A construção de uma musa

Algo tem acontecido com a cantora Paula Fernandes de uns meses pra cá. Algo que salta aos olhos. Não a sua beleza e nem a sua voz, que na verdade são as mesmas desde sempre. Mas o modo como o planejamento de sua carreira se modificou tão rápida e inteligentemente a ponto de tirá-la da condição de ilustre desconhecida cuja voz estava em todas as novelas para o status de musa da nova música sertaneja. Não sei que lamparina se acendeu sobre as cabeças dos responsáveis pela administração da carreira da Paula Fernandes, só sei que é louvável e digno de uma postagem como esta aqui no Blognejo.

Toda a divulgação do projeto “Paula Fernandes” durante os trabalhos com o disco “Pássaro de Fogo” se baseou apenas em suas músicas nas trilhas de novelas e nas rádios. Por incrível que pareça, sua imagem era pouco conhecida. Afinal, quantas vezes ela esteve em programas de TV de expressão nacional? Que eu me lembre, ela participou uma vez do programa Sílvio Santos (e arrancou longos e embaraçosos elogios do apresentador octagenário), uma do Domingão do Faustão e… bem, acho que só, hehe. O pior, nesse caso, é que esse processo durou quase dois anos, afinal foi praticamente esse o tempo entre o lançamento do CD e o do novo DVD.

Suas músicas dominando as trilhas de novela e sua voz arrebatadora ainda eram ouvidas pelo grande público sem que se ligasse o nome à pessoa. Só quem conhece música sertaneja é que sabia de quem se tratava. Agora aquela dona de casa que só sabia quem era um artista quando ele estava o tempo todo na TV muito provavelmente não se preocupava em saber quem era a dona daquela maravilha de voz. Só se preocupava em ouví-la, claro. A dona da voz mal aparecia na TV mesmo. Para quê se preocupar em conhecê-la então? Não por menos, seu CD foi um dos mais vendidos do ano de 2010. Ultrapassou as 100 mil cópias.

No entanto, não sei se providencialmente por conta do lançamento de seu novo trabalho a estratégia foi modificada. E tudo a partir de um boato. Convidada a participar do especial de fim de ano do Rei Roberto Carlos, Paula Fernandes passou a ser apontada como seu possível novo affair, por conta dos elogios rasgados do Rei. Boato implantado na imprensa ou não (pelo amor de Deus, não estou dizendo que foi), o fato é que  a repercussão deste boato deu a Paula Fernandes a notoriedade de que ela precisava.

Entrevistas no Fantástico, desfile em carro alegórico da Escola de Samba campeã do carnaval de 2011, matérias de destaque em grandes revistas de entretenimento, notas em blogs, sites e revistas de fofoca e participações em programas de TV como o “Altas Horas” e o “Estrelas”. Ao invés da tímida inserção de sua imagem no processo de divulgação de seu trabalho, passaram a se valer da superexposição. E as consequências dessa mudança de estratégia estão cada vez mais evidentes.

Era engraçado como antes alguns poucos marmanjos se atreviam em arrastar uma asa pela Paulinha. Hoje virou uma regra. Todo homem fã de música sertaneja adoooora a Paula Fernandes, se é que vocês me entendem. As mulheres, em contrapartida, insistem apenas em alfinetar seu vestuário. De vez em quando eu vejo alguns homens tecendo comentários sobre o vestuário dela, mas isso já é de se estranhar, hehe.

O fato é que ela está definitivamente se consolidando como musa da nova música sertaneja. Houve um tempo em que esse posto era ocupado pela Sula Miranda, que chegou a ficar conhecida como rainha dos caminhoneiros. Chegou a estrelar um comercial beeeeem picante de uma marca de chuveiro e outro tão picante quanto de um CD lançado por ela. Mas o fato é que a Sula não chegou a ter o sucesso que a Paula Fernandes conquistou. As músicas da Paula Fernandes conquistaram um respeitável sucesso. Podem não ser megahits, mas é complicado não parar pra ouvir quando elas começam a tocar.

Talvez ela nem precisasse ter se valido de um boato para conquistar o espaço na mídia que ela merecia. Mas será que ela teria conquistado este espaço se não o tivesse feito? A Paula Fernandes corria o sério risco de se tornar uma nova Deborah Blando. Apesar de não ser do segmento sertanejo, a Deborah também era linda, tinha uma belissima voz e era figurinha tarimbada em trilhas de novela. Hoje em dia, no entanto, ninguém nem faz questão de saber por onde ela anda.

Apesar dos métodos questionáveis, creio ser totalmente válido se aproveitar de um factóide inocente para tornar sua imagem conhecida. Principalmente se essa imagem e o conteúdo dela realmente formarem um conjunto de qualidade. Diferente de Marias Chuteiras ou de Celebridades tipo B que engravidam de jogadores de futebol, cantores e etc, com o único intuito de garantirem seu pé de meia pelo resto da vida (Luciana Gimenez que o diga), a Paula Fernandes só quer divulgar seu espetacular trabalho. Sendo assim, creio que até o próprio Roberto Carlos se orgulha de poder servir apenas como um mero instrumento. Quem não se orgulharia?