Blognejo no Ídolos 2011

Fotos: Luciana Santos / Não, essa foto dos jurados não foi retirada durante a minha audição, haha.

Na última semana, o ritmo lento no Blognejo se deu por conta do tempo que tive que dispensar para participar das audições do Ídolos, que teve uma das etapas realizada aqui em Uberlândia. Sempre tive vontade de participar, e com o programa sendo gravado aqui mesmo onde eu moro não tinha desculpa para eu deixar de fazê-lo. “Ah, Marcão, mas ‘Ídolos’ nao dá futuro pra ninguém, ninguém estourou depois de um reality show“. Tá, mas para quem vive a música, ama o que faz e não tem dinheiro para um investimento pesado numa carreira, o Ídolos é uma grande oportunidade, mesmo que apenas para criar visibilidade para determinado artista.

O mais interessante é que certos preconceitos são desfeitos durante essa labuta. Em primeiro lugar, aquela primeira etapa, com o candidato sendo ouvido pelos jurados, na verdade é a QUARTA etapa. Ou quinta, se contarmos a inscrição em si. Entendam, as audições começaram com 7 mil inscrições, mas somente 1400 (e uns quebrados hehe) compareceram ao primeiro dia. Nisso, se dá uma primeira peneira, com uma comissão julgadora formada por membros da cena cultural local. De 1400, passamos para cerca de 600 candidatos para o segundo dia. Aqui, os candidatos são ouvidos por membros da produção do programa.

Nesta segunda etapa, fui ouvido e aprovado por ninguém menos que o grande Ringo, talvez o maior profissional do “backing vocal” sertanejo. Para o terceiro dia, são aprovados cerca de 300 candidatos. Já neste dia, com as gravações realizadas no local da audição com os jurados, os próprios diretores do programa é que avaliam os candidatos. Fui novamente aprovado para o quarto e último dia, este sim o das audições com a turma que aparece na TV: Marco Camargo, Rick Bonadio e Luiza Possi (que entraram no lugar do Calainho e da Paula Lima), além de um jurado convidado, no caso o Alexandre Pires.

Acabei sendo um dos últimos a passarem pelo crivo dos jurados e, apesar de dizerem que eu cantava bem e tudo mais, ainda não tinha todos os requisitos necessários para me tornar o “novo Ídolo do Brasil”. Enfim, não fui aprovado, mas pelo menos não fui humilhado, hehehe. Arrisco dizer que a minha audição foi até meio chatinha, o que pode até significar que não seja transmitida na TV.

É importante ressaltar que todos os candidatos aprovados realmente eram muuuito bons. Não testemunhei conchavos e nem costas quentes em nenhum momento. E a espera é muuuuuuito longa para que alguém queira diminuir a importância com palavras babacas como “ah, mas isso aí num vale de nada não” ou “credo, você participou dessa bobagem?“. No total, esperei 36 horas (9 horas por dia). Fiz muitos e incríveis novos amigos, o que sempre acontece em ocasiões desse tipo. Saí satisfeito no fim das contas, mesmo não tendo sido aprovado. Foi uma experiência incrivelmente válida e importante para me abrir os olhos para uma possível nova forma de me enxergar enquanto artista.

Durante os dois primeiros dias de audições, colhi alguns depoimentos e canjas de alguns candidatos que defenderam a bandeira da música sertaneja. O resultado você confere no vídeo abaixo, que modéstia à parte está hiláááário. Vale muito a pena conferir.

Um abraço a todos. Quem sabe no ano que vem eu participo de novo. Vamos vendo até lá, hehehe.