26 dez 2013 | Reviews
REVIEW – Paula Fernandes – Multishow Ao Vivo – Um Ser Amor

Paula Fernandes já é uma artista de gênero bem definido. Seu trabalho sempre teve uma originalidade muito evidente, tanto por conta do estilo concebido por ela própria e sua equipe quanto pelo repertório quase sempre completamente autoral. Esse ano ela cogitou gravar músicas de outros compositores, chegou a fazer campanha nas redes sociais pedindo que eles enviassem canções, mas aparentemente ninguém foi contemplado. O que eu não considero negativo, já que boa parte de sua sonoridade se deve justamente ao fato de ela priorizar as próprias composições em seu repertório. E convenhamos que ela compõe absurdamente, né?

Seu novo DVD continua praticamente de onde o DVD anterior tinha parado, com direito a um CD entre os dois, todos com a mesma fórmula básica. Uma canção composta em parceria com o Zezé, uma guarânia, uma música em voz e violão, uma com tema rural, um pout pourrie de vaneiras, etc. Desta vez, no entanto, as coisas ganharam proporções maiores, já que antes ela era uma cantora em busca de reconhecimento e hoje ela é uma estrela reconhecida que só precisa continuar consolidando o reconhecimento conquistado sem deixar a peteca cair.

O cenário do primeiro DVD, com uma árvore cenográfica e cenas que se modificavam no LED ao fundo de acordo com cada música, evoluiu para um cenário bucólico bem mais amplo, com direito a um lago cenográfico e uma canoa, fora as cenas muito melhor elaboradas no painel de LED, além das diversas plantas espalhadas pelo cenário. Sem contar os elementos cenográficos inseridos em algumas canções, como o banquinho de praça, o cavalo (que deixou sua marca no dia, claro, cena esta que infelizmente ficou de fora do disco, hehe), e outros.

A escolha pelo Rio de Janeiro como palco dessa gravação, quem diria, se mostrou um grande acerto. Talvez a proximidade da Paula com a Rede Globo, sem dúvida uma das suas maiores incentivadoras desde o começo, tenha facilitado sua aproximação com o público carioca. O público interagiu muito durante as canções conhecidas. Nas canções inéditas, entretanto, a interação foi mais sutil, o que é normal para canções ainda desconhecidas. Mas pelos celulares sempre ligados e filmando tudo, dá pra perceber o grande interesse do público por ela. Quem diria que veríamos isso na cidade menos sertaneja do Brasil.

O respeito conquistado pela Paula no circuito sertanejo rendeu duas participações de peso neste DVD: Zezé di Camargo & Luciano (o Zezé é um dos seus pouquíssimos parceiros habituais de composição) e Roberta Miranda. A participação de Zezé & Luciano remete a um vídeo da infância da Paula cantando “Coração na Contra-mão”. E foi esta a música escolhida para a participação da dupla. E a da Roberta não poderia ser mais providencial. Sempre considerei a Paula Fernandes a Roberta Miranda contemporânea. Um incrível talento na voz e na caneta. Uma foi a grande rainha do sertanejo há 20 anos. A outra é a rainha do sertanejo contemporâneo. A Paula cantando com a Roberta uma das principais músicas da carreira desta soou como o começo de uma passagem de bastão, que pode ser completada com as duas cantando juntas uma música da Paula. Quem sabe não vejamos isso um dia.

Um dos poucos aspectos controversos do disco, entretanto, continua sendo a grande preocupação da Paula com o apelo visual. Ela já é linda por natureza. Não vejo, portanto, necessidade de chamar ainda mais a atenção para a sua beleza através de roupas cada vez mais curtas. As músicas que ela cantou com vestidos longos a partir da cena do cavalo, inclusive, tiveram um efeito até melhor sem precisar chamar tanta atenção para a sua “formosura”, já que a apresentaram de forma angelical, o que tem muito mais a ver com seu trabalho, afinal de contas as suas canções não tem qualquer apelo sensual.

Talvez essa preocupação exagerada com o aspecto visual seja resquício da sua influência country, que mais uma vez a Paula Fernandes escancarou neste DVD. É sabido que nos EUA as cantoras são meio que compelidas a se valerem da beleza para se manterem no mercado ou para conquistarem espaço, o que atinge inclusive o gênero country. E o fato é que a Paula é uma cantora country nascida no Brasil. Os trajes, o jeito de cantar, a presença de palco, tudo isso remete ao country. E o DVD traz ainda um pout pourri de canções do gênero, cantadas em inglês, e a participação da Taylor Swift através do telão na canção “Long Live”. Então é até compreensível que as preocupações da Paula Fernandes sejam as mesmas das cantoras country americanas, mesmo o Brasil sendo um mercado completamente diferente. Em tempo, recentemente começou a circular uma foto da Paula com a Shania Twain, sua principal influência no gênero country, o que parece significar uma grande parceria a caminho.

O trabalho da Paula continua sendo de altíssimo nível, original e criativo. O seu repertório, mais voltado a canções lentas, sempre levanta preocupações no mercado quanto à qualidade do seu show, preocupação esta que eu sempre achei um tanto quanto exagerada. Afinal de contas nem só do circuito de festas vive a música sertaneja. Onde é que ficam os shows corporativos, os teatros, os festivais alternativos? Esses tipos de evento têm tudo a ver com a Paula Fernandes. É claro que o show da Paula é para um público mais selecionado, coisa que não considero um problema, ao contrário de uma considerável parcela de profissionais do meio. Para quem gosta de ouvir uma boa música, cantada por uma bela voz de uma mulher que além de tudo é linda, o trabalho da Paula continua sendo um dos mais interessantes do mercado. É só saber exatamente qual seu público alvo.

Nota: 9,5

16 comentários
  • Alan: (responder)
    26 de dezembro de 2013 às 23:38

    Gostei desse dvd, vi quando exibiram no canal multishow. Um dos mais belos (em todos os sentidos) do ano, e não sou fã dela, mas ela sempre foi excelente compositora e cantora, e esse dvd foi feito com a cara dela, não foi algo “genérico”, que a gente vê por aí, tudo igual. O dueto com a Roberta Miranda foi fodástico. O que me chamou atenção, foi mais uma vez um fiasco vocal do Zezé, que mesmo que venham com aquele papo “a voz dele mudou”, mas agora está beirando o rouco.

  • Renan - SP: (responder)
    27 de dezembro de 2013 às 00:18

    Concordo com o texto do Marcão, só vou discordar da nota.
    Já disse aqui, que a Paula Fernandes que me agrada é a do albúm “Pássaro de Fogo”, esse do Multishow ficou muito parecido com aquele outro ao vivo dela que teria vendido 1 milhão.
    Músicas que eu gostei:
    “UM SER AMOR”:
    Música romantica que ficou boa na voz dela.
    “MISTÉRIOS DO TEMPO”:
    Gostei da presença do bandolim.
    “SEM VOCÊ/AMANHECEU PEGUEI A VIOLA/SORRISO MUDO”:
    Foi a parte diferente do show, boas músicas.
    “MINEIRINHA FERVEU/NÓIS ENVERGA MAIS NÃO QUEBRA/DEBAIXO DO CACHO”:
    A parte mais animada do show, mostrando que ela se sai bem também nesse tipo de música.
    “UMA CANÇÃO PRA MIM”:
    Essa foi a que eu mais gostei, excelente letra.
    O restante foi de razoável pra ruim.
    Nota: 5,5

    • camilo: (responder)
      27 de dezembro de 2013 às 05:18

      A música “Uma canção pra mim” também foi a que eu mais gostei. Acho que a Paula devia trabalhá-la nas rádios. Do primeiro DVD ela trabalho a música “Pra você”, que foi sucesso, óbvio, mas a melhor música daquele DVD era “Sensações”. No próximo Cd ela trabalhou “Eu sem você” enquanto a música obviamente mais linda do disco era “Cuidar mais de mim”. Espero que ela comece trabalhar logo a “UMA CANÇÃO PRA MIM”, até porque lá pelo meio do ano a Shania Twain já deve estar liberando a música que gravou com a Paula, e a Paula vai ter que trabalhar muito essa parceria nas rádios, ter que promover de todas as formas essa música e essa parceria. A Paula vai ter que fazer essa música ser a mais tocada do ano e quem sabe da década. Digo isso porque a Paula trabalhou muito mal as parcerias internacionais dela, que não ficaram nem entre as 20 mais tocadas do ano, quando ela gravou com o Michel Bolton, e com o Juanes. Agora com a Shania ela vai ter que se esforçar muito pra botar para rodar essa música para colar a imagem dela á da Shania. Por esse motivo eu se fosse ela já começaria 2014 trabalhando “uma canção pra mim”. E vc foi muito ruim de nota pra Paula, ela merece no mínio um 10. Abraços

    • Phaell Cesar: (responder)
      27 de dezembro de 2013 às 10:25

      Caraca to pesquisando aqui a certificação de vendas dela, me surpreendi, sem duvidas ela tem o maior numero de vendagens desses ultimos anos, até o EP dela vendeu muito.

  • camilo: (responder)
    27 de dezembro de 2013 às 03:50

    A diferença da Paula para todos os outros artistas é que ela sabe muito bem o que ela quer, não vai na modinha de forma alguma, se conhece bem, conhece o público dela e é pra ele que ela se dirige. Ela definitivamente faz música para o público sertanejo. Graças à Deus temos uma artista como ela na música sertaneja. Só queria chamar atenção para uma canção que poucos reconhecem pela grandeza: Jeito de Mato. Pra mim quando ouço ‘Garota de Ipanema’ não tem como não lembrar de ‘Jeito de Mato’ por ser sua canção oposta. Enquanto numa canção dois bhoemios descompromissados e alienados observam uma garota fugaz da alta sociedade carioca curtindo sua vida fácil de playgirl, a outra mostra um observador contando sobre uma garota do sertão, com suas dificuldades, com seus obstáculos, correndo atras de um sonho, num país injusto com os de poucas posses. Pra mim “jeito de Mato” é mil vezes mais a cara do Brasil e das garotas do Brasil do que ‘Garota de Ipanema’. Cabe à nós promovermos esse debate. Pra mim ‘Jeito de Mato’ é uma das mais importantes canções do cancioneiro popular brasileiro e está anos-luz à frente de ‘Garota de Ipanema’. A Paula Fernandes precisa promover melhor essa música, ela precisa se internacionalizar, dar um jeito de mandá-la para fora do país, gravá-la em espanhol ou inglês, e tentar colocá-la em alguma novela mexicana ou um filme em holliwood. A gravadora e a própria Paula deviam dar um jeito de projetar internacionalmente a música “Jeito de Mato”, ela é gigantesca.

    • camilo: (responder)
      27 de dezembro de 2013 às 03:59

      Só completando, uma idéia para a Paula Fernandes, ela deveria oferecer a música “Jeito de Mato” pra que a Shania Twain grave. Sei que seria uma tremenda ousadia da parte dela oferecer uma canção para que a canadense gravasse, mas se eu fosse ela cometeria essa ousadia. A música tem tão á ver com a Paula Fernandes quanto com a Shania Twain que possuem uma história de vida muito parecidas. Vai Paulinha, faça a tradução para o inglês, se é que você já não a tenha traduzido, e envie para a Shania Twain, vai que ela grava a música. Se brincar você pode até ganhar Grammy Awards com essa música, ela é absurdamente gigantesca. Valorize e invista mais nessa canção.

  • luciano: (responder)
    27 de dezembro de 2013 às 07:39

    Quanto mais a música “sertaneja universitária” se rebaixa, mais se valorizam artistas como a Paula, o Luan, Victor & Leo, Cesar Menotti & Fabiano e Jorge & Mateus. Acho que para se diferenciar ainda mais dessa nhaca toda que está aí no mercado, deveriam se libertar desse rótulo “universitário”, pois ele já virou sinônimo de música ruim.

    • Artur: (responder)
      27 de dezembro de 2013 às 08:10

      Luan?? Apelou né jovem.

    • LUCIANO SILVA: (responder)
      27 de dezembro de 2013 às 11:09

      CHARA, seu comentário foi excelente. Realmente a denominação “universitário” se tornou pejorativa. Virou sinônimo para descrever bebidas e pornografia musical. Com toda certeza, qualquer artista sertanejo que se livrar desse rótulo só terá a ganhar.

  • Fábio Roque: (responder)
    27 de dezembro de 2013 às 09:54

    Ué! A julgar pelo texto, achei que vc iria meter um 10 na nota!!!

  • Vava: (responder)
    27 de dezembro de 2013 às 15:07

    Esse dvd é histórico. É o primeiro com o selo Multishow no meio sertanejo. Sinal que o canal está se abrindo cada vez mais ao eatilo. Se fosse Jorge e Mateus ou Luan Santana ou produzido pelo Dudu Borges o Marcao teria dado 10. Mas além de historico ele é lindo tanto musicalmente quanto visualmente. É 10 com certeza.

  • Reinaldo: (responder)
    27 de dezembro de 2013 às 18:10

    DVD muito bonito de se ver, as músicas inéditas como sempre top, e a Paula compõe demais!
    Só não o elegeria como melhor álbum do ano por ter uma grande concorrência com outros discos inteiramente inéditos. Foi um ano que de Novembro para cá eu me surpreendi com muitos álbuns.
    E para terminar não sei como algumas pessoas conseguem achar que o show dela é só visual, meu olha que voz incrível!

    • Marcus Vinícius: (responder)
      27 de dezembro de 2013 às 18:34

      também me impressionei com a qualidade dos últimos lançamentos.

  • Reinaldo: (responder)
    27 de dezembro de 2013 às 18:11

    Achei bem bacana a colocação da Camila com relação à música Jeito de mato.

  • robertinho: (responder)
    29 de dezembro de 2013 às 11:33

    Realmente é um grande trabalho. Pra mim o melhor e mais original já feito na música sertaneja. Só comparável ao “sinfônico” do Chitão e Xororó. Só é uma pena, realmente, a Paula Fernandes sempre errar a música de trabalho. Essa música “não fui eu” é bem ruinzinha. Ela tem duas música realmente boas em termos de letra e melodia que são “Uma canção pra mim” e “mistérios do tempo” essa última de lindíssimo arranjo. Essas duas música é que tinham que estar sendo trabalhadas e irem para a novelas. Mas não é a primeira vez que ela erra a música de trabalho como o amigo ai em cima já disse. Ela sempre erra a música. Acho que na verdade é um erro de estratégia, acho que ela pensa que as música boas do disco vão deslanchar facilmente e decide investir em uma que não é tão boa, para ter um repertório maior de músicas conhecidas. Eu discordo muito dessa visão, pra mim o artista tem que investir todos os recursos, tempo e energia naquilo que tem de melhor. Como bem disse o amigo, duas música que eram pra ter se impregnado na pele dos brasileiros foram as lindíssimas “sensações” e “cuidar mais de mim” que acabaram enfraquecidas porque a artista deu preferencia à duas canções fraquíssimas que foram “Pra você” e “eu sem você”. A primeira ela ainda conseguiu emplacar por conta de muita insistencia, e por ser novidade naquele momento, e quando uma novidade surge ela consegue convencer mais facilmente o público das coisas, mas a segunda não pegou o público, ninguém se entusiasmou. Agora vai errando de novo com essa “Não fui eu”, música ruim, mas ruim, mas ruim, mas ruim demais, que me parece que até em novela ela vai colocar. Mais um desperdício de oportunidade de emplacar uma música realmente boa nas paradas de sucesso. Paula Fernandes sempre errando na escolha das músicas de trabalho, sempre e sempre ela erra.

    • Luciana: (responder)
      29 de dezembro de 2013 às 15:37

      Você citou uma coisa interessante que é justamente a escolha da música de trabalho, porque depois que a Paula estourou nacionalmente com o CD Pássaro de Fogo, eu sempre fiquei com esta impressão: de que as músicas de trabalho foram mal escolhidas. Quem assistiu o making off do primeiro DVD sabe que a música sensações nem entraria no repertório, que minutos antes de um dos ensaios, a Paula estava a cantarolando no estúdio e que, se não me falha a memória, o Maluly a ouviu e disse que ela deveria entrar no disco, porque a música era linda. E eu particularmente concordo que as músicas “Mistérios do Tempo” e “Uma canção pra mim” estão sendo desmerecidamente deixadas em segundo plano. Duas letras muito boas com arranjos grandiosos de instrumentos como bandolin (muito esquecido ultimamente)e violino, fora a marcação do baixo em Mistérios do tempo, que foi o que mais me chamou atenção. Outra coisa que passa pela minha cabeça é: ela lançou um EP com 2 inéditas. A música “Apenas Flor” é muito boa. E daí eu me pergunto: por que ficou de fora do DVD? E tem ainda uma música que não é conhecida e se chama “Por aquela porta, sai”. E concordo com o Marcão que ela não precisa exaltar tanto a sensualidade, pois é dona de uma beleza singular. Acho válido ressaltar o desabrochar da menina Paula de Sete Lagoas para a Paula mulher que conquistou o Brasil, mas sem exageros, pois eles são desnecessários (coisa que a letra de “Uma canção pra mim” faz muito bem). E como alguém que conhece os trabalhos desde as participações no Sagrado Coração da Terra, eu esperava mais inéditas. O DVD ficou excelente e está entre os melhores do ano, mas deixou uma lacuna a ser preenchida (mas esta é a minha opinião, porque daqui a pouco vem um monte de fã frenética me xingar, kkk).

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.