DIÁRIO DE UM CANTOR SERTANEJO – CANTANDO EM BARZINHO

Provavelmente vocês têm curiosidade de saber como é cantar num barzinho. Pois bem. O post de hoje tem o objetivo de esclarecer algumas dúvidas que o pessoal tem quanto a isso.

Já começo declarando que barzinho é o melhor e o pior lugar pra cantar que pode existir. É o melhor lugar porque:

  1. É onde o cantor aprende a interagir com o público com humildade;
  2. É onde o cantor se educa para cantar da melhor forma possível, sem agredir os ouvidos dos ouvintes;
  3. É o único lugar onde o público é totalmente sincero, isto é, se o cantor for ruim, eles não perdoam. Dessa forma, dá pra se você é bom ou não. Caso não seja, dá pra saber onde melhorar;
  4. O cantor desenvolve técnica, repertório, concentração, resistência e muitas outras coisas boas.
No entanto, o barzinho pode ser considerado também o pior lugar, porque:
  1. Há um horário definido para começar, mas não há para acabar. A média de horas trabalhando direto, com poucos ou nenhum intervalo, é de 4 horas;
  2. O público não respeita. Acham que o cantor está ali por hobby. Não enxergam aquilo como um trabalho profissional e que precisa, portanto, de remuneração;
  3. O cantor é praticamente obrigado a saber todas as músicas que forem pedidas. Se não souber, corre o risco de não receber o couvert de quem fez o pedido, porque muitas vezes o cliente se sente no direito de não pagar caso o cantor não saiba a música que ele pediu;
  4. Não há camarim, alimentação adequada, banheiros adequados. Às vezes até a água que o cantor bebe é descontada no cachê;
  5. O cachê é miserável. E o pior: o couvert nunca é totalmente repassado ao cantor. Muitos bares combinam com os cantores um cachê fixo e cobram o couvert dos clientes, chegando a receber quase 5 vezes o valor combinado com o cantor, dependendo do local. É claro que nos dias “fracos”, o cachê combinado é bem menor.
  6. Não há garantias, já que a Ordem dos Músicos do Brasil, que deveria auxiliar os cantores a se resguardarem quanto aos direitos, nada faz quando o cantor se ferra
  7. O dono do bar geralmente faz a vontade do cliente e acaba cedendo quando mesmo reclama da música ou do couvert. Afinal ele não quer perder clientela.
  8. O cantor é obrigado a investir num equipamento de som de qualidade para não ouvir reclamações;
  9. O cantor tem que controlar o volume do som de modo a ficar bem baixo, já que muitas cidades têm leis do silêncio que precisam ser respeitadas. Acaba que o público não interage, já que quanto mais baixo o volume do som, menor a quantidade de pessoas prestando atenção em quem está cantando;
  10. etc.
  11. etc…
  12. etc…..
Ou seja, cantar em bar é uma furada, mas necessária. Quem não tem dinheiro para investir numa carreira sólida e bem estruturada, junto com rádios e apenas com grandes shows, acaba tendo que ingressar nesse caminho. O bom é que, quando o público é receptivo e gosta do seu trabalho, chega a ser gratificante cantar nessas condições. Eu gosto, apesar de já estar sofrendo com esse martírio há pelo menos três anos.

Deixe seu Comentário

seu endereço de e-mail não será publicado.