17 jun 2013 | Notícias
Mais um reality musical. Será que esse emplaca?

Assisti no último sábado à primeira edição do novo reality show do SBT, totalmente voltado à música sertaneja, o Festival Sertanejo. Na verdade ainda não tinha uma opinião formada, mesmo porque não acompanhei as apresentações realizadas aqui em Uberlândia. Queria assistir à primeira edição para poder emitir alguma opinião aqui no Blognejo de forma mais sólida.

Pois bem. Aos que não assistiram, uma breve explicação: o reality Festival Sertanejo é uma criação da Leonor Correa, irmã do Faustão e diretora do SBT, que pretende premiar um artista ou dupla sertaneja com a gravação de um disco para os intérpretes, além de 100 mil reais para o compositor da música que o artista vencedor defendeu. Cada candidato selecionado defenderá durante todo o programa uma música de sua escolha. Ao final das 12 semanas de eliminatórias, a música preferida do público consagrará o campeão.

Depois de finalizado o período de inscrições, 16 atrações (entre cantores solo e duplas) foram selecionadas e sorteadas para 4 shows, cada um em uma cidade – Campo Grande, Cuiabá, Uberlândia e Indaiatuba – onde apresentariam cada um a sua música escolhida para o festival. O programa conta com a apresentação da dupla Hugo & Tiago e matérias feitas pela Hellen Ganzarolli e pelo Pedro Leonardo.

O primeiro programa, transmitido sábado, trouxe uma prévia das 16 canções, uma apresentação ao vivo da dupla Victor & Leo, breves entrevistas com cada um dos candidatos, cenas dos shows introdutórios e a eliminação imediata de 4 concorrentes, depois de análise feita por um time de jurados composto apenas para o primeiro programa pelo César Augusto, pela Aline Lima e pelo Eduardo Bonadio, diretor da Crowley. Os 12 concorrentes restantes vão para a “Casa Sertaneja”, que eu ainda não entendi direito para que serve. Entre os concorrentes classificados, alguns rostos conhecidos, como Juninho Bessa, meu parceiraço de longa data, a dupla Thiago & Graciano, já bastante respeitada em Campo Grande, Lucas & Felipe, que são provavelmente a maior dupla sertaneja do estado do Rio Grande do Sul, entre outros.

Pronto. Feitas as explicações, vamos para as considerações. O primeiro ponto a respeito de qualquer reality musical no Brasil: adianta alguma coisa? Todo mundo sabe e não se cansa de repetir que realities musicais não emplacam a carreira de ninguém e que não tem nenhum artista que explodiu depois de vencer um programa desse tipo. Bem, é sabido que esse gênero de programa faz muito sucesso na TV americana e lá, sim, funciona. Os vencedores e às vezes até quem não venceu costumam emplacar depois de uma passagem por um programa assim. Vide Kelly Clarkson, Jeniffer Hudson, Carrie Underwood, entre outros. No Brasil, a realidade é outra

Puxando na memória, é possível apontar alguns poucos nomes que talvez tenham funcionado depois de um reality show. O Rouge, formado na edição feminina do programa Popstars, também do SBT, vendeu mais de um milhão de cópias do primeiro disco e emplacou alguns hits, mas algum tempo depois foi pro limbo. Hoje, apesar do grupo ter ensaiado um retorno, provavelmente para ajudar a emplacar o novo reality do seu criador Rick Bonadio, a Fábrica de Estrelas, transmitido pelo Multishow e que também pretende montar uma girl band, as suas integrantes originais dão muito mais certo em musicais e programas de TV do que na carreira musical.

O Br’oz, formado na edição masculina do mesmo programa, vendeu cerca de 200 mil cópias do primeiro disco e acabou mais rápido que o Rouge. Apenas o André Marinho conseguiu manter um certo prestígio, como vocalista do grupo de pagode Cupim na Mesa. Por falar em pagode, o Tiaguinho, que é hoje o maior representante do gênero, também começou a despontar num reality, o FAMA. Ficou em quarto lugar, mas sua passagem pelo programa lhe rendeu um convite para substituir o Chrigor no Exaltasamba e o resto da história todo mundo já sabe. O fato é que sua passagem pelo FAMA o ajudou a emplacar a carreira musical apenas indiretamente.

Da mesma maneira indireta e partindo do mesmo programa, um como campeão e o outro como quarto colocado, a dupla Hugo & Tiago devem ao FAMA a formação da dupla. O Tiago foi o vencedor de sua edição, aliás. Mas assim como no caso do Tiaguinho, o programa foi apenas um meio para um fim e não o fim propriamente dito. Aliás, um dos maiores acertos do Festival Sertanejo do SBT, a meu ver, foi colocar justamente uma dupla formada em um reality musical como apresentadores. Nada melhor para a função que alguém que saiba exatamente o que sentem os candidatos.

Fora isso, há alguns outros pontos do programa também questionáveis. Como eu disse, ainda não entendi direito qual a função da tal Casa Sertaneja. Ao que parece, haverão treinamentos, workshops, eliminatórias e coisas do gênero, mas pelo jeito é apenas mais uma regra de reality show (se não tiver uma casa, não é um reality).

Também fiquei meio com o pé atrás com relação ao fato do reality premiar os artistas por conta de uma música apenas. Já imaginaram que daqui pra frente, durante doze semanas, o público vai ter que assistir e ouvir as mesmas canções? Por mais que isso seja uma novidade com relação aos demais realities musicais, não sei se é algo positivo. Afinal de contas, um artista é mais do que uma música só, ou não?

No fim das contas, o Festival Sertanejo se mostrou um programa bacaninha, agradável e despretensioso, se é que podemos dizer isso de um reality. A incógnita maior é justamente se o programa vai conseguir emplacar a carreira de seu vencedor, coisa que nunca aconteceu na TV brasileira. O programa parece não querer levantar essa bandeira, por isso usei o adjetivo “despretensioso”. Trata-se apenas de um reality que quer premiar a melhor música entre as 12 concorrentes. Não é como o The Voice, por exemplo, que pareceu ter sido feito na Globo justamente com essa obrigação de fazer seu campeão estourar, coisa que não aconteceu com a vencedora Ellen Oléria ainda. Aliás, se levarmos em conta o que a Globo tenta nos fazer acreditar, Munhoz & Mariano só estouraram por causa da Garagem do Faustão, o que está beeeem longe de ser verdade.

Enfim, se assistirmos ao Festival Sertanejo apenas com a intenção de ver amigos e artistas talentosos defendendo seus respectivos trabalhos, tá valendo. Agora, se assistirmos com essa coisa do “vai estourar depois desse programa” na cabeça, talvez a frustração seja inevitável.

6 comentários
  • Aspirante: (responder)
    17 de junho de 2013 às 22:30

    O Thiaguinho não foi o quarto colocado do programa FAMA da Rede Globo. Ele passou várias semanas na berlinda até que foi eliminado do programa. No entanto, é o artista que mais deu certo dentre todas as edições do FAMA. Infelizmente, para o meio Sertanejo, mais que a dupla Hugo & Tiago, que é ultra amarrada e enjaulada ao empresário HRP.

    Acredito que o programa renderá bons frutos. Tanto para os eliminados quanto para os primeiros colocados. Ainda existem investidores atrás de bons artistas e por isso aposto que alguns sairão do programa com novas/boas propostas.

  • Silvio: (responder)
    18 de junho de 2013 às 01:24

    Assisti o programa e confesso que esperava mais. Muitos não cantam bem, desafinam feio mesmo. Os shows onde foram apresentadas as previas foram mal produzidos, sem uma estrutura legal. Agora o que mais me decepcionou foram as musicas. Você ouve Victor & Leo e depois ouve as musicas dos candidatos e compara a qualidade musical, é gritante a pobreza das letras. Melodias previsíveis demais. Vou acompanhar pra ver se vai melhorar a qualidade, mas acho difícil.

  • Carolaine Ienghinem: (responder)
    18 de junho de 2013 às 09:53

    Assisti só pra ver os meus ídolos Victor e Leo…Ah, como é bom vê-los e ouvi-los,músicas e vozes maravilhosas sempre.

  • Fabio Roque: (responder)
    18 de junho de 2013 às 11:15

    Ainda não assisti, mas ao ler o texto fiquei com a mesma pergunta na cabeça… Pra que essa tal casa sertaneja?!

  • Jeferson Roxo: (responder)
    18 de junho de 2013 às 14:51

    A vitória vai para os Fenomenais Lucas & Felipe que são mto talentosos…

  • Gabriel: (responder)
    18 de junho de 2013 às 15:46

    Eu realmente nao sei o pq da casa tbm , ja que eles nao vao ficar por la msm , outra coisa … cada dupla pior do q a outra pelo amor de deus sahashuhhhau da vontade riir , eu vi uma dupla la q nem quero saber o nome cantando um tal de “DIG DIN ” huashuashuashua ridiculo … é obvio que o vencedor vai sair desses … ( THIAGO E GRACIANO , LUCAS E FELIPE OU JUNINHO BESSA ) é outro patamar e cantam bem o resto … sao cantores de buteco e olhe la… nao tem capacidade de vencer … Mais pra mim os vencedores sao THIAGO E GRACIANO a musica A OUTRA nao tem comparação com nenhuma outra desse programa.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.