06 abr 2010 | Lançamentos
Sobre o novo DVD da dupla Guilherme & Santiago…

O lado bom de ter um blog sobre música sertaneja no qual a galera está sempre de olho é poder ter acesso, através dos comentários deixados, a informações até então desconhecidas por nós aqui do Blognejo.

Depois que postei o texto sobre o DVD “Tudo tem um porquê”, várias pessoas deixaram comentários indicando versões originais de várias músicas regravadas por Guilherme & Santiago neste disco, mostrando que o DVD não é tããããão inédito assim. Ouçam abaixo algumas das canções em suas versões originais ou numa das versões gravadas antes da dupla Guilherme & Santiago.

1) E Daí – Ivi Rodrigues & Dann

2) Êxtase do Amor – Ivi Rodrigues & Dann

3) Que dá vontade dá – Rodrigo & Rogério

4) Pra lá de Bagdá – Allex & Wander, com participação de Tato e Nando

5) Coração Sem Juízo – João Victor & Raphael

6) O Mundo Gira (Agora é Tarde) – João Victor & Raphael

O Blognejo já lançou dezenas de debates sobre esse mesmo assunto e assumiu sempre uma posição favorável ao cantor que primeiro grava uma determinada canção, em detrimento até do próprio compositor. Com o passar do tempo, no entanto, conhecendo a realidade da música sertaneja, e principalmente me tornando amigo de alguns grandes compositores (alguns deles inclusive compositores das canções citadas acima), confesso que fiquei com uma posição meio indefinida.

Afinal, um compositor tem o direito de passar a música para quem ele bem entender quando não há um contrato de exclusividade envolvido? Um artista iniciante que grava uma canção que depois é gravada por um artista mais “poderoso” tem o direito de reclamar com o compositor da canção? E um artista de renome tem o direito de sair por aí procurando canções que já foram gravadas por outras pessoas e, portanto, já passaram pelo teste do gosto popular? Isto se o artista de renome tem ciência da existência de uma versão original da canção que quer gravar, o que por mais absurdo que pareça pode acontecer.

Adianto que a posição do Blognejo é ainda contrária ao artista que prefere regravar uma canção já existente e não lançar algo totalmente inédito. Ainda assim, como apontado no parágrafo acima, existem muitos outros fatores envolvidos. Peço a todos que comentem com suas respectivas opiniões. Em breve, postaremos mais um detalhado texto sobre o assunto. E as opiniões aqui elencadas serão levadas em consideração, com toda certeza.

15 comentários

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.