07 fev 2011 | Artigos
Os Padrinhos Mágicos – Quando um artista empresta seu sucesso

Na recente história da nova música sertaneja, tem sido muito comum um artista emergente ser “apadrinhado” por outro (ou outros) de maior projeção. São várias as estratégias que visam dar a esse ou aquele novo talento maior visibilidade, principalmente gastando-se pouco. E não há maneira mais certeira de ajudar um novo nome do que este gravar uma canção com um astro de grande projeção nacional. Se  o “veterano” estiver vivendo um bom momento, em alta e for carismático, mais da metade do caminho do novato já terá sido trilhada. Nos últimos tempos, o recurso tem sido mais do que nunca utilizado por gente grande e pequena.

Entre os artistas que “emprestam” seu sucesso a estreantes com grande frequência, estão os goianos Jorge & Mateus. São nada menos que sete participações especiais nos últimos dois anos, sendo que em pelo menos cinco delas a parceira deu tão certo que as canções atingiram os primeiros lugares nas paradas, levando junto o artista debutante. Um grande exemplo deste sucesso “emprestado” é a gravação de “Pense em Mim” de Lucas & Luan. Com a ajuda de Jorge & Mateus, a dupla foi alçada ao topo das paradas de sucesso, tendo sido uma das canções mais executadas no primeiro semestre de 2010.

Quem também se beneficiou do “apadrinhamento” dos goianos foi o mineiro Gusttavo Lima. Na carona dos sucessos da dupla de Itumbiara, Gusttavo gravou a canção “Inventor dos Amores” e caiu no gosto do público. A cantora  Janaynna foi outra que conseguiu bons resultados gravando com Jorge & Mateus a canção “A Carne é Fraca”. A música também atingiu o topo das paradas e fez a galera cantar junto. Nessa de aproveitar o bom momento e a voz ultra-comercial de Jorge, Fred & Gustavo, Marcos & Fernando, João Victor & Ricardo também gravaram com a dupla.

Outros que sempre deram muita sorte a seus convidados (ou anfitriões) foram Fernando & Sorocaba. A participação ao lado de Luan Santana na canção “A Louca” ajudou a projetar a carreira do jovem rapaz. Já a participação na canção “Vacilei” de Henrique & Diego fez o Brasil conhecer a nova revelação do Paraná e, por fim, a participação de Thaeme Marioto no DVD “Bola de Cristal” , gravado no ano passado, certamente renderá grandes frutos á moça.

Porém, quem hoje brilha na música também ja foi ajudado um dia: em 2007, João Bosco & Vinicius gravaram ao lado de Cesar Menotti & Fabiano a canção “Eu Vou Doar o Meu Coração”, praticamente uma continuação da música Leilão, cantada pelos mineiros e que explodia em sucesso por todo o país. Um pouco mais tarde, em 2009, já estabilizados e no topo das paradas por conta do grande sucesso de “Chora me Liga”, João Bosco & Vinicius colaboraram com Michel Teló na música ” Ei Psiu, Beijo me Liga” e ajudaram a alavancar a carreira do ex-Tradição.

Mas a regra nem sempre é a mesma para todos: Em 2009, quando gravaram seu primeiro CD em Campo Grande, Maria Cecília & Rodolfo tinham como padrinhos Marco Aurélio & Paulo Sérgio, autores da música “Você de Volta”. Marco Aurélio & Paulo Sérgio já eram conhecidos em sua região e começavam a despontar para o sucesso em todo o centro-oeste. Hoje, pouco mais de 3 anos após o registro, Maria Cecília & Rododolfo tem um nome infinitamente mais conhecido do que o dos padrinhos campograndenses. No ano de 1998 foi a vez de Guilherme & Santiago, a dupla não gravou música com a participação de Sérgio Reis, mas foi levada ao Domingão do Faustão pelo cantor e hoje goza de tanto reconhecimento quanto o mestre.

Contudo, este tipo de ajuda só vai servir para dar um “start” na carreira da dupla, ela não vai servir para consagrá-lo. Se manter no sucesso depois, sem a participação do padrinho é uma outra história. Emendar um sucesso a outro depende de vários fatores que nem sempre são cuidadosamente observados pela produção do artista. Nestes casos, o mais importante é sem dúvidas a escolha da música que vai dar a continuidade ao sucesso e manter o nome em evidência. A escolha errada da canção pode ser um tiro de misericórdia no futuro de um artista em ascensão.

Situação que viveu Lucas & Luan em 2010, depois de ver seu nome chegar ao topo das paradas com a música “Pense em Mim”, fruto da parceria com Jorge & Mateus, a dupla não foi feliz na escolha da música substituta. “Pondera” patinou e agora, quase um ano depois os irmãos ainda batalham para firmar o nome que vinha embalado e forte na época do sucesso. Problema esse que não viveu Gusttavo Lima, depois de brilhar com “Inventor dos Amores”, Gusttavo emendou “Rosas, Versos e Vinhos” e “Cor de Ouro” e agora vê seu nome se consolidar em todo o Brasil.

Há ainda artistas que não usam suas carreiras para promover iniciantes, como é o caso de Victor & Léo e Luan Santana. Apesar de ceder suas composições para outros intérpretes, a dupla mineira só participou até agora da gravação do DVD da “estreante” Paula Fernandes e dos veteranos Sérgio Reis e Renato Teixeira (pelo menos que eu me lembre). Já Luan Santana nunca gravou ao lado de um artista sertanejo em início de carreira.

Por último mas não menos importante, existe o padrinho oportunista, que é aquele cara que tem um nomezinho e usa-o para ganhar alguma grana às custas dos outros, como é o caso do cantor Latino. Depois de gravar com quase uma dúzia de artistas sertanejos e sem conseguir promover nenhum, Latino, que nunca teve afinidade com a música sertaneja, volta agora seu foco para a galera do nordeste, gravando em parceira com grupos de forró e  de pagode baiano. Diferentemente da música sertaneja, quem sabe dessa vez o seu “apadrinhamento” consiga ajudar alguém que não seja ele mesmo.

A prática de gravar com gente nova em si não é um problema, muito pelo contrário, tem sido uma grande oportunidade para  ajudar gente de talento  a mostrar “a cara”. Mas como todo o recurso precisa ser usado com moderação, para, ao invés de promover o novo, não acabar desgastando o padrinho.  Porque, por mais dificil que pareça, muita exposição desgata até as mais sólidas estruturas, e isso vale também para a música sertaneja.

*Crédito das fotos: Leandro Maldonado

18 comentários

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.