26 dez 2011 | Notícias,Top Five
TOP FIVE – Os melhores discos de 2011

Já é uma tradição aqui no Blognejo há pelo menos 4 anos a postagem na última semana de cada ano de uma lista com os 5 melhores discos desse período. Sempre, é claro, baseado nas notas dadas nos reviews dos discos. Muita gente reclama das notas e bla bla bla, mas não consigo ver outra forma de elencar os discos a partir do melhor. Algumas notas esse ano foram motivo de grande discórdia, ou por serem baixas na visão de alguns leitores ou por serem altas. Geralmente, fãs-clubes de unem para reclamar de notas que consideram baixas e fãs mais conservadores de música sertaneja se unem para atacar uma nota alta dada a algum artista da nova geração (SEMPRE) sem sequer terem ouvido o disco.

Artistas mais tradicionais devem, na visão distorcida de muitos que comentam, ser colocados no mais alto pedestal e não podem ser criticados de forma nenhum, graças ao trabalho que realizaram durante toda a carreira. E geralmente quem sofre com isso são artistas menores, com comentários do tipo “é, pra Fulano & Beltrano, que não são merda nenhuma ainda, você deu nota boa e bla bla bla“, como se os caras, por serem artistas novos, não tivessem condições de fazer um trabalho de fato melhor que o dos artistas veteranos. Sei lá, só acho que está na hora de abrirmos um pouco mais os olhos e ouvidos. Tem muita gente boa aí precisando só de um pouco mais de atenção e de um olhar menos preconceituoso e conservador.

Feitas as devidas considerações e baseado nas notas distribuídas ao longo do ano, vamos à lista do Blognejo com os melhores discos do ano. Lembrando que foi um ano acima da média pelo menos para os artistas que já gozam de certo reconhecimento nacional e que, por conta disso, tiveram os discos analisados aqui. Tanto que este ano nenhum disco recebeu nota menor do que 8,0, o que é admirável. Nos anos anteriores, geralmente 2 ou 3 discos eram execrados nos reviews do Blognejo. Este ano nenhum disco foi execrado. Enquanto isso, a maioria dos artistas que ainda buscam um lugar ao sol continuam disputando o mercado a cabeçadas, se valendo de funknejos, adaptações desastradas de músicas nordestinas e canções com apelidos para o ato sexual. Uma pena.

Importante lembrar também que neste ano que passou não tivemos lançamentos de artistas importantíssimos do cenário sertanejo, como Jorge & Mateus, Zezé di Camargo & Luciano e outros. Para a lista abaixo, promovi na noite de ontem uma pequena enquete no Twitter com o intuito de “desempatar” os discos que haviam ganhado nota 10 no decorrer do ano aqui no Blognejo. Enfim, vamos à lista.

FRED & GUSTAVO – ENTÃO VALEU

Um trabalho muitíssimo bem filmado, produzido, conduzido, etc. Poucos discos nacionais têm seus repertórios extremamente bem pensados, analisados e tudo mais para cada ocasião específica. No máximo os artistas saem por aí procurando boas músicas. No caso deste disco da dupla Fred & Gustavo, o repertório foi composto e selecionado exclusivamente para este trabalho pelos próprios artistas em parceria com o Marco Aurélio. Músicas com conteúdo apuradíssimo. Canções incríveis, diga-se de passagem. A produção do Ivan Miyazato e do Eduardo Pepato salta aos ouvidos no que diz respeito à qualidade de arranjos. Um jeito diferente e incrível de se fazer um disco, mas que ainda não contou com a adesão de muitos artistas. Tomara que sirva de exemplo.

PAULA FERNANDES – AO VIVO

O disco sertanejo mais vendido dos últimos anos (mais de um milhão e meio de unidades entre CD e DVD). O trabalho que alçou a Paula Fernandes ao status de estrela e maior nome da música sertaneja no ano de 2011. Com produção do grande Luiz Carlos Maluly, o disco traz um repertório incrível e muito condizente com a belíssima voz e interpretação da Paula Fernandes. O cenário não ficou tããããão bacana, mas a própria Paula já embeleza toda a tela com todo o seu explendor de quem hoje é considerada um símbolo sexual. Nem precisava de cenário mesmo, hehe.

CHITÃOZINHO & XORORÓ – 40 ANOS SINFÔNICO

O terceiro DVD da trilogia que comemorou os 40 anos da maior dupla sertaneja de todos os tempos foi também o mais bem feito. Grandes sucessos da dupla e da música clássica tocados ao som da Orquestra Bachiana Filarmônica do Maestro João Carlos Martins com a participação de vários grandes nomes da MPB, como Caetano Veloso, Djavan, além de um reencontro histórico e sensacional da dupla Sandy & Junior. O DVD tam a marca da O2 filmes, do cineasta Fernando Meirelles, no vídeo, através de um documentário editado junto com as músicas, tornando este um disco talvez o mais grandioso já feito na música sertaneja. Nunca foi feito nada parecido e creio que vai demorar até que alguém ouse tentar fazer algo no mínimo parecido.

BRUNO & MARRONE – JURAS DE AMOR

O disco que trouxe Bruno  Marrone de volta a um estilo do qual não deveriam nunca ter saído. Se antes a dupla parecia desesperada ou com medo de perder espaço frente a tantos lançamentos e revelações do sertanejo chamado “universitário” e por conta disso derrapou no repertório e em regravações desastradas de grandes sucessos não só do próprio repertório como do de outros grandes artistas, no disco “Juras de Amor” testemunhamos a volta do Bruno à grandiosidade de sua interpretação, o crescimento da importância do Marrone, que arriscou alguns vocais e teve sua segunda voz mixada num volume mais alto do que de costume pelo produtor Dudu Borges, e um repertório fantástico selecionado especialmente para celebrar esse reencontro da dupla com seu estilo original, com canções absurdamente incríveis, como “Entrada Franca”.

JOÃO CARREIRO & CAPATAZ – LADO A LADO B

A dupla João Careiro & Capataz abraçou o “cargo” de representantes da tradição na música sertaneja e lançou um disco duplo com 40 músicas. No lado A, músicas de raiz tocadas com viola, percussão, violão, baixo e acordeon apenas, a maioria inéditas. No lado B, além das tradicionais músicas de escracho que a dupla têm no repertório, uma ousadia: o resgate do sertanejo romântico de outros tempos, com a participações de grandes artistas como Matogrosso & Mathias e Rionegro & Solimões. O resultado final dessa mistura garantiu um disco excepcional que caiu nas graças de 99,9% do público sertanejo, comprovando que tentar trazer um pouco da tradição sertaneja de volta à tôna é uma tática infalível. Letras excepcionais que revelam um novo gênio na música sertaneja, o João Carreiro, além de uma produção requintada assinada pelos próprios e pelo Zé Renato Mioto, que toca com a dupla, além de uma altíssima qualidade sonora. Sensacional.

Bem, é isso. Mais um ano se encerra. Para o ano que vem, tentarei repetir a promessa desse ano e ser o mais imparcial possível na análise dos trabalhos. Infelizmente, sei muito bem que vou ser acusado de todo tipo de favorecimento ou jabá toda vez que escrever algo que não agrade a fulano ou beltrano. Já me acostumei com isso. Então, que venham mais bons discos. Ruins também, para que eu tenha o que criticar também, hehehe.

67 comentários
  • Shonda Skiver: (responder)
    14 de julho de 2013 às 17:11

    I just want to mention I am just all new to blogging and certainly enjoyed your web-site. Almost certainly I’m likely to bookmark your website . You amazingly come with outstanding stories. Thanks a lot for sharing with us your web site.

  • Gus Pugmire: (responder)
    17 de julho de 2013 às 00:34

    Your place is valueble for me. Thanks!…

  • will speak: (responder)
    17 de julho de 2013 às 23:04

    Generally I do not read post on blogs, but I wish to say that this write-up very forced me to try and do so! Your writing style has been amazed me. Thanks, very nice article.

  • pest control austin: (responder)
    20 de julho de 2013 às 09:54

    This is getting a bit more subjective, but I much prefer the Zune Marketplace. The interface is colorful, has more flair, and some cool features like ‘Mixview’ that let you quickly see related albums, songs, or other users related to what you’re listening to. Clicking on one of those will center on that item, and another set of “neighbors” will come into view, allowing you to navigate around exploring by similar artists, songs, or users. Speaking of users, the Zune “Social” is also great fun, letting you find others with shared tastes and becoming friends with them. You then can listen to a playlist created based on an amalgamation of what all your friends are listening to, which is also enjoyable. Those concerned with privacy will be relieved to know you can prevent the public from seeing your personal listening habits if you so choose.

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.