05 ago 2008 | Lançamentos
RICK & RENNER – PASSE O TEMPO QUE PASSAR



Rick & Renner são, sem dúvida, a dupla que mais lança discos na atualidade. Mal eles trabalham um álbum, outro já está saindo. O último álbum, “Coisa de Deus”, foi lançado há menos de um ano. É incomum um artista lançar tantos trabalhos de forma tão rápida. Provavelmente isso seja um reflexo do que eu comentei no último post.



Como eu já havia adiantado, o novo álbum representa uma renovação no estilo da dupla. Ao contrário do último CD, o novo não tem, por exemplo, nenhum “sambanejo”. No último, as duas primeiras músicas de trabalho (“Credencial” e Coisa de Deus”) eram nesse estilo. Até o nome do CD carregava a bandeira do “sambanejo”, já que era o mesmo nome de um desses pagodinhos que eles gravaram na ocasião.



O CD é mais pop que nunca. A faixa que dá título ao novo disco, “Passe o tempo que passar”, está mais para pop rock nacional que para sertanejo. Não que isso seja um defeito. Talvez até vire uma tendência. Mas soa como uma clara tentativa da dupla de conquistar os fãs do estilo universitário.



É claro, no entanto, que nem tudo mudou no estilo de Rick & Renner. O CD ainda segue a tradição de trazer uma faixa solo do Renner e outra em homenagem a algum membro da família do Rick. A música que faz as honras dessa vez é a faixa “Mais que pai e filho”, que ainda conta com a participação do filho do Rick, que cantou junto com o pai no especial “Câmera Record” de duas sextas-feiras atrás. Não se espantem se no próximo CD ou DVD da dupla tiver uma canção em homenagem aos cachorros, papagaios ou bois do Rick, já que ele já homenageou todos os membros da família possíveis.



Como é de praxe, também, quase todas as músicas do CD foram compostas pelo Rick. No entanto, a música de trabalho, “Negativo Positivo”, é de Chico Amado, outro grande compositor. Das 14 faixas, pelo menos 11 são de autoria do Rick. O Rick tem facilidade em adaptar seu estilo de composição às tendências atuais. Pelo menos parece que ele parou de compor esses “sambanejos” dos quais, como vocês já devem ter notado, não sou muito fã.



No geral, o CD é mediano. A única faixa que realmente soa como novidade é a faixa título. As demais são só pra dar um retorno pra gravadora, manter o Rick no topo da lista dos compositores que mais lucram no Brasil (já são 3 anos consecutivos em primeiro), e tentar colocar Rick & Renner no gosto dos fãs de sertanejo universitário (tentativa provavelmente infrutífera, diga-se de passagem). Na realidade, desde o álbum acústico em comemoração aos 10 anos de dupla, que foi espetacular, que Rick & Renner não lançam nada fabuloso. Quem sabe na próxima.


Nota: 7

4 comentários

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.