LEOVANDER – COUNTRY STAR 2

Seguindo a sugestão da nossa nova amiga Eunice e afim de esclarecer uma fala minha no último post, tratei de providenciar o CD do Leovander, vencedor do Country Star. E não está fácil achar o CD, que, segundo a Eunice, foi lançado no dia 10/09. Eu só consegui encontrá-lo na Uol Mega Store e acabei desembolsando R$ 19,00 pra baixar as músicas, hehehe.

Antes de começar a falar sobre o trabalho, quero esclarecer o motivo da minha discordância. Lá vai:

Como todo vencedor de reality show musical, o Leovander teve que, a princípio, se curvar à vontade do procutor (Rick Bonadio). Quando ele ganhou o concurso, as canções do CD já tinham sido escolhidas pelo próprio Rick Bonadio. Só faltava gravar a voz. Ora, o cara tinha que, pelo menos, opinar quanto ao repertório do próprio CD. A onda dos dias de hoje é o controle total do processo de produção do CD por parte dos artistas principais. Basta ver, por exemplo, os casos de Victor & Léo, Fernando & Sorocaba, Rick & Renner e muitos outros por aí. No caso do Leovander, e como já é de praxe em todos os realitys que contam com a tutela do Rick Bonadio, a música de trabalho tinha sido escolhida antes mesmo que o vencedor fosse anunciado. Esse é o motivo da minha discordância: o artista não pode ser apenas uma marionete. A participação do mesmo na produção do disco é crucial e decisiva, por mais comercial que um CD seja, e qualquer que seja o estilo musical. Não é só questão de ganhar dinheiro, mas também de se deixar uma marca própria no trabalho. O Fagner disse uma vez que, por mais comercial que fosse um trabalho, ele sempre representa o que o artista sente. E o próprio Leovander canta: “Não brinca com meus sentimentos, não sou feito de aço…”.

Agora sim o review…

Quando eu penso no nome do Rick Bonadio em um reality show musical, logo me vem à mente o que eu disse acima: cantores marionetes. Foi assim com o Rouge, com o Br’oz e com a Nathália. Ele escolhia o repertório sozinho e sempre privilegiava músicas compostas por ele próprio. Sem falar da produção do disco, também assinada por ele, e que era sempre feita conforme o que ele considerava condizente com o mercado. Mas pelo menos uma coisa não dá pra negar: o cara tem o faro pro sucesso.

Confesso que eu esperava deste disco apenas “mais um trabalho com a assinatura de Rick Bonadio”. Qual não foi a minha surpresa, no entanto, quando vi quem eram os compositores das canções e quando finalmente pude ouvir o CD. O nome do Rick Bonadio aparece APENAS como produtor do CD. Incrível! Aquele egoísmo que eu juro que achava que prevaleceria foi deixado de lado. Não há no CD nenhuma canção do Rick Bonadio. Tem uma canção até do Bozzo Barreti, o outro jurado do reality, mas não tem nenhuma do Bonadio.

Outra coisa que me deixou surpreso foi o estilo adotado no CD. Eu esperava um CD predominantemente country. Afinal, o Leovander venceu um reality que anunciava uma nova estrela Country. Que nada. O CD é sertanejo, e da melhor qualidade. Dá só uma olhada nos nomes de alguns dos compositores que participaram do CD: Rick (Rick & Renner, não o Bonadio), Zé Henrique, Chico Amado, Kadu Ferraz, Fátima Leão, Rivanil, Everton Matos, João Victor, Vinícius, Rodrigo Freitas (Uberlândia!!!), ou seja, alguns dos principais compositores sertanejos do Brasil. Detalhe: só canções inéditas ou desconhecidas do público. Destaque para as cações “Feito de aço” (música de trabalho), de Maurício Bressan; “Fã”, de Fátima Leão, Marcelo Melo e Netto; “A dama e o vagabundo”, de dois dos compositores preferidos das novas duplas, Rivanil e Everton Matos; “Tche, tche, tche”, do Chico Amado e “Só pode ser amor”, parceria histórica entre o Rick (Rick & Renner) e o Zé Henrique.

Com relação à produção, o Rick Bonadio mostrou que seu conhecimento não se limita apenas ao rock, pop e country. Como eu disse, o CD é sertanejo da melhor qualidade. O Bonadio privilegiou arranjos de violão e acordeon, ou seja, exatamente o que tem agradado o público. Nada de parafernálias tecnológicas. Arranjos, aliás, muito bem concebidos e executados, agradáveis de se ouvir. A única música legitimamente country do CD é a música “Quero ver o touro pulando, de Giu, que contou com a participação da Nathália. Todas as outras são sertanejas, o que pra mim é um alívio.

Sobre a qualidade do Leovander como cantor, não há muito o que falar. O cara ganhou de mais de 15000 concorrentes (incluindo eu, hehehe). Ou seja, não tem como o cara ser ruim. Ele é bom até demais. É muito reconfortante ouví-lo cantar. Sua voz é tão bonita quanto a interpretação que ele dá às canções. Nada de floreios exagerados, o que costuma ser comum para cantores solo. A impressão que dá quando se ouve uma canção do Leovander é que ele canta com uma facilidade exorbitante. O cara é bom mesmo, sem sombra de dúvida.

Sobre o que eu disse no início do post, continuo tendo a mesma opinião. Resta saber se a opinião do Leovander teria feito alguma diferença na produção do CD. Porque, dessa vez, eu tiro o meu chapéu para o Rick Bonadio. Espero que quando o Leovander tiver que passar a controlar as outras etapas de produção (o que é inevitável), ele saiba extrair tudo de bom que o Bonadio mostrou nesse trabalho.

NOTA: 9,0