DIÁRIO DE UM CANTOR SERTANEJO – JAMAIS FURE OS OLHOS DE NINGUÉM

Olá!!!

Primeiramente, peço desculpas pelo atraso. Estou tendo problemas com a internet e, por isso, tenho atrasado as postagens. Vou tentar ajeitar tudo. Logo, logo, estaremos de volta ao ritmo normal.

Hoje, quero falar de um episódio que aconteceu há menos de um ano atrás. Graças a Deus, temos grande amizade com a maioria das duplas sertanejas daqui da região. Acontece que uma dessas duplas, que chamaremos apenas de “Zé & João”, havia conseguido um empresário, algo que qualquer dupla em início de carreira almeja. A pessoa que se interessou em ajudá-los tinha uma boa condição financeira, o que significa que, se o investimento fosse feito da maneira correta, daria resultados rápidos.

Pois bem. A minha dupla está em atividade há mais ou menos quatro anos. No entanto, até hoje não apareceu NINGUÉM com seriedade, responsabilidade e interesse o suficiente para realizar as tarefas que um empresário realiza. Até hoje, sempre estivemos sozinhos, tentando conseguir, sem ajuda de ninguém, o que muita gente cheia de ajudantes bem relacionados não conseguiu.

Por intermédio da dupla “Zé & João”, ficamos sabendo que um dos parentes do dito empresário trabalhava como webdesigner e tinha projetos consideravelmente baratos. Fechamos contrato com ela e conseguimos construir nosso site. Acontece que ela, vendo o nosso empenho em realizar um trabalho sério, quis nos apresentar ao tal empresário. Além disso, ela nos disse que ele tinha interesse em nos ajudar.

Ficamos, obviamente, empolgados com a possibilidade de, finalmente, conseguirmos um empresário e tal. Eles vieram até nossa casa, nos ouviram um pouco e fizeram a proposta. Proposta essa que, aí sim, nos desanimou. O fato é que ele queria deixar de empresariar a dupla “Zé & João” para passar a nos empresariar.

Ora, eu e meu irmão fomos criados numa família que tem muito receio de pedir ajuda a outras pessoas. Temos o costume de correr atrás de tudo o que queremos sozinhos. Não pedimos favores. O nosso objetivo sempre foi conseguir um empresário sério. No entanto, não pensamos duas vezes em recusar a proposta, pois não seria ético da nossa parte.

Alguns dias depois, ficamos sabendo que ele parou de ajudar a dupla “Zé & João”, decidindo por não perder mais tempo com duplas sertanejas. Tudo bem, perdemos uma oportunidade, mas pelo menos perdemos com a moral intacta. Jamais cresceremos nesse meio se basearmos nossas atitudes em nos aproveitar do fracasso alheio.