29 out 2013 | Notícias
Lucas Lucco assina com a Sony e lança primeira música do próximo disco

O cantor Lucas Lucco, que recentemente se desligou da Santa Fé Produções Artísticas e passou a ser gerenciado apenas pela FS Produções e pelo Grupo AGT, assinou contrato há alguns dias com a Sony Music para a distribuição do novo CD, que deverá ser lançado em breve.

O novo CD do Lucas está contando com a produção do Dudu Borges e, a julgar pelas fotos nas redes sociais, vai contar com algumas participações interessantes.

A primeira música deste novo projeto foi lançada hoje na Internet. O nome é “Toda Toda” e traz a participação da dupla de MC’s Pikeno e Menor. Este último é o autor da música.

Confiram abaixo a nova música.

31 comentários
  • Rafael Pratteado: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 13:41

    os consevardores quebrando tudo em 3,2,1… eu até considero o lucas lucco um pouco, mais eu não entendi zorra nenhuma dessa musica, para com isso a galera ta apelando nessas musicas tenso

    • Renan - SP: (responder)
      29 de outubro de 2013 às 13:53

      Desde quando trazer mc pikeno e menor é ser ousado?
      Isso aí é ser aproveitador, canta um genero, mas utiliza a nomeclatura de outro (sertanejo) só porque é o genero mais popular do país desde 90.
      Isso não é sertanejo, portanto não é ousadia dentro do genero, isso aí é um Mc Catra mais bunda mole, é um garoto querendo ficar rico através de barulho (porque música é outra coisa).

      • Rafael Pratteado: (responder)
        29 de outubro de 2013 às 14:14

        quem falou que o lucas lucco tinha ousado ?

        • Renan - SP: (responder)
          29 de outubro de 2013 às 14:54

          Qual o contrário de conservadores?

  • Pablo Pacheco: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 13:48

    Seja uma guarania ou um funknejo, quando a música não é boa, não tem o que fazer… Acho que ele errou a mão nessa ai, mas tá valendo!

  • eduardo: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 14:42

    todo mundo assinando com a som livre e ele vai de sony? lembrando que a sony tem exclusividade em eventos da fifa, incluindo aí a abertura da copa. Só artistas sony podem participar.

    • bruno santos: (responder)
      31 de outubro de 2013 às 21:17

      nada haver isso… ivete é universal e vai cantar na abertura da copa no ano que vem…

  • Zé Neto: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 15:20

    Produções baseadas em workshop em 3…2…1…Fight!!!

  • LUCIANO SILVA: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 16:20

    Nem vou falar da futilidade das músicas dele, nem tampouco vou falar que é mais um produto feito pela indústria da música que de tempos em tempos, inventa: Menudos, New Kids on the blocks, Paquitos e outros. Até aí tudo bem, pois futilidade é coisa subjetiva e porque na maioria das vezes nos distraímos dos problemas do mundo com coisas fúteis. O problema é o exagero de futilidade, a futilidade extremada e o declínio cultural que tem sido imposto. Estamos numa postagem que fala do trabalho do Lucas Lucco e a crítica que faço não se refere apenas a ele, mas a toda essa leva de artistas que conseguem mesclar o que há de pior no sertanejo, no funk e no pop e fazer músicas horrorosas com o rótulo final de música sertaneja.

  • Sandra Mathias: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 17:07

    Sempre gostei de Lucas Lucco, mas dessa vez errou feio, parem de misturar as coisas pelo amor de Deus, já deu cada um na sua!!

    • Renan - SP: (responder)
      29 de outubro de 2013 às 17:44

      Sandra, quem está misturando as coisas, são empresários e pseudos cantores de Axé, Funk e Pop, que teimam em dizer que fazem Sertanejo universitário, então será que está cada um na sua?
      Acho que não, e por isso eu me meto mesmo.
      Uma coisa são vertentes, outra é fazer estilos diferentes.
      Por exemplo, a banda Raimundos regravou a música “Desculpe Mas Eu Vou Chorar”, e no entanto ninguém afirmou e nem deve afirmar que aquilo é sertanejo, pois não é, aquilo é uma versão rockeira de um sucesso romantico/sertanejo.

  • Raphael: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 18:04

    E o DVD que seria gravado, afirmado pelo próprio em entrevista ao Marcão, que posteriormente teve sua data alterada e agora não se ouve falar nada.

  • LUCIANO SILVA: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 18:27

    Renan, essa questão dos aproveitadores do gênero daria uma bela matéria. Entrei no site do Lucas Lucco e vi show marcado para o Vila Country – SP dia 31/10/13.rsrsrsr. Se você notar na agenda de shows perceberá que a maioria são em festas de exposição. Já no Rio de Janeiro que seria o local apropriado para o gênero que de fato ele segue ele apenas dará uma passadinha nas rádios.

    • Renan - SP: (responder)
      29 de outubro de 2013 às 21:09

      É Luciano, mas a jogada é essa mesmo, lá no Rio eles valorizam mais o funkeiro local, da comunidade, então os empresários tem que se coçar, falar assim “Olha o som tem uma pegada sertaneja”kkkkkk….
      Então os funkeiros cantam até em Barretos, a vestimenta já está igual mesmo, ninguém percebe que é Funk, Axé….
      O problema está na falta de cultura musical do jovem, antigamente tinha aulas de música nas escolas, mas como o interesse dos governantes são em deixar o pessoal pobre, burro, pra ser refens deles, tudo acabou.
      Aquilo que você disse esses dias, sobre alguém (Globo e midia) estar querendo acabar com o sertanejo faz sentido, vamos ficar de olho até onde chega essa manipulação.

    • Renan - SP: (responder)
      30 de outubro de 2013 às 00:28

      Correção:
      Foi o Eduardo que comentou sobre a Som Livre estar por trás do fim da música sertaneja.
      Seus comentários são bons também Luciano,acabei me confundindo.

      • LUCIANO SILVA: (responder)
        31 de outubro de 2013 às 01:30

        O Eduardo tem um comentário logo abaixo que eu achei o mais inteligente aqui do blognejo. Ele foi muito feliz em dizer que Funk e axé são exatamente o oposto da música sertaneja.

    • eduardo: (responder)
      30 de outubro de 2013 às 05:00

      Dois dos 4 principais dias do rodeio de americana foram de axé e funk. As duas sexta feiras, um com um cantor de funk e uma cantora de axé e a outra sexta feira com Munhoz e Mariano, que foram realmente os primeiros à colocar totalmente o funk e o axé no repertório. Munhoz e Mariano sem dúvida são os precursores disso, além é claro do Michel Teló que é o queridinho de todos por ser “humilde”. Aí eu pergunto com que moral esses eventos vão buscar financiamento público com o argumento de estar preservando uma tradição? Tanto o rodeio de americana, barretos e tantos outros recebem dinheiro e a rubrica de promotores de cultura e tradição mas o evento já não tem mais isso. O último lugar onde esperávamos que essas trapaças fossem coibidas são exatamente nesses eventos. Mas uma coisa precisamos marcar bem a gravadora ‘Som Livre” é a grande responsável pelo que está acontecendo na música sertaneja. Ela está por traz disso tudo. Lembrando que a “Som Livre” surgiu inspirada no movimento tropicalista da Bahia que prega o fim das tradições, ou seja, a Som Livre está desempenhando direitinho o que sua foi sua intenção de fundação: acabar com Tradições. Agora eu te pergunto, estamos vendo aí protestos em defesa de animais e coisa e tal, se essa gente se virar para protestar contra os rodeios será que artistas de axé e funk irão defender os eventos? Claro que não. A verdade é que os donos desses eventos ou marcas estão enfraquecendo as próprias marcas ao permitirem a entrada de axé e funk nesses eventos. Deveriam vetá-los.

      • LUCIANO SILVA: (responder)
        30 de outubro de 2013 às 13:40

        Eduardo,a ganância tomou conta de tudo. Sendo assim, o que estiver no caminho impedindo o lucro será atropelado. Tradição, Coerência, Respeito a princípios e valores regionais não são levados em conta. Para não polemizar nem vou entrar na questão religiosa.

      • Rafael Cesar: (responder)
        2 de novembro de 2013 às 20:11

        VocÊ colocou bem essa parada que a som livre esta por trás de tudo, e quem está por trás da som livre é a cara de pau da globo.

  • Túlio Maravilha: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 19:32

    Boa Sorte Nesse Segundo Trabalho !!!

    Galera Patrocinense Esta Contigo !!!

  • Alan: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 20:13

    Musiquinha ruim hein…esses funknejos já encheram o saco. Tem tanta coisa na música pop pra explorar e botar no sertanejo, mas insistem em colocar elementos completamente batidos. Sei lá, deviam explorar melhor os sintetizadores, em vez de ficar botando remixes no meio delas, que parece que todo mundo só sabe usar sintetizador pra isso.

  • Leonardo Amorim: (responder)
    29 de outubro de 2013 às 21:10

    Não digo traição, mais sim ingratidão, foi o que o lucas cometeu uma bela de uma ingratidão, ao sair da Santa fé Produções Artísticas. Pois foi quem primeiro digamos que “adotou” seu sonho, deu a primeira oportunidade a ele, abriu as portas do sucesso, e o cara vai e deixa o escritório assim, sem mais, sem menos, sem dar explicação aos fãs e as pessoas que admiram seu trabalho. Sei não viu, mais só acho, que essa saída do Lucas da Santa fé, sem mais, sem menos, tá me parecendo que tem algo por trás, só acho.

    • Paulo Ricardo: (responder)
      30 de outubro de 2013 às 01:42

      Eu achei foi bom. Com isso a Santa Fé dedica-se exclusivamente ao trabalho de Israel e Rodolffo, os caras que lançaram o melhor álbum de 2013, e que são Cantores Sertanejos.

  • Renato: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 00:12

    Aííí que dor de barriga!!!

  • @ariomester: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 00:48

    Dois pontos importantes:

    1 – Já foi dito aqui no blognejo mesmo que tem sido cada vez mais comum a prática de escritórios comprarem os direitos de produção artística de grandes eventos e colocar só os artistas do seu casting pra tocar. Isso explica DEMAIS a carreira curta de Thaeme e Thiago e outros que surgem do nada direto nas grandes festas…

    2 – Nem só porque é fabricado é ruim. Por exemplo, artistas como NSYNC, Katy Perry, Charlie Brown Jr. e vários outros costuma-se dizer que foram construídos por produtores. E eram/são grandes artistas, com ótimos shows, ótimas músicas… ainda que um tanto artificial mas é bem feito.

    No sertanejo está horrível não só porque é artificial, mas além disso é um artificial porco de mal feito. Ai não tem jeito né?

  • eduardo: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 06:24

    O próximo passo da música sertaneja serão artistas cantando letras incentivando a invasão e assalto de propriedades rurais. Funk e axé são exatamente o oposto da música sertaneja. As festas sertanejas, agrícolas principalmente, são para comemorar a produção, a colheita e o trabalho, o axé e o funk são o oposto disso, eles pregam a vagabundagem o ócio e o descompromisso com a sociedade. O sertanejo sempre foi o oposto do funk e do axé festas sertanejas, principalmente as mais antigas que permitem axé e funk, sejam disfarçados de sertanejo ou não, estão atentando contra a própria festa.

    • LUCIANO SILVA: (responder)
      31 de outubro de 2013 às 01:35

      Melhor comentário que eu já vi aqui no blognejo. Descreve exatamente a diferença entre o joio do trigo.

  • goiano: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 09:13

    Daqui uns dias eu to imaginando este sujeito fazendo parceria com os Racionais MC, Emicida, etc! KKKKK. Para onde está indo a sagrada musica sertaneja. Todos sabem para o Esgoto.

  • Andrezza: (responder)
    30 de outubro de 2013 às 20:31

    Essa música ficou horriiiiiivel… O que deu na cabeça dele e do Dudu Borges pra gravar essa porcaria?

  • Desinformado: (responder)
    31 de outubro de 2013 às 08:24

    Digitei “ver vídeo sertanejo” e vim parar aqui

  • Rafael Cesar: (responder)
    2 de novembro de 2013 às 20:15

    Poxa esse cara canta nada não, daqui 1 ano espero que ele seja esquecido, pelo amor né.Só tem musicas que não prestam.Olha só antes cantores talentosos não emplacavam um sucesso, lançavam seu cd ou LP, e depois perdia o contrato com a gravadora.Hoje qualquer um que traga um lucro + pra gravadora, eles contratam.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.