31 jan 2014 | Notícias
RARIDADE – Chitãozinho & Xororó com Shania Twain?

Dia desses, seguindo uma dica de um amigo, descobri nos confins da Internet uma gravação que até então eu desconhecia e que, a julgar pela falta de menções a ela na Internet, quase ninguém sabia que existia. O Youtube contabiliza apenas 3 vídeos com essa gravação, com poucos views em cada uma.

Pois bem, trata-se de uma versão português/inglês da música “From this moment on”, da cantora Shania Twain, interpretada pela própria junto com a dupla Chitãozinho & Xororó, cantando um trecho em português. A versão havia ganhado o nome de “De hoje em diante”. O arranjo e a harmonia da música original foram todos preservados, apenas com a inclusão das vozes da dupla em determinados trechos.

Aí você se pergunta: “Mas por que essa música não foi lançada?”. Após uma breve pesquisa e investigação, o que dá pra deduzir é que a versão em português da dupla Chitãozinho & Xororó em dueto com a Shania em inglês seria “engolida” pela versão gravada pela própria Shania junta com o grupo Backstreet Boys em um DVD lançado mais ou menos na mesma época dessa gravação. Bem, isso é o que devem ter pensado Chitãozinho & Xororó, provavelmente.

Uma pena, afinal de contas essa música se tornaria muito provavelmente um clássico instantâneo. Ouçam abaixo como ficou essa parceria, em duas versões. Na primeira, Chitãozinho & Xororó começam cantando. Na segunda,é a Shania quem começa, o que sugere que ela talvez pudesse também trabalhar a versão com a dupla.

* Versão 1

* Versão 2

44 comentários
  • Thiago Elias: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 12:39

    Quem é Backstreet Boys?

  • Fabiano Cotta: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 13:00

    Caramba!!! Com certeza seria mais um sucesso, como “Ela não vai mais chorar – She´s Not Crying Anymore”, ou “Palavras – Words”, ou até mesmo a do Zezé ” Eu só penso em você – Always on my mind”. Tenho certeza que seria!!!

  • Leonardo C. Pina: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 13:03

    Faltou citar o ano da gravação.

  • camilo: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 13:10

    Que ano chitão e xororó fizeram essa versão?

  • Renan - SP: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 13:12

    Essa música eu postei aqui no mês passado, uma excelente interpretação da dupla.
    Nem sempre as versões em português ficam boas, mas eu tenho uma tese de que os norte americanos, são os melhores do mundo para fazer melodias, e só por isso já vale a pena ouvir uma versão, principalmente no sertanejo.
    Creio que essa gravação ocorreu entre os anos de 97 e 98, quando a dupla foi para os USA, onde fizeram também na mesma época uma parceria com a Reba McEntire.
    Vendo pelo lado comercial, seria uma boa idéia fazer a divulgação, mas na época não teria tanto impacto como se tem hoje (as parcerias), basta lembrar das outras pouco comentadas e conhecidas, como por exemplo, Leonardo e Alan Jackson, Zezé di Camargo e Luciano com Willie Nelson, Rene e Ronaldo com Air Supply…
    Essa música não precisa de uma divulgação pesada, basta só a dupla colocar no próximo albúm, que pela qualidade dela, fará sucesso por si só.

    • lucio: (responder)
      31 de janeiro de 2014 às 14:10

      Mostrei essa música para um amigo meu, perito em audio, e ele me disse que é uma gravação recente, de 2013 mesmo. Mas foi uma análise meio superficial. O interessante seria ouvirmos da própria boca dos cantores quando foi que eles gravaram essa parte em português.

    • Phaell Cesar: (responder)
      31 de janeiro de 2014 às 14:18

      Tem outras também como “Marlon& Maicon e Robin Gibb”, “Chitão & Xororó e Bee Gees”, concordo com você os Americanos são os melhores em antiga tem cara de ser meio recente, só a termos de Melodia, aqui no Brasil as musicas seguem a mesma linha melódica e isso a anos já, essa musica não parece ser uma gravação dupla mesma pra revelar quando foi feita essa gravação, mas seria uma boa inclui-la no próxima álbum pelo menos como Bônus.

      • Phaell Cesar: (responder)
        31 de janeiro de 2014 às 14:25

        * Tem outras também como “Marlon& Maicon e Robin Gibb”, “Chitão & Xororó e Bee Gees”, concordo com você, “os americanos são os melhores em termos de Melodia”, aqui no Brasil as musicas seguem a mesma linha melódica e isso a anos já, essa musica não parece ser uma gravação antiga, tem cara de ser algo mais recente, só a dupla mesmo pra revelar quando foi feita essa gravação, mas seria uma boa inclui-la no próxima álbum pelo menos como Bônus. *

        • Renan - SP: (responder)
          31 de janeiro de 2014 às 19:25

          Phaell, os norte americanos são os reis do marketing e do som, letras e arranjos, eles não se destacam, e vocalmente, o que havia de melhor ficou no passado:
          Ella Fitzgerald
          Nina Simone
          Nat King Cole
          Louis Armstrong….
          MINHAS TESES:
          MELODIAS: melhor USA.
          No Rock, Pop, Blues, Jazz…
          Os norte americanos conseguem contagiar instrumentalmente pelo lado da adrenalina e pelo lado emocional, eles tem raízes bem profundas de grandes nomes e gêneros, e também valorizam muito a “batida” por lá.
          Menção honrosa aos africanos também nessa parte, tem coisas interessantes por lá.
          LETRAS: melhor Reino Unido: Inglaterra, Escócia, Irlanda…
          Gosto mais do Rock inglês do que do americano, as grandes letras transformadoras comportamentais mundialmente, saíram de lá, mas não é só por isso, pelo que eu conheço, lá não se diz qualquer coisa pra rimar ou pra se encaixar na melodia, se não dá pra passar a mensagem melodicamente, então vai pela oratória mesmo.
          Pela visão do pessoal do Reino Unido, eu consigo ver um outro mundo, questionando coisas que no meu país vai até a página três.
          ARRANJOS: melhor Brasil.
          Só aqui eu vejo colocar um pandeiro ou uma cuíca numa orquestra de violinos, musicalmente somos muito criativos nos arranjos, somos mais ousados que qualquer outro país.
          Tirando as bobagens, temos letras também, ajudada pelo vasto vocabulário da língua portuguesa.
          Já em melodias, na minha visão, ficamos devendo, isso no geral, tem muita coisa boa por aí, mas os norte americanos tem mais.

          • Renan - Harare (capital do Zimbábue): (responder)
            31 de janeiro de 2014 às 20:26

            Meu Nanzinho meu herói!!!

          • Luciana: (responder)
            1 de fevereiro de 2014 às 04:34

            Renan, você foi muito real neste comentário. Só discordo na questão de que o Brasil fica devendo em melodias. Somos bons na criação de melodias sim, basta relembrar a época de ouro da bossa-nossa ( e não tem como não citar Tom Jobim neste caso) e suas dissonâncias e a excelente aceitação em terras norte-americanas (inclusive algumas versões de músicas tradicionais americanas que foram regravadas neste ritmo na época), e o samba interpretado por Carmem Miranda, tida como diva internacional. Pode até ser que a atualidade se esqueceu como se faz uma boa música, mas temos sim o nosso espaço reconhecido no mercado internacional.

            • Phaell Cesar: (responder)
              1 de fevereiro de 2014 às 10:06

              Luciana mas nesse época muitas melodias como eu posso dizer “eram inéditas” muita coisa ainda estava pra ser inventado, dos anos 70, 80 pra cá já existia milhões de melodias, e desses anos pra cá começou a ter muita coisa parecida, principalmente no Sertanejo que a maioria das musicas seguem a mesma linha melódica.

              • Renan - SP: (responder)
                1 de fevereiro de 2014 às 13:29

                Luciana, o Tom Jobim é o cantor brasileiro mais conhecido “lá fora”, principalmente nos USA, ele era o único que os mais puristas do Jazz internacional valorizava (referente ao nosso país), um gênio no piano.
                Como eu disse, existe boas melodias por aqui, mas os norte americanos continuam imbatíveis nesse quesito, as nossas melodias são meio padronizadas, seguindo uma mesma nota e ritmo, sem muita alteração, já nos USA um artista lança um albúm diferente do outro (cada albúm é uma caixinha de surpresa), enquanto nós somos mais segmentados.
                Isso não é ruim, mas nesse parte (melodia) os americanos são muito mais admiráveis.
                Toda regra tem exceções, essa minha visão é de uma forma mais global, mais generalizada.

              • Luciana: (responder)
                1 de fevereiro de 2014 às 18:22

                Phaell, concordo com seu ponto de vista de que tudo hoje, principalmente no sertanejo, segue uma métrica pré-estabelecida. Mas eu acredito que os culpados por isso sejam os ouvintes. Se a moçada fosse mais seletiva e não engolisse qualquer coisa, isso forçaria uma mudança na postura dos produtores. Há ainda um outro quesito a ser lembrado: quando um artista norte-americano chega a atingir o sucesso, ele costuma ter quase 20 anos de estrada (e nesse caso, uma seleta minoria se encaixa neste perfil aqui no Brasil). Os empresários lá são muito sérios na questão de investir grana em alguém, justamente porque o povo é seletivo e não engole qualquer coisa. Outro exemplo bacana: no reino unido, pra uma grande gravadora abraçar um novo artista, o cara tem que ter um número “X” de trabalhos e prêmios independentes reconhecidos (como ter vencidos certos festivais). Como já disse: são mais sérios.
                Em resumo: fica difícil cobrar (ou esperar) algum ineditismo melódico se há boa aceitação do “mais do mesmo”. Acho que, como estamos no país do futebol, seguem a linha do “em time que está ganhando, não se mexe”. Uma pena e uma perda para o processo de criação da música brasileira, em geral.
                Renan, Tom foi mestre! Mestre na criação “desafinada”, se é que você me entende! Abraços!

                • Phaell Cesar: (responder)
                  1 de fevereiro de 2014 às 19:52

                  Nos Estados Unidos, eu acho bacana que lá os sites que hospedam musicas são bloqueados, não tem downloads grátis, lá é tudo controlado, por isso vendem milhões de discos até hoje.
                  Aqui no Brasil deveria ser assim, porque quando alguém compra um cd está valorizando mais o trabalho do compositor, produtor, e do cantor, o Brasil não tem muita visão do que é cultura, a musica aqui não é levada a sério, pra qualquer artista tá fazendo sucesso e se achando, acho que essas investigações que fazem lá sobre downloads grátis, soma muito, isso é mais um ponto positivo pra se preservar uma boa musica.

  • sorocabinha: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 14:16

    Beleza, é assim que eu gosto de fazer.

  • ramon: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 14:35

    Chitão e Xororó deviam estar preocupados com essa onda de artistas sertanejos estarem sendo desvalorizados nas próprias festas sertanejos frente à artistas de axé. Vide o que aconteceu no Caldas Country, onde Claudia Leite e Ivete Sangalo foram tratadas com mais deferencia do que eles próprios, tanto pela organização do evento quanto, e principalmente, pela mídia. Isso está acontecendo em várias festas. Americana por exemplo Claudia Leite e Naldo foram colocados numa sexta-feira, que deu público ridículo para o dia, enquanto sertanejos fizeram shows na quarta e na quinta-feira com públicos melhores que os da sexta. Primeiro que não devia ter axé e funk em rodeio e feiras, porque a música sertaneja nunca está presente nas festas de axé, samba e funk, e segundo nas festas sertanejas quem tem que brilhar são os sertanejos, mas como a mídia nos odeia, faz de tudo para nos rebaixar frente a cantores de axé. É a isso que Chitão e Xororó deveriam se preocupar. Já foram rebaixados frente a Ivete e a Claudia Leite no Caldas Country, e agora também estão sendo rebaixados no ‘Country Festival’. Vocês não tem vergonha disso não? Serem rebaixados na própria festa sertaneja? É a isso que vocês deveriam reagir.

  • inhana: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 14:58

    A lenda do século XXI está arrepiando até os grandes. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • plinio: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 15:24

    Gente será que o “sertanejo” Israel Novaes é chauvinista? Eu já vi várias vezes ele atacando caipiras e novamente ele faz isso. Será que é por influencia daqueles amigos dele da Bahia? A gente sabe que em alguns lugares do Brasil pualistas/caipiras não são bem vindos. Será que ele tem alguma coisa contra caipira? http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2014/01/31/carnaval-nao-combina-com-sertanejo-caipira-diz-israel-novaes.htm

    • claudio: (responder)
      31 de janeiro de 2014 às 15:57

      Parece ter uma boa pitada de intolerancia. Queria saber o que os sindicatos rurais que bancam as feiras e os rodeios acham dessas declarações. Chitãozinho e Xororó que sempre defendem as tradições, como Tonico e Tinoco, Tião Carreiro e Pardinho… Todos esses artistas caipiras que ajudaram a construir essas festas sertanejas, a edificá-las e torna-las o que são, como Barretos, Americana, as festas da produção. Dá pra discutir muito essa declaração dele, parece aquele papo perseguitório contra os produtores rurais. Ele só está nas festas sertanejas por estar na Audiomix, assim como o Naldo, porque de sertanejo ele não tem e nem nunca teve nada. Queria saber o que Chitãozinho e Xororó tem a dizer sobre isso, qual a opinião deles, se eles se sentiram ofendidos, se eles acham que os sertanejos se sentiram ofendidos, se os trabalhadores rurais se sentiram ofendidos. Apesar que Chitão e Xororó nunca foram de fazer gesto muito heroicos de defesa da música sertaneja. Eles, e 90% dos sertanejos, sempre defenderam mais seus próprios interesses, do que o da música sertaneja. Sempre esperamos que os consagrados tomem a dianteira nessas questões, mas Leonardo, Daniel, Chitão e Xororó, Zezé e Luciano, nunca foram de grandes gestos em defesa da música sertaneja. Nem naquele ataque violento do Lulu Santos na década de 90 ouviu-se qualquer resposta a altura, e ainda no final das contas aceitaram as desculpas que o Lulu foi forçado a fazer por setores da mídia e da indústria fonográfica. Seria muito bom se Chitão e Xororó, ídolos NACIONAIS que são, tomassem uma dianteira de união dos verdadeiros artistas sertanejos. Quanto ao que diz esse Israel Novaes, eu não me importaria com nada do que ele faz, se ele tirasse o caipira da boca dele.

    • leandro: (responder)
      31 de janeiro de 2014 às 16:03

      Será que Chitãozinho e Xororó tem culhões para responder essa declaração? E o Sorocaba? Eu vi o Sorocaba junto com o Fernandinho no Datena, e lá eles convocaram o Datena para que defendesse as tradições às quais ele faz parte por ser de Ribeirão Preto… E aí Sorocaba, você sabe quem são os caipiras e de onde eles são, não é mesmo?

      • Phaell Cesar: (responder)
        31 de janeiro de 2014 às 16:37

        Cada coisa viu, esse cara aí não pode ser considerado Sertanejo nem a pau, ele disse que “Quem for no Carnaval Pra escutar a musica Raiz vai se decepcionar” , nosso eu me decepciono só de ver esses artistas fazendo sucesso, ele disse que “tem que ter musicas animadas, pra cima” o tipo de musica que ele faz é uma porcaria, sem conteúdo, o cara só sabe rebolar, esse cara não ta nem aí pro movimento sertanejo não, não só ele como outros que dizem fazer musicas animadas, procurem mais musicas do Teodoro & Sampaio, pra vocês verem o que é conteúdo, ótimos arranjos, boa melodias, ótimos temas, musicas animadas, engraçadas, com um duplo sentido bem elaborado, eu acho que quem carrega o nome do Sertanejo de verdade não participa dessas porcarias de festa Carnavalescas que pra mim é uma merda.
        Essa safra de pseudo cantores só usa o nome do gênero pra se popularizar, ganhar dinheiro fácil, por que sabe que o publico aceita qualquer porcaria, que é o tempo suficiente pra musica se decompor.

        • Corumbá: (responder)
          31 de janeiro de 2014 às 20:48

          Até concordo com o discurso do cantor(?), Sertanejo de RAÍZ não combina com o carnaval, assim como shows de Axé e Funk não tem nexo algum em eventos agropecuários e até mesmo nos rodeios. Aliás o cantor linkado em questão devia cantar Axé ou até mesmo Tecnobrega que é lá da terra dele, porque cantor SERTANEJO defitivamente você não é!

          • alaor: (responder)
            31 de janeiro de 2014 às 23:14

            Sabia que em Pernmabuco o Axé Musci já foi proibicow Pois é meu amigo, esse axé comercial estava infiltrando na cultura local e a descaracterizando o frevo e tradiçoes do estado. Jã na nossa música sertanejo fazem de tudo e nenhum tipo de reação por parte de sindicatos rurais, secretarias municipais e estaduais de cultura, se faz nada. Acho ridícula essa presença, mesmo que pequena, de axé music em festas agrícolas e rodeios. Principalmente em festas agrícolas que são festas de produção, festas de trabalhador rural, e o axé music é a música da alienação da vagabundagem. Olha só aqui alguns textos sobre a proibição de axé music em pernambuco>>> http://www.bahianoticias.com.br/holofote/noticia/11060-axe-music-perde-espaco-em-pernambuco.html
            e aqui http://www.terra.com.br/istoegente/81/reportagem/prefeita_frevo_quer_acabar_axe.htm

          • Phaell Cesar: (responder)
            31 de janeiro de 2014 às 23:23

            O grande problema é esse cantores que se dizem sertanejos participarem desse tipo de eventos, não é o tipo de festa adequado para o Sertanejo, mas a grande maioria está lá, por que ? pelo dinheiro, pra se popularizar.
            Eu curto vários cantores e duplas, mas tem uma que tem o meu maior respeito que é a dupla Chrystian & Ralf, tirando os Sertanejões, Chrystian & Ralf, são os únicos que não se vendem, não se trocam, falam o que tem que falar, segue a carreira sem se preocupar com moda, cantam por amor a musica, é a dupla mais digna de todas, sem duvidas, eles não precisam ficar aparecendo e querendo aparecer sempre conduziram a carreira do jeito certo, já tem o seu publico e nunca precisaram mais do que isso.
            Acho que hoje em dia falta isso, cantores que tenha o seu valor, e dignidade pelo que fazem.

  • LUCIANO SILVA: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 16:37

    Definitivamente não.
    Existem músicas que ficam personificadas com determinados artistas o que de alguma forma impede que outros possam gravá-las. Portanto, também não pedem versões ou parcerias. From this momento on é um belíssimo exemplo de música com versão definitiva. Nem mesmo a Shania Twain conseguiu gravá-la melhor que a versão original de estúdio. A versão com o Backstreet Boy em algumas partes não ficou legal. Em 1:17 da música até um dos parceiros do Grupo olha pro lado assustado. No entanto, o mesmo também dá uma escorregada em 2:31. Por pouco não estragaram o ápice da música em 3:00 minutos quando todos cantaram juntos.
    Quem quiser conferir e tirar as próprias conclusões:
    http://www.youtube.com/watch?v=S-bgq1kaEKI

    OUTRAS MÚSICAS COM VERSÕES DEFINITIVAS:
    The final countdown – Europe
    Dixieland delight – Alabama
    You Made it Right – Ozark Mountain Daredevils
    Speed of the sound of loneliness – Kim Carnes

    MÚSICAS QUE FICARAM BOAS EM PARCERIAS OU COM VERSÕES

    Fábio Jr e Bonnie Taylor – Sem Limites Pra Sonhar (Uma das melhores parcerias já feitas por artistas brasileiros).
    http://www.youtube.com/watch?v=Qw8_1uFCUFE

    Leandro e Leonardo – É por você que canto
    http://www.youtube.com/watch?v=C-Etoedmbyg

    Outros que tentaram pegar carona no sucesso “ From this moment on”:

    Guilherme e Santiago
    http://www.youtube.com/watch?v=1QGzRlWypiA

    Wanessa e Zezé di Camargo
    http://www.youtube.com/watch?v=s2ttrL_wdGo

    Cídia e Dan
    http://www.youtube.com/watch?v=q2TLKWs9xvk

    Pâmela e Willian Nascimento (Gospel)
    http://www.youtube.com/watch?v=2DzXoKHTBvg

  • De Lukka: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 17:02

    Isso foi uma montagem de tentativa de levar a idéia pra gravadora…que não deu certo.
    Além disso, fazer uma versão assim, por mais que sejam os mestre do sertanejo, fica ruim…
    Complicado fazer versão com uma música tão complexa de sílabas e divisões métricas.

  • Alexandre Vieira: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 18:45

    Não gostei.
    Eles estão bem afinados, mas parece uma mulher cantando. Zuado.

  • leon: (responder)
    31 de janeiro de 2014 às 19:14

    Será que algum dia vamos ver algum sertanejo brilhando com shows em rodeios americanos e canadense? Nossos peões já estão por lá e vencendo montarias muito bem. Só falta agora algum artista sertanejo para completar a festa. Qual artista sertanejo vocês acham que poderia representar bem a música sertaneja no circuito de rodeios americano e canadense?

    • Fabio Roque: (responder)
      1 de fevereiro de 2014 às 12:15

      Já pensei nisso seria top! Mas é difícil chutar um nome com essa capacidade.

      • Renan - SP: (responder)
        1 de fevereiro de 2014 às 13:46

        Leon, sabe por que isso não acontece?
        O pessoal que vai no rodeio lá, não quer ouvir música romântica, arrocha, axé, funk…
        Eles querem Country.
        E quem no Brasil está fazendo música Country atualmente?
        Antigamente até tinha mais, só que a maioria eram versões do Country norte americano.
        Nós não temos cantores e nem compositores Country, nossa raíz não é o samba ou o sertanejo de raíz em si, mas sim a música brejeira, enquanto o Country é uma das raízes norte americanas, é a música interiorana de lá, portanto, só terá artistas brasileiros lá, se usarem o bom e velho marketing, acompanhado por um caminhão de dinheiro.

  • Fabio Roque: (responder)
    1 de fevereiro de 2014 às 12:06

    Sou fã demais! Top!!!

  • cristiano: (responder)
    1 de fevereiro de 2014 às 13:29

    Vocês viram a série de protestos na bahia contra a invasão da “música internacional”? Será que é mais um daqueles recados que JA deram ao Cristiano Araujo com a frase “é da bahia”?! rsss Eles estão mordidos e querem por que querem o nosso mercado de música. Que eles primeiro tentem derrotar o FORRÓ no nordeste, pra depois virem exigir algum espaço aqui na nossa área. Digo e repito NOSSA ÁREA. Vamos tirar esse axé dos infernos das nossas festas. http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2014/02/01/claudia-leitte-faz-apelo-para-que-o-novo-axe-tenha-espaco-no-mundo-musical.htm

    • ruiz: (responder)
      1 de fevereiro de 2014 às 14:16

      Se dependesse da mídia carioca eles já teriam nos substituído assim como ela tem tentado fazer com o tecnobrega, o funk, o pagode… A verdade é que eles não vão conseguir sair de Salvador, quando saem é para festas bancadas por prefeituras. No nordeste o ritmo número 1 é o forró, e depois é o sertanejo. Se lá no nordeste que eles só tem a concorrencia do forró e do sertanejo, já não conseguem grandes coisa, quando descer para o sudeste e sul, além do sertanejo ainda vão ter que encontrar os sambistas e pagodeiros, o pessoal do POP/rock que é fortinho também, além dessa nova onda de funk. Acho melhor esse pessoal do axé ficar lá por salvador mesmo.

      • juninho: (responder)
        1 de fevereiro de 2014 às 15:11

        Na verdade a mídia carioca até tentou ajudá-los mas o tiro saiu pela culatra. Esse sertanejo de pegação, de onomatopeias, de dancinhas, foi o plano arquitetado pela indústria cultural, controlada do rio de janeiro pelas organizações globo da qual faz parte a gravadora ‘som livre’, para tentar penetrar no mercado sertanejo ritmos antes desinteressados pelo público. Eles achavam que esse axénejo, e funknejo, e outras menitirinhas, mudariam o hábito de consumo do público sertanejo, mas o que aconteceu foi que os sertanejos acabaram avançando sobre um público antes impensável para a música sertaneja. Queria saber se eles não perceberam ainda o estrago que eles provocaram para aqueles à quem pretendiam ajudar.

    • danilo: (responder)
      1 de fevereiro de 2014 às 14:44

      eles querem o nosso mercado. eles ainda fazem alguns shows na nossa área porque algumas festas totalmente sem noção não entendem de política cultural. Um cristão, e os rodeios e feiras são festas cristãs, jamais teria funk ostentação e axé music. Axé music é música de ateu. Eles podem até dizer que são evangélicos mas o que eles fazem é ateísmo. Axé é música de ateu.

    • leonardo: (responder)
      1 de fevereiro de 2014 às 16:03

      Eles comandam o mercado publicitário e nós o mercado de show. Agencias de publicidade de Salvador e do Rio de Janeiro que comandam quase 90% das campanhas publicitárias do país, muito por conta da Rede Globo que tem o poder de fazer e acontecer na área de propaganda. Mais de 90% da estética das campanhas da televisão é em prol desse eixo rio-salvador tanto na questão da trilha sonora quando na questão visual. E olha que o mercado consumidor de música sertaneja gira em torno de 160 milhões de pessoas. Eles ficam com as campanhas, por enquanto, e nós vamos ficar com os shows e festas que são muito mais importante ate o momento que consigamos impor nossa estética também nas campanhas publicitárias.

    • sebastião: (responder)
      1 de fevereiro de 2014 às 17:51

      Hahahaha… Estão todos contra a gente. Até nos acusar de mafiosos eles já nos acusaram. O Gilberto Barros da RedeTV vive mandando indiretas em nós, ele prega a união de todo mundo contra a gente. Ele prega a união de pagodeiros, axezeiors, funkeiros, roqueiros… todos contra os sertanejos. Marcão você já viu esse vídeo aqui? Logo, logo vão acusar o Marcão de mafioso porque o blog sertanejo dele só fala, vejam só, de sertanejo. kkk Ele é muito engraçado Marcão, você poderia até mesmo escrever algo sobre ele.>>> http://www.youtube.com/watch?v=M3Dsx1aP6ls

      • Renan - SP: (responder)
        1 de fevereiro de 2014 às 19:46

        Nesse vídeo aí, ninguém citou a banalizada nomenclatura “Sertanejo”, mas é lógico que o meio mais cheio de esquemas é o “universitário”.
        O cara vai pega um aluno da faculdade ou um meia boca num barzinho, e pronto, do dia pra noite o cara é “sucesso”.
        A Patricia falou tudo, só faltou dar “nome aos bois”, mas num país careta e ditador como o nosso, qualquer coisinha é processo, se vende a honra por dinheiro, ganho nos processos.

        • Phaell Cesar: (responder)
          1 de fevereiro de 2014 às 21:21

          Infelizmente o Mercado esta afetado pelo vírus do ego, os ruins estão por cima e os bons lá em baixo, não me conformo.
          A Patricia citou tudo sem medo nenhum, grande parte dos músicos que são de décadas passadas poderia tomar a virtude e falar tudo, por a boca no Trombone, hoje em dia o que mais se vê é artistas falsos, um elogiando o outro aí, como esse pensamento “Ah eu vou elogiar ele pra ele me elogiar também”, “Ah eu vou elogiar ele pro publico dele gostar de mim também”, um mundo de Hipocrisia, tem que falar a verdade, tem que se falar o que pensa, até os críticos musicais são falsos, pelo que eu sei que defende a boa musica, defende o bom senso, fala o que pensa, e na cara do artista é o “Regis Tadeu” o único.
          O Mercado hoje é podre pelo fator Panela, nunca dão espaço para os musicos desconhecidos, são sempre os mesmos, e tem artistas hipócritas que dizem que dão espaço pro compositor, fica postando email falsos , iludindo os compositores a enviar musicas pra eles, até parece que eles escutam, os cantores no seus devidos sites tem a aba “contato”, maior mentira de todos é só pra querer se mostrar,alguém tenta entrar em contato com artista aí nos sites, você nunca tem uma resposta, acessoria de imprensa fica fazendo o que ?
          Sabe a musica hoje perdeu o seu valor, os grandes cantores mesmo a gente nem sabe por onde andam, mas tão fazendo seus trabalhos dignamente, com amor pelo que fazem, se for depender dos Faustões da vida você nunca vai escutar musica boa, a tv também esta na panelinha, o grande Mestre Raul Seixas, previu o futuro, do que iria acontecer com a musica com o passar do tempo, infelizmente o Brasil, tá cheio de hipócritas se passando por pessoas dignas, mas que não tem um pingo de caráter, e fica por aí enganando as pessoas que não tem a informação do que acontece.

  • @ariomester: (responder)
    2 de fevereiro de 2014 às 10:47

    O mercado de festas do interior funciona mais ou menos da seguinte forma – normalmente: a prefeitura, cooperativa ou seja lá quem for que esteja organizando a festa contrata uma empresa de produção de eventos, por exemplo como o João Wellington, DM produções ou o Kadu Eventos aqui em MG (entre outros). Esta empresa muitas vezes oferece um pacote completo para o organizador. Por exemplo, por XX milhões de reais eles vão trazer shows de tais duplas, tais artistas, montar e manter uma arena de rodeio etc etc. Assim, a negociação de quem vai pra cada festa acaba ficando mais nas mãos dessas produtoras do que das próprias prefeituras, que terceirizam o trabalho.A empresa de produção entra em contato com o escritório do artistas e fecha o negócio, as datas, as condições do show etc etc.
    Claro que há exceções e há casos onde os organizadores exigem determinado show (p.exemplo, Luan Santana), ou ainda prefeituras e cooperativas (ou eventos como festas e rodeios) que têm seu próprio grupo ou departamento de produção dos shows e que fazem o trâmite com os escritórios dos artistas, arena de rodeio etc. Mas em geral os organizadores entram somente com o $$ e espaço para o evento, deixando o resto da produção terceirizada e a cargo das empresas de produção de eventos.
    Inclusive de uns tempos pra cá dizem que o Ministério Público ou algum órgão assim está investigando esse formato de negócio por fraude fiscal ou ainda desvio de recursos público, já que muitas vezes o organizador paga pelo cachê do artista, que chega no dia e cobra ingresso. Longa discussão…

    • Mineiro é sonso: (responder)
      2 de fevereiro de 2014 às 14:26

      Em Minas “exigem Luan Santana”? Mineiro é tudo sonso mesmo… kkkkkkkkkkk

    • LUCIANO SILVA: (responder)
      2 de fevereiro de 2014 às 20:34

      @ariomester , essas festas são verdadeiras lavanderias. Acontece de tudo, é empresário que contrata o próprio show, sublocação de shows, bilheterias mágicas, sorteio de prêmios, montagem e desmontagem de palcos e outras estruturas, custeio de shows indevidos, simulação de prejuízos a ser pagos pelos cofres públicos, entre outras mutretas feitas por Sindicatos Rurais, Prefeituras e Organizadores.

      A Receita Federal já está de olho nos superfaturamentos:
      http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2013/10/operacao-investiga-quadrilha-suspeita-de-fraudes-em-shows.html

      • @ariomester: (responder)
        2 de fevereiro de 2014 às 22:53

        Com certeza!

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.