COMENTÁRIOS DA SEMANA

Antes de mais nada, quero esclarecer que eu, Marcus, autor deste blog, não sou nada além de um grande fã de música sertaneja que, diante da pouca ou nenhuma disponibilidade de informações sobre o nosso segmento na Internet, resolveu tomar uma atitude, passando a escrever eu mesmo tudo aquilo que eu gostaria de encontrar na rede sobre o nosso amado estilo. Sendo assim, quero deixar bem claro que não sou nenhum expert. Tudo o que sei sobre música sertaneja, fui pesquisando e aprendendo sozinho. Então, se algum comentário da minha parte for contra o que algum dos nossos queridos leitores acreditam, não tenham receio de comentar. Se eu falar alguma besteira, não exitem em me corrigir. Eu sou só um cara comum com uma paixão gigantesca pela música sertaneja, que é, para mim, o estilo que melhor representa o brasileiro em toda sua excência.
O nosso blog já está com mais de um ano de existência e, graças a vocês, tem atingido aos poucos os objetivos almejados. Então, quero fazer algo que ainda estou devendo. Meus agradecimentos a algumas pessoas que têm ajudado o blog do Noembalo a fazer a diferença:

  • Glauber Duarte – proprietário e administrador do Noembalo.com, que me cedeu gentilmente o espaço e demonstrou extrema confiança em meu trabalho;
  • André Piunti – Universo Sertanejo, que se tornou um parceiro indispensável;
  • Renato Murakawa – Blog Oficial do João Neto & Frederico, que também nos apóia e incentiva sempre;
  • Keila e Pati – blog Victor & Leo Sem Censura, pelas informações sempre quentíssimas;
  • Fabinho Dorneles, Rafael, Eunice, Átila e outros grandes amigos que sempre nos acompanham e ajudam através dos comentários.
Muito obrigado pelas palavras sempre calorosas de todos vocês. Me alegra muito saber que algumas pessoas têm gostado do nosso trabalho. Esperem um momento, deixa eu só enxugar minhas lágrimas (snif, snif)…

Pronto, agora sim vamos aos comentários da semana:

* Eu recebi um e-mail recentemente perguntando sobre a dupla Gino & Geno. Enfim, não tenho notícias sobre o próximo projeto da dupla. Também ouvi dizer que eles estariam gravando um novo DVD, mas não sei se isso aconteceu. Qualquer informação nova, pode deixar que eu adianto…

* O “bofofo” deixou um comentário no post de terça-feira com um ponto de interrogação no final. Creio que foi uma pergunta, então. Pois bem, pelo que eu assisto das entrevistas da dupla Edson & Hudson, posso dizer com convicção que o Hudson é um sertanejo que curte muito o rock, não o contrário, apesar do que muita gente teima em dizer. Ele resolveu fazer um trabalho nessa linha pra satisfazer uma antiga vontade de gravar um CD instrumental. O Hudson, tal como o Edson, é um grande compositor. Suas músicas têm sido bem recebidas nas vozes de duplas como Felipe & Falcão, Marcos & Belutti, etc. Até música de dupla sentido ele já fez. “Ela só anda com o Monzão no pau…” é o verso do refrão de uma delas, hehehe. A título de curiosidade, o Ralf (Chrystian & Ralf) também já declarou ser um grande fã de bandas como Led Zeppelin e Black Sabath.

* O post sobre o Serginho Pinheiro gerou certa polêmica em dois aspectos. Vamos tentar esclarecer os dois. Primeiro, eu disse que corria um boato de que o Serginho Pinheiro servia de estepe para o Zezé quando sua voz falhava em dias de gravação. Acho que me expressei mal ao usar o termo “servia de estepe”. O que quis dizer é que ele , CONFORME OS BOATOS, gravava a voz no lugar do Zezé quando este não conseguia cantar. Já adianto, no entanto, que acredito piamente que isso seja só mais um boato, dentre tantos os que cercam a carreira do Zezé di Camargo. Eu também acho que é perfeitamente possível distinguir as vozes dos dois cantores. Até acho a voz do Eduardo Costa mais parecida com a do Zezé, ainda mais na época do “Coração Aberto”. Hoje, nem tanto.

* O outro elemento que gerou polêmica foi o comentário de um amigo “anônimo”, que disse que o Mosh caiu de qualidade e que o César Augusto está gagá. O Fabinho ficou uma fera, hehehe. Olha que o anônimo parecia saber das coisas. E eu, pra ser sincero, concordo com ele. O Mosh já não é mais o mesmo e nem o César Augusto. Não que não concorde com o Fabinho quando ele disse que 9 em cada 10 artistas querem ter seu trabalho produzido no Mosh. Quem dera eu poder trabalhar com o pessoal de lá. Mas é fato: a fase de ouro desse estúdio já passou. O século XXI viu nascer grandes estúdios, mas hoje o que deixa um trabalho excelente é a capacidade do produtor de criar e de superar dificuldades. Não é pequeno o número de produtores hoje em dia que se revezam entre seus estúdios e quartos de hotel (com as bandas com que trabalham), levando apenas um notebook e uma placa de áudio externa. Entre um show e outro, eles adiantam seus trabalhos. Muitos, aliás, sequer possuem estúdios de gravação. Os meios de produção musical estão muito mais acessíveis que há dez anos atrás. O diferencial, então, passou a ser o talento do produtor.

* Por falar nisso, o “anônimo” fez uma observação importante. No post de segunda-feira, quando eu disse masterização, o correto seria mixagem. Só a título de curiosidade, as diferenças entre mixagem e materização podem ser conhecidas clicando-se aqui e aqui. Quando me sobrar um tempo, prometo pesquisar mais a fundo as diferenças entre os dois procedimentos e postar aqui.

DICA DA SEMANA – VICTOR & MATHEUS

O Fabinho deu a dica, eu trago pra vocês. A dupla Victor & Matheus segue um estilo mais tradicional, mas nem por isso estão fora do que podemos enquadrar como moderno. Participaram do DVD da dupla Matogrosso & Mathias e estarão lançando o próprio em breve. Acessem a página da dupla no Palco MP3 e baixem as canções.