07 fev 2013 | Notícias,Top Five
Top Five – Os maiores problemas dos videoclipes sertanejos

Videoclipes sertanejos são hoje uma realidade. Mais um elemento positivo que o mercado sertanejo soube aproveitar da música pop. Cada vez mais artistas – grandes, médios, pequenos – utilizam essa ferramenta como forma de divulgação de seus trabalhos, o que é sempre bom. Videoclipes falam diretamente ao público, são uma maneira moderna de se inserir no mercado e quase sempre trazem resultados satisfatórios. Exceto, claro, se a popularização dessa ferramenta começar a deixar transparecer uma série de problemas que, em teoria, deveriam ser evitados ou corrigidos. O Top Five de hoje traz alguns dos problemas mais aparentes nos vídeos lançados nos últimos meses e algumas sugestões para tentar pelo menos minimizar esses problemas. Parece um pouco com aquele TOP FIVE dos maiores clichês de videoclipes, mas é que um está diretamente ligado ao outro.

PÓS-PRODUÇÃO

Hoje em dia a facilidade do acesso a equipamentos de última geração e do manuseio dos mesmos tornou o processo de produção de um videoclipe, de certa forma, muito simples. Qualquer Zé Mané com uma máquina fotográfica e uma lente é, em teoria, capaz de produzir um clipe. Isso faz com que detalhes importantes desse processo sejam esquecidos, em busca de um preço mais camarada. Um dos principais detalhes que obviamente estão sendo deixados de lado no processo de produção da maioria dos videoclipes recentes é a pós-produção. A edição, obviamente, é imprescindível para o processo, mas a maioria dos produtores de videoclipes não demonstram muita habilidade com o uso das ferramentas disponíveis para realizá-la, principalmente os softwares. É um tal de corta aqui e cola ali e pronto. Como a qualidade de imagem obtida com os equipamentos atuais é bem alta, o tratamento da imagem durante a edição quase sempre é descartado. Efeitos especiais, então, nem se fala. Tudo o que costuma dificultar o processo de edição é eliminado da produção.

LOCAÇÕES

Como a maioria das músicas sertanejas atuais têm temas muito parecidos, as locações escolhidas para os videoclipes acabam sendo também praticamente as mesmas. Carros de luxo, mansões com piscinas, iates e boates. Apenas isso. Como se só existisse esse tipo de cenário no mundo. Na hora de escolher um local onde o clipe será gravado, a maioria dos produtores de vídeo parece não parar 5 minutinhos pra montar uma lista de locais bacanas, pouco utilizados, diferentes, e que possam ir de encontro aos objetivos do clipe. O problema em si não são as locações. O problema é a repetição exagerada do mesmíssimo tipo de cenário de um videoclipe pro outro.

ATORES E PAPÉIS

Quase não se vê atores profissionais participando dos videoclipes. Na absoluta maioria das vezes é aquele amigo engraçado ou bonitão do artista que aceita fazer o papel principal. E o elenco feminino é a mesma turma de gostosas que costuma acompanhar o artista nos camarotes da vida. O papel principal feminino fica com uma ex-BBB decadente qualquer ou com uma mocinha bonita do círculo profissional ou de amizade do produtor do clipe. E só existem dois tipos de papel feminino nos videoclipes: o principal, que geralmente é uma desilusão amorosa, ou a gostosa que rebola. Quase nunca vemos papéis bem trabalhados, bem interpretados. Na maioria dos clipes, o que se vê é um monte de gente na frente da câmera sem um objetivo aparente.

 ELEMENTO HUMANO

Como eu disse mais acima, hoje em dia qualquer Zé Mané com uma máquina fotográfica profissional e uma lente consegue fazer videoclipes. Isso fez com que vários “profissionais do vídeo” surgissem do nada. Mas falta elemento humano de qualidade. Criatividade. Competência. Gabarito. Poucos são os profissionais dessa área com experiência ou estudo. Sabendo filmar e sabendo editar, pronto, basta fazer o clipe. Mas pra se obter um resultado de qualidade evidentemente maior, é óbvio que profissionais mais capacitados fazem muita diferença. Alguém que entenda e muito do processo de edição, um diretor de fotografia, um roteirista, maquiadores e por aí vai, além, é claro, do diretor geral.

1º ROTEIRO

Pra mim esse é o maior problema dos videoclipes sertanejos atuais. A maioria dos produtores e diretores de vídeo parece achar que basta jogar um monte de gente em um lugar qualquer e sair filmando, com cenas picadas aqui e ali, sem uma cronologia definida, sem uma ordem de fatos e cenas coerente. Muita gente esquece, por exemplo, de observar a letra da música. Apesar desse ser um dos pontos fracos da atual música sertaneja, boa parte das músicas ainda possuem letras que seguem uma cronologia, o que quase nunca é observado na produção do vídeo. Quando se fala em “roteiro”, a maioria acha que basta escrever numa folha de papel tudo o que se pretende filmar no videoclipe. Mas não basta isso. Um roteiro precisa trazer cada uma das cenas que se pretende filmar, o que quase nunca acontece.

A maioria desses problemas só acontece porque os artistas andam buscando preço ao invés de qualidade, como de praxe em qualquer situação. A cultura do “quanto mais barato melhor” chegou aos videoclipes sertanejos na mesma velocidade com que eles chegaram ao nosso segmento. Se o videoclipe é uma das melhores coisas que a música pop pôde “fornecer” ao sertanejo, que tal começarmos a nos inspirar também na qualidade das produções deles. Ora, se o Guy Ritchie já dirigiu um clipe da Madonna, se o Spike Lee já dirigiu um do Michael Jackson, e se até nos grandes clipes do rock nacional observa-se o máximo de cuidado com cada um destes elementos que apontei acima, nada mais justo que respeitarmos essa inspiração e não transformarmos essa ótima forma de divulgação em pura e simples vergonha alheia.

13 comentários
  • carlos bitencourt: (responder)
    7 de fevereiro de 2013 às 18:40

    Acho que esse vídeo segue exatamente todos os quesitos para um bom clipe, e sem falar que foge da mesmice muito bem citada por você do sertanejo atual !

  • carlos bitencourt: (responder)
    7 de fevereiro de 2013 às 18:41

    Acho que esse clipe tem todos os quesitos para um bom clipe,e sem falar que não tem aquela mesmice muito bem citada por você dos sertanejos atual. https://www.youtube.com/watch?v=gej6v4o_GWg&feature=player_embedded#at=102

    • Daniel Assis: (responder)
      7 de fevereiro de 2013 às 20:03

      Baita clipe

      • Tiago Romão: (responder)
        8 de fevereiro de 2013 às 17:16

        Aê Daniel…
        Cade aquele clipe “Fofolete Do Cão”!!!
        Aquele sim é INTERNACIONAL!!!

    • rafael kissane: (responder)
      8 de fevereiro de 2013 às 12:42

      Nussa… isso se enquadra em sertanejo? …..

  • emerson: (responder)
    8 de fevereiro de 2013 às 06:28

    Mudando assunto, vazou na imprensa que Jorge e Matheus ja nao se falam ha 4 meses, que a forte interesse do Jorge em cumprir os contratos e dar tempo, inclusive Matheus ate saiu da parceria da boate Villa Mix….mais um fim de dupla a vista?

  • Renan: (responder)
    8 de fevereiro de 2013 às 09:33

    Se é para defender bons clipes,vamos defender também a mulherada que estão arrebentando por ai e blog nenhum estão dando valor,este ano vai ser da mulherada, olhem estes dois videos,de uma cantora amiga minha aqui do Paraná,isto é video,com roteiro e boa musica:

    http://youtu.be/huTeDbOmo2k
    http://youtu.be/-hMYG3HYke0

  • rafael kissane: (responder)
    8 de fevereiro de 2013 às 12:35

    Otima materia, quanto passava o tvneja do multishow varios amigos que não majam de sertanejo sempre perguntavam se era o mesmo clipe de tão iguais que eram… nesse requisito tenho que assumir que “te vivo” do Luan Santana ė um dos melhores vai em contramao de todos esses cliches…

  • Van: (responder)
    8 de fevereiro de 2013 às 16:10

    Te Vivo é o melhor clipe que fizeram, muito bem feito.

  • Carvalho: (responder)
    9 de fevereiro de 2013 às 05:12

    O clipe “Tarde Demais” do João Bosco e Vinícius é um dos melhores do Sertanejo.

  • Victor235: (responder)
    10 de fevereiro de 2013 às 23:38

    E os que gravam clipes com música ao vivo de fundo…

  • Fernando: (responder)
    11 de fevereiro de 2013 às 15:21

    CONCORDO EM PARTES COM VC CAMARADA, MAS ISSO AE TBM TEM Q ENCAIXAR ESSE *MANÉS* Q FICA COM UMA CAMERA NA MÃO DANDO UMA DE APRESENTADOR DE PROGRAMA, E FICAM NOS CAMARINS,BASTIDORES E FESTAS ENCHENDO O SACO DOS ARTISTAS… OLHA PRO SEU NARIZ ANTES DE QUERER SE APARECER CARA !!

  • nilson: (responder)
    11 de fevereiro de 2013 às 23:36

    O maior problema dos clips sertanejos são : os cantores, que na maioria da vezes são ruins, e as musucas , quase todas um lixo….mas o povo gosta de lixo…

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.