16 dez 2008 | Lançamentos
Guilherme & Santiago – Gravado Ao Vivo em Goiânia

Tem um apelido que se encaixaria bem para a dupla Guilherme & Santiago: a dupla do “morde e assopra”. De uns anos pra cá, criaram o hábito de garimpar sucessos regionais, arrancar das mãos das duplas que até então trabalhavam as canções despreocupadamente e fazer dessas músicas seu mais novo sucesso. Aí todo mundo fica achando que aquela música é inédita e estourou com Guilherme & Santiago, enquanto na verdade não é isso que acontece.

A lista de músicas “usurpadas” por Guilherme & Santiago é mais extensa do que se imagina. “Só de Você”, “Pega Fogo Cabaré” (que acabou rendendo um processo) – de João Neto & Frederico -, “Magia & Mistério” – João Bosco & Vinícius -, “A culpa é sua” – Diego & Danilo -, “O amor é assim”, “Quando você vem me abraçar” – Denilson & Daniel – , essas duas últimas nesse novo trabalho. Isso acontece graças à inescrupulosidade de certos compositores ou da ignorância dos cantores, que acreditam que ter uma música gravada por uma grande dupla pode ser uma grande oportunidade.

O fato é que pouca gente conhece todos os problemas que esta atitude envolve. João Bosco & Vinícius, por exemplo, atrasaram em cerca de dois anos um trabalho que só veio dar certo de verdade mais recentemente. Na época da canção “Magia & Mistério”, quando eles estavam começando a aparecer no estado de São Paulo, Guilherme & Santiago vieram e surrupiaram descaradamente a música, indo por terra todo o projeto da dupla sul-matogrossense naquela época. Só uns dois anos depois é que eles conseguiram se reerguer na região, com as músicas “Falando Sério” e “Sufoco”, na verdade utilizando as mesmas artimanhas, já que essas duas canções estavam sendo trabalhadas pelo Luan Santana. Isso acontece porque o público tende a associar a música com o artista mais famoso. Imagina o Zezé e o Luciano regravando uma música do Zé das Couves, por exemplo. O público passa a achar que quem regravou foi o Zé das Couves e não o contrário.

Bom, essa foi a parte do “morde”, Ainda falta a parte do “assopra”. Cientes de que tais atitudes ocasionam dezenas de problemas pra diversas pessoas, Guilherme & Santiago aproveitam o espaço que têm na TV para amenizar a situação. Levaram João Neto & Frederico ao programa e organizaram todo um pedido de desculpas, que envolveu até a doação da indenização obtida no processo da música “Pega Fogo Cabaré” ao Hospital do Câncer. Além disso, toda vez que eles cantam a nova música de trabalho no programa, fazem questão de mandar um abraço à dupla Denilson & Daniel, de Uberaba. Com isso, Guilherme & Santiago acabam posando como bons moços.

O fato é que eles são carismáticos. São aparentemente humildes. Na única vez em que estive com o Guilherme, ele foi incrivelmente educado e simpático. E esse carisma da dupla permitiu que eles apresentassem (e muito bem) durante muito tempo o programa Terra Nativa, que ao que tudo indica acaba no início do ano. Outra qualidade que eles de fato possuem é o talento. São uma das duplas mais bem preparadas de sua geração. O Guilherme estudou canto durante todo o tempo em que viveu nos Estados Unidos. Fora isso, desde o início da carreira sempre foram uma das poucas duplas que conquistou fidelidade dos próprios fãs. Eu me lembro da minha época de colegial com algumas garotas do colégio apaixonadas pelos dois.

As canções do início da carreira representam a fase mais criativa e agradável da dupla. E eu creio que seja esse o tópico que faz desse novo DVD, no fim das contas, positivo. Fora as duas canções da dupla Denilson & Daniel que eu mencionei e algumas outras inéditas como a dançante “Aí que Miorô”, a maioria das músicas do disco são releituras de sucessos do início da carreira, mais ou menos na mesma linha daquele primeiro CD acústico. Canções incríveis como “Mentiras de amor” e “Eu nunca te esqueci”, por exemplo, foram resgatadas nesse DVD. Eles optaram por não regravar praticamente nenhuma canção que já tinha sido regravada no CD acústico comemorativo aos 10 anos de carreira, o que talvez tenha sido um erro, já que eu considero aquele CD o melhor da carreira dos dois.

O bom é que muitos modões que a dupla gravou no decorrer da carreira também foram resgatados (“Anjo Loiro”, “Dois de Setembro”, “Do outro lado da cidade”, “Homens”), além de outros modões antigos gravados por outros artistas (“Pedaço de Poema”, “Foto 3X4”, “Ladrão de Mulher”).

Outro fato desse DVD que ilustra bem a parte do “assopra” são as participações trazidas no disco. A única participação de peso foi a do Amado Batista, cantando um pout pourrie de dois sucessos dele (“Chance” e ‘Meu ex-amor”). As outras participações, segundo a própria dupla ressalta no making of, são de artistas não muito conhecidos do grande público, mas cujo trabalho eles alegam admirar. Durval e Davi cantam a música “Homens”, já gravada por Milionário & José Rico e pelos próprios Guilherme & Santiago no início da carreira. Maida & Marcelo cantam a música “Não tem cachaça que cura”, que é a música de trabalho dessa dupla, formada pelos filhos do saudoso sanfoneiro Voninho. O Marcelo já foi citado aqui como um dos maiores acordeonistas do Brasil. Excelente produtor e arranjador, por sinal, responsável pelos arranjos de umas quatro músicas desse disco. As backing vocals Valéria (das Mineirinhas) e Patrícia reeditam “Por que Brigamos” (aliás, a Valéria tá parecendo vinho, só melhora com o tempo, tanto na voz quanto na beleza). A Valéria, além disso, toca violão em grande parte das músicas do disco.

O trio Claudinho, Henrique e Pescuma cantam um pout-pourrie de músicas de Guilherme & Santiago em ritmo de arrasta-pé. Eu não entendo o porque de tanta gente ficar tentando empurrar esse trio na nossa goela abaixo. O Zezé também é fascinado por esse caras. Mas o fato é que não é nada agradável vê-los se apresentando, tanto pela qualidade que não é tanta assim como pelo cabelo de um deles, que parece uma peruca muito da mal-feita. Dá vontade de pular na tela e arrancar aquela peruca fora.

A produção de áudio ficou a cargo do Vinícius, que não deixou sua marca no DVD, como fez com Marcos & Belutti e Bruno & Marrone. Aparentemente, ele optou apenas por atender aos anseios de Guilherme & Santiago e fazer um disco menos arriscado, apenas repetindo os arranjos originais da maioria das músicas e aproveitando-se da competência da banda. O vídeo ficou por conta do tarimbado Santiago Ferraz, que pra mim é o cara que melhor faz o básico num DVD. Ele não é criativo. Isso é um fato. Mas é um excelente captador de vídeo, e sabe aproveitar-se muito bem dos recursos disponíveis através da edição.

Uma outra participação muito válida aliás foi a do maestro e arranjador Martinez, responsável por grandes arranjos da história da música sertaneja, tocando o trompete. Sobre a dupla em si, eu já havia dito que os meninos dão conta do recado. Exceto por algumas músicas, em que havia uma segunda voz mal colocada, Guilherme & Santiago estiveram bem. Repertório bem escolhido, banda competente e visual bem cuidado. Legal também o fechamento com a música “Magia e Mistério” em roupagem “Dance”.

Não sei se foi pela proximidade do fim do programa Terra Nativa que Guilherme & Santiago decidiram retomar os trabalhos tradicionais como dupla sertaneja. Esse é o primeiro DVD de carreira dos dois. Aquele primeiro foi um projeto filantrópico, e não teve nenhuma canção trabalhada em rádio à exaustão. Além disso, este novo está sendo lançado pela Sony BMG, a top das gravadoras, sonho máximo da maioria dos cantores brasileiros e conhecida por não brincar em serviço. O Hamilton (Régis Policastro, empresário) parece ter finalmente percebido que está na hora de um recomeço. Não que a carreira de Guilherme & Santiago tenha degringolado. Mas o fato é que eles estavam até algum tempo atrás entre as três duplas “sensação do momento”. Depois que começaram com o programa, perderam espaço junto ao seu tradicional público. E esse novo DVD é uma tentativa sólida de voltar ao mesmo patamar ou subir ainda mais degraus. Só acho também que foi meio arriscado lançar esse trabalho em dois CDs, bem como lançar o DVD mais de um mês depois do lançamento dos CDs.

Guilherme & Santiago são grandes intérpretes, sem sombra de dúvida. Não compõem sequer uma linha de canção alguma, mas sabem imprimir sua marca em suas interpretações. Seus defeitos talvez sejam apenas os que dizem respeito à usurpação de canções. Na verdade esse hábito é comum entre os artistas goianos. João Neto & Frederico são uns dos poucos que não costumam “catar” músicas de artistas menores e regravá-las como sendo suas. Pra vocês terem uma idéia, a Sony BMG está processando a banda Nechivile e as duplas Henrique & Hernane e Marcos & Fernando por causa das músicas “Uma chance a mais”, “A Mulher mais feliz” e “A Marvada Pinga”, respectivamente, todas da dupla Marco & Mário. Os caras regravam, sem autorização, e saem por aí dizendo que o sucesso é deles. Talvez Guilherme & Santiago tenham aprendido a lição depois de levarem ferro no processo que o Frederico moveu contra eles. Talvez a própria Sony também tenha lhes dado um puxão de orelha antes de aceitar fechar contrato. É esperar pra ver. Talento eles têm. Só falta mesmo acabar com a fama de cara-de-pau. E a única forma é agindo honestamente.

Nota: 8,0

3 comentários
  • Nao te interesa: (responder)
    11 de maio de 2012 às 13:34

    Vc nao sabe d nada e em vez d ficar criticando fasa alguma coisa d util.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.