21 fev 2011 | Top Five
TOP FIVE – Fãs que atrapalham o artista

Nesses quase 4 anos de blogosfera, os fãs, sem sombra de dúvida, foram as pessoas que mais se aproximaram do Blog, positiva ou negativamente. Afinal, aqui tratamos do assunto que mais interessa a eles: os seus ídolos. E, seguindo a ordem natural das coisas, e como o ser humano adora elencar pessoas e dividí-las por tipos, acabei criando uma lista com os principais tipos de fãs. Dentro dessa lista, obviamente, temos algumas categorias de fãs que são indispensáveis para o sucesso de um artista. Os fãs que acrescentam. Mas também temos, infelizmente, fãs que ao invés de ajudar acabam, ainda que muitas vezes de forma não intencional, atrapalhando o sucesso do referido artista.

O TOP FIVE de hoje, potencialmente polêmico, visa elencar alguns desses tipos insuportáveis de fãs, os que acabam atrapalhando o artista ao invés de ajudar. Além de, claro, explicar os motivos para que tais tipos de fãs  sejam elencados entre os que “atrapalham” . O pior é que muitas vezes o próprio artista acaba não percebendo isso. Se você, leitor ou leitora, se encaixa num desses perfis, sugiro talvez uma revisão em certas atitudes. E lembre-se que estou aqui apenas para dar um alerta e não para apontar o dedo na cara de ninguém. O intuito é apenas evitar futuros exageros.

TALIFÃS

O termo “talifãs” foi criado pelo humorista Bruno Mazzeo para se referir às fãs do cantor Luan Santana, que após uma brincadeira feita por ele no Twitter cometeram os mais absurdos exageros na defesa de seu ídolo. O termo “Talifã” é uma junção do termo “fã” com o termo “talibã”, que se refere ao grupo altamente conservador e autoritário que dominava o poder no Afeganistão até bem pouco tempo atrás. A ampla utilização do termo acabou ampliando sua utilização para se referir a todo e qualquer fã (não só os do Luan Santana) que não aceite nenhum tipo de brincadeira ou crítica referente ao seu ídolo. Enfim, acabou se tornando um sinônimo de fã intransigente e que não consegue entender ou interpretar o significado de uma simples brincadeira ou crítica e acaba se enraivecendo e se manifestando negativamente, muitas vezes de forma bastante mal educada. Por que atrapalham? Ora, por deixar a imagem do artista também como a de intransigente e infantil por não aceitar as referidas críticas. Muitas vezes os próprios artistas estimulam seus fãs a agirem como “talifãs” quando alguma crítica é emitida por alguém, o que demonstra uma extrema imaturidade por parte dos próprios artistas.

FÃS QUE GOSTAM DE COMPETIR

É normal um fã considerar seu artista melhor que os outros. O problema é quando esse tipo de fã exagera nesse “achar seu artista melhor”, criando comunidades no Orkut para denegrir a imagem do artista concorrente, ou criando um perfil no Twitter apenas para ficar incomodando os outros artistas com palavras de baixo calão, ou tomando outras atitudes parecidas. O auge da manifestação desse tipo de fã é quando alguma enquete é lançada por algum grande veículo de comunicação. É nesse momento que a guerra se torna ainda mais insuportável. Por que atrapalham? Ora, por fazer com que o artista pareça não gostar de competição e ainda pareça detestar seus colegas de segmento, o que prejudica futuras parcerias ou até um relacionamento mais cordial entre os artistas.

FÃS CIUMENTOS

Quando o artista se aproxima muito de seus fãs, acaba criando um sentimento de cumplicidade em muitos deles. Alguns acabam achando que têm mais direito de estar perto deste artista que os outros fãs, seja pelo “tempo de casa” ou pela proximidade que julgam ter com o seu ídolo. Isso causa constantes conflitos entre os próprios fãs. Alguns passam a exigir do artista que tome alguma atitude no sentido de afastar aquele fã “indesejado”. Por que atrapalham? Porque o artista passa a se aproximar mais dos fãs do que o aconselhável e acaba participando de situações das quais ele deveria se afastar. Além de acabar com o “sonho” do fã magoado, que pode até convencer outras pessoas a tomarem o mesmo rumo.

FÃS QUE SE ACHAM AMIGOS OU “OUTRA COISA” DO ARTISTA

Esse se refere mais às groupies e tietes, muitas delas conhecidas como “Marias Palco” ou “Marias Microfone” ou ainda “Marias Palheta” (quando a aproximação se estende aos músicos da banda e aos profissionais da equipe). Esse tipo de fã acredita piamente que o artista tem interesse em fazer amizade e elevar aquela relação artista-fã ao nível de amizade. Arrumam um jeito de conseguir o número do telefone, o e-mail, o MSN, o Nextel. Em muitos casos, esse tipo de fã até compra um Nextel só pra poder se comunicar com os artistas e profissionais das equipes. Esse tipo de fã esquece que o artista está ali para desenvolver um trabalho. O intuito da aproximação às vezes nem é o de se aproximar de seu ídolo, mas apenas o de se conectar aos bastidores dos eventos a fim de conseguir quitutes grátis, regalias, contatos e outras coisas do tipo. Por conta disso, muitas delas (ou deles) acabam ampliando a “atuação” para um grupo maior de artistas e não apenas para um. Às vezes o artista até se deixa levar por esse tipo de situação, porque enxerga ali a possibilidade de uma noite “sexualmente agradável”, se é que me entendem. Dá até pena perceber que muitas dessas fãs realmente acham que o artista se tornou amigo delas. A ilusão nesse tipo de situação é quase sempre inevitável. Porque é óbvio que o artista não vai cometer nenhuma grosseria para afastar esse tipo de fã, mesmo querendo demais que esse fã deixe de ser tão “entrão”, por assim dizer. Por que esses fãs atrapalham? Ora, porque simplesmente tiram do artista o real foco do trabalho e lhes criam situações que podem se tornar desagradáveis posteriormente. Exames de DNA e coisas do tipo aqui incluídos.

FÃS QUE ACHAM QUE FAZEM PARTE DA EQUIPE

Esse tipo de fã, na minha opinião, é o mais desagradável. Porque dos outros tipos de fãs citados logo acima a gente ainda consegue se despistar. Mas destes aqui é quase sempre inevitável. São fãs que acham que têm o poder de conseguir qualquer coisa junto às equipes dos referidos artistas. Fãs que acham realmente que têm moral junto à equipe ou que tem total liberdade dentro dos referidos escritórios. Fãs que às vezes viajam quilômetros atrás do artista achando que vão ter quarto de hotel esperando, van para pegar na porta e levar para o show, etc. Mal sabem eles que, em muitos casos, a equipe do artista nutre uma mistura de pena e desprezo. O mais engraçado é que esses fãs gostam de esconder a real humilhação a que se submetem. Criam perfis próprios em redes sociais e fazem parecer “oficiais”. Gostam de ter a informação em primeira mão para repassar para a galera apenas para parecer que é a equipe que está repassando. Por que esse tipo de fã atrapalha? O principal motivo que vejo nesse caso é a ilusão que esse tipo de fã cria em pessoas realmente interessadas no trabalho do artista, principalmente em veículos de comunicação, que muitas vezes, por ingenuidade, acham mesmo que aquele mero fã é um membro da equipe. E isso, obviamente, atrapalha a divulgação correta do trabalho e afastam o artista da real oportunidade de divulgação. Além de prejudicar a credibilidade do referido veículo.

52 comentários
  • Allyn Melone: (responder)
    14 de julho de 2013 às 16:59

    I just want to tell you that I am very new to blogging and certainly savored your blog site. Very likely I’m planning to bookmark your site . You absolutely have amazing stories. Thanks for sharing your website.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.