28 abr 2009 | Reviews
João Neto & Frederico – Só Modão

Regravações, regravações… Tantas já foram as polêmicas despertadas no segmento devido a esse assunto que fica até chato começar um review com essa palavra. Mas o motivo é simples. Trata-se do novo trabalho da dupla João Neto & Frederico, um projeto que visa, principalmente, resgatar antigos sucessos, prestando homenagem às canções que a dupla cantou durante os árduos anos de início de carreira.

No repertório, canções já tarimbadas em discos similares de outros artistas, como “Saudade da Minha Terra”, “Boate Azul”, “Sublime Renúncia”, “Pagode em Brasília”. Dentre as surpresas do disco, canções como “Peito Sadio”, “Canoeiro”, “Pedaço de Poema”, “Majestade o sabiá”, “Chalana”, “De igual pra igual”, “Bijouteria”, “Brigas”, e muitas outras que não costumam ser regravadas.

O disco é repleto de homenagens. Ainda assim, houve espaço para a inclusão de canções de trabalho, como “Revelação”, “O cara errado”, “É pra valer”, “À sua vista” e a regravação “Se entrega amor”, cantada originalmente por Walmir & Wilmar. “O cara errado” e “É pra valer” já tinham sido gravadas pela dupla no disco de Léo Magalhães. A música “Revelação” é provavelmente a de melhor arranjo e pegada em todo o disco. Realmente é uma música muito gostosa de se ouvir.

O disco poderia ser facilmente confundido com mais um disco de mais uma dupla universitária lotado de regravações e tudo mais. O fato, no entanto, é que essas regravações são do tipo que eu aprovo, conforme já me posicionei tantas vezes. São homenagens sinceras a artistas e a canções que fizeram parte da carreira da dupla. A única faixa do disco que provavelmente entre naquele esquemão universitário de regravações é o pout pourrie de “Mais uma noite sem você”, “Cadê Você” e “Tá faltando amor”. Não que isso seja um problema. Muito pelo contrário. É sempre interessante quando músicas do fim dos anos 80 e início dos anos 90 são resgatadas dessa forma.

Um dos diferenciais desse disco é o fato de que a própria dupla assina a produção, em parceria com o sanfoneiro Anézio. Desde sempre a dupla se manteve sob a sombra criativa da dupla Bicalho/Fernandes, do Estúdio Melody, cujas produções, ainda que excelentes, têm o leve defeito de serem muito parecidas umas com as outras, não se valorizando tanto as características individuais de cada artista. Ao assumir a produção do próprio trabalho, João Neto & Frederico mostram que estão, sim, preocupados com o mercado, que anseia cada vez mais por trabalhos individuais, diferentes e originais.

E ainda que todos os arranjos originais tenham sido preservados, é evidente a diferenciação alcançada nesse disco. Não é um trabalho de Guilherme Bicalho e Giovane Fernandes, como havia sido nos últimos três discos da dupla. É um trabalho de João Neto & Frederico, acima de tudo. O trabalho mais pessoal de todos. Primeiro porque tratam-se de regravações das músicas preferidas da dupla, segundo porque a partir daqui eles começam a desenhar os próximos passos dessa carreira de sucesso. Desenhar com as próprias mãos, diga-se de passagem.

Pra quem não sabe, o próximo DVD da dupla está prestes a ser gravado. Isso significa que este disco provavelmente não vai ficar tanto tempo sendo trabalhado, apesar de já ter vazado na internet. Ainda assim, esse disco terá o mérito de ter ajudado a implantar o “estilo João Neto & Frederico” nas gravações da dupla, desvencilhando-se um pouco daquele estilo “Melody” que foi implantado em bandas como Nechivile e duplas como Marcos & Fernando e Henrique & Hernane. Se o DVD continuar seguindo essa linha, teremos uma considerável melhora nos trabalhos da dupla. E melhorar o que já é bom é um excelente sinal, não é mesmo?

Nota: 9,0

11 comentários
  • Wynell Forck: (responder)
    14 de julho de 2013 às 20:28

    I just want to say I am just newbie to blogs and absolutely loved you’re web blog. Most likely I’m planning to bookmark your website . You absolutely come with wonderful articles and reviews. Kudos for sharing with us your website page.

  • Maud Mayhorn: (responder)
    17 de julho de 2013 às 03:39

    Between me and my husband we’ve owned more MP3 players over the years than I can count, including Sansas, iRivers, iPods (classic & touch), the Ibiza Rhapsody, etc. But, the last few years I’ve settled down to one line of players. Why? Because I was happy to discover how well-designed and fun to use the underappreciated (and widely mocked) Zunes are.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.