Guarânia – Cult e Imortal

Houve um tempo na música sertaneja em que a guarânia era um ritmo praticamente dominante. A maioria dos principais sucessos de boa parte dos artistas sertanejos durante os anos 70 e 80 eram guarânias. Aliás, alguns artistas tem em guarânias até hoje os maiores sucessos da carreira, com músicas que transformaram a história dos mesmos. Chitãozinho & Xororó não seriam os mesmos sem “Fio de Cabelo”, assim como Teodoro & Sampaio devem muito ao “Vestido de Seda”.

Até o Tião Carreiro, que era o rei do pagode, tem nas guarânias algumas das principais músicas de sua trajetória. “Amargurado”, “Arrependida”, “Estrela de Ouro” e outras tantas que, por conta do grave na voz do Tião, eram simplesmente maravilhosas. Chitãozinho & Xororó, além de Fio de Cabelo, ainda tinham pérolas como “Coração Quebrado”. Teodoro & Sampaio gravaram também algumas inesquecíveis como “Beber de Novo”, “Passe Livre”, “Estrela Caída”, “Casaco Verde”, “Paixão Proibida” e outras tantas.

Matogrosso & Mathias marcaram época com “Idas e Voltas” e ainda foram responsáveis por algumas não muito conhecidas mas ainda assim impressionantes, como “Triste Aniversário”. João Mineiro & Marciano com “Se eu não puder te esquecer” e “Ainda ontem chorei de saudade”, clássicas. Gilberto & Gilmar com “Capa de Revista”. E, óbvio, o Trio Parada Dura, que também tinha nas guarânias as principais músicas da carreira. Gravaram “Telefone Mudo”, “Luz da Minha Vida”, “Último Adeus” e outras tantas simplesmente sensacionais. Sem falar também na eterna “Tocando em frente”, do Almir Sater. Além de, é claro, “O Ipê e o Prisioneiro”, “Colcha de Retalhos”, “Índia”, “Meu primeiro amor” e outras tantas.

Depois desse período, já nos anos 90 e nos primeiros 5 anos da década seguinte, as guarânias foram praticamente abandonadas. Pelo menos as que foram lançadas nesse período não tiveram tanta importância ou foram simplesmente subestimadas pelos próprios artistas que as gravaram. E olha que essa época trouxe maravilhas como “Olhos de Luar”, da dupla Chrystian & Ralf, e diversas outras. Mas apesar dos defeitos que tanta gente apregoa aos artistas da nova geração, foram eles que a partir da segunda metade da década passada começaram a reconhecer novamente a importância e o bom gosto inerente às guarânias e a lançar novas e incríveis músicas nesse ritmo eterno.

Victor & Leo gravaram no primeiro DVD ao vivo a música “Sem Você”, que era uma composição do Victor Chaves em parceria com a então desconhecida Paula Fernandes. A música foi gravada na mesma época pela dupla Bruno & Marrone no DVD “Acústico 2” e tempos depois pela própria Paula Fernandes no disco “Pássaro de Fogo”. A mesma Paula gravou neste álbum uma canção em parceria com o Almir Sater que se tornou tema de novela, a guarânia estilizada “Jeito de Mato”. Não se enganem: a música “Jeito de Mato”, apesar de ser dedilhada, é sim uma guarânia. Abaixo, as duas canções:

* Sem Você – Paula Fernandes

* Jeito de Mato – Paula Fernandes

Além de Victor & Leo e Paula Fernandes, outros artistas também viram que as guarânias não são simplesmente canções comuns. Incrível como elas se tornam atestados de bom gosto assim que são gravadas. Os artistas que incluem canções assim no repertório passam a ser olhados pelos outros artistas e pela parcela mais, digamos, requintada do público de uma forma completamente diferente, com mais respeito e admiração que antes.

Mas a sacada das guarânias contemporâneas, que faz com que elas sejam modernas mesmo a partir de um ritmo teoricamente retrógrado, é a temática abordada nas mesmas. Nem sempre é preciso falar de roça ou mato, forçando assim a referência e a homenagem às músicas mais antigas. A maioria das guarânias gravadas nos últimos anos pelos artistas da nova geração sertaneja falam de amor, de sentimento. Fora “Jeito de Mato”, da Paula Fernandes, e “Peito de Aço”, da dupla Zé Henrique & Gabriel, são poucas as guarânias com temática do campo.

Eis alguns artistas que tiveram a sacada de homenagear as guarânias e ganharam, consequentemente, mais respeito e admiração.

* Jorge & Mateus – Pra ter o seu amor

* Fred & Gustavo – Sem você aqui

* Zé Henrique & Gabriel – Peito de Aço

Até o rei Roberto Carlos, cumprinco uma promessa de 14 anos feita à dupla Chitãozinho & Xororó, compôs uma guarânia e convidou os dois para gravarem uma participação. A música “Arrasta uma cadeira” era meio breguinha, claro, mas mostra até o próprio rei reconhecendo a força desse ritmo. Vejam abaixo:

Além da música “Sem você aqui”, da dupla Fred & Gustavo, citada acima, outra guarânia pode ser um dos grandes sucessos da próxima temporada. A dupla Israel & Rodolfo, de Goiânia, acabou de gravar um DVD que contou com a participação da dupla Jorge & Mateus na música que provavelmente vai ser o carro chefe do disco: a guarânia “Marca Evidente”. A versão com a participação de Jorge & Mateus ainda não está pronta, claro, mas veja abaixo um vídeo com a versão original da música apenas com a dupla Israel & Rodolfo.

O fato é que a guarânia voltou e com força. Está quase se tornando indispensável na hora de se montar um bom repertório. Talvez o mais sertanejo dos ritmos musicais e que, mesmo assim, consegue impor respeito ao nosso segmento. Sinônimo de bom gosto e de qualidade, as guarânias são cults e inteligentes. Para ouvidos exigentes e que sempre procuram qualidade, a volta desse ritmo musical é uma excelente notícia. Pena que o deixaram em stand by por tanto tempo.

Em tempo: a Wikipédia traz detalhes interessantes a respeito da história da guarânia no Brasil. Clique AQUI para ler.