Internação de Hudson Cadorini expõe um dos maiores tabus do segmento sertanejo

Internação de Hudson Cadorini expõe um dos maiores tabus do segmento sertanejo

A internação recente do cantor Hudson Cadorini, da dupla Edson & Hudson, em uma clínica de reabilitação para o tratamento da dependência química, noticiada pelo site Almanaque Sertanejo e depois repercutida em diversos sites e portais de notícias, culminando em uma declaração do Edson direcionada a contratantes e fãs a fim de tranquilizá-los sobre a realização dos shows previamente agendados, expôs, enfim, uma das feridas mais bem guardadas do nosso segmento, assunto considerado tabu extremo e que quase nunca é abordado abertamente, a não ser em rodas de conversa e mesmo assim com muita discrição: o uso de drogas no meio sertanejo.

Durante anos fomos levados a acreditar que o problema das drogas no meio da música se resumia a artistas de segmentos mais, digamos, rebeldes, principalmente o rock e a MPB. O fato, no entanto, é que os artistas destes segmentos apenas não se preocupavam com a exposição desse tipo de problema. O uso de drogas no segmento sertanejo sempre foi mais comum do que se imagina, mas com a diferença de que, pelo menos entre os artistas sertanejos, sempre houve uma preocupação maior em esconder situações como estas.

Eu mesmo já quis abordar esse assunto aqui no blog dezenas de vezes, mas até então nunca havia encontrado uma brecha, uma oportunidade na qual eu pudesse falar a respeito dentro de um contexto que não parecesse apenas uma forma de levantar uma eventual polêmica.

Antes de mais nada, inclusive, é importantíssimo ressaltar a coragem do Hudson em assumir publicamente a sua internação. Ele não tinha sequer a obrigação de fazer isso, mas optou por fazê-lo durante um show de rádio. Para realizar o show, ele chegou a deixar a clínica na qual se encontra internado por algumas horas. Se ele quisesse, poderia apenas ter dito que estava doente, sem especificar o problema, e que por conta disso teria que se ausentar de alguns shows. Mas não, ele assumiu publicamente o problema que vem enfrentando, o que já é uma vitória sem precedentes.

A internação do Hudson repercutiu nas redes sociais, inclusive entre alguns artistas, com a utilização da hashtag #forçahudson. A dupla Victor & Leo foi uma das que manifestou apoio durante um show transmitido no último domingo através do canal Multishow. E uma das frases do Victor Chaves resume bem essa situação: não cabe a ninguém julgar, apenas apoiar.

A dependência química não é um problema restrito ao artista Hudson Cadorini. Muito pelo contrário. Mesmo que ele tenha sido o primeiro com coragem o suficiente para assumir que precisava de tratamento, essa doença é mais comum do que se pensa entre nossos artistas. Já foi causa de separações de duplas, de quebras de contrato entre artistas e empresários, de faltas de artistas em shows, de problemas nos bastidores, etc, etc, etc, etc. É um problema MUITO SÉRIO e me admira muito que até hoje esse assunto nunca tenha sido exposto de forma que as pessoas pudessem encará-lo com algo a ser resolvido.

E o problema no segmento vai desde o uso de drogas leves, como maconha ou abuso de álcool (este último não tão discreto, diga-se de passagem), até pesadas como cocaína e outras. E como em qualquer meio artístico, seja na música, TV, cinema, as pessoas tem a tendência de se deixarem levar pelo momento, sem sequer pensarem nas consequências de uma decisão que parece a mais sensata naquele instante, mas que pode significar uma ferida séria para o resto da vida, com reflexos na esfera profissional e pessoal.

Não vou me ater muito a este tema. Primeiro porque se trata de um tema deveras espinhoso para ser tratado por mim em um simples texto aqui no Blognejo e, segundo, porque eu, como abstêmio de uma vida inteira e nunca tendo feito uso de qualquer tipo de substância ilegal, não me acho a melhor pessoa para opinar a respeito. Só quis trazer à tona a gravidade deste problema e ressaltar a importância em tratá-lo, sim, como um problema sério. Seríssimo, na verdade.

Espero do fundo do meu coração que a coragem que o Hudson Cadorini, um dos maiores guitarristas e segundeiros do Brasil, teve possa servir de exemplo para tantos outros artistas que passam pela mesma situação mas que pensam ser imunes a todas as consequências que podem advir daí. E que este seja apenas um obstáculo a ser superado por esta que é, como eu sempre costumo dizer por aqui, uma das maiores e melhores duplas que a música sertaneja já viu.

Confiram AQUI o vídeo com a declaração do Edson aos contratantes. Abaixo, o comunicado oficial da dupla Edson & Hudson.

edson e hudson