08 mai 2009 | Top Five
Top Five – Artistas Sertanejos da Ficção
Vez ou outra as novelas prestam certas homenagens à música sertaneja, seja através da inserção de músicas do segmento na trilha sonora ou até da inserção de personagens totalmente ligados ao nosso estilo. Atualmente, a novela “Paraíso” faz as vezes de “novela sertaneja”, papel desempenhado ano passado pela novela “A Favorita”. Hoje, uma lista de alguns dos principais artistas sertanejos que só existiram na ficção.
JHONNY PERCEBE

Na novela “Torre de Babel”, o ator Oscar Magrini vivia o personagem “Gustinho”, um malandrão que resolveu dar uma de cantor. O que o povo não sabia é que quem cantava mesmo era o irmão dele, o “Boneca”, vivido pelo ator Ernani Moraes. O “Boneca” ficava cantando nos bastidores e o “Gustinho” só dublava, mantendo o status conquistado por ele com o nome artístico de “Jhonny Percebe”. A farsa foi descoberta no programa “Planeta Xuxa”, durante uma participação especial da rainha dos baixinhos. Ao perceber a tramóia, a loira tratou de colocar o verdadeiro cantor pra se apresentar, enxotando o salafrário pra fora do palco. Pra quem não lembra, os dois eram irmãos do Jamanta, aquele que fez booooom, hehehe. E o Ernani Moraes cantava de verdade o maior sucesso do Jhonny Percebe, “Felicidade, que saudade de você”, canção emprestada pela dupla Zezé di Camargo & Luciano.

CASSIANO COPOLLA


A novela “A Favorita” trouxe um novo artista sertanejo da ficção. Tratava-se do cantor “Cassiano Copolla”, vivido pelo ator Thiago Rodrigues, um jovem que batalhava para conciliar o trabalho numa fábrica e a carreira de cantor sertanejo em ascensão. O maior sucesso do cantor foi a música “Perto, tão Longe”, que ele compôs para a amada Lara, e que interpretou até no palco do Faustão.

ZÉ CAMILO, O TERROR DAS CURRUTELAS


Na novela “Paraíso”, Daniel interpreta o peão de comitiva “Zé Camilo”, o receoso cantor conhecido como “terror das currutelas”. Todo mundo o empurra para a carreira artística, exceto ele próprio. Por insistência dos amigos, ele aceitou participar do desafio de violeiros do programa “A Hora da Viola”, apresentado pelo Geraldo Valfrido, e acabou conquistando o primeiro lugar, empatado com a dupla “Chitãozinho & Xororó do Paraíso”, que, segundo o apresentador do programa, eram até melhores que a dupla original, hehehe.

PIRILAMPO & SARACURA


Almir Sater e Sérgio Reis repetiam na novela “O rei do Gado” a parceria já realizada em várias outras novelas. Mas como dupla sertaneja fictícia, creio que foi a primeira vez. É claro que em outras novelas eles cantavam, mas na novela “O Rei do Gado” foi a primeira vez que eles interpretaram cantores sertanejos profissionais. Graças à ajuda do empresário Bruno Mezenga, eles chegaram a cantar até com o rei Roberto Carlos.

FAÍSCA & ESPOLETA


A novela “A Favorita” ainda é, pra mim, a novela que ajudou a desestereotipar a música sertaneja. Foi a primeira vez que a música sertaneja foi abordada sem que se remetesse ao campo, à roça, por assim dizer. As duas personagens principais da novela, vividas pelas atrizes Patrícia Pillar e Cláudia Raia, eram Flora e Donatela, antigas parceiras na dupla sertaneja “Faísca & Espoleta”. Toda a trama da novela girou em torno do fato de a Donatela ter decidido abandonar a dupla, causando uma eterna mágoa no coração da parceira e do empresário da dupla, o “Silveirinha”, vivido pelo ator Ary Fontoura. O principal sucesso das duas virou febre. “Que beijinho doooooce” não saiu da cabeça do povo durante praticamente toda a novela.

Em breve, mais top fives desse tipo.
3 comentários

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.