11 jan 2012 | Notícias
O não-sertanejo mais sertanejo de todos os tempos

Por mais absurdo que pareça, ainda há quem desconheça a importância gigantesca do Moacyr Franco para a música sertaneja. Para muitos, ele é só aquele cara que interpreta (ou interpretava, nem sei se ainda o faz) o Jeca Gay de “A praça é nossa” e que vez ou outra se mete a apresentar algum programa de TV ou atuar em alguma novela do SBT ou em algum filme dirigido pelo Selton Mello. A importância deste profissional pluritalentoso para a música sertaneja e sua contribuição como compositor para o segmento são o tema desta singela homenagem.

Quase nenhum artista pode se vangloriar de ser, ao mesmo tempo, cantor, apresentador de TV, ator, compositor, humorista, autor e, de quebra, político. Nascido em Ituiutaba, Moacyr Franco fez carreira como cantor romântico de sucesso no início da década de 70, mas após um acidente automobilístico no auge da carreira, acabou não conseguindo recuperar a mesma popularidade qua havia conquistado como intérprete. Nas décadas seguintes, além de alavancar uma carreira respeitada na TV, emplacou dezenas de hits como compositor nos mais variados segmentos.

Na música sertaneja, sua maior contribuição, sem dúvida, foi com alguns dos maiores hits da carreira da dupla João Mineiro & Marciano, que na década de 80 “disputava” com Chitãozinho & Xororó o posto de principal dupla do segmento sertanejo. Entre as pérolas compostas pelo Moacyr Franco e lançadas pela dupla João Mineiro & Marciano estão “Ainda ontem chorei de saudade”, “Seu amor ainda é tudo” e “Se eu não puder te esquecer”, que entraram para a seleta lista de grandes clássicos sertanejos de todos os tempos.

Fora as grandes canções da dupla João Mineiro & Marciano, Moacyr Franco também foi responsável pelo maior sucesso da carreira da cantora Nalva Aguiar, que por anos reinou absoluta entre as mulheres na música sertaneja. “Dia de Formatura” relata a emocionante história de uma mãe que, pressionada pelo marido a dar fim a uma gravidez inesperada, decidiu levá-la adiante e criou o filho sozinha para vê-lo se formar.

Com a saudosa dupla João Paulo & Daniel, emplacou a incrível moda de viola “Dia de Visita”, já numa época em que esse estilo específico de música não conseguia muito espaço. Quem chegava a se arriscar em gravar alguma moda de viola solada como essa, preferia gravar algo já conhecido, fazer uma releitura ou algo assim. João Paulo & Daniel gravaram uma inédita do Moacyr Franco, que aliás rendeu uma continuação no disco seguinte, desta vez composta pela própria dupla.

Aliás, não foi a única vez que o Moacyr Franco se arriscou a compor uma moda de viola. A música “Amigos Verdadeiros”, cantada no vídeo abaixo pela dupla Palmeira & Biguá, é mais uma composição dele que valoriza bastante a viola.

Com a dupla Peão Carreiro & Zé Paulo, emplacou a doída canção “Pergunte a Ela”, que foi regravada recentemente por João Carreiro & Capataz.

A dupla Bruno & Marrone também tem uma canção bastante conhecida do Moacyr Franco em seu repertório. Aliás, ele chegou a gravar uma participação especial na música. Trata-se de “Goiás é Mais”, que acabou praticamente se tornando um hino paralelo do estado de Goiás.

Com a dupla Cezar & Paulinho, ele chegou a gravar uma pitoresca canção (“Verdades de Pescador”) que exaltava os grandes causos de pescador e ainda gravou uma participação, falando durante a música vários dos bordões de seu personagem Jeca Gay.

Uma de suas mais belas composições, “O Milagre da Flecha”, foi gravada pela dupla João Mineiro & Marciano e anos mais tarde por Milionário & José Rico e até pela dupla Zezé di Camargo & Luciano, versão esta que foi incluída no vol. 3 da série “Direito de Viver”.

O interessante e incrível nas composições do Moacyr Franco é a grande preocupação que ele sempre demonstrou com a qualidade das letras. Não se observa, nem mesmo nas mais comerciais dele, a existência de letras fáceis, de versos cheios de clichês. São sempre letras complexas, inteligentes. A maioria das músicas, inclusive, conta alguma história profunda e que sempre pede uma grande reflexão. Quando não o fazem, são geralmente declarações de amor das mais profundas.

Apesar de ter se consagrado como cantor romântico e não do segmento sertanejo, e apesar de ser muito mais conhecido como ator, humorista e apresentador de TV, é fascinante a sua contribuição para a música sertaneja. Maior inclusive do que a de muitos que dedicaram a vida inteira ao segmento. Sempre priorizou a qualidade ao invés da obviedade, o que faz de suas músicas únicas e incríveis.

Curiosamente, até a Rita Lee, inimiga declarada do segmento sertanejo e de tudo o que ele representa, já gravou uma música do Moacyr Franco. Quem diria que “Tudo Vira Bosta” saiu da mesma cabeça que compôs “Seu amor ainda é tudo”. Para encerrar com chave de ouro, então, fiquem com o vídeo da nossa amiga Rita Lee, que provavelmente nem sabe o quanto o Moacyr Franco contribuiu para o crescimento do segmento que ela tanto abomina. Creio que se soubesse, não se atreveria a gravar uma música do mestre, mas enfim…

29 comentários
  • Rafael Kissane * MENOTTEIROS - Sto André: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 07:31

    Otima materia.. o Moacir Franco é mesmo um artista completo

  • Thiago Elias: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 07:59

    Esse é um dos poucos que (na minha humilde opinião) podem carregar com autoridade o ‘rótulo’ de gênio!

  • Thiago Elias: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 08:03

    “É minha cara eu mudei minha cara..
    Mas por dentro eu não mudo..
    O sentimento não para, a doença não sara..
    Seu amor ainda é tudo!”

    Algumas palavras simples, e uma dose de genialidade rara.
    Isso é pra poucos, caros amigos.

  • Thiago Elias: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 08:06

    E quanto a Rita Lee, putz! Tinha tudo pra ter minha admiração. Apesar de sertanejo de coração, sou amante de música em sua totalidade de ritmos, estilos, etc.

    Representa muito para o Rock. Uma das mais importantes, sem dúvida. Mas assim como muitos por aí, perde(quase sempre) a oportunidade de ficar com o boca fechada.

  • Daniel Assis: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 08:07

    SENSACIONAL

  • Pedro Nery: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 08:37

    Muito Bom, a tempos esperava uma homenagem a esta nome impar na composição da musica sertaneja. Parabéns pela homenagem

  • Leo: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 08:59

    DIA DE FORMATURA
    Se ele perguntar, se me filho hoje me perguntar
    Onde está papai? Por que nunca veio nos visitar?
    Se ele perguntar, hoje que se forma e se faz doutor
    Onde está papai?
    Eu vou lhe contar desse meu amor.
    Seu pai quando soube que eu teria um filho
    Nosso primeiro Não quis aceitar e só quis matar
    O primeiro herdeiro
    Preferi perder meu marido, o homem que eu mais queria.

    Para ter você, que já carregava
    E não conhecia. Se ele perguntar, hoje estou disposta
    a falar a verdade Seu pai não morreu, anda por aí na mesma cidade
    Se ele perguntar, por que até hoje eu ainda me humilho
    Ele vai saber que homem que é homem, não mata um filho.
    Eu parti prá luta Fui lavadeira, enfrentei a vida
    Mas ganhei a guerra Pois nessa terra, nada me intimida. Mas valeu à pena Enfrentei sozinha esta vida dura
    Pra chegar aqui, assistir agora, essa formatura
    Se ele perguntar Pode ser até que nem lhe diga nada.
    Começo a chorar
    Pelo que passei nessa longa estrada
    Se me perguntar Por que chora tanto, mamãe me diz
    Eu vou lhe explicar
    Que nunca até hoje, fui tão feliz.

    Esse é Moacyr Franco meus amigos.

  • Teco: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 09:49

    Aí sim, quando agente vem aqui comentar e não precisa escrever muito é simplesmente porque o texto foi perfeito e este foi !!! Parabéns Sr. Marcus.

    O moacyr Franco é tanto gênio que ele tem ainda a genialidade de parecer com o chaves ..rsrs

    • Juca do Norte: (responder)
      11 de janeiro de 2012 às 15:23

      Teco bem humorado?? Essa nunca tinha visto… rsrs… belo texto, bela homenagem!

      • Teco: (responder)
        12 de janeiro de 2012 às 09:22

        Por mais que não parece que gosto de falar pouco, é que as vezes não dá. Mas este texto foi ótimo e a homenagem justíssima. E vai dizer que ele não parece com o chaves ???

  • DANIEL J. MOREIRA: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 09:55

    A Rita Lee participou de um show com Tonico e Tinoco em 1970, tem até a foto na internet.

    Filho de Maria, do Maocyr nas vozes de Chitãozinho e Xororó, é uma de minhas preferidas.

  • José Guilherme Gonçalez: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 10:57

    Excelente texto Marcão!!! Simples, objetivo e enaltecendo uns dos maiores expoentes da verdadeira música sertaneja.

  • RENAN: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 11:15

    Um cara q deve ser respeitado não só no sertanejo,mas na música brasileira de forma geral!!!!

  • Fábio Roque: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 11:25

    Rapá! Que texto bacana!
    Nem sabia que o Moacir Franco tinha tantas músicas assim.
    Achei que ele tinha só se aventurado nessa praia um pouquinho.
    Como foi dito no texto, ele é multi-talentoso, mas achei que a composição fosse simplesmente um passa-tempo nos momentos de folga desse grande cantor e humorista.
    Realmente mais um gênio da cultura brasileira e que devia ter o devido reconhecimento.
    Ele merece!!!

  • Elisa: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 13:51

    Parabéns pelo texto, Marcus!! Excelente e merecida homenagem ao Moacyr Franco. As músicas que ele compoem são maravilhosas, tem conteúdo. Não são letras ‘vazias’ com lelelelelele’s, chechecheche’s e coisas a fins.

  • Victor235: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 14:24

    Marcão, veio um técnico arrumar a internet aqui de casa e ele entrou em que site pra testar se a conexão tinha voltado? Blognejo =P

  • Fábio Roque: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 15:30

    Nossa! Cada texto que esse fofinho escreve, eu me estremeço por todo por dentro. Lindo! Lindo! Guardo dentro de mim uma admiração sem fim. Fofinho que se parece com ursinho puff… te adolo *-*

    • Fábio Roque: (responder)
      12 de janeiro de 2012 às 06:18

      Isso não foi eu quem escreveu.
      Deve ser algum fã inrustido do Marcão!
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Juca do Norte: (responder)
      12 de janeiro de 2012 às 20:57

      Marcão Ursinho Puff… hahahaha

  • Rodrigo Arantes: (responder)
    11 de janeiro de 2012 às 22:37

    Marcão, pro Moacir Franco nós temos que pedir bença.
    Estrela de primeira grandeza, Artista completo
    Parabéns pelo post

    Rodrigo Arantes

  • Marcos Antônio Aguiar: (responder)
    12 de janeiro de 2012 às 09:23

    A música sertaneja precisa do Moacir Franco com suas belas canções e não de músicas compostas por Funkeiros, os quais não entende o gênero.

  • Fernando: (responder)
    12 de janeiro de 2012 às 17:32

    faltou citar q ele compos tambem voce nao morre mais do joao paulo e daniel pra mim a melhor cancao gravada por eles do moacyr

  • Rafael: (responder)
    12 de janeiro de 2012 às 22:38

    Caramba!! Já tinha visto em algumas dessas músicas citadas o nome Moacyr Franco como compositor.. sempre me vinha a cabeça a imagem do Moacyr Franco ator e humorista, mas eu nunca ia achar que eles eram o mesmo, hahahah.

  • Paulo Ricardo: (responder)
    12 de janeiro de 2012 às 23:27

    Nossa! Sempre admirei o Moacyr, não só pelo gtande ator e humorista que é, mas também pelo fato de ele ter composto simplesmente três das melhores canções que já ouvi: “Seu amor ainda é tudo”, “Ainda ontem chorei de saudade”, e a ARREPIANTE, “Dia de Visita”, que teve sua história prolongada, por João Paulo e Daniel, e com final feliz na linda “Olhos Claros”.
    Mas ainda assim fiquei surpreso, não só, com a quantidade de composições, mas também com a qualidade do texto. E utinha perdido um pouco a fé no Marcão depois que li o texto sobre o JORGE E O LEGADO DE ZEZÉ E BRUNO.
    Mas esse texto ficou exelente.

  • Tays Miyazato: (responder)
    14 de janeiro de 2012 às 17:34

    ESSA MATÉRIA MERECE UM DEZ, MARCÃO! VOU COMEÇAR A DAR NOTAS PRA VC TB! KKKKK

  • odair jose de morais: (responder)
    15 de janeiro de 2012 às 20:02

    parabens marcão de vez em quando faz um texto desse falando de alquem que realmente fotificou nossa musica sertaneja eu sempre fui ligado a saber sobre compositores um dia tive uma teima com um sujeito sobre o tal jose fernandes que fez muita musica pra leandro e leonardo zeze e luciano e quase 60 por cento dos sucessos de amado batista muitos fãs compram a ideia que seus idolos são responsavel por tudo que gravam sendo que tem artistas como gian e giovane guilherme e santiago pobres se fossem viver de suas composiçôes

  • ANGELO A.BORIO: (responder)
    13 de agosto de 2014 às 13:16

    Com tantos medíocres na mídia brasileira, um show men tão pouco aproveitado. Esse é o Brasil infelizmente.

  • kleiton honorato: (responder)
    28 de abril de 2016 às 20:11

    A musica Filho de Maria do Chitãozinho e Xororó é dele também

  • Luzio Garcia Junior: (responder)
    23 de julho de 2016 às 23:06

    Tenho muito respeito pelo Moacir Franco, grande artista.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.