18 out 2010 | Top Five
TOP FIVE – Slogans que não enganam ninguém

Antigamente era comum atribuir apelidos ou slogans a determinados artistas ou duplas. E esses apelidos ou slogans costumavam ficar realmente marcados na carreira dos artistas detentores do apelido. Milionário & José Rico são os “gargantas de ouro”, Chrystian & Ralf a “dupla mais afinada do Brasil”, Chitãozinho & Xororó os “meninos passarinhos” (pelo menos quando eram crianças ainda, hehe), Tonico & Tinoco a “dupla coração do Brasil”, e por aí vai. Atualmente, no entanto, muito raramente alguém consegue emplacar um apelido ou slogan. O Luan Santana emplacou o “gurizinho”, mas isso foi no início da carreira. Hoje ele foge desse apelido feito feito o diabo da cruz.

O problema é que hoje em dia, utilizando a máxima de que “propaganda é a alma do negócio”, tanta gente tem tentado se valer de slogans sem observar se existem outros artistas utilizando o mesmo slogan ou a mesma propaganda que fica difícil dar crédito. Junto ao público, dependendo da maneira em que tal propaganda for inserida, pode até fazer efeito a curto prazo, mas junto aos contratantes, produtores, etc, soa como repetitivo e mentiroso, o que pode até prejudicar o fechamento de possíveis contratos.

A idéia aqui é enumerar slogans ou simples frases de propaganda utilizados exaustivamente por centenas de artistas sertanejos ao redor do Brasil, mas que definitivamente não chamam mais a atenção de ninguém, por dois simples motivos: 1) por ser na imensa e esmagadora maioria das vezes uma baita mentira; 2) por ser utilizado por vários e vários artistas ao mesmo tempo. Não é uma crítica a nenhum artista em específico, mas à utilização desenfreada das mesmíssimas propagandas (muitas vezes mentirosas) por centenas de artistas. Além, é claro, de servir como alerta aos marketeiros de plantão e estimular a criatividade de todos, para ver se esse repeteco de denominações some de vez do mercado.

Ilustração genial de Régis Perassoli

“A DUPLA DA GARAGEM DO FAUSTÃO”

A crítica não é ao programa em si, muito pelo contrário. Participar da Garagem do Faustão e conseguir um destaque, ainda que seja apenas uma menção ao nome da dupla no ar feita pelo próprio Faustão é algo louvável. É o sonho de muita gente. O problema é que não dá para se valer APENAS dessa propaganda. Sem entrar no mérito da credibilidade da escolha (ainda não, mas devo entrar em breve) das duplas que se apresentam no palco ou no site do quadro, mas o artista contemplado com o destaque no Garagem tem que entender que isso é apenas um complemento à carreira. Um bom complemento, claro, mas apenas um complemento. É que alguns artistas costumam se utilizar apenas desse argumento na hora de fazer sua propaganda. A dupla ou artista precisa, aliás, mostrar que é mais do que apenas uma aparição num grande programa de TV. Além do que várias outras duplas ou artistas já passaram pela mesma experiência, o que pode tornar o slogan utilizado uma propaganda até para os artistas “concorrentes” e não só para quem fez realmente a divulgação.

“EXPLOSÃO/SUCESSO/SENSAÇÃO NACIONAL”

Esse é um macete utilizado de forma mais regional. Um artista estourado em determinada cidade ou região, a fim de passar uma impressão ainda maior a quem já conhece e é fã do trabalho, solta uma propaganda com esse slogan justamente na região onde seu trabalho já é conhecido. E isso funciona, afinal é comum a qualquer pessoa de qualquer região do Brasil e do mundo achar que aquele artista estourado em sua cidade já é uma celebridade bem maior do que ela realmente é. O problema é quando essa propaganda cai nas mãos, olhos e ouvidos de produtores de eventos e contratantes de cidades onde o trabalho deste artista ou dupla em questão não chegou ainda. Nem preciso dizer que os caras já começam a fazer piada com a propaganda do artista. Afinal os caras querem contratar sim um sucesso nacional, mas um que o público da cidade realmente conheça e a cujo show esse mesmo público realmente compareça e não o de um desconhecido.

“A NOVA EXPLOSÃO/SENSAÇÃO JOVEM/TEEN DA MÚSICA SERTANEJA”

Herança do sucesso do Luan Santana, esse slogan é a tentativa de muuuuuuitos produtores de emplacar forçadamente um novo artista sertanejo junto ao público jovem ou teen. Só que esse público não costuma engolir com facilidade as coisas que lhes são colocadas goela abaixo. O Luan Santana se destacou junto a esse público de uma maneira inicialmente natural, mas posteriormente bem gerenciada. Os caras viram o que estava acontecendo e souberam conduzir da forma mais inteligente possível até se tornar o que é hoje. Ou seja, não dá para obrigar a molecada a gostar de determinada coisa apenas porque se diz que tal coisa é a nova sensação do momento. Eles precisam realmente perceber que é isso o que está acontecendo. Se não ouvirem um colega comentando e angariando mais fãs para aquele artista, eles não vão se interessar. Além, é claro, do fato de se tratar de um público muito instável. Hoje eles amam determinado artista. Amanhã, no entanto, amarão outros e por aí vai. O artista que quer se utilizar da alcunha “teen” tem que estar preparado para modificar seu trabalho para se adequar a um público mais maduro quando os jovens já não estiverem demonstrando tanto interesse.

“SENSAÇÃO/REVELAÇÃO/DESTAQUE DE BARRETOS 2007/2008/2009/2010…”

Essa é de praxe. Todo ano, logo após a festa do peão de Barretos, chovem propagandas de artistas em todos os meios de comunicação possíveis e imagináveis com uma das frases acima. Aliás, uma das variações acima, hehe. Só que todo ano em Barretos se apresentam dezenas (ou centenas) de artistas nos palcos do parque do Peão e outras dezenas (ou centenas) em festas particulares realizadas na cidade durante o período de festa. E tanto os artistas que tocam num dos palcos como os que tocam nessas festas costumam se valer dessa mesma propaganda. Mesmo que um gigantesco número de festas tenha surgido ao redor do Brasil, algumas até com importância quase maior (como o Caldas Country Fest), alguns ainda acham que tocar em Barretos rende contratos para o ano todo. Tá, pode até ser que renda mesmo. Mas também é uma piada recorrente entre contratantes e produtores de evento. Sei disso porque ouço reclamações deles o dia todo, hehe. Afinal muitos destes artistas sequer são lembrados pelo público no dia seguinte à apresentação na maior festa do peão do Brasil. Como podem dizer, então, que foram a revelação da festa?

“NOVA EXPLOSÃO/SUCESSO/SENSAÇÃO DO SERTANEJO UNIVERSITÁRIO”

Como eu já disse num texto recente (aliás um dos textos mais comentados e elogiados da história do Blognejo), o sertanejo universitário acabou. É um rótulo que quase não tem mais força no mercado. Todas as duplas e artistas que um dia se valeram desse termo e que hoje alcançaram sucesso nacional sequer gostam de utilizá-lo para descrever suas referidas carreiras. O sertanejo universitário concluiu sua graduação e passou para a etapa seguinte de sua história profissional. A sensação que dá é que os artistas que ainda caem na bobagem de utilizar o termo como bandeira estão repetindo matéria, feito aqueles caras que demoram 8 a 10 anos pra concluir o curso. Ou seja, utilizar esse termo em suas propagandas é praticamente declarar que o trabalho ainda não evoluiu. Fora que é, provavelmente, o slogan mais utilizado de toda a história da música sertaneja. É tanto artista e tanta dupla utilizando o termo em suas propagandas que fica difícil (mesmo) definir quem é quem e até de se interessar em conhecer o trabalho.

Dependendo da repercussão deste texto, pode ser que tenhamos outros com a temática dos erros comuns aos artistas sertanejos em busca do sucesso.

20 comentários

Redes sociais
Sobre o autor
Marcus Bernardes é bacharel em direito e entusiasta da música sertaneja. Criou o Blognejo com o intuito de falar de maneira séria e digna sobre o segmento. Hoje é o veículo mais respeitado do meio, sendo referência em coberturas de eventos, lançamentos, entrevistas e análise de mercado.