08 nov 2011 | Notícias,Reviews
REVIEW – Victor & Leo – Amor de Alma

Mudança de estratégia. É a primeira coisa que me veio à cabeça assim que ouvi o disco da dupla Victor & Leo por inteiro pela primeira vez. Talvez pudesse ser esse o título do CD, inclusive. Depois de no mínimo 3 lançamentos na mesma linha folk romântica com algumas canções de temática rural, Victor & Leo lançam pela primeira vez um disco baseado principalmente em canções agitadas, priorizando pela primeira vez a sanfona ao invés do violão marcante do Victor.

Após 5 anos seguidos de sucesso, uma das reclamações do público sobre a dupla era, ainda, a respeito do show. Assim como acontece com a Paula Fernandes, é comum ouvir gente dizendo que o show da dupla “dá sono”. Eu particularmente discordo dessa colocação. Afinal de contas tanto Victor & Leo quanto Paula Fernandes estão num status onde eles são a atração do evento. A pessoa compra o ingresso para vê-los e não para curtir um show qualquer enquanto festeja na balada. Isso dá a eles a oportunidade de fazer o show que quiserem, com as músicas que acham que devem tocar. É meio incoerente a pessoa saber como é o trabalho da dupla, comprar um ingresso para ir num show e depois sair reclamando que o show é desanimado. Ora, é basicamente um apanhado das músicas dos discos.

Ainda assim, o disco “Amor de Alma” é uma clara demonstração que a dupla se preocupa, sim, com o que o público que frequenta seus shows está querendo. Ao invés das tradicionais baladas com longos arranjos de violão, o disco traz principalmente canções com pegada dançante e ainda resgata os pout pourries com grandes sucessos sertanejos, que não apareciam nos discos de Victor & Leo desde o DVD “Ao Vivo em Uberlândia”. No disco anterior, eles haviam contado com o apoio do Guto Graça Melo. Desta vez, no entanto, os dois voltaram às origens e se dedicaram por inteiro ao processo de produção.

É até meio surpreendente dar o play no disco e escutar logo de cara uma canção dançante (vaneirão), quando se fala de Victor & Leo. Fora as regravações que a dupla fez em alguns discos, como “Cavalo Enxuto”, “Arapuca” e algumas outras, não me lembro de canções inéditas da dupla com essa pegada. No disco “Borboletas” tinha uma música, “Timidez”, que oscilava entre o vaneirão e um outro ritmo que não dava pra identificar direito. Mas Victor & Leo ainda não tinham se arriscado a gravar um vaneirão inédito. Pelo menos não tantos de uma vez.

O disco “Amor de Alma” traz pelo menos 3 vanerões inéditos, além de um potpourri também nessa pegada. A música “Boteco de Esquina”, um dos vanerões que abre o disco, presta uma homenagem aos cantores de boteco com uma história engraçada sobre um barzinho. Um detalhe interessante é que a música não tem refrão. São 4 estrofes, cada uma destacando um aspecto interessante dos botecos que só quem canta nesses lugares sabe. Na ordem das estrofes: o garçom boa praça, a mulher casada que dá em cima do cantor, os aniversariantes (só Deus sabe quantas vezes os cantores de bar cantam “Parabéns pra você” por noite) e o bebum que fica até o final e insiste em pedir música mesmo depois do som desligado. Uma música genial, diga-se de passagem.

“Venha ver o mar” e “Lu” são as outras duas músicas na mesma linha, as duas um pouco mais românticas, apesar da pegada dançante. “Lu”, na verdade, nem é tão diferente assim do tradicional estilo da dupla, apesar do ritmo. Assim como boa parte das canções de Victor & Leo, essa canção também tem uma letra romântica e é cantada em tom menor, garantindo uma pegada mais íntima, por assim dizer. Da faixa 1 à faixa 6, o disco se alterna entre um vaneirão e uma balada. Apesar de neste disco a sanfona ser bem mais marcante, as baladas serviram pra deixar o violão ainda em evidência. A faixa “Lágrimas”, ao contrário das outras duas baladas, tem uma letra bem mais elaborada e um arranjo de violão mais complexo.

Da faixa 7 à faixa 9, as regravações do disco. A faixa 7 é uma releitura numa pegada mais dançante da música tema da novela “Mulheres de Areia”, “Sexy Iemanjá”. A faixa 09 é um potpourri de guarânias com duas músicas excepcionais: “Passe Livre”, da dupla Teodoro & Sampaio, e “Se eu não puder te esquecer”, uma das clássicas composições do Moacyr Franco gravadas pela dupla João Mineiro & Marciano. Da faixa 10 em diante, apenas canções tocadas quase que apenas no violão, incluindo um dueto com a Paula Fernandes na música “Sonhos e Ilusões em mim”. A faixa “Longe”, traz o Victor na primeira voz, como já é tradição nos discos da dupla.

O potpourri da faixa 08 é outra idéia bem bacana deste disco. São 3 músicas em homenagem ao Trio Parada Dura, sendo duas regravações de clássicos que o Trio gravou (“Fuscão Preto” e “O Doutor e a Empregada”) e uma inédita para fechar o poptpourri com uma música que une e fecha a história das outras duas, contando como o Doutor fugiu com a empregada no Fuscão Preto. Idéia interessantíssima.

Apesar do repertório bem escolhido, o disco peca na distribuição exageradamente certinha das faixas. Da faixa 01 à faixa 06, a alternância entre um vanerão e uma balada. Da 07 à 09, as regravações. E da 10 à 12, as músicas tocadas somente no violão. Como houve essa preocupação com a proporção do disco (exatamente 3 faixas para cada subsegmento mencionado), talvez fosse mais prudente distribuir melhor as faixas no disco, que abre com uma música pra cima e fecha com 3 extremamente lentas, o que acabou tirando o efeito da abertura, que tinha uma sequência de 5 músicas de linguagem mais popularesca e consequentemente bastante animadas. A colocação da faixa “Venha ver o mar” no fechamento do disco e a distribuição das faixas lentas de forma mais separada  provavelmente garantiriam um efeito melhor.

Ainda assim, é notável como o “Amor de Alma” busca de fato agitar um pouco mais a galera nos shows da dupla. Dependendo da forma como as músicas forem executadas durante as apresentações, não creio que a tal reclamação mencionada parágrafos acima persista. É importante observar como Victor & Leo ainda se preocupam com a opinião do seu público a respeito dos shows mesmo sendo eles ainda as atrações principais de praticamente qualquer evento que participem e mesmo tendo conquistado um status invejável em relativamente pouco tempo de exposição na mídia. Qualquer outro artista afetado pelo ego inflado provavelmente estaria pouco se lixando se o povo está ou não curtindo o show. Victor & Leo, pelo jeito, se preocupam.

Nota: 8,5

 

 

 

 

163 comentários
  • Marisa Mentoliine: (responder)
    26 de dezembro de 2012 às 12:52

    AHAHAHAHAHA GENTE, VOCES ESTAO RECLAMANDO DO QUE? 8,5 FOI UMA NOTA MUITO ALTA, DIGO ATÉ DE CARIDADE PRA ESSA DUPLINHA MEIA BOCA.
    NINGUEM CONHECE VITOR E LÉO, NAO ESTAO NA MÍDIA, SÓ FIZERAM O POVO CONHECER BORBOLETAS E AMIGO APAIXONADO
    ASSIM COMO A PULINHA DELES, O SHOW É PARA IDOSOS DORMIREM
    VAO APRENDER O QUE É SHOW SERTANEJO DE VERDADE, MUSICA CANTADA COM RESPEITO, AMOR, DEDICAÇÃO E HUMILDADE! SIM, JORGE E MATEUS! PELO AMOR DE DEUS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Jay Scro: (responder)
    14 de julho de 2013 às 17:06

    I just want to tell you that I am all new to blogging and honestly liked this web site. Most likely I’m want to bookmark your blog . You certainly come with fantastic articles. Thanks a lot for sharing your web-site.

  • Yasuko Lettman: (responder)
    17 de julho de 2013 às 03:43

    Can I just say what a relief to find someone who actually knows what theyre talking about on the internet. You definitely know how to bring an issue to light and make it important. More people need to read this and understand this side of the story. I cant believe youre not more popular because you definitely have the gift.

  • facebook applications: (responder)
    20 de julho de 2013 às 08:02

    This is getting a bit more subjective, but I much prefer the Zune Marketplace. The interface is colorful, has more flair, and some cool features like ‘Mixview’ that let you quickly see related albums, songs, or other users related to what you’re listening to. Clicking on one of those will center on that item, and another set of “neighbors” will come into view, allowing you to navigate around exploring by similar artists, songs, or users. Speaking of users, the Zune “Social” is also great fun, letting you find others with shared tastes and becoming friends with them. You then can listen to a playlist created based on an amalgamation of what all your friends are listening to, which is also enjoyable. Those concerned with privacy will be relieved to know you can prevent the public from seeing your personal listening habits if you so choose.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.