Entrevista Exclusiva – Renato Teixeira

Sem querer menosprezar a maioria das entrevistas realizadas pelo Blognejo e postadas aqui no decorrer destes 7 anos de trabalho e mais especificamente neste quase um ano e meio em que as entrevistas passaram a ser semanais, mas há momentos em que, sem dúvida alguma, bate um orgulho maior. Além dos grandes (enormes) nomes que já nos concederam entrevistas com quase ou mais de uma hora de duração, de vez em quando temos a chance de falar com figuras de uma importância superior e que não costumam conceder esse tipo de entrevista em outros veículos. Entrevistas como as realizadas com Chrystian & Ralf e Di Paullo & Paulino, por exemplo, acabam tornando-se presentes para o público, dada a raridade.

A entrevista de hoje segue essa linha. É “só” com o cara que compôs “Romaria” e “Tocando em frente”, duas das mais importantes músicas brasileiras de todos os tempos. Renato Teixeira é um nome que dispensa qualquer apresentação. É um artista sensacional, com décadas de carreira e com uma importância incomensurável para a cultura brasileira.

Nesta entrevista, falamos sobre as diversas influências na carreira do Renato Teixeira, desde Pixinguinha a Noel Rosa, passando por Dorival Caymmi. Falamos sobre a história da música caipira e de como ele soube aplicar a ela um conceito de MPB para criar e definir a sua musicalidade. E falamos, também, de diversos artistas cuja amizade com ele renderam grandes obras, inclusive o mais recente disco, “Amizade Sincera 2”, com Sérgio Reis, com uma atenção especial a nomes como Pena Branca & Xavantinho e Almir Sater. Sem dúvida uma entrevista fora dos padrões.

São bate-papos como esse que mostram o respeito conquistado pelo Blognejo e que provam que definitivamente não dá mais pra ficar fazendo as vontades de assessorias de imprensa “estrelas”, que blindam seus artistas, mesmo muitos deles estando longe de ter a mesma importância que muitos dos nomes que já passaram por aqui, e os impedem de gravarem entrevistas com conteúdo de fato, como deve ser, ou que acham que tudo se resolve com duas perguntas em uma porta de camarim ou 20 minutos em uma coletiva de imprensa. Acho que, depois de falarmos com todos os grandes nomes que já passaram por aqui e de chegarmos ao ponto de falar com um mestre do quilate de um Renato Teixeira, é a gente quem deve fazer uma listinha de exigências, né, hehehe?

Assistam abaixo essa aula de cultura brasileira ministrada pelo genial Renato Teixeira.