A dignificação da música sertaneja

Desde 2005, com o lançamento e o conseqüente sucesso do filme “Dois Filhos de Francisco”, aliado ao crescimento do estilo sertanejo entre os jovens, temos observado no Brasil um fenômeno gratificante: a música sertaneja tem sido tratada com mais dignidade.

Antes do filme, o estilo era tratado como chacota. As pessoas tinham vergonha de admitir que gostavam de música sertaneja. O segmento era restrito à fatia de população concentrada nas cidades do interior do Brasil, o que já era bastante, na verdade. No entanto, com o sucesso do filme, o Brasil passou a encarar a música sertaneja com outros olhos.

Esse ano, outro fato também demonstra que a opinião pública mudou de postura na abordagem da música sertaneja. Estreou há duas semanas na Globo a novela “A Favorita”, que trata de duas ex-amigas, parceiras numa antiga dupla sertaneja (Faísca e Espoleta), que disputam o amor da filha de uma delas, criada pela outra, entre outras tramas relacionadas. A diferença é que o fato de as duas terem sido parceiras numa dupla sertaneja tem sido tratado na novela com imensa naturalidade. Com um sentimento de nostalgia, até. Em outros tempos, tais personagens seriam, no mínimo, caricaturais ou satíricos, fazendo parte, muito provavelmente, de uma comédia pastelão. Hoje não. As personagens das atrizes Patrícia Pillar e Cláudia Raia são profundas e ao mesmo tempo completas. Além disso, a Cláudia Raia tem dado um show de interpretação como Donatela, a perua com sotaque sutil, mas característico realmente de uma cantora das antigas. Ela lembra até a Valéria da antiga dupla “As Mineirinhas”, que hoje trabalha como backing vocal da dupla Guilherme e Santiago.

A novela ainda conta com o Copola, personagem de Tarcísio Meira, que promove, na novela, sarais semanais embalados por uma boa e tradicional música sertaneja, tocada por uma banda da qual fazem parte seu filho e seu neto, vividos respectivamente por Chico Dias (outro fantástico ator) e Tiago Rodrigues, namorado da protagonista da novela, Mariana Ximenes.

Se fosse uma novela de Benedito Rui Barbosa, ambientada na roça, pura e simplesmente, até que seria normal. Mas “A favorita” é uma novela urbana. O campo é tido, na novela, como refúgio. Donatela e Flora (Patrícia Pillar) disputam também o amor de um jornalista que, em um dos capítulos, foi convidado por Flora para um show de uma dupla fictícia e disse, com imensa naturalidade, que iria, apesar de não ser muito adepto do estilo. Em outros tempos, veríamos o cara gargalhando na cara da mulher.

E preparem-se: essa semana veremos tal fenômeno ocorrer também no seriado “Malhação”, quando a personagem de Yasmim (Mariana Rios) decide se tornar uma cantora country. E mês que vem, o mais improvável: uma dupla sertaneja na MTV. Isso mesmo, Chitãozinho e Xororó participarão do projeto Estúdio Coca-cola Zero, juntamente com a banda emo Fresno. O projeto visa misturar estilos. Já foram realizadas as misturas de axé com rock (Babado Novo com CPM 22), rock com MPB (Vanessa da Mata e Charlie Brown Jr), entre outras.

Tem gente que acha que é um sinal do fim dos tempos, mas eu continuo afirmando: enfim estão dando o valor que a nossa música sertaneja merece.

Deixe seu Comentário

seu endereço de e-mail não será publicado.