16 nov 2016 | Na Estrada
Maiara & Maraísa mantém som próprio em gravação de DVD em Campo Grande

O compromisso do último dia 29/10 foi acompanhar a gravação do novo DVD das gêmeas Maiara & Maraísa, agora com a tarefa de consolidar de vez o sucesso alcançado com o primeiro DVD. Passado todo o frisson inicial do estouro feminino, co-protagonizado por elas, chega o momento seguinte, o da consagração, não só da dupla mas também do movimento feminino em si, o que faz com que esse DVD tenha um apelo muito maior.

Maiara & Maraísa são, junto com Marília Mendonça, artistas símbolos da nova safra feminina da música sertaneja, que dominou o ano de 2016 e, pelo jeito, fará o mesmo em 2017 (eu avisei…). Mas ao contrário da colega de escritório, escolheram apostar numa sonoridade mais festiva, priorizando vaneiras, apesar da similaridade nos temas. Além, claro, do romantismo pop das baladas em detrimento do romantismo “brega” das bachatas.

Deu muito certo pra elas. Entretanto, se analisarmos o impacto que o som de ambos os trabalhos teve na música sertaneja feminina em geral, nota-se que a maior parte das artistas femininas que surgiram desde então penderam mais para o lado sofrido e “corno” da Marília e menos para o também sofrido porém animado e às vezes romântico de Maiara & Maraísa.

Tudo isso faz com que continuar apostando na mesma sonoridade no DVD seguinte seja algo, de certa forma, ousado. Apesar de que, é óbvio, em time que ganha não se mexe. Manter a sonoridade mas levar o DVD, então, para Campo Grande, cujo histórico é muito mais próximo a esse tipo de som, pelo menos em comparação com Goiânia, acabou se mostrando uma decisão bastante sensata.

Um outro aspecto interessante deste DVD foi a total ausência de participações especiais. Se a ideia da dupla era mostrar a própria força em um grande DVD, a ausência de participações faz total sentido, afinal o primeiro já havia trazido 4 grandes nomes. É o momento delas, também. Qualquer participação especial neste momento seria apenas para “encher linguiça” e muito mais interessante para quem fosse participar do que para elas. Exceto se houvesse alguma intenção especial, como uma homenagem ou algo assim, o que faz muito mais sentido num futuro DVD.

O DVD trouxe apenas duas músicas do repertório da dupla, fora as duas que já haviam sido lançadas no projeto “Agora é que são elas” e cujos vídeos com a versão do DVD de Campo Grande também já se encontram disponíveis no Youtube. Todas as demais são inéditas.

A dupla abriu o DVD com uma sequência poderosa de vaneiras, que seguiram a abertura com hit “10%”. “Disk Sex”, “Sorte que beija bem”, “Como é que larga desse trem” e “Quando o assunto é cama”, não por acaso, devem ser algumas das músicas de maior destaque do disco, principalmente as duas primeiras. “Por telefone não” também deve entrar no time de vaneiras de sucesso do DVD.

Já na linha romântica, que também rendeu bons frutos para a dupla com o hit “Medo Bobo”, o DVD deve destacar “Bengala e Crochê” – que é justamente a “Medo Bobo” deste DVD, com a Maraísa fazendo a primeira voz e, vejam só, tocando piano no DVD -, “Sem legenda” e “Lágrimas”, que foi gravada pelo Cristiano Araújo para o CD que ele lançaria caso não tivesse partido. A música chegou a ser divulgada com ele no último dia 24/06. Sem falar, claro, de “Você faz falta aqui” e “Cruzando os dedos”, que já haviam sido divulgadas e seguem mantendo a força em comparação com as demais músicas do disco. “Você faz falta aqui” ainda é a grande música do DVD.

Mas mesmo a dupla tendo obtido mais destaque nessas duas linhas melódicas (vaneira e romântica), a música mais forte do DVD junto com “Você faz falta aqui”, pelo que consegui acompanhar, é justamente a mais “corna”. “Eu tenho nojo” fala sobre tudo o que vem sendo amplamente falado na música sertaneja, principalmente entre as mulheres, mas o refrão impactante dá à música uma força maior do que a das demais.

Como em qualquer gravação, o show teve alguns momentos curiosos, como um tombo da Maraísa logo na primeira música. As paradas entre uma música e outra acabaram tendo um impacto maior do que as repetições, já que a dupla repetiu pouquíssimas músicas durante a gravação. Nada que prejudicasse o andamento do show, que durou mais ou menos três horas. Houve, na verdade, um certo estranhamento do público com o repertório 100% inédito, o que é estranho, já que Campo Grande já recebeu várias grandes gravações, ou seja, já era para o público ter se acostumado há anos com esse tipo de show.

Ainda assim, o simbolismo deste DVD deve acabar sendo mesmo a sua principal característica. Além de ser o DVD que carrega a missão de consagrar Maiara & Maraísa e de celebrar mais uma vez a importância de Campo Grane para o gênero sertanejo, o disco também anseia romper diversas outras barreiras, já que é a primeira vez que uma dupla sertaneja feminina grava um trabalho desta magnitude. A importância disso para o próprio movimento feminino é gigantesca. Se em 2015 e 2016 elas já haviam estraçalhado o ceticismo de quem não acreditava nas mulheres, elas agora devem fazer o mesmo com o ceticismo de quem acha que o sertanejo feminino não deve perdurar. Ora, dois dos maiores DVDs a serem lançados em 2017 são de mulheres, justamente dos dois produtos femininos que fizeram com que o público acordasse pra força e importância delas no nosso segmento. Se ainda há quem duvide que isso não tem mais volta, talvez seja bom tirar a cabeça do buraco e ouvir um pouco mais o que o grande público anda ouvindo.

Clique AQUI para assistir ao vídeo da música “Cruzando os dedos”, exibido no Fantástico no último domingo. Abaix, algumas fotos da gravação, tiradas pelo Dilson Silva, da AG News.

1 comentário
  • Cristian Lourenço: (responder)
    16 de novembro de 2016 às 14:49

    Acompanho o blognejo há uns 2 anos, e nesse ano o Blog perdeu a imparcialidade, que mesmo um site de notícias sobre música deve ter!
    Ultimamente o blognejo “morre” de amores pela workshow e seus artistas!
    O Villamix no Rio é foi tido como o maior e mais importante evento do meio sertanejo nos últimos tempos, e não vi nenhuma matéria por aqui!
    Maiara e maraisa deram um caldo no caldas country, por quê a workshow é parceira de outro evento em caldas. Aliás, a workshow ordenou que Zé neto e Cristiano não fizessem o show no caldas tbm, mas eles, em respeito aos fãs, não obedeceram, e segundo eles, fizeram o melhor show de suas vidas!
    E por aqui, nenhuma notícia sobre essa polêmica!
    Vamos melhorar meu povo!

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.