Lucylla & Luciana

Momento das mulheres na música sertaneja, então resolvi escrever um review sobre o primeiro disco de uma das duplas femininas cujo dueto vocal eu mais admiro atualmente: Lucylla & Lucyana.

As duas loirinhas estão num caminho ascendente na música sertaneja. Não são um grande sucesso ainda, mas o burburinho em torno delas é crescente. Na verdade elas são uma das duplas femininas que mais tem agradado os tradicionais nomes do sertanejo. Apadrinhadas pelas Irmãs Galvão, com disco produzido pela Fátima Leão, participando do mesmo círculo social de grandes ícones como Sérgio Reis, elas vem colhendo, aos poucos, os frutos de um longo trabalho, com mais de 10 anos de carreira.

Creio que elas agradam os medalhões porque optaram por seguirem um estilo mais tradicional. O disco é quase que totalmente avesso ao “universitário”. Claro que eu não esperaria algo na linha universitária em uma produção assinada pela Fátima Leão. Na verdade, o disco até lembra os grandes álbuns dos anos 90, numa pegada mais moderna, claro.

Entre as canções, destaque para as músicas “O Valentão”, “Desprezo”, ambas de autoria das duas e a maravilhosa “Palavras são palavras”, de Eduardo Dias e Wander Bill. O legal é que as duas primeiras são as únicas que levam a assinatura das duas sem parceria com ninguém. Tem outra canção no disco que as duas compuseram, mas a música levou também o nome da produtora, a Fátima Leão, que não é nem um pouco boba, claro. Provavelmente ela sugeriu a mudança de uma única frase, o que já foi suficiente para a inclusão do nome dela, o que, é claro, valoriza ainda mais a canção.

Não preciso nem dizer que a Fátima imprimiu no disco um estilo mais tradicional. Várias músicas dançantes e até uma guarânia, feita por ela em parceria com o Zezé. A música “O Valentão” é provavelmente a mais moderninha do disco, com arranjo no violão e no acordeon e uma levada universitária. Mas é a única. O disco resgata arranjos em guitarra e até um sax alto num estilo que há muito não se via na canção “Desprezo”. Exceto pela faixa “Palavras são Palavras”, que, apesar de levar arranjos de violão no início e guitarra no meio, destoa do CD pelo ritmo e pegada utilizada, muito mais modernos e inusitados que os das outras canções. Por isso, a considero a melhor do CD.

Entre as regravações, clássicos como “Mulher Brasileira”, do Benito de Paula e resgates tipo “Como eu te amo”, do Bruno & Marrone e “Pode ser pra valer”, do Chitãozinho & Xororó.

É um CD tradicional, pra quem gosta de um estilo mais nostálgico e não suporta mais o universitário. Sobre a voz da meninas, não exagero ao dizer que são provavelmente o melhor dueto das duplas femininas da atualidade. Vozes doces, femininas, como deve ser voz de mulher, afinal de contas. Segunda afinadíssima. Não só pelo CD, que, por ser de estúdio, pode muito bem receber um tratamento com o Auto Tune. Mas é que ao vivo elas são boas mesmo. Espero sinceramente que faça sucesso, porque é diferente, justamente por ser igual aos discos de antigamente.

Nota: 7,5