Cada Palmo dessa Estrada eu Conheço bem…

Olá Amigos…

Alguns dos capítulos mais importantes da história da música sertaneja foram escritos na década de 90. Compositores e produtores como César Augusto, Cecílio Nena, Joel Marques, Nil Bernardes, entre tantos outros, foram fundamentais para que a música de hoje fosse a força que é.

Um desses personagens me recebeu em sua casa há cerca de duas semanas para um bate-papo. Nada menos que o compositor e produtor Antonio Luiz . Toninho, como é conhecido no meio, é o autor de inúmeros sucessos, alguns deles nas vozes de Zezé Di Camargo & Luciano, a quem se refere com muito carinho.

Toninho é ainda o grande vencedor do Grammy 2009 pela produção do CD “Coração Estradeiro”, de Sérgio Reis. Esse bate-papo bacana durou cerca de 2 horas e vai virar uma matéria completa aqui no Blognejo. Por hora vou contar uma de suas inúmeras histórias registradas durante nossa conversa.

O ano era 1990 e Zezé Di Camargo, ainda um ilustre desconhecido, procurou Antonio Luiz e os dois conversaram sobre a música “Rédeas do Possante”, para o primeiro disco de Zezé com o irmão Luciano. Depois de alguns ajustes a música entrou no repertório e, como era de costume, Toninho foi até a editora Warner para receber um adiantamento pelas canções editadas.

Pela mesma gravadora, Antonio Luiz tinha participado da música ” Não sei mais o que faco” que estava no disco “Sem Saída”, gravado por Odair José. A canção estava bombando nas rádios por conta de uma mídia fortíssima. Pela música de Odair José, conta Antonio Luiz, foi lhe dado um valor que hoje seria algo em torno de R$ 5 mil. Questionado sobre o adiantamento da canção “Rédeas do Possante”, Marquinhos, diretor da Warner, sentenciou: “Por Zezé Di Camargo eu não dou adiantamento! Quem é Zezé Di Camargo?”

Toninho acabou recebendo um trocado qualquer pela música e foi para casa chateado. Sem imaginar que seis meses depois o trabalho ganharia disco de platina duplo por 750 mil cópias. E em pouco mais de um ano atingiria a casa de 1 milhão de cópias.

A canção, assim como o disco todo, foi um sucesso. Quando foi ao banco retirar sua parte pela vendagem da música, o compositor quase caiu de costas:

“- Moço, o senhor não pode retirar esse dinheiro!

– Não?! Mas porque não? E quanto é “esse dinheiro”?”

Segundo o compositor, saindo do banco ele passou numa concessionária e comprou á vista um Escort Zero KM, o carro do ano que era seu grande sonho de consumo.

dsc027563

Antônio Luis, de barba, entre amigos

Muito de seu sucesso Antonio Luis dedica a Zezé, como a história da canção “Dou a Vida Por Um Beijo”. Mas essa e outras passagens interessantíssimas vão estar na nossa matéria da próxima segunda-feira aqui no Blognejo.

Um grande abraço e até lá.