05 jun 2009 | Reviews
IMPRESSÕES DE UM OUVINTE

PAULA FERNANDES PÁSSARO DE FOGO

capa

Muito tem se falado a respeito dessa moça. Vez ou outra aparece algum grande nome da música sertaneja rasgando a seda com ela. Afinal, ela é tudo isso que pintam sobre ela?

Pra quem não sabe, Paula Fernandes não é mais um fruto da geração “universitária” da música sertaneja. Já conta com uma carreira beeem longa, para alguém na idade dela. Apesar de amar o estilo sertanejo, vez ou outra passeou por outros tipos de trabalhos. Mas é no nosso segmento que ela se manteve sempre firme. Já é figurinha tarimbada em rodeios há muito tempo. Chegou a gravar uma canção com o Maestro Marcus Vianna para a trilha sonora da novela América.

Paula Fernandes viu seus amigos, com quem ela dividiu experiências, chegarem ao topo. Estou falando de gente como Victor & Léo e César Menotti & Fabiano. Com Victor Chaves, assinou dezenas de composições, algumas que acabaram consagradas até em vozes de outros cantores (Sem Você, gravada por Bruno & Marrone, por exemplo). Seu maior sucesso como compositora talvez seja a canção “Meu eu em você”, gravada por Victor & Léo e, agora, assumida por ela como música de trabalho. Sua parceria com o Victor Chaves praticamente foi o que deu origem ao álbum “Canções do Vento Sul”, que ela lançou em 2005. Na ocasião, era nítida a influência desse estilo “Victor & Léo” em sua carreira. Aqueeeele estilo “duas energias”, entendem???

No seu novo disco, “Pássaro de Fogo”, no entanto, nota-se uma preocupação em não ficar tão atrelada a esse esquema parecido com o de Victor & Léo. Claro que o disco traz sim canções com esse padrão, mas o álbum em si é até bastante eclético. Passeia muito bem pelos diversos sub-segmentos do sertanejo. O que se nota, talvez, é uma tentativa, em certos momentos, de fazer da Paula a Shania Twain brasileira. Tudo bem que a Paula tenha toda uma ligação com o segmento country. O disco “Pássaro de Fogo”, aliás, tem traços bem marcantes disso. Mas não sei se é “auspiciosa” essa coisa de se forçar uma comparação. A Paula é a a Paula, a Shania é a Shania. Ambas deslumbrantes, ambas talentosíssimas. É isso que importa.

Essa aproximação que a Paula sempre teve com Victor & Léo está ilustrada no álbum, mas apenas nas assinaturas de algumas composições e no jeito suave com que ela posta a voz. A aproximação com César Menotti & Fabiano, no entanto, gerou a participação da dupla na faixa “Espaço Sideral” e uma recente postagem beeeeeem favorável a ela no blog da dupla. Na ocasião, o Cezinha exaltou a originalidade da Paula. É claro que essa participação provavelmente foi facilitada pela recente assinatura de um contrato entre ela e a gravadora Universal, que já contava com César Menotti & fabiano no casting.

Quero dedicar um parágrafo, também, à incrível voz que a Paula tem, na minha opinião. Como eu disse, é uma voz suave, sem exageros, sem floreios desnecessários. É agradabilíssimo ouví-la, ainda mais nas canções mais lentas. É só ouvir pra se imaginar deitado numa rede, curtindo um tempo livre, no sossego. Essa é uma tendência da música sertaneja “pós Victor & Léo”: a valorização da suavidade na voz, ao invés do já tradicional estilo “rasgado” de cantar. No entanto, um estilo não tem anulado o outro. Muito pelo contrário. Hoje percebemos que há espaço pra ambos na música sertaneja. A música “Jeito de Mato”, trilha sonora da novela “Paraíso”, e que ainda conta com a participação de Almir Sater, é um belo exemplo dessa coisa de se cantar com suavidade. É uma canção maravilhosa, principalmente graças ao dueto dela com o Almir, que inteligentemente optou por deixar em evidência a Paula Fernandes nessa gravação. Ele faz somente a segunda voz na música, pra se ter noção. Os desavisados provavelmente nem perceberiam que se trata de Almir Sater cantando com ela.

Disco agradável, grande aposta da Universal para 2009 , que já começa a se mostrar bem sucedida, dado o sucesso da música “Jeito de Mato”. Mulheres na música sertaneja são SEMPRE SEMPRE SEMPRE SEMPRE bem-vindas, ainda mais quando se trata de uma cantora talentosa e deslumbrante como a Paula. Eu já estou é cansado dessa homaiada. Me dá alergia, hehehe.

Nota: 8,5

8 comentários
  • Alton Hemming: (responder)
    14 de julho de 2013 às 17:12

    I just want to say I’m newbie to blogging and honestly liked your page. Almost certainly I’m planning to bookmark your website . You actually have incredible articles. Regards for revealing your web-site.

  • Monty Brickett: (responder)
    17 de julho de 2013 às 09:04

    This really answered my problem, thank you!

  • piratage facebook facile sans logiciel: (responder)
    18 de julho de 2013 às 16:41

    Would you be interested in exchanging links?

  • lancaster sheds: (responder)
    20 de julho de 2013 às 08:52

    This is getting a bit more subjective, but I much prefer the Zune Marketplace. The interface is colorful, has more flair, and some cool features like ‘Mixview’ that let you quickly see related albums, songs, or other users related to what you’re listening to. Clicking on one of those will center on that item, and another set of “neighbors” will come into view, allowing you to navigate around exploring by similar artists, songs, or users. Speaking of users, the Zune “Social” is also great fun, letting you find others with shared tastes and becoming friends with them. You then can listen to a playlist created based on an amalgamation of what all your friends are listening to, which is also enjoyable. Those concerned with privacy will be relieved to know you can prevent the public from seeing your personal listening habits if you so choose.

  • organizational development tools: (responder)
    20 de julho de 2013 às 10:49

    Between me and my husband we’ve owned more MP3 players over the years than I can count, including Sansas, iRivers, iPods (classic & touch), the Ibiza Rhapsody, etc. But, the last few years I’ve settled down to one line of players. Why? Because I was happy to discover how well-designed and fun to use the underappreciated (and widely mocked) Zunes are.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.