19 jul 2012 | Notícias,Reviews
REVIEW – Guilherme & Santiago – Até o fim

Mais um review que demorou bastante pra sair aqui no Blognejo. O mais recente DVD da dupla Guilherme & Santiago, intitulado “Até o Fim”, gravado em Goiânia em agosto do ano passado e lançado no início deste ano, com produção do Maestro Pinnochio, é o primeiro oficial da dupla desde que eles passaram a integrar o casting da Audiomix. Mas a mudança de escritório não chegou a significar uma mudança na linha musical. O último DVD, “Tudo tem um porquê”, responsável por levantar a dupla depois de um tempo meio apagada, tinha diversos elementos que até então eles nunca tinham usado e que agora, no “Até o Fim”, eles repetiram. Mas na velocidade com que as coisas acontecem atualmente no mercado sertanejo, limitar-se a repetir uma fórmula que deu certo há quase dois anos talvez não tenha sido a melhor das decisões.

O disco é basicamente uma repetição do disco anterior, com canções praticamente iguais. Mas se há quase dois anos o público ajudou a consagrar uma canção como “E Daí”, hoje a coisa mudou completamente de figura e as músicas que têm caído no gosto popular são bem diferentes. Talvez cientes dessa mudança recente, a dupla Guilherme & Santiago procurou trabalhar neste novo disco as canções que mais se encaixavam no novo momento da música sertaneja.

“Triste e Alegre” e “Bolo Doido”, as músicas trabalhadas pela dupla mais recentemente, são, de fato, condizentes com o mercado atual. O problema é o fato de elas definitivamente não serem condizentes com a linha de trabalho da dupla desde o começo da carreira. Até antes do disco “Tudo tem um porquê”, o forte era o lado romântico, com eventuais e às vezes bem sucedidas aventuras no ramo das canções agitadas. No DVD, então, com a ajuda da boa mão para canções neste gênero do Maestro Pinnochio, a dupla assumiu uma postura mista, com um lado romântico de balada evidenciado na canção título do disco e um lado agitado consagrado com “E Daí”.

No mais recente DVD a postura mista foi mantida, mas o lado agitado foi ainda mais evidenciado. E as duas canções de maior destaque até agora, citadas acima, comprovam isso. O problema, como eu disse, é enxergar a dupla Guilherme & Santiago em músicas da modinha. É estranho pensar em uma música com um verso tão simplório e bobinho como “triste, alegre, sem beber eu fico triste, bebendo eu fico alegre” para uma dupla com tanta estrada e tanto histórico em canções profundas como Guilherme & Santiago. Pior ainda é imaginá-los passando o fim de semana num “bolo doido, direto na balada e indo dormir no domingo de madrugada pra acordar cedo na segunda porque têm prova pra fazer”. Prova é coisa de universitário, e o maior pecado da dupla Guilherme & Santiago é tentar se passar por universitária. Eles são, no mínimo, professores de toda essa nova geração que aí está.

Se as músicas trabalhadas até agora são as que mais condizem com a atual realidade, poucas são as outras canções do disco que talvez possam fazer um barulho tão grande quanto “E Daí” fez no disco anterior. Entre as melhores estão “Vou até o fim”, gravada com a participação da dupla Jorge & Mateus, “Fora da estação”, “O Valentão”, “Me empresta um beijo”, “Nosso amor acabou”, que contou com a participação de Humberto & Ronaldo, “Eu vou” e “A Força do Amor”. Não por acaso, essas canções são as que mais remetem ao disco anterior e a um lado da dupla Guilherme & Santiago mais preocupado com a qualidade das letras e harmonias. As outras canções são tentativas de mostrar a dupla como uma dupla de modinha, tentando seguir o que aparentemente o que o mercado quer. Mas quem sabe o que o mercado quer hoje em dia, né?

O disco traz ainda a mesma velha mania da dupla de gravar canções que já foram ou estavam sendo exaustivamente trabalhadas por outros artistas. Várias canções do disco fazem parte do repertório de outras pessoas, que nem sempre ficam felizes com esse tipo de atitude, claro. Mas se antes essas atitudes causavam maiores preocupações, como quando Guilherme & Santiago gravaram “Pega Fogo o Cabaré, que era a música que estava trazendo a dupla João Neto & Frederico para o mercado, e depois tiveram que resolver tudo através de um acordo com a dupla revertido em doações para instituições de caridade, hoje em dia já não causam tantos problemas. Afinal de contas, virou uma atitude normal no mercado. Condenável, mas normal. Agir ou não dessa forma deve ser uma decisão que parte do próprio artista e da sua subjetiva noção de ética.

Outro aspecto deste disco que deve ser salientado é a finalização, a masterização. Em uma comparação rápida com os trabalhos de outros artistas, parece que falta peso, pressão nas canções do DVD, o que poderia ser facilmente conseguido com uma master mais cuidadosa. Sobre o cenário, a entrada das participações através de uma estrutura circular com LEDs no centro do palco causou uma impressão bacana. Mas juntanto tudo, desde repertório até a linha de produção, arranjos e cenário (de uma forma geral), a impressão final que se tem é que este é um trabalho demasiadamente normal. E para uma dupla do calibre de Guilherme & Santiago, “normal” não deveria ser suficiente.

Nota: 7,5

20 comentários
  • Teco: (responder)
    19 de julho de 2012 às 14:59

    Falou quase tudo, mas quem te conhece antes do blognejo ” profissional ” entendeu o que quis dizer.

    G&S se toquem pô … que DVD mais fulerinho e ainda nem uma master que presta….

    • Marcus Vinícius: (responder)
      19 de julho de 2012 às 15:02

      boiei agora. Eu peguei leve por estar sendo mais profissional ou peguei pesado por estar sendo mais profissional? hehehe

      • Teco: (responder)
        19 de julho de 2012 às 16:32

        Tentou pegar pesado mas sem soltar todo o peso nas costas do carregador !!!

      • Teco: (responder)
        19 de julho de 2012 às 16:32

        tentou pegar pesado mas sem soltar todo o peso nas costas do pobre carregador!

        • leandro: (responder)
          19 de julho de 2012 às 21:55

          vamo fala a verdade ..esse dvd ficou uma bosta!!!no maximo umas 3 boas…kd o g e s romantico pelo amor de deus???

  • Samael Pereira: (responder)
    19 de julho de 2012 às 16:14

    tenho q concordar q realmente nao é um dvd top, principalmente pela falta de “acabamento” na masterização que é perceptível.
    Quanto ao fato de guilherme e santiago tentarem jogar no lado universitário, pelo menos a mim, nao causa mta estranheza, talvez pelo fato de não ter tido oportunidade de acompanhar a carreira deles de tempos atras, apesar de conhecer as musicas. Qr dizer, não sei exatamente pq, mas acho q eles conseguem passar uma imagem de mais “jovens” do que eles realmente são.
    O problema é a qualidade dessas músicas, mas aí é questão de gosto mesmo, por exemplo, Bolo Doido é uma música que me diverte bastante, ao contrario de Triste e Alegre que é um oé no saco.
    Só queria ressaltar um música desse trabalho, do lado romântico (além dessas q o marcão citou), q é realmente boa mas pode passar despercebida, chamada “Não Vivo Sem Você”.

    abraço!

  • Teco: (responder)
    19 de julho de 2012 às 16:34

    Até Bruno e marrone tentaram virar universitários no DVD de volta aos bares, graças a Deus não conseguiram e o DVD ficou top, mas isso não quer dizer nada universitário não existe.

    Bruno e marrone tem dessas, naõ quiseram gravar o tal do bara berê com o cristiano araújo ? o GeS fez igual quer ir a favor do vento pra ver se vai mais longe, mau sabem eles que não precisam.

    • Fernando: (responder)
      22 de julho de 2012 às 11:47

      mas foram bruno e marrone os pioneiros do sertanejo universitario… começaram em 1995 se não me engano, mas despontaram para o Brasil inteiro em 2000 com um cd pirata acustico numa radio.

  • Luiz Fernando: (responder)
    19 de julho de 2012 às 16:51

    É uma pena mesmo duplas de peso se deixar vencer pelas modinhas…estava observando…Ze Henrique e Gabriel, que são fodas pra carai, andam lançando uns trem tbm q não tem haver com a essencia deles. Mas é aquele negócio o mercado força eles a fazerem isso. É complicado!

    • Allan Jhones: (responder)
      20 de julho de 2012 às 20:46

      pensei que ninguem ia falar dessa loucura do zé henrique …
      concordo contigo

    • Allan Jhones: (responder)
      20 de julho de 2012 às 21:03

      pensei que eu ia ser o unico a notar essa loucura deles…
      concordo contigo …

  • JaQuIsSoN: (responder)
    19 de julho de 2012 às 17:23

    Assino em baixo,
    Guilherme e Santiago,
    sao melhores que isso!

  • Rafael sertanejo: (responder)
    19 de julho de 2012 às 20:01

    Ah como eu sinto falta do GeS de antigamente, mas graças a Deus eu consigo escultar os discos anteriores, o 2 DVD da carrera deles perfeito. Quantos ao post do marcão perfeito na analise.

  • leandro: (responder)
    19 de julho de 2012 às 21:50

    o dvd com repertorio mais fraquinho de todos os tempos…so salva umas duas ou tres modas no maximo,aquela com jorge e mateus ,a com o humberto e ronaldo tbm mais ou menos …o resto so pra enxer linguiça…pra mim depois qui resolveram entrar na onda de modismo pra mim acabou …i olha qui eu era fã deles viu…aquele dvd em goiania monstro!!!por falar nisso marcao vc esqueceu qui teve um dvd no trio eletrico antes desse ultimo!!
    abraço!

  • Paulo Ricardo: (responder)
    19 de julho de 2012 às 22:39

    Fico abismado com alguns textos que leio aqui, pois são exatamente o que eu penso. Quando ouvi este CD do G e S, com duas regravações de Jeann e Júlio, regravações de Gusttavo Lima, Amannda, Banda Sanmarino(grupo gaúcho responsável por “A Força do Amor”), disse para minha esposa muitas coisas que o Marcão disse no texto, e que nós, amantes da música sertaneja sentimos falta. Músicas como “Hábito”, “Som e Imagem”, “E Pra Sempre Te Amar”, “Quem Ama Uma Vez Não Deixa de Amar”, entre muitas outras, que consagraram Guilherme e Santiago, meus ídolos, e de um estilo que eu tenho medo de não ver mais eles gravando, o romântico.

  • Fabio Roque: (responder)
    20 de julho de 2012 às 13:54

    Gostei do review mesmo sem ainda ter assistido ao DVD que está há uns 3 meses na minha gaveta por falta de tempo.
    Só não consegui entender a colocação de que os caras não tem a haver com a letra do bolo doido.
    Acho que o artista pode a cantar a história que quiser, independente de seu conteúdo.A música tem a haver com o atual mercado e prova disso é que essa talvez tenha sido a mais bem sucedida música do álbum.
    Porém concordo que é muito pobrezinha essa tal de “Triste Alegre” pra uma dupla que já gravou pedradas como “Hábito”

  • Luiz Fernando: (responder)
    20 de julho de 2012 às 15:49

    Ta muito bom o disco.

  • Tiago Costa: (responder)
    20 de julho de 2012 às 17:42

    Não curti esse DVD, tanto nas musicas, quanto o trabalho visual.. enfim!

  • Elaine: (responder)
    22 de julho de 2012 às 15:37

    Oi Marcus

    Oi pessoal

    Eu também fiquei encucada esses dias com um clipe que vi do Zé Henrique e Gabriel. Não sei se foi aqui ou em outro site. Não tem nada a ver com a carreira deles. Foi estranho, eu não quero julgar, cada um tem seus motivos, mas eu tenho esperança que voltem a repensar, renovando sem esquecer a essência.

    É o que vem acontecendo com Guilherme e Santiago faz um tempo. Sempre espero que o próximo trabalho será o retorno ao romântico com aquela voz macia, forte, marcante do Guilherme!

    São lindas duplas!!Carreira que acompanho há anos!

    Vamos pensar que é apenas uma turbulência passageira e logo as coisas se encaixam. Como disse o Jorge em uma entrevista, mais ou menos assim: “a gente nota a receptividade do público quando vem uma romântica, bem interpretada, é só esperar um pouco que passa.”

    Eu gosto de muitos da nova geração.

    Um abraço com cheiro de sertão!
    Elaine

  • carlos cesar: (responder)
    23 de julho de 2012 às 00:42

    Eu senti que esse dvd definitivamente não é o melhor da carreira da dupla Guilherme e santiago, parece mais um dvd feito as pressas e nada profissional quanto em relação a zincagen do som

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.