A rota da música sertaneja no mapa do Brasil

Você já parou para pensar que a música sertaneja faz um caminho no mapa do Brasil? Não ainda?

Olhando o mapa um dia desses, percebi que existe uma rota para se fazer sucesso com música sertaneja no nosso país, e ela passa pelo “C” do Brasil, com o perdão do famigerado trocadilho. Olhando um pouquinho melhor e pesquisando mais, descobri que os maiores nomes da música saíram dessa rota.

mapa

Como você pode observar no mapa acima, o roteiro começa em Minas, mais precisamente no triângulo mineiro. Nomes como Victor & Leo, Eduardo Costa, Luis Claudio & Giuliano e César Menotti & Fabiano. Veja bem, muitos desses artistas são de outras cidades, mas estouraram nesse eixo: Uberaba, Uberlândia, Patos de Minas e adjacências.

A nossa rota segue por Goiás: Goiânia, Pirenópolis, Itumbiara, Goianápolis e etc. Desse estado saíram as duplas Zezé & Luciano, Leandro & Leonardo, Chrystian & Ralf, Bruno & Marrone, Jorge & Mateus, João Neto & Frederico entre outros. Sem dúvidas o maior celeiro sertanejo da história da música.

Na sequência, o caminho é Mato Grosso do Sul: João Bosco & Vinícius, Grupo Tradição, Luan Santana e Almir Sater. As cidades de Coxim e Aquidauana, mas principalmente Campo Grande tornaram-se uma cidade chave para a música sertaneja.

Nossa viagem continua pelo norte do Paraná: Londrina, Maringá, Apucarana e mais recentemente Curitiba. Influenciados pela música sertaneja do interior paulista os paranaeneses passaram a se destacar na música. Artistas como Hugo Pena & Gabriel, Chico Rey e Paraná e até mesmo Chitãozinho e Xororó são Paranaenses. Fernando & Sorocaba, apesar de não serem do Paraná, foram alçados ao sucesso nessa rota sertaneja.

Fechando nosso roteiro, passamos pelo interior de São Paulo. A Região de Sorocaba é o berço da música sertaneja. Cidades como Botucatu, Piracicaba, Itapetininga, Brotas, já formaram uma região rica para o surgimentos de artistas sertanejos. Fora dessa região destacam-se as cidades de Barretos, Campinas, Jaguariúna e Limeira. Desses municípios saíram grandes nomes como Tonico & Tinoco, César & Paulinho, João Paulo & Daniel e Edson & Hudson.

É interessante observar que a capital paulista fica fora do nosso “C”. Sabe por que? A cidade de São Paulo não tem grandes nomes da música sertaneja nascidos, criados e revelados por ela mesma. Para um artista, não estourar em São Paulo é não estar 100% consagrado. Mas isso não acontece sem que antes ele tenha feito sucesso em alguma outra região, nesse eixo do qual estamos falando. Em outras palavras, São Paulo é apenas uma vitrine, não revela ninguém.

Entre os nomes que batalham na capital Paulista estão Beto & Marcio, Ronny & Rangel, Anderson & Alysson e Lincon & Luan, que mesmo tendo caído nas graças de casas como Villa Country e Estância Alto da Serra e das rádios Nativa e Tupi FM tem dificuldade para estourar. Tudo isso para se ter uma idéia do quanto é dificil de se ganhar o Brasil partindo de São Paulo.

Excessão à regra, a dupla Marcos & Belutti vem ganhando espaço, mas nadando contra a correnteza. Nascidos e criados em São Paulo os músicos foram descobertos por Bruno (Bruno & Marrone) e Amauri Pereira e há quase 2 anos tocando juntos já estouraram várias canções Brasil afora. Justifica-se o sucesso: antes de cantores os artistas já eram compositores, tendo canções gravadas por Zezé & Luciano e Edson & Hudson, por exemplo.

Mas apesar de tudo as coisas mudaram bastante na última década para a música sertaneja. De 10 anos para cá cantores de lugares nunca antes imaginados ganharam as paradas e os corações do público. Mesmo assim, com tudo isso uma coisa é certa: se você é cantor e tem uma dupla, corra para a região “C”. Se você está em São Paulo tentando a sorte, fuja daí. Se você é goiano, tem grandes chances de estourar cantando sertanejo.

Mas se só gostar do som, aí você pode curtir de qualquer canto do país. Graças a Deus, este é o estilo musical número um do país. Afinal, quem não tem um pé na roça ou no interior?