu de qualquer contratempo e participou intensamente. Os painéis nem fizeram falta, diga-se de passagem. O palco era gigantesco. Possuía extensões laterais e frontais, o que deixava os artistas bem mais próximos da galera e com muito mais opções para demonstrar a versatilidade costumeiramente demonstrada nos shows. Uma sacada muito legal do disco, aliás, foi permitir que quase todos os músicos da banda se movimentassem livremente. A maioria deles utilizava transmissores sem fio e tinham total liberdade para andar por todo o palco fazendo cada um a sua graça.

O DVD começou com a música “Bola de Cristal”, composta pelo Sorocaba em parceria com o Marco Aurélio, também presente no camarote, e mostrada recentemente para o público através de um vídeo postado no Youtube. Essa parceria com o Marco Aurélio, aliás, foi repetida na canção “Desorientado”, também gravada no disco. Interessante ver o Sorocaba baixando a guarda e realizando parcerias em suas composições. Desde o início da carreira, tais parcerias só foram realizadas com o próprio parceiro de dupla, e mesmo assim muito raramente.

Entre as participações, Henrique & Diego, uma das duplas apontadas aqui no Blognejo como apostas para o ano de 2010, o que ficou comprovado pelo sucesso das canções na boca da galera durante minha estadia e na hora em que cantaram durante o evento. É que além de terem participado do disco com a canção “Vacilei”, que já tinham gravado em parceria com a dupla Fernando & Sorocaba, a dupla ainda cantou algumas músicas enquanto os artistas principais da noite trocavam de roupa. E a galera cantou tuuudo, com as músicas na ponta da língua.

Além deles, participou também do disco a cantora Thaeme Maryoto, que assim como Henrique & Diego também é uma artista que agora conta com a “chancela” Sorocaba, hehehe. Ela cantou uma das músicas mais românticas da noite, aliás. Canção até um pouco diferente do que podemos encarar como sendo “sertanejo”. Foi algo na linha pop, linha essa que já era a adotada por ela desde que venceu o programa “Ídolos”.

A terceira participação foi uma surpresa para a galera. Edson, que também assinou junto com o Sorocaba a composição da música que cantou na noite. Aliás, repetiram algumas vezes a gravação da moda, coisa que quase não ocorreu no restante da noite. Sério. Muito poucas canções foram repetidas durante a gravação. E o repertório foi bem extenso, diga-se de passagem. Muitas canções inéditas, com destaque para algumas dançantes, e várias regravações de sucessos anteriores da dupla, incluindo canções outrora gravadas em parceria com outros artistas.

Aquela grua, ou guindaste, ou elevador, ou sei lá como chamam aquilo, que a dupla costuma utilizar nos shows não foi deixada de lado. Umas 3 ou 4 canções foram executadas com a dupla em cima daquele troço, hehe. Uma dessas músicas executadas em cima do equipamento, “Bala de Prata”, bem que poderia ter ficado de fora do disco, afinal já foi gravada uma pá de vezes por eles, em quase todos os CDs que lançaram.

Entre as novidades da noite, a inserção do acordeon. Para quem não se lembra, uma das únicas vezes que Fernando & Sorocaba usaram acordeon num disco foi na música “Delegada” gravada no CD Acústico. Claro que não foi colocado no disco inteiro, afinal seria uma mudança meio drástica para ser inserida assim de uma hora pra outra. Mas ele estava lá, presente em boa parte das músicas.

Ao final da gravação, com o público evidentemente cansado – coisa normal para qualquer gravação de DVD – a dupla começou a fazer uma coisa que me deu raiva por não ter ficado debaixo do palco o tempo todo: começou a distribuir os instrumentos que usaram na gravação para o público presente. No total, deram para a galera uns 2 ou 3 violões e umas 2 ou 3 guitarras. Por que não guardaram só um violãozinho pra mim, caramba, hehehe?

Depois do show, camarim. Parabenizei algumas das pessoas que contribuíram para o sucesso da gravação, como o Ivan Miyazato e a Thays, sua esposa, Fernando Catatau, Fernando Hiro, Cacildo Gimenez, Zé Carratu e os próprios artistas. Realizei diversos contatos, conheci diversas pessoas, que me assustaram quando me chamaram pelo nome sendo que nunca as havia encontrado antes. Só a recepção do Sorocaba quando entrei no camarim já me valeu toda a viagem. Me chamou pelo nome assim que me viu entrando e me agradeceu demais pela presença. Pode parecer bobagem para vocês que estão lendo esse texto, mas não sabem como é importante pra mim esse reconhecimento que agora o pessoal do meio definitivamente demonstra para com o complicadíssimo trabalho que escolhi desenvolver com o Blognejo.

Foi foda, definitivamente. Fui embora para o hotel e sequer deu tempo de dormir. Só deu tempo de fazer a mala e pegar a van para o aeroporto. Uma realização importantíssima e que representou muito para este que vos escreve. Agradeço de coração a Adriana, por todo o carinho que demonstrou comigo e por ter me aguentado enxendo o saco o tempo todo pelo rádio, hehehe. Essa sensação de dever cumprido e de satisfação com o reconhecimento demonstrado pelo pessoal presente na gravação vai perdurar provavelmente por muito e muito tempo, com toda a certeza.

51 comentários
  • Terence Scordino: (responder)
    14 de julho de 2013 às 20:22

    I just want to say I’m all new to blogs and really enjoyed this page. Likely I’m going to bookmark your website . You certainly come with amazing stories. Kudos for sharing your blog site.

  • Rigoberto Clymer: (responder)
    17 de julho de 2013 às 07:38

    OMG JUST PLAYED GRAND THEFT AUTO 5!

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.