07 nov 2013 | Reviews
REVIEW – Victor & Leo – Viva por mim

Recentemente postei aqui no blog uma entrevista bem bacana com o Leo Chaves. A entrevista acabou se tornando praticamente um grande review deste novo disco da dupla Victor & Leo. Então não se surpreenda se você ler no texto abaixo informações que já haviam sido dadas durante a entrevista e detalhes que já foram abordados por lá.

Já nota-se de um ano pra cá uma mudança gradativa no comportamento e aparentemente na personalidade do Leo. Assunto esse já abordado em outros posts aqui do Blognejo e também durante a entrevista com o próprio. O que parecia ser uma mudança apenas no jeito de ser acabou gerando ainda mais expectativa quando foi anunciado que o Leo, “repaginado”, seria o principal responsável pela produção do novo disco. Bem, até hoje, mesmo com o Leo ressaltando que sempre tomou todas as decisões junto com o irmão Victor sobre arranjos e outros detalhes da produção dos discos, o nome do Victor Chaves sempre esteve mais em evidência nessa parte. Até porque o violão dele sempre foi a principal marca da dupla até hoje nos arranjos. Até então a dupla nunca tinha saído dessa linha. Seria, de fato, a primeira vez que o som da dupla poderia de fato sofrer alguma grande modificação desde que eles despontaram para o Brasil, há cerca de 6 ou 7 anos.

De fato, o disco “Viva por mim” traz mudanças significativas na identidade musical da dupla. O violão do Victor já não é mais o personagem principal. As letras das músicas já não são mais apenas as do Victor. Além de se dedicar à produção, o Leo também é o responsável, junto com parceiros, pela composição de grande parte das músicas do disco. A presença como co-produtor do Beto Rosa, o atual guitarrista da dupla, cujo trabalho acompanho há bastante tempo, trouxe também aquela segurança que talvez faltasse ao Leo para assumir um trampo desses totalmente sozinho, mesmo sendo ele o principal responsável pelos arranjos do disco.

Vamos a uma análise mais minuciosa das mudanças. A primeira das mais significativas que se percebe, como eu disse, é a ausência do violão do Victor na grande maioria dos arranjos. Ao invés dele, o disco traz nos arranjos principalmente a guitarra e o piano. A dupla já havia tentado inserir a guitarra em sua sonoridade, principalmente no disco “Ao Vivo em Floripa”, mas essa inserção não havia sido ainda tão direta e evidente. E desta vez, também, a dupla conta com um guitarrista da mais alta qualidade, que é o Beto Rosa. Ao invés de manter basicamente o mesmo timbre de guitarra em todas as músicas, ele deu a cada música uma identidade diferente através de uma escolha de muito bom gosto dos timbres.

As músicas que mais se destacam com relação ao timbre da guitarra são “Nem sei”, com uma roupagem que remete aos clássicos do rock melódico de bandas como Whitesnake, Skid Row e outras, e “Conheço pelo Cheiro”, uma das melhores do disco, que traz uma guitarra com timbre latino, bem condizente com a letra da música.

Outra mudança significativa se deu na mudança da região de tons em que o Leo costumava cantar. Se antes a gente havia se acostumado a ouvir o Leo cantando em tons não muito altos, desta vez ele abusa da própria voz. E como se não bastasse já cantar mais alto do que poderíamos esperar normalmente, algumas músicas ainda ganham subidas de tom no refrão final, o que faz com que ele cante ainda mais alto em alguns trechos.

A música “Eu vim pra te buscar”, que traz a participação da dupla Bruno & Marrone, é uma das que deixa essa mudança na região de tons do Leo mais evidente. Ele próprio ressaltou em entrevista que já costumava cantar em regiões mais altas no começo da carreira, mas que abaixou os tons quando a quantidade de shows começou a ficar mais frequente, a fim de evitar um desgaste da voz. Como hoje em dia por opção da própria dupla a quantidade de shows tem sido menor, ele pôde voltar a trabalhar nas mesmas regiões de outrora.

Mais uma mudança significativa se deu na abertura, enfim, de espaço para outros compositores, ainda que de forma não muito escancarada. A dupla já havia trabalhado há algum tempo atrás uma música que não trazia nem o Victor e nem o Leo entre os compositores. “Lágrimas” era uma composição do Sérgio Porto com o Marcelo, da dupla João Lucas & Marcelo, que emplacaram neste novo disco mais uma música, também a de trabalho: “Na linha do tempo”.

Os outros compositores que conseguiram “entrar” no disco da dupla, entretanto, o fizeram como parceiros do Leo em algumas músicas. Os felizardos foram o Juliano Tchula e o Gabriel Agra, que assinam com o Leo algumas das principais músicas do disco. O Beto Rosa também assina algumas canções. O Jander, sanfoneiro da dupla, também contribuiu na composição de “Viva por mim”, música título do disco.

As melhores músicas do disco em termos de letra, entretanto, continuam sendo as do Victor. Ele assina 6 músicas do disco, duas delas em parceria com o Leo. “Tudo bem” tem a letra mais bonita do disco. “Nem sei” também é incrível. E “Conheço pelo cheiro”, a mais inusitada, poderia muito bem ser uma das próximas músicas de trabalho.

O disco anterior já havia trazido uma série de participações especiais de peso, o que faz com que as participações deste novo disco não sejam assim tão inesperadas. Bruno & Marrone foram uma das duplas que faltou no DVD anterior da dupla e gravaram neste CD uma participação em uma das melhores músicas do disco, “Eu vim pra te buscar”. Almir Sater participa da música mais “victoreleozística” do CD. Talvez a única que tenha trazido os já clássicos elementos da dupla, como o violão, o Victor cantando um trecho em primeira voz e o tema bucólico, que não apareceu neste disco em nenhuma outra música, diga-se de passagem.

A participação de Jorge & Mateus, entretanto, realmente surpreendeu muita gente. Talvez as duas principais duplas da última década, cantando juntas e eliminando de vez os boatos acerca de uma possível rixa entre elas, alimentada principalmente pelos fãs. O único problema é que esse dueto acabou sendo uma frustração para quem esperava algo bombástico e inesquecível. A música escolhida, “Guerreiro”, que traz o esporte como tema, acabou dando a impressão que essa música foi encomendada, já que 2014 é ano de copa. Ficou a expectativa por uma volta, talvez num disco do Jorge & Mateus, que traga novamente este dueto, mas numa música que realmente valorize a importância deste encontro para a história recente da música sertaneja.

Tirando apenas a frustração da música “Guerreiro”, o disco é muito bom. De verdade. A expectativa em torno da nova postura do Leo, assumindo de maneira mais intensa a liderança da dupla, pelo menos neste disco, teve um resultado amplamente positivo. Bom para ele, que mostrou que, mesmo sem o violão a tiracolo, tem tanta competência quanto o irmão. E bom para o Victor, que enfim pôde eliminar um pouco da pressão que sempre havia sobre suas costas a cada lançamento. Só por finalmente trazer a dupla de uma forma diferente depois de tanto tempo, e com tanta qualidade quanto nos discos anteriores, este CD já merece o meu total respeito.

Nota: 9,0

93 comentários
  • Denise Russo: (responder)
    7 de novembro de 2013 às 23:00

    Post perfeito! Como fã e simples ouvinte consegui ter a mesma percepção q vc! Faltou falar da musica “O q tens” q p mim é uma das mais bonitas ;-)

  • Alan: (responder)
    7 de novembro de 2013 às 23:02

    Eu gostei do CD. Produziram um Pop/Sertanejo de qualidade. Mas as letras do Victor são melhores pra mim, mas claro que o Leo é um ótimo compositor. Eles tem visão, e viram que seu som estava se desgastando, e renovaram para algo mais moderno. São Gênios, junto com Jorge e Mates e João Carreiro e Capataz. Concordo com a análise do marcão e com a nota.

  • Renan - SP: (responder)
    7 de novembro de 2013 às 23:03

    Bom, vamos lá, outra dupla travestida no genero sertanejo, eles fazem música romantica, popular, tipo Fabio Jr, José Augusto… As vezes cantam algo voltado para o campo, mas em termos de arranjos, é música popular.
    Não conheço um caipira, uma pessoa que trabalha no campo, que gostam das músicas deles, portanto não é sertanejo.
    O Leo mudou? É o que fama e o $$$ não faz?
    Sobre o cd, letras de meninas no colegial, principalmente “Conheço Pelo Cheiro”, “Guerreiro” e “Amor.com”, as meninas que estudavam comigo faziam coisas bem parecidas, caracteristicas?
    Letra pequena, o começo inicia pelo meio, e a forma descrita.
    Agora plagiando o companheiro Luciano:

    BOA:”Nem Sei” e “Viva Por Mim”

    RAZOAVEL: “O Que Tens”, “Tudo Bem”

    O resto é ridiculo.

    Nota: 4,5

    • Alan: (responder)
      7 de novembro de 2013 às 23:11

      Não é Pra Tanto Renan…

    • Renan - SP: (responder)
      7 de novembro de 2013 às 23:12

      E no mar da mediocridade, acredito que esse cd está no top 5 do genero em 2013, até o momento.

      • Alan: (responder)
        7 de novembro de 2013 às 23:16

        Eu vou aos fatos e me ater somente ao disco: O Leo não tão bom compositor quanto o irmão, mas tem alguma qualidade. Os arranjos não me pareceram R&B como anunciaram, mas fizeram uma adaptação boa ao estilo deles. E Guerreiro ferrou o CD, mas as músicas em geral são boas, então não dá pra exagerar. É bom , não fantástico como “Boa Sorte Pra Você”.

        • Assis: (responder)
          7 de novembro de 2013 às 23:18

          Muito bom o cd, mas ja eu acho q nao supera o disco “Amor de Alma”

    • Assis: (responder)
      7 de novembro de 2013 às 23:14

      Se não for falar mal do cd, eu sei q não é o Renan

      cabra tu não gosta de nada kkkk

      • Renan - SP: (responder)
        7 de novembro de 2013 às 23:35

        Alan, os albúns mais aceitaveis da dupla, são o “Number One” de 2002, o “Vida Boa” de 2004, e da fase mais comercial, o fracassado, mas melhorzinho “Boa Sorte Pra Você” de 2010.
        Nesse de 2010, capricharam em “Flor do Campo” e “Loura de Ouro”.

        • Alan: (responder)
          7 de novembro de 2013 às 23:38

          Fracassado? Que eu saiba ganhou disco de platina e em várias cidades que fui, “Quando é Amor” e “Água De Oceano” tocavam bastante nas rádios. Só pode ser a decepção dos fãs, naquela ocasião muitos se revoltaram, mas fracasso comercial não foi não.

        • Roberta: (responder)
          8 de novembro de 2013 às 10:13

          O fodão, faz melhor que eu respeito a tua opinião. Apontar e dizer que é fracasso, que é porcaria, é fácil, agora fazer o sucesso que eles fazem, conquistar o público sem ajuda de programa de televisão, outros artistas, grandes gravadoras, somente no boca a boca, e estourando com várias músicas ao mesmo tempo, não é pra qualquer um não, conheço poucos assim. E eles tem 21 anos de estrada, você tem quantos mesmo?

        • Rafael Cesar: (responder)
          8 de novembro de 2013 às 17:30

          Sim os dois melhores albuns do Victor & Leo sem duvidas são o “Number One” que traziam grandes arranjos do Grande Maestro “Eduardo Lages” , e o “Vida Boa” de 2004, que os arranjos foram bem criativos, com cordas e riffs de guitarra.Esses dois sem duvidas são os melhores.

        • Luciana: (responder)
          10 de novembro de 2013 às 01:04

          Renan, se você me permitir, vou dizer que a melhor música do CD “Boa Sorte pra você” foi Rios de Amor. Apesar de não ter sido muito tocada nas rádios, era diferente no quesito rimas, rs. Ouça com carinho!

          • Alan: (responder)
            10 de novembro de 2013 às 10:08

            Não Vá Pra Califórnia (essa nova versão country) é muito boa, soube que ganhou disco de ouro por downloads essa música esse ano.

    • Denis: (responder)
      8 de novembro de 2013 às 08:49

      Renan, primeiro tenho profundo respeito pelos seus comentários. Mas, me abstendo da parte fã, ouso dizer que, talvez até para sua tristeza, o trabalho de Victor e Léo de hoje é para onde o sertanejo irá amanhã. Abraço e parabéns pelas suas contribuições.

      • Renan - SP: (responder)
        8 de novembro de 2013 às 14:03

        Valeu Denis, mas o mercado é mutavel, talvez ano que vem mesmo caia essa tendencia.
        Roberta, eu tenho 26 anos de estrada, sem pagar jabá, sem procurar o sucesso, e fazendo música por amor e hobbie, e não pra ser um cantor.
        E sucesso é bobagem, isso passa, o importante é o legado que se deixa, “Vai se o homem e fica o nome”.
        Mais uma querendo que eu faça melhor numa area que eu pouco pratico, mas vamos lá.
        Letra de minha autoria:

        NOITE ESPECIAL

        Nuvem passageira indica um temporal
        Todas as estrelas sumiram no astral
        Bela lua cheia clareando o céu
        Sozinho penso nela e sei que ela me espera
        Nossa história ainda está longe de um final

        Procuro seu o nome
        Na lista de telefone
        Me diz que tá legal
        Porque eu quero passar com você
        Essa noite especial

        REFRÃO:

        Chuva de amor
        Choro por ela
        Cada lagrima caindo
        É um pingo na janela

        O sonho acabou
        Que saudade dela
        Por um momento eu fui feliz
        Porque essa noite eu passei com ela

        SEGUNDA PARTE:

        Outra noite vem
        Solidão também
        Que falta me faz o seu cheiro
        O seu jeito
        Exagero?
        Querer demais um amor perfeito

        Trovões são flashs de ilusões
        Que me acompanham a cada madrugada
        Que saudade de você minha amada
        Volta pra mim
        Pois eu sinto muito a sua falta

        Choveu paixão e depois solidão
        Alagou o meu peito de saudade
        Foi muita ilusão
        Mas o que caí dos meus olhos
        São de verdade

  • ana flavia cruz: (responder)
    7 de novembro de 2013 às 23:09

    Excelente percepção sobre o novo cd. Realmente o álbum me supreendeu pelas qualidades das músicas e dos arranjos. Somente Guerreiro foi frustrante. As minhas preferidas São Nem Se i e Eu vim pra te buscar.

  • fernando: (responder)
    7 de novembro de 2013 às 23:16

    CD muito top, só faltou um arrocha aí e música de balada, do resto tudo beleza

    • Assis: (responder)
      7 de novembro de 2013 às 23:20

      Victor e Léo? letra de balada? arrocha ??

      vc anda bebendo d+

      • Alan: (responder)
        7 de novembro de 2013 às 23:23

        Oh, Fuck

  • Renan - AC: (responder)
    7 de novembro de 2013 às 23:23

    Não gostei do disco, deixou a desejar, muita guitarra, muito barulho, não é o estilo da dupla, não precisava mudar dessa maneira

    • Renan - SP: (responder)
      7 de novembro de 2013 às 23:28

      Está aparecendo muito fake ultimamente, molecada, “vamo” para de criancisse.
      Agora é do Acre.

      • Alan: (responder)
        7 de novembro de 2013 às 23:34

        Cara, desculpa te falar, mas suas reclamações estão virando cômicas por aqui, e sempre tem um que não perde a oportunidade de te zoar. Fazer O que, se quer ser uma lenda por aqui, será o o novo “Eustácio, o resmungão” he he.

      • Renan - CE: (responder)
        8 de novembro de 2013 às 00:56

        Renan – SP, sou seu fã e um grande admirador do seu trabalho, estou fazendo fama no blog da Dona Zuleide.

      • Luiz Fernando: (responder)
        8 de novembro de 2013 às 03:02

        Não são fakes, são correspondentes de outros estados, formando assim a “Rede Renan de Reclamações”

        • antonionetho: (responder)
          9 de novembro de 2013 às 00:57

          kkkkkkkkkkkkkkkk gente sera que o Renan nao e parente do TECO que sumiu daqui kkkkkk

  • artur: (responder)
    7 de novembro de 2013 às 23:30

    Marcao, acho que vc está errado. O victor nao canta primeira voz em “tudo bem”. Quando começa a musica, o leo entra cantando num tom mais baixo, e a voz dele e do victor se parecem muito nesse tom. Enfim, não gostei do cd no geral. Tem músicas geniais, como nem sei, viva por mim, tudo bem, e amor.com. Mas tem outra que beiram o ridículo. Enfim, minha opinião. Abraço

    • Leo: (responder)
      8 de novembro de 2013 às 02:32

      Misericórdia! Nem sabe distinguir uma voz.

      • artur: (responder)
        8 de novembro de 2013 às 11:24

        Cara, foca na parte: Meus vizinhos gostam de modernidades e boatos. Aposto minha vida que é o Leo cantando. A primeira frase é muito dificil de diferenciar.

    • Luciana: (responder)
      8 de novembro de 2013 às 11:06

      Caro amigo, é o Victor cantando sim! Inclusive, no CD “Amor de Alma”, quem canta a faixa “Longe” na integralidade é o Victor, além de cantar a segunda parte da música “Sonhos e Ilusões em mim”. Abraços!

      • artur: (responder)
        8 de novembro de 2013 às 11:27

        Galera, não to aqui pra discutir sobre Victor e Leo. Até pq acho que seria injusto com vcs. Tenho todos os cds originais, inclusive o acústicos, sem gravadora. Acompanho a dupla muito antes do sucesso. Sei o compositor e parceiro de qualquer canção da dupla. Conheço todos os integrantes e ex integrantes da dupla, e vc vem querendo me mostrar que Longe é o Victor que canta? Deus e eu no sertão tb, sabia? Francamente.

        • Rafael Cesar: (responder)
          8 de novembro de 2013 às 17:34

          Artur voce tem o cd Vida Boa ? tem moral de me vender ele ?

          • artur: (responder)
            9 de novembro de 2013 às 15:09

            Tenho sim cara, mas sinto muito, não está a venda! Abraço

        • Luciana: (responder)
          10 de novembro de 2013 às 00:46

          Caro Artur, o fato de você possuir todos os CD’s da dupla não o faz doutor nos mesmos. Mas numa boa, e francamente, com o perdão da palavra, digo eu: siga com a tua arrogância que eu seguirei com a minha humildade, pois pensei estar ajudando a alguém que não tinha percebido a diferença nos timbres vocais, e só dei uma dica. Quanto a possuir todos os CD’s, inclusive os independentes, também os possuo! Paz!

  • Romário Víctor: (responder)
    7 de novembro de 2013 às 23:55

    Um bom CD, nada mais que isso. Acho que toda inovação é válida,desde que gradativa. O disco não me causou nenhum sentimento que um disco sertanejo deve causar. Marcão com a precisão cirúrgica que lhe é peculiar destrinchou o disco, a nota é um detalhe.

  • sheila bitencourt: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 00:24

    Marcão adorei seu reviem, perfeito.dr acordo com tudo que acho do cd.

  • thiago torres silva: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 00:28

    Esse RENAN ou devo chamar de RÂNAN CEREBRO DE RÂ
    deve ser um frustrado na vida, só reclama, atualmente existem coisas boas no mercados e coisas ruins, mas criticar sem fundamento é bobagem, normal bobagens da sua parte, porque os seus argumentos não tem criterio nenhum

    • Renan - SP: (responder)
      8 de novembro de 2013 às 00:45

      “Na beira de um grande abismo
      Eu vejo o mundo pendendo
      Tem homem de duas caras
      Sem palavra se vendendo
      Vou por o mundo no eixo
      Nem que morra combatendo
      Chega de tanta sujeira
      Eu vou comecar varrendo”

      http://www.youtube.com/watch?v=-L64828FUdc

      • Renan TO: (responder)
        8 de novembro de 2013 às 07:52

        Renan SP. O piunti mandou um beijo para vc. Para de comentar no blog dele, e encher o saco. KKKKK

        • Renan - GO: (responder)
          8 de novembro de 2013 às 11:11

          Um grande abraço ao seu lunga, Renan Fernando de Abreu! rss

          • Renan - SP: (responder)
            8 de novembro de 2013 às 22:25

            Piunti foi parceiro, manda um abraço pra ele, e fala pra ele sair do UOL, que eu volto la, é só copiar e colar nos 2 blogs.
            Ele foi o único que me apoiou nas criticas ao cd do Chitãozinho e Xororó, naquele que eles fizeram para o posto de combustivel, cada arranjo…..

  • Renan do Macapá: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 00:39

    Não gostei desta nova receita de buchada de bode, muito apimentado.

    • Renan do Macapá: (responder)
      8 de novembro de 2013 às 00:42

      Opa! desculpa! Eu reclamei no blog errado, achei que estava falando no blog da helena.receitablog.

  • Renan - MT: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 00:44

    O Victor, como sempre, deixou a desejar na segunda voz e seu violão não é melhor do que um principiante que se arrisca de aprender a tocar o mesmo. Léo, Medíocre como primeira voz. Resumindo, os tomadores de pinga do boteco ao lado tem qualidade vocal muito melhor do que Victor e Léo.

  • Leo: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 00:47

    Misericórdia! Nem sabe distinguir uma voz.

    • Leo: (responder)
      8 de novembro de 2013 às 00:51

      desconsiderem este comentário

  • lucas: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 01:10

    o pior disco de victor e leo musicas muito fracas meu deus ridícula essa conheço pelo cheiro sou muito fã das composições do victor mas dessa deixou a desejar a unica musica boa do disco e na linha do tempo o resto ai não salva uma se eles tivesse começando a carreira com esse disco não ia a lugar nenhun

  • Leo: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 01:47

    Victor e Leo é garantia de sucesso sempre. Parabéns à dupla. Review quase perfeito. O blognejo voltando a antiga forma e com mais bagagem, parabéns!

  • Luiz Fernando: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 03:09

    A música boa mesmo é “Na linha do tempo”, supera com força todas as outras. É uma das melhores da carreira da dupla.

  • goiano: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 07:49

    Como o Goiano não tem fakes!kkk. Gostei do Rewiew do CD, ainda mais ficou mais fácil pela ótima entrevista do Marcão onde se esmiuçou detalhes do Disco. Particularmente, ouvindo o CD só não gostei da música do Guerreiro, mas as demais estão impares. Como guitarrista, gostei das distorções, Delay, e efeitos, e principalmente os timbres. o Victor tem uma pegada de violão bacana, mas a inserção da guitarra e do piano veio a calhar e dar uma redirecionada na carreira da Dupla. Que este trabalho sirva de inspiração para as outras duplas que ainda insistem em gravar arrochar, etc que ao meu ver está saturado. E, legal também as participações, a concessão a novos compositores. E, com certeza a musica “linha do tempo” vai ser disparada a musica do ano nem se compara com as demais postadas aqui no blog chega até ser judiação. KKKK

  • Lucas: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 08:21

    Não adianta falar afinal o cd está entre os mais vendidos e o dinheiro entrando na conta deles e não da nossa. Aliás o fato de estar entre os mais vendidos por si só já mostra o que é o CD visto o gosto musical do brasileiro.
    A voz do Leo nas canções em tom mais alto no CD até fica boa mas quem como eu já teve a oportunidade de vê-lo cantando assim no show ao vivo ve que é está uma merda com o perdão da má palavra. Desafinando demais. Outro dia teve transmissão do show particular de uma rádio e se não tivessem me falado que era o Leo não teria acredidato. Parecendo o Paulo Ricardo em inicio de carreira no RPM. E em uma coisa concordo com o Renam. Mudança só pensando no $$$$$$$$$$. Se realmente levassem ao pé da letra a teoria deles de manterem a essência não teriam mudado tão radicalmente o trabalho e o visual e jeito de ser.

  • Fábio Roque: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 08:50

    É bem isso que tá no review!

  • Mulher do Renan - SP: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 08:58

    Renan, para de falar bobeira no blog e vai cuidar das crianças !!!

  • Ray Cesar: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 09:23

    Achei o disco muito bom, Viva por mim, faz bem se apaixonar, O tempo não apaga e Na linha do tempo são minhas preferidas, mas pra mim o melhor disco deles foi borboletas, razão do meu astral é muito boa…

  • Alex: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 11:03

    Ótima análise, pra mim o cd ficou mais ou menos, Marcão, faz um review do cd vivo apaixonado do leonardo,pra mim até agora o melhor de 2013

  • Zé Neto: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 11:12

    Muito bom o Review, parabéns Marcão!

  • Luciana: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 11:20

    Confesso que ultimamente venho lendo todos os comentários do Renan. E a menção à “Rede Renan de Reclamação” me fez gargalhar por uns 5 minutos, kkkkkkk. Finalmente conheci uma pessoa que me supera no quesito “mau-humor”, kkkkkk. SINAL DE QUE O FIM DO MUNDO PODE ESTAR CHEGANDO, MAS EU AINDA TENHO SALVAÇÃO!!!!
    #purabucha

    • Renan - SP: (responder)
      8 de novembro de 2013 às 21:57

      Luciana, não sou mal humorado, as vezes nos comentários dou até uma escrachada, eu sou um dos caras mais felizes do mundo, não tem uma pessoa que me conhece pessoalmente, que não gosta de mim,tenho grandes amigos, familia tolerante (que me aguenta), só não sou falso, dou minha opinião mesmo.
      Obrigado pelo apreço, leia sempre.
      Te garanto que opino sem encher o bolso, e sem bajulação.

      • Fã Clube dop Renan - SP: (responder)
        9 de novembro de 2013 às 00:16

        Ai que lindo! Nosso ídolo fala cada coisa linda, chego a arrepiar. Vomitando arco iris agora, cut cut cut…. S2 S2 S2

      • Luciana: (responder)
        10 de novembro de 2013 às 00:15

        De boa, Renan! Mas eu gargalhei largada da 3R (Rede Renan de Reclamação), e ri de novo agora, kkkk. Mas então vamos lá, porque a pergunta que não quer calar é: se tivesse que elogiar algum sertanejo no momento, qual seria?
        (Razão da curiosidade: sou musicista, compositora, mega exigente no quesito “poesia” de uma música, e ainda não o vi elogiando ninguém. E ainda aproveitando o gancho da primeira pergunta, gostaria de saber a sua resenha sobre a música “Mistérios do Tempo” que está no novo DVD da Paula Fernandes). Abração, cara!

        • Alan: (responder)
          10 de novembro de 2013 às 00:20

          Pelo jeito, dos atuais, só deve gostar de João Carreiro e Capataz

          • Luciana: (responder)
            10 de novembro de 2013 às 00:53

            Alan, pra quem gosta de sertanejo no estilo “Quem tem mulher que namora, quem tem burro empacador…”, João Carreiro e Capataz é o “melhorzinho que tá tendo”, rs. Digo porque gosto!

            • Jerônimo: (responder)
              10 de novembro de 2013 às 03:46

              O comentário do “fã clube do renan” foi o melhor. Hahaha. Tem musica de publieditorial, que é uma piada, mas o renan(reinento) conseguiu assumir esse posto, de piada do blog.

        • Renan - SP: (responder)
          10 de novembro de 2013 às 11:22

          Luciana, esse ano de 2013 está dificil musicalmente, até agora no sertanejo, não tem nada digno de excelencia, os melhores lançamentos do ano, foram cd do Leonardo “Vivo Apaixonado”, nesse albúm tem balada romantica, guarania e até uma boa regravação da Marisa Monte, mas tem também axé, universitário….
          Esse cd tem a produção do excelente Cesar Augusto, o grande interprete Leonardo (que quando regrava música de outro artista, acaba tomando pra ele a música, (“virando dono da canção”).
          Outro albúm positivo no ano, é o do Sérgio Reis “Questão de Tempo”, também não chega a ser uma coisa de louco, mas está dentro do sertanejo e do perfil do “Serjão”.
          Ainda estou no aguardo de Chrystian e Ralf (que nunca decepcionaram), e também da dupla Cleiton e Camargo, que já lançaram um bom single “Onde Está”, mas não espero nada de excelencia pra esse ano, já que a mais de 10 anos o sertanejo não traz algo bem feito do começo ao fim.
          Já sobre essa música da Paula, ela é boa (não excelente que me faça ouvir mais de 5 vezes), mas acho que se fosse gravada por uma dupla masculina ou não, com violas dobradas, fazendo uma versão mais sertaneja, ficaria melhor.
          Esse arranjo também ficou bom, com bandolim presente, mas uma versão mais sertaneja, com uma interpretação mais forte, convincente, ficaria muito melhor.
          Tem uma música que o Chrystian e Ralf gravaram em 2010, com o mesmo tema dessa da Paula, só que com uma história um pouco diferente, chamada “Máquina do Tempo”, composição de Flavio Venturini, e é bem melhor que essa (no meu gosto).
          A Paula está presa numa fórmula que vai acabar com ela em pouco tempo, esse novo albúm é uma cópia daquele ao vivo de 2010 que vendeu bastante, só que desta vez não tem um Roberto Carlos no caminho.
          Ela vinha evoluindo bem até o “Passáro de Fogo” de 2009, agora está ladeira abaixo, se eu fosse ela, ficaria 1 mês trancada no estúdio com o Marcus Viana, tentando recuperar o rumo musical.

          • Alan: (responder)
            10 de novembro de 2013 às 13:05

            A Paula acho que já tem um público fiel, sendo apadrinhada ou não, ela talvez tenha o maior fã clube do Brasil, de 10 pessoas, 8 falam bem dela, 1 mais ou menos e 1 não gosta. As composições dela são bem espiritualistas, já as que não são dela são uma porr.. como “Pra Você” (se mão me engano e é dela com outro compositor), que eu acho um clássico recente mas tem um erro grosseiro na letra “A Lua iluminando sol” (orly?). Ou Seja, só acho que o trabalho dela nos “Ao Vivo” deve ser mais autoral, como no estúdio.

          • Luciana: (responder)
            10 de novembro de 2013 às 20:36

            Renan, eu concordo com o que o Alan disse em relação à Paula: acho que qualquer coisa que ela compor vai tender a emplacar indiferente da qualidade devido aos fãs clubes. Quanto à musica em questão, o que mais me chamou a atenção, além do bandolim que você citou, foi o solo de baixo feito na guitarra no início da música. Citei esta música justamente por se tratar de uma guarânia (que eu sou apaixonada!), mas concordo que o DVD lembra bastante o de 2010. Achei 6 músicas inéditas uma quantidade insuficiente. Me lembro uma vez ter ouvido o Xororó dizer numa entrevista que, pra se gravar um show (porque na época, isso acontecia a cada 10 anos e eram fitas VHS), era necessário ter no mínimo uns 5 discos de boa qualidade lançados no mercado. Nesse caso, sou obrigada a concordar com ele: creio que seria melhor ter lançado outro album em estúdio e deixado este DVD pra 2015, sei lá. Quanto ao CD do Leonardo, apesar de nao ser fã, realmente ficou bom. E Sérgio Reis eu nem comento, pois o considero de outra vertente, junto com o Almir Sater e o Renato Teixeira, a qual eu costumo chamar de sertanejo “clássico e erudido”, rs. Abraços!

            • Renan - SP: (responder)
              10 de novembro de 2013 às 21:06

              Concordo com vocês que a Paula já tem um fã clube consideravel, mas no passado já vi artistas com fã clubes imensos, e mesmo assim perderem o sucesso de outrora, vide KLB, mais de 200 fã clubes no inicio dos anos 2000, e hoje?

            • Renan - SP: (responder)
              10 de novembro de 2013 às 21:40

              Luciana, eu também gosto muito de guarânia, aprendi a gostar ouvindo os mestres Cascatinha e Inhana, e outra vertente que eu sinto falta no sertanejo de hoje em dia, é o Country bem feito, com steel guitar e banjo, e com letras falando de amor e rodeio, e não as presepadas que o Fernando e Sorocaba fazem.
              Abraço.

              • Luciana: (responder)
                11 de novembro de 2013 às 10:39

                Também gosto de country music, Renan! Só pra citar, os dinossauros da banda Alabama estão entre os grandes. Da nova geração, Keith Urban, antes de ser o marido da Nicole, também fez algumas muito boas.
                Aqui em Minas, temos uma banda que se chama Chaparrall. Eles fizeram bastante sucesso entre 98 e 2004, se separaram e retomaram os trabalhos há uns dois anos. Vale a pena conferir se você não conhecer. Dos trabalhos antigos, uma canção chamada “kid Lampião” era uma das melhores do CD de 2001, com um trocadilho bacana na letra entre o cowboy americano e o vaqueiro tupiniquim.

                • Renan - SP: (responder)
                  11 de novembro de 2013 às 14:59

                  Luciana, Alabama é demais, também cito:

                  Jhonny Cash
                  Willie Nelson
                  Alan Jackson
                  George Strait
                  Eleven Hundred Springs
                  Woodbox Gang
                  Little Texas

  • Alan: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 12:36

    Bom, do jeito que a coisa vai indo, vão criar o #ZUANDORENAN hehe…As Opiniões estão mistas, acho que só há uma frase que o define:”Não é fantástico, mas não é ruim. É só bom”. Quando Vai Sair o Review do cd novo do Chitãozinho e Xororó?

  • Rafael Cesar: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 17:42

    Esse cd novo do Victor & Leo , esta muito bom.Uma pegada bem diferente, com mais loops, piano, Guitarras, com distorção e delay. Gostei demais, estou dando minha opinião como critico e como fã.
    Espero que continuem mantendo essa nova roupagem, que já estava fazendo falta no Mercado.O Review muito bem explicado e citando tudo.

  • Rafael Cesar: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 18:03

    Artur voce tem o cd “Vida Boa” Independente ? tem moral de me vender ?

  • Rosângela Provesi: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 20:33

    O RENANDO TÁ VIRANDO UMA COMÉDIA KKKKKKKKKKKKKKKK!!!!ÓTIMO REVIEW!!!!CONCORDO PRATICAMENTE COM TUDO QUE VOCÊ FALOU!!!!

    • Renan - SP: (responder)
      8 de novembro de 2013 às 21:59

      “Tava” demorando…..

  • Alan: (responder)
    8 de novembro de 2013 às 20:41

    Uma coisa que nunca devia ter acontecido é essa simplificação de arranjos exagerados que se vem dando hoje. Sei que as gravadoras estão sem grana para investir em instrumentação, mas a música sertaneja só perdeu com isso. Exemplo, trio de metais, que se bem utilizados não é brega, os Beatles utilizavam isso pra vocês terem ideia. Esse cd do Victor e Leo é a prova de que um cd fica bom com essa instrumentação.

    • Rafael Cesar: (responder)
      9 de novembro de 2013 às 13:31

      Concordo, hoje em dia sumiu muita coisa como os strings de teclado. as proprias cordas de regencia,os metais, acho que hoje em dia ta faltando um coro igual aquele formado pelo “Ringo, Silvinha Araujo e Angela” , loops e delay. Coisas que com o tempo foi se acabando.

    • @ariomester: (responder)
      10 de novembro de 2013 às 09:47

      As gravadoras não estão sem dinheiro. Os artistas populares como Victor e Leo são podres de ricos, dinheiro ali é mato!! Músicos bons, compositores bons, produtores e estúdios de alto nível tem aos montes Brasil afora. A ausência de arranjos decentes, músicas bem feitas, gravação de nível internacional só pode ser explicada a partir da vontade dos artistas, empresários e produtores. Eles QUEREM que seja assim. Simples assim.
      Não sei se é o caso do Victor e Leo, não ouvi o cd, mas se realmente mudou alguma coisa ali, foi intencional.

  • Reinaldo: (responder)
    9 de novembro de 2013 às 16:56

    A maior vantagem do disco foi para mim a ausência de regravações. O Leo compõe muito bem também. Só estranhei um pouco no começo o exagero do uso da guitarra, mas já estou me acostumando em algumas músicas. A última música do disco e linha do tempo são as melhores.

  • Ana Paula Padronizze: (responder)
    9 de novembro de 2013 às 20:17

    Nem sombra do que já foram um dia e ainda dizem que matem a simplicidade de antes. Só pelo visual novo da dupla e o timbre de voz percebe a diferença. CD totalmente comercial.

    • Leo: (responder)
      9 de novembro de 2013 às 23:26

      O ruim da inclusão digital é isso, é cada coisa que leio… misericórdia!!! vai lavar vasilha, vai filha…

      • Aninha: (responder)
        11 de novembro de 2013 às 13:51

        Leo Chaves é você ??????

        • Alan: (responder)
          11 de novembro de 2013 às 15:08

          FACEPALM

  • Renan - Harare (capital do Zimbábue): (responder)
    10 de novembro de 2013 às 09:35

    Aqui no meu país estão também perdendo a essência. Estão trocando o marimba, o xilofone, e o mbira pelas guitarras e aparatos eletrônicos. Que tragédia! Que tragédia!
    Eu me identifico com você Renan-SP.

    • Paulo Ricardo: (responder)
      10 de novembro de 2013 às 16:39

      kkkkkk agora vc foi longe, hein.
      The zueira never end in Blognejo.

  • Rafael Cesar: (responder)
    10 de novembro de 2013 às 16:51

    Que as gravadoras estão sem dinheiro eu não sei, mas que a musica hoje é assim, modernizou demais, tem coisas que não voltam mais.Na minha concepção eu creio que as gravadora tem muito lucro pra efetivar os aspectos que citei num comentario acima, pois hoje os artistas são tudo comerciais, e maquinas de lucro pra empresarios.Acho que o tempo modernizou mesmo e os temas de antes sumiram.

    • Renan - Harare (capital do Zimbábue): (responder)
      10 de novembro de 2013 às 17:29

      Rafael!
      Com tanta tecnologia de fácil acesso, os jovens artistas estão cada vez mais reféns dela. É muito mais interessante para um jovem ter em mãos um software com sons instrumentais que muda de nota musical com um simples clique do que treinar horas e horas os acorde de uma sanfona por exemplo.
      Para se ter uma ideia, em Moçambique país vizinho ao meu, cujo o idioma principal é o português, os instrumentos musicais são geralmente feitos à mão e incluem tambores feitos de madeira e pele de animal, como a lupembe, um instrumento de sopro feito de chifres de animais ou madeira, e a marimba, que é uma espécie de xilofone nativo estão perdendo espaço.
      A tecnologia está acabando com todo folclore cultural do mundo, é como se fosse uma epidemia sem cura. Nós do clã do Renan tentamos de alguma forma abri os olhos da sociedade, sabemos que é uma derrota iminente, mas lutaremos até o fim.

      • Rafa: (responder)
        10 de novembro de 2013 às 23:22

        kkkkk…. Rindo demais aqui… Renan que figuraça kkkkkk

    • Alan: (responder)
      10 de novembro de 2013 às 17:44

      Primeiro, num Cd de grandes gravadoras, quem paga todos os custos de produção é a gravadoras e uns poucos patrocinadores. E estão com pouco para INVESTIMENTO, já que com lucro, em 2012, lucraram 300 milhões, pífio número comparado a 1997, em que lucraram 3 bilhões. As gravadoras estão pão duras sim. E isso prejudica, e muito, alguns artistas que querem expandir seu espírito de criação.

  • Teco: (responder)
    11 de novembro de 2013 às 15:19

    Eu não queria comentar antes de ouvir, e agora não queria ter ouvido pra não precisar comentar. Que voz horrível, subida de tom forçadíssima, musica com Bruno e Marrone que teria tudo pra ser linda, ficou parecendo um show de horrores e gritarias de caças as bruxas. Aff nem o Almir sater escapou. Infelizmente o meu sentimento quanto a este CD é: VERGONHA ALHEIA, MUITA VERGONHA. Victor e Léo e Jorge e Mateus, que música mais horrorosa meu Deus do céu …. sem mais…

    • Renan - Harare (capital do Zimbábue): (responder)
      11 de novembro de 2013 às 22:43

      Então é vc o famoso Teco, o ranzinza mais carismático do blognejo. Quero muito trocar umas idéias com vc gargamel.

  • Camila Benirschke: (responder)
    12 de novembro de 2013 às 01:48

    Gostei do review, apesar de não concordar que as melhores letras sejam as do Victor. Há ótimas letras do Leo também!
    Adorei o CD, eles fizeram bem em inovar!
    O tempo muda, a política muda, a moda muda, a história muda, por que V&L não podem mudar?! Quem acompanha sabe que eles são os mesmos em essência.
    Quanto aos comentários, deveria haver um filtro, pois a gente quer acompanhar as opiniões pertinentes e já não consegue, de tanta brincadeira…

  • Evandro: (responder)
    12 de novembro de 2013 às 14:27

    Sou fã desses caras, Victor e Léo é show. Gente aproveitando os comentários, olhem este link de uma dupla aqui do Piauí. Música composta e gravada aqui, valeu. http://www.youtube.com/watch?v=gHb3lkOXtIg

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.