04 fev 2009 | Lançamentos
Luan Santana – Tô de Cara

17 anos. A idade desse rapazote sem dúvida é o que mais tem chamado a atenção, dado o crescente sucesso que ele tem feito. Antigamente, era mais conhecido pelo apelido “O Gurizinho”, mas sabiamente tem se desvencilhado aos poucos do termo.

Trata-se de mais um artista vindo do Mato Grosso do Sul a conseguir destaque junto aos ouvintes de música sertaneja. Há uns dois anos atrás, ele sofreu alguns revezes ao ter suas principais músicas de trabalho (que não eram de sua autoria) regravadas pela dupla João Bosco & Vinícius. Por algum tempo, ele deu a impressão que esse fato abalaria a sua carreira. No entanto, não sei se por iniciativa dele, o Sorocaba (aquele que o anônimo fala que não é flor que se cheire, hehehe) começou a oferecer seu apoio através de canções inéditas, participação da dupla Fernando & Sorocaba no disco e tudo mais.

Na verdade, essa influência do Sorocaba na carreira do Luan Santana acabou fazendo com que seu estilo se aproximasse muito ao da dupla. Nesse novo CD, por exemplo, os violões foram valorizados e o acordeon abandonado. Sobre as canções, muitas de autoria do Sorocaba, também nota-se esse fato.

Muito boas as canções inéditas do disco, por sinal. Não tive acesso à lista completa de compositores, mas sei que a música de trabalho, título do disco, é de autoria do Sorocaba. A música “Chocolate” é uma das que eu sei ser de autoria do Luan Santana. Entre as canções do disco, no entanto, considero as faixas “Meteoro”, “Sempre com Você” e “Minha boca você não beija mais” as melhores, além da faixa “Tô de cara”, é claro, muito boa também. Fernando & Sorocaba participam do disco cantando a canção “A Louca”.

Porque eu considero este rapazote uma grande promessa? Ora, primeiramente porque ele demonstra uma maturidade musical incomum pra um adolescente. Segundo, porque ele é o típico cantor solo que agrada o público, isto é, tem uma voz agradável, destreza no palco, músicas boas. Antigamente, ele cantava com a voz mais nasalada. Hoje em dia, no entanto, essa característica, apesar de não ter sumido completamente, está bem menos evidente.

Para o público que curte o sertão universitário, o disco e o artista são um prato cheio. Pode até ser que ele tenha assumido esse estilo beeeeem similar ao de Fernando & Sorocaba, com uma levada quase country em determinadas músicas. Mas creio que isso fez foi bem à sua carreira. Os problemas com as canções “Sufoco” e “Falando Sério” foram defitivamente superados, graças a Deus. O disco novo ficou muito bom, mesmo. Eu, pelo menos, tô de cara.

Nota: 9,0

16 comentários

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.