14 mai 2010 | Top Five
TOP FIVE – Apenas intérpretes, mas com orgulho

Alguns artistas do meio sertanejo simplesmente não se preocupam se as músicas que cantam são ou não de sua própria autoria, preocupação essa que é frequente com outros do mesmo ramo (assunto pra um próximo Top Five). Esses artistas desencanados construíram a carreira cantando músicas compostas por outras pessoas. Muito raramente se preocuparam em gravar alguma canção que tivesse sido escrita por ou para si próprio. Eis a listinha:

5º) Daniel

daniel4

Na época do João Paulo, até que não era raro ver a assinatura do Daniel em algumas das canções, sempre em parceria com o João Paulo e/ou outra pessoa. Geralmente as canções assinadas por ele eram todas de temática rural ou raiz, como por exemplo “Poeira da Estrada”, “Olhos Claros” e por aí vai. Mas o fato é que depois da morte do parceiro, o Daniel parece ter esquecido um pouco o seu lado compositor. Corrijam-me se eu estiver errado, mas desde a morte do João Paulo, não me lembro de quase nenhuma canção que ele tenha gravado que trazia seu nome como um dos compositores.

4º) Gian & Giovani

gian-giovani

Essa dupla realmente construiu a carreira com canções compostas por outras pessoas. Puxando pela memória e com uma pesquisa “por alto”, não encontrei nenhuma canção que eles tenham gravado que tenha sido composta por um ou pelo outro. Aliás, eles costumam é “inaugurar” bons novos compositores. Foram uma das primeiras duplas a gravar canções do Pinnochio (Olha Amor), do Cesar Augusto (Nem dormindo consigo te esquecer), do Zé Henrique e de muitos outros.

3º) João Bosco & Vinícius

joao-bosco-e-vinicius1

Popularizaram a prática da regravação pop de grandes canções sertanejas. Fora isso, costumavam gravar canções que eram rapidamente inseridas no repertório de artistas maiores (Magia e Mistério) ou que eram extraídas do repertório de artistas menores (Sufoco e Falando Sério). E nenhuma delas era composição própria. Só de um tempo pra cá é que têm se preocupado mais em gravar canções de compositores que eles sabem que não vão repassar suas músicas pra ninguém. “Chora, me liga” por exemplo, é de autoria do empresário da dupla, que com certeza tem tanto interesse quanto eles de trabalhar a música sem se preocupar se o pessoal está regravando ou não. No último disco, aliás, eles ainda arriscaram incluir composições próprias (uma ou duas, não me lembro bem).

2º) Guilherme & Santiago

guilherme-santiago1

Não me lembro de nenhuma composição própria que tenham gravado. Aliás, se especializaram naquele esquema de regravar canções de trabalho de artistas em ascensão. “Cataram” modas gravadas pela dupla João Bosco & Vinícius, pela dupla João Neto & Frederico e por muitos outros. O disco novo, no entanto, apesar de trazer inúmeras canções anteriormente gravadas por artistas “pequenos”, parece não trazer nenhuma música de trabalho de ninguém em específico que estivesse se destacando em sua referida região de maneira considerável.

1º) Leonardo

leonardo1

Ele é o primeiro da lista porque ele não tem vergonha de dizer em entrevistas que não compõe nada. “Eu não componho, sou só intérprete”. Já o vi dizendo essa frase uma ou duas vezes. Quando o Leandro era vivo, ele ainda arriscava umas letras, como na canção “Amor de novela”, que aliás contava com o Leandro na primeira voz. Mas na fase solo de sua carreira, que eu me lembre assim de supetão, não arriscou mais nada.

12 comentários

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.