A ARTE DE ENGANAR O PÚBLICO – O Marketing do Factoide

A ARTE DE ENGANAR O PÚBLICO – O Marketing do Factoide

Este talvez seja o mais difícil dos textos que já escrevi para esta sessão. É que, como todos sabem, eu sempre busquei apontar nesta famigerada sessão algumas artimanhas que artistas usam para ludibriar o público, sejam elas positivas ou negativas, mas nunca citei nomes, até para evitar possíveis retaliações posteriores. Mas no caso do tema de hoje não daria para não imaginar de quem eu estou falando. Qual a solução que encontrei, então, para este caso? Trabalharemos na base da suposição, do “e se…”. Não é a melhor saída, mas é a mais fácil no momento. Até porque, como nos outros casos apontados nesta sessão, não é possível apontar com certeza quem se vale de tais artimanhas. São apenas hipóteses, boatos…

Segundo a Wikipédia, “um factoide é um fato divulgado com sensacionalismo pela imprensa, seja verdadeiro ou não. O propósito de um factoide é gerar deliberadamente um impacto diante da opinião pública de forma a manipulá-la de acordo com as aspirações de poderosos grupos que se utilizam de sua influência na mídia“. Acho que já deu pra sacar do que eu vou falar neste texto né? Sim, de notícias ou fatos urgentes, inesperados, intencionais ou não que caem na imprensa e atraem a atenção em determinado momento para os artistas personagens dos tais factoides.

Como bem explicado na definição da Wikipédia, o factoide pode ser verdadeiro ou não. Alguns factoides da história recente da música sertaneja podem ser facilmente apontados e, mesmo sendo tristes e verdadeiros, de fato ajudaram a manter seus personagens em evidência junto à imprensa. A separação e a volta da dupla Edson & Hudson, por exemplo, o acidente e o afastamento do Marrone dos palcos e outros. Mas o foco deste texto são os factoides cuja veracidade é questionada por uma grande parcela do público. No caso específico, como não dá pra fazer o texto sem dizer de que caso se trata, a “separação” da dupla Zezé di Camargo & Luciano.

Durante o Caldas Country, o Sorocaba declarou a um dos órgãos de imprensa presentes que ficou bastante chateado com a repercussão da história da separação de Zezé & Luciano e como essa história abafou completamente a repercussão das notícias a respeito da gravação do DVD “Acústico 2”, que Fernando & Sorocaba realizavam também em Curitiba e que por coincidência estava se encerrando bem no dia da tal “separação”. Não dá para não notar nessa declaração do Sorocaba um certo ressentimento e uma alfinetadinha, ainda que de leve, no que diz respeito às reais intenções por trás deste fato.

Quem estava atento tanto à TV quanto à Internet no dia 27 de outubro de 2011 provavelmente vai se lembrar que a notícia da separação foi divulgada quase que instantaneamente no Jornal da Globo. Quase um “Plantão da Globo”. Sem falar os veículos de Internet que veicularam um vídeo logo após o Luciano subir no palco dizendo que deixaria de cantar com o Zezé. O que já não é tããão surpreendente, afinal todo mundo sabe que na Internet as notícias são de fato instantâneas. “Porra, Marcão, você está levantando essa dúvida baseado apenas na rapidez com que a notícia foi divulgada”? Não, meus amigos. Burburinhos posteriores e coincidências é que indicam que existem vários outros fatores que levantam a hipótese de que tudo aquilo poderia ter sido previamente planejado.

Em primeiro lugar, por qual motivo a cidade de Curitiba teria sido o palco “escolhido” para tal acontecimento? Temos o fato de que boa parte da imprensa sertaneja estava atenta ao que acontecia na cidade naquela semana por conta da gravação do primeiro DVD em 3D do Brasil, por acaso o da dupla Fernando & Sorocaba. Uma mão na roda no que diz respeito à divulgação dos acontecimentos com a rapidez necessária.

Na semana seguinte, a dupla tinha uma entrevista agendada no programa do Jô, o principal programa de entrevistas da TV brasileira. Como era de se esperar, boa parte da entrevista girou em torno da tal separação. Isso numa terça-feira. Entre a quinta-feira (dia do fato) e a terça-feira seguinte (o dia do Jô) a dupla ainda foi personagem de uma série de programas de TV. Em ordem cronológica, primeiro nos telejornais, enquanto o Luciano ainda se encontrava em recuperação por conta da tal mistura de Whisky com Rivotril, depois nos principais programas da Rede Globo e, só depois do dia 07/11, nos programas dos canais concorrentes. O sensacional crítico da Uol Mauricio Stycer fez uma interessante “cobertura” da maratona televisiva da dupla Zezé di Camargo & Luciano neste texto e também neste. “Jornal Nacional”, “Programa do Jô”, “Bom Dia Brasil”, “SPTV 1ª Edição”, “Domingão do Faustão”, “Fantástico”, “Mais Vocꔝ . Uma pequena lista dos programas da Globo dos quais a dupla participou somente entre os dias 27/10 e 07/11.

Tá certo que, por se tratar de Zezé di Camargo & Luciano, não seria tão absurdo assim que alguns destes programas tirassem da sua pauta alguém previamente  agendado para incluí-los, principalmente a fim de aproveitar a imagem em evidência por conta da “separação”. Mas todos com certeza imaginam a dificuldade e a antecedência com que uma entrevista no Jô ou uma ida ao Faustão devem ser agendadas. Enfim, outra coincidência no mínimo estranha. Das duas uma: ou a notícia dessa separação teria motivado a ida da dupla a todos estes programas ou, numa hipótese muito absurda, a proximidade da data de veiculação destes programas teria motivado o factoide.

Tudo isso parece extremamente fantasioso e absurdo, mas se formos parar para analisar, não é tão impossível assim de ocorrer. Na verdade, implantar notícias na imprensa a fim de que se tornem factoides e os personagens envolvidos possam colher os louros de uma intensa exposição na mídia é uma prática usual. É óbvio que não dá para brincar com uma história dessas. O Luciano foi para o hospital e tudo. Seria um despaltério pensar que tudo isso seria nada mais nada menos que a maior mentira já contada na história da música sertaneja. O problema é que são tantas pequenas coincidências e burburinhos que a gente começa a imaginar coisas. Além do mais, assim que o Luciano saiu do hospital, a dupla já estava de volta, como se tudo não tivesse passado de uma brincadeira de criança num 1º de abril qualquer. Um factoide como esse, enfim, pode de fato ser favorável aos artistas envolvidos no que diz respeito à exposição na mídia. Verdadeiro ou não, o resultado alcançado por conta dessa exposição é o que importa.