14 mar 2011 | Reviews
REVIEW – Fernando & Sorocaba – Bola de Cristal – Ao Vivo

Acompanhar a gravação de um DVD é uma faca de dois gumes (ou “legumes”, como diriam os Mamonas Assassinas). O fato da visão crítica sobre o referido trabalho ficar mais apurada pode tanto ser um ponto extremamente positivo quanto negativo. Se na hora de escrever sobre o mesmo eu me deixar levar demais pelo senso crítico demasiadamente estimulado devido ao testemunho dos fatos, o texto pode acabar focando demais nos problemas da gravação e pouco no disco em si. Por conta disso, espero que compreendam as colocações feitas aqui.

O que se percebe na dupla Fernando & Sorocaba é uma sutil e gradativa subida de degrau por degrau na escala de importância/sucesso. Sem dúvida são uma das duplas que mais evoluiu na competência e qualidade dentre todas as que fazem parte da nova safra sertaneja. O show da dupla já é um dos mais elogiados e comentados do mercado. Ao contrário da imensa maioria dos artistas do segmento, eles se preocupam em fazer dos shows uma experiência significativa para o público, para fazer valer pelo menos o valor do ingresso pago. Não fazem um show que se limita a repetir os DVDs e CDs, ou seja, um show que a pessoa pode assistir em casa sem ter que passar pela dor de cabeça de se deslocar até um lugar lotado, ficar lá no fundão e ainda passar raiva no meio da galera.

Um exemplo disso é a preocupação com surpresas que não costumam ser vistas em outros shows. Costumam ser levantados e conduzidos pelo meio da galera através de um guindaste (ou sei lá como se chama aquilo) durante algumas músicas do show. Há alguns meses, inclusive, começaram a levar para alguns shows aquelas bolas loucas que a gente costuma ver nos shoppings e que a galera usa pra andar sobre a água. E ainda andam dentro dela por cima do público. Coisas como essas provam a preocupação da dupla em resgatar um elemento há tempos esquecido na música sertaneja: o diferencial de um show bem realizado e cativante. Porque hoje em dia, convenhamos, os shows não costumam passar de uma interpretação dos principais hits condensados em uma hora e meia ou duas horas de repertório. E não é um ou outro artista que faz isso. É praticamente 80% deles.

O DVD “Bola de Cristal – Ao Vivo” aparentemente demonstra a intenção de consolidar esses diferenciais da dupla Fernando & Sorocaba, com algumas manobras que, aliás, podem até ser encaradas como arriscadas mas que são de fato necessárias quando a intenção de um artista é chegar ao topo na escala de prestígio e respeito. A começar pelo repertório, que evidentemente está bem diferente do que nos acostumamos a ver nos discos da dupla. Duas das principais canções do disco, “Teus Segredos” e a canção título “Bola de Cristal”, são músicas que eu pelo menos não imagino ouvir nas vozes de artistas menores em shows em boates ou festas pequenas. Canções já imaginadas para levarem a dupla a um outro patamar só por serem totalmente diferentes do que existe no mercado atual.

Essa é a primeira jogada arriscada deste DVD. Mas sem dúvida é uma jogada necessária. Chega uma hora em que um artista sertanejo precisa decidir se quer continuar no mesmo nível ou se quer subir e se consolidar de vez. Um repertório mais particular, cujas músicas não podem ser facilmente inseridas no repertório de outros, é um dos primeiros elementos a serem estudados. Se Fernando & Sorocaba quisessem, poderiam apenas continuar na mesma linha com músicas que seguissem o mesmo esquema do “bordão” ou “expressão popular”, com letras que geralmente fazem uma homenagem aos homens que realmente se julgam muito fodões, hehe, como “Paga Pau” ou “A Casa Caiu”. Mas provavelmente, na cola do grande sucesso da música “Madri”, eles talvez tenham percebido que o público estava, sim, ansioso por algo novo. Por isso esse risco. Necessário, mas calculado.

O segundo risco, normal para uma dupla de renome em busca da definitiva consolidação, é o porte do DVD. Fernando & Sorocaba já têm no curriculum 2 DVDs de médio porte e um de pequeno porte. Chega um momento que ou se faz um DVD de porte médio e se mantém no mesmo patamar, sem aventuras, ou se arrisca logo para ver no que vai dar com um DVD de grande porte. O que define o porte do DVD não é a quantidade de pessoas presentes, mas a estrutura montada para o show. No total, havia cerca de 20 mil pessoas no local da gravação. E a estrutura de palco montada foi a maior possível. Infelizmente, como eu disse, correm-se riscos que às vezes se transformam em problemas graves. Os dois telões laterais (um à esquerda e um à direita) não funcionaram no momento da gravação, mesmo tendo sido exaustivamente testados anteriormente. Isso acabou não permitindo que o palco fosse visualizado em toda a sua plenitude. Lógico que o trabalho de edição teria que dar conta disso depois, maquiando ao máximo esse problema. Aliás, a tentativa de resolução do problema com os telões atrasou bastante o início da gravação.

O terceiro risco é a escolha das participações. No caso do DVD “Bola de Cristal”, a dupla Fernando & Sorocaba aproveitou o prestígio que já tem e só chamou uma participação teoricamente de peso (Edson), deixando espaço para a divulgação de artistas apoiados por eles. Uma destas participações é a da dupla Henrique & Diego, participação esta que se mostrou muito proveitosa por se tratar de uma dupla à beira do estouro e a canção ser muito boa. Já a Thaeme participou do DVD cantando a ótima música “6 de janeiro de 2003” em parceria com o Fernando, mas agora, logo depois do lançamento do DVD, ela já não é mais cantora solo, o que tornou sua participação no DVD inclusive perigosa para a divulgação de sua nova dupla, “Thaeme & Tiago”.

Analisados e superados os riscos na medida do possível, parte-se para as idéias muito boas que não tinham como dar errado. Deixar a banda mais solta, com captadores sem fio, e ampliar o leque de opções instrumentais com novidades minuciosamente colocadas em canções nas quais normalmente não entrariam (o banjo na música “Teus segredos” é genial) sem dúvida são idéias que saltam aos olhos. As câmeras colocadas em lugares inusitados também. Incríveis as imagens extraídas da câmera colocada logo abaixo do palco maior, visualizando apenas os pés dos artistas se deslocando rumo ao público no palco menor. A equipe Ivan Miyazato / Fernando Catatau, aliás, tem trabalhado com uma qualidade gritante de vídeo. Sério. A cada DVD produzido por eles o vídeo parece estar ainda melhor que no anterior.

Fora que a edição do disco, além de ter maquiado os problemas ocorridos na gravação, foi feita de forma inédita na música sertaneja. Nada de créditos apenas no fim do disco. Os créditos são inseridos aos poucos como apresentação do disco, logo no início do show, lembrando até as grandes produções cinematográficas, com os nomes dos atores e da equipe técnica nos créditos iniciais. Tudo isso sem prejuízo dos créditos finais, colocados durante as imagens da dupla jogando os instrumentos utilizados na gravação para o público presente (que raiva que não peguei nenhum, hehe).

A dupla em si se mostra cada vez mais competente e madura. O Fernando se firma como intrumentista e segundeiro de ótima qualidade e o Sorocaba baixou a guarda até com relação às composições. 4 canções do disco trazem a assinatura de outros compositores, 3 delas em parceria com ele: duas em parceria com o Marco Aurélio e uma com o Edson. “Vê se pára com essa marra” é talvez uma das primeiras músicas que a dupla gravou que não é composição do Sorocaba (o compositor é Rangel Castro). O Sorocaba só tem que se preocupar menos com o microfone auricular. Esse tipo de equipamento é notoriamente incômodo, mas tal característica não pode ficar evidenciada durante a apresentação, com o artista o tempo todo ajustando a posição do mesmo.

O “Bola de Cristal” cumpre, sim, a função a que se propôs, qual seja a de elevar a dupla Fernando & Sorocaba a um novo patamar. Não é uma continuação simples do trabalho anterior, mas sim uma subida para o andar de cima. Mais uma vez o caráter visionário do Sorocaba é evidenciado e resta aguardar para saber se vai continuar se provando infalível em suas ousadias. Sempre que o cara veio com idéias mirabolantes e loucas, ele foi feliz. E pelo andar da carruagem, essa “sorte” ou seja lá qual for o nome disso ainda vai perdurar por muito tempo.

Nota: 9,0

18 comentários

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.