Bruna Viola grava seu primeiro DVD com repertório lotado de clássicos

Bruna Viola grava seu primeiro DVD com repertório lotado de clássicos

É provável que não haja no mercado um “produto” mais inusitado que a cantora e instrumentista Bruna Viola. Linda, loira, com todas as características de uma musa, mas que defende a bandeira mais masculina da música sertaneja: a da viola caipira. Conhecida pelo seu exímio talento com o instrumento, Bruna Viola é uma rara defensora de uma vertente pela qual as mulheres não costumam circular. Tudo isso faz dela, sem dúvida, um dos mais exclusivos e diferenciados produtos do mercado sertanejo.

Tais características chamaram a atenção de uma grande gravadora. A Universal anda apostando (e muito) no talento da Bruna e no potencial dessas suas peculiaridades. Por conta disso, a temos visto com muita frequência nos mais variados programas de TV, o que chama a atenção, já que se trata de uma artista teoricamente desconhecida do grande público. Mesmo assim, ela já cantou duas vezes no palco do Altas Horas, duas no Encontro com Fátima, e em vários outros grandes programas de TV.

O empenho da Universal na carreira da Bruna Viola reavivou um antigo formato administrativo: o gerenciamento de carreiras feito por gravadoras. Não que as gravadoras tenham parado de tomar conta das carreiras de artistas em definitivo, mas convenhamos que a queda na vendagem de discos devido à pirataria as enfraqueceu e acabou fortalecendo ainda mais os escritórios independentes, que sempre foram maioria mas, pelo menos em outras épocas, eram muito mais dependentes das gravadoras do que hoje em dia. Convenhamos que a guerra contra a pirataria, da qual as gravadoras saíram derrotadas, durou mais do que deveria e, por isso, demorou até que elas acordassem para outros métodos de trabalho fora a venda de discos. Para a Bruna Viola, especificamente, a Universal conta com o apoio da Live Talentos, que gerencia as carreiras de Chitãozinho & Xororó, Edson & Hudson e diversos outros.

A parceria entre a Bruna Viola e a Universal acabou se mostrando ousadíssima. Ora, como eu mencionei mais acima, a moça é a mais diferente possível das artistas. Ela representa um território e um nicho totalmente inexplorado. Ou seja, a Universal resolveu mesmo ir por onde ninguém havia ido ainda. O trabalho de divulgação do seu último CD foi exemplar, pelo menos no que diz respeito à exposição midiática da Bruna. A gravação do DVD, realizada no Villa Country há alguns dias, coroa, portanto, esse trabalho e abre caminho para uma nova etapa, que tende a ser mais agressiva.

Aliás, é curioso como, em 7 anos de viagens a todos os tipos de gravações de DVD possíveis, essa foi a primeira vez que fui a um DVD gravado no Villa Country, uma das mais emblemáticas casas sertanejas do país. Gravado na área Saloon do Villa Country, o DVD aproveitou a atmosfera rústica do ambiente e se valeu de um cenário mais orgânico, mas com uma quantidade gigantesca de movings, o que deve render imagens fantásticas, como dá pra ver pelas fotos. Cesar Menotti & Fabiano foram as únicas participações do DVD, repetindo a parceria do CD da Bruna na música “Se Você Voltar” e gravando uma releitura do clássico “Rio de Lágrimas”.

Aliás, é no repertório que talvez resida a maior aposta (e risco) do DVD. É que a Bruna Viola já é, por si só, uma artista com muitas características inéditas. Não existe nenhum precedente de uma jovem com perfil de musa mas jeitão de bruta tocando viola. E ao invés de optarem por um repertório mais comercial e menos arriscado, o DVD virá lotado de canções clássicas como “Caminheiro”, “Rio de Lágrimas”, “Marvada Pinga”, “Pagode em Brasília”, entre outras. Claro que todas elas com o virtuosismo da Bruna na viola, que consegue misturar sua expressão corporal com a viola de um jeito que salta aos olhos.

Mesmo assim, ainda é um repertório arriscado se a intenção for levar a Bruna para um mercado mais amplo. Se a fatia do mercado que ela poderia explorar já é restrita, o repertório do DVD pode restringir mais ainda. O que temos visto é a imagem dela sendo trabalhada como a representante feminina da vertente bruta do sertanejo. Só que os representantes do sertanejo bruto, conforme já mostrei aqui no Blognejo diversas vezes, cantam atualmente uma linha bem mais comercial e quase nunca se arriscam num repertório mais clássico, bastante explorado pela Bruna neste primeiro DVD. Talvez para amenizar um pouco disso, ela canta algumas músicas no violão ou sem nenhum instrumento, navega por um lado mais romântico em algumas músicas, além de ter trocado diversas vezes de roupa durante a gravação, cantando inclusive sem chapéu em algumas faixas, o que pode suavizar a sua imagem “bruta”.

Mas como eu expliquei, trata-se de uma aposta e, portanto, um risco. Como não há precedentes de uma artista no perfil da Bruna Viola, é impossível dizer com certeza o resultado que ela vai obter. Até o momento, o resultado tem sido mais evidente em exposição na mídia. O repertório do DVD tem canções com um bom potencial radiofônico, que remetem inclusive a uma linha mais “Paula Fernandes”, o que pode ser um bom caminho, já que a própria Paula não goza mais do mesmo prestígio de outrora. Cabe à Universal agora, em parceria com a Live, entender e administrar todas essas exclusividades da Bruna e fazer dela um sucesso, mesmo ela fazendo parte de uma vertente assim tão restrita.

Abaixo, algumas fotos da gravação.