12 fev 2014 | Na Estrada
Na Estrada – Grupo Tradição lança novo disco e nova formação

Estive na última quarta-feira mais uma vez na cidade de Campo Grande para o lançamento de uma nova etapa de um projeto ao qual eu sempre fui muito apegado. O Grupo Tradição realizou durante a tarde de quarta um coquetel de lançamento do novo disco e de apresentação oficial dos novos membros, Patrick Reder e Léu Prado, que assumiram respectivamente o vocal de frente (e a gaita ponto, claro) e a bateria, além de novas parcerias nas áreas de marketing e de eventos.

Os novos membros entraram depois que foi anunciada, no ano passado, a saída do então vocalista Guilherme Bertoldo, que se tornou o Thiago da dupla com a Thaeme. O irmão do Guilherme, Leko, o acompanhou e passou a ser o novo baterista da banda da dupla. A entrada do Patrick e do Léu, na verdade, são a última etapa de uma série de mudanças na formação da banda, que desde a saída do Pekóis já havia buscado mostrar uma cara bem mais jovem do que aquela consagrada com a formação que gravou dois DVDs “Micareta Sertaneja” e um “Ao Vivo em Campo Grande”, com Michel, Carlos, Gérson, Arapiraka, Pekóis e Anderson Nogueira.

Esta nova formação, com Patrick (vocal e gaita ponto), Léu (vocal e bateria), Lelê (vocal e baixo), Márcio (percussão), Osiel (vocal e guitarra) e Fabrício (acordeon), busca ao mesmo tempo consolidar o Tradição como um grupo jovem e homenagear o legado da banda. Tanto que o número de vocalistas da banda voltou a ser o mesmo daquela formação, com quase todos cantando, inclusive o baterista (e muito bem, por sinal). O Patrick, que chegou a ser, na adolescência, vocalista de uma banda cover do Tradição, carrega diversas semelhanças com o Michel Teló. Além de ser loiro, ele tem um timbre vocal semelhante. E o Léu Prado, baterista, remete muito ao Anderson Nogueira quando canta por conta da qualidade e da facilidade com a qual ele consegue cantar e tocar bateria ao mesmo tempo.

O grupo realizou um pocket show para apresentar as novidades e já deu pra perceber ali uma grande sintonia musical entre todos os membros, elemento que em teoria poderia ter se perdido durante esse período de mudanças que se iniciou anos atrás com a saída do Michel Teló. Mas como em toda mudança de formação, a entrada de novos membros sempre serve como estímulo e sempre dá um gás na nova banda, o que é até bonito de assistir.

Uma apresentação oficial para a imprensa como a que se deu na quarta é também uma demonstração de que o grupo aposta bastante na continuidade dessa formação, mesmo o Tradição tendo assumido publicamente com a saída do Guilherme o status de “fábrica de talentos”, devido à possibilidade constante de se ter que abrir mão de seus artistas para outros projetos, como aconteceu com o Michel e com o Gui.

Mas se nos últimos trabalhos da banda havia uma dúvida quanto a apostar na imagem dos seus membros (algumas capas de discos recentes não tinham as fotos dos membros), talvez pelo receio quanto à possível saída de algum deles, desta vez o grupo volta a apostar na imagem, até pela necessidade de mostrar a cara do novo vocalista. A capa do novo disco, “Churrascão do Tradição”, ressalta bem a imagem de todos eles.

E por falar nesse novo disco, ele acabou sendo a última contribuição do Gui Bertoldo, já que ele participou ativamente da produção e da escolha de repertório. Quando o Patrick chegou, o disco já estava pronto. Apenas a voz teve que ser regravada.

A aposta consistente nessa nova fase do Tradição também ficou evidenciada pela preocupação com a busca de novos parceiros. A Mart Agência de Comunicação passou a cuidar de todo o marketing da banda e de forma bem direta. O evento foi organizado pela agência. O Tradição também fechou uma grande parceria com a Yhé Entretenimento. Ao dividir um pouco mais as funções, o grupo tira um pouco da pressão das próprias costas.

A parceria com a Yhé, por falar nisso, também proporcionou ao grupo uma parceria com a dupla André & Cauan, que já foi tema de postagem aqui no Blognejo. A dupla também realizou um pocket show no evento de quarta-feira e pôde mostrar ao vivo a qualidade do trabalho.

Sobre o Tradição, eu como fã incondicional, quem quer que esteja lá cantando e tocando, fiquei bem satisfeito com o que vi e ouvi. O Grupo parece estar bem sólido e bem engajado nessa nova formação. A sintonia musical está bem interessante e o grupo passou a entender e a defender a própria importância na história recente da música sertaneja. Essa sonoridade que se ouve hoje de bateria e de percussão é por conta do Tradição. Boa parte dos profissionais de renome na produção sertaneja atual trabalharam com o Tradição. É um legado que não podemos jamais ignorar. E este novo grupo parece muito capaz de continuar defendendo essa bandeira.

No dia seguinte, ainda acompanhamos a gravação do programa “Vida Sertaneja”, com a participação do grupo, e o apresentador e vereador Wanderley Cabeludo me fez até dividir os vocais com o Tradição em uma das músicas. Quando for pro ar eu posto o vídeo por aqui, hehe.

Abaixo, uma série de fotos do evento.

1 comentário
  • LUCIANO SILVA: (responder)
    12 de fevereiro de 2014 às 23:37

    COMO UMA ONDA
    Nada do que foi será
    De novo do jeito que já foi um dia
    Tudo passa
    Tudo sempre passará…
    Infelizmente isso aqui nunca mais:
    https://www.youtube.com/watch?v=-ftHSAsIqKY

    Só essa abertura de show já valeria pelo ingresso pago. Não há como fazer melhor do que fizeram.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.